Prontas para Amar - Jily.Franlice

Tempo estimado de leitura: 1 hora

    12
    Capítulos:

    Capítulo 9

    Capítulo 9

    Heterossexualidade

    Nota da Autora: Oi! Espero que tenham gostado do capítulo anterior. Aqui está mais um. Espero que gostem desse. Obrigada a ~Countryhuman male brazil pelo comentário no capítulo anterior, e pelos favoritos. Bjs emoticon

    James saiu de casa de Lily e se dirigiu para o carro. Tinha sentido a pele suave da pintora contra a sua e o perfume dela estava mesclado com o seu, lhe dando um cheiro exótico. Ligou o motor e se dirigiu até um supermercado, onde comprou um pacote de batatas fritas, frango assado, arroz e latas de cerveja. Se dirigiu para a caixa mais próxima e pagou, trazendo o saco cheio. Conduziu em direção à casa de Sirius, utilizando seu atalho preferido. Escutava um cd dos Metallica, seus pensamentos em seu melhor amigo, e em Lily. Estava preocupado com ele. E sentia que estava se apaixonando por Lily e que ela o correspondia, mas parecia que tinha medo dele, ou de se apaixonar por ele. Conseguiu evitar algumas filas de trânsito pelo caminho, para seu alívio, e entrou na rua. Estacionou o carro e saiu com o saco na mão. Galgou as escadas e tocou à campainha. A porta foi aberta por Sirius, que que tinha um ar desmazelado. Suas roupas eram velhas, seus cabelos estavam despenteados e barba no rosto, sem falar nas enormes olheiras debaixo dos olhos sem brilho. Estava terrível. Sirius perguntou, enquanto James entrava:

    — O que está fazendo aqui? 

    — Vim almoçar com você, claro! - Exclamou James, se dirigindo para a cozinha - Eu sei muito bem que você não ia almoçar, por isso trouxe comida. E você vai comer. 

    — Não tenho fome. - Retorquiu Sirius, enquanto fechava a porta e entrava na cozinha, mas James retirou o que necessitavam para almoçarem. Colocou a mesa e obrigou o amigo a se sentar. Abriu os pacotes, as latas de cerveja e se sentou. Sirius observava o almoço sem interesse, não tinha apetite. James perguntou:

    — Marlene está trabalhando?

    — Sim. - Respondeu ele, pegando na lata de cerveja e colocou no copo com gelo, bebendo um gole – E você, também não deveria estar?

    — Só tenho que trabalhar de tarde. - Informou James – Falei com a chefe que ia fazer aulas de pintura ela permitiu que eu trabalhasse só em part-time, mas só depois de me deitar aquele olhar, sabe? 

    — Arregalou os olhos? - Perguntou Sirius, rodando o copo nas mãos. 

    — Juro que ela estava igualzinha a um sapo. - Confidenciou ele – Um sapo rosa.

    — Que medo. - Gemeu Sirius, tentando imaginar a cena. James acenou com a cabeça, concordando e disse: 

    — Mesmo. 

    — E como é a pintora? - Perguntou Sirius, curioso, mudando de assunto.

    — Linda, Padfoot. - Revelou James, sonhadoramente, pensando nela - A mulher mais linda que já vi na minha vida.

    — Duvido que seja mais linda que a minha Lene. - Brincou Sirius e James olhou para ele. Sorriu e respondeu:

    — Você está enganado. Ela é uma beldade. - Sirius olhou atentamente para o amigo e falou, seriamente:

    — Você está apaixonado, Prongs. - James desviou o olhar e pegou no copo, tragando um pouco de cerveja. Engoliu e comentou:

    — Talvez seja só uma atração. - Sirius negou com a cabeça, dizendo:

    — Você nunca falou assim de uma mulher. E seu olhar está diferente. - Acenou com a cabeça, frisando suas palavras - Está apaixonado.

    James bebeu novamente, pensando nas palavras dele. Sirius era seu melhor amigo, seu braço direito e se tratavam como irmãos, não o queria enganar.

    — Talvez. - Comentou - Só sei que ela é diferente.

    Sirius cantarolou, desafinadamente:

    — James está apaixonado. James está apaixonado. James está apaixonado. James está apaixonado.

    — Cala a boca, Padfoot. - Ordenou ele, enquanto Snuffles entrava na cozinha com uma bola na boca. O cachorro deixou cair o objeto no chão, e se atirou a James, lambendo seu rosto.

    — Oi, Snuffles. - Cumprimentou James, acariciando seu focinho - Como vai?

    Snuffles latiu em resposta e abocanhou uma perna de frango, fugindo da cozinha.

    — SNUFFLES! - Gritou James, e Sirius gargalhou. Ele ficou feliz ao ouvir seu amigo rir, mas fingiu que estava zangado. - Aquele cachorro...roubou minha perna!

    Sirius gargalhava, lágrimas escorrendo por seu rosto. Snuffles nunca tinha roubado a comida do prato, normalmente esperava que lhe dessem.

    — Oh, foi tão engraçado! - Exclamou ele, limpando as lágrimas que escorriam por seu rosto - Nunca pensei ver uma cena dessas.

    E gargalhou mais uma vez, James sorriu e o acompanhou na risada. Os dois se riram durante uns minutos e Sirius se serviu, se sentindo um pouco melhor. Se acalmando aos poucos, começaram a comer, enquanto James falava das aulas e de Lily. Sirius ouvia com atenção embora, às vezes, pensasse em seu irmão. Queria visitar sua sepultura, mas sabia que seus pais, ou seus familiares, estariam velando e não queria problemas. Não se sentia bem o suficiente para começar uma briga no próprio cemitério.

    — E você, como vai? - Perguntou James, olhando para seu amigo com atenção. Sirius abanou os ombros e comentou:

    — Estou melhor que ontem. - Olhou para James, a pessoa que tinha ficado com ele a noite toda, conversado com ele, jogado às cartas enquanto bebiam, o distraindo, e agradeceu, seriamente:

    — Obrigado, Prongs. - James olhou para Sirius, e ele continuou - Por tudo o que fez, e tem feito por mim.

    — Os amigos são para essas coisas. - Respondeu ele, sorrindo para seu amigo, e continuaram a comer. Acabaram o almoço, colocaram a loiça na pia, deram os ossos a Snuffles, que roía com gosto o osso da perna do frango, e se despediram com um longo abraço. James saiu da casa dele mais leve, sabendo que Sirius estava um pouco mais animado.

    Continua...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!