Amores de Verão - Dramione

Tempo estimado de leitura: 27 minutos

    12
    Capítulos:

    Capítulo 4

    Capítulo 4 - Um Encontro no Bar da Praia

    Heterossexualidade, Sexo

    Nota da Autora: Oi! Tenho de agradecer os comentários e os favoritos de Nprincess01 no capítulo anterior. Aqui está mais um capítulo. Espero que possam lê-lo e deixar vossas opiniões. Bjs emoticon

    Harry e Hermione ficaram observando o pôr do sol, que descia lentamente pelo horizonte e fazendo com que o oceano refletisse cores quentes e maravilhosas, tornando a praia mais fresca. De seguida, enquanto Harry arrastava a cadeira até à loja vazia de clientes, Hermione apertou a bolsa contra si, esperando que ele a ajudasse a caminhar.

    Harry regressou, colocando um braço em redor de seu corpo e, pegando na prancha de surf, foram lentamente em direção ao bar da praia. Hermione desconfiava que o pé também tinha sido um pouco machucado, mas sabia que ficaria bem. Entraram no bar animado e se sentaram nas cadeiras disponíveis. Um garçom de longas rastas e pele muito escura apareceu e os cumprimentou, lhes entregando um menu. Hermione observou que o bar tinha um cardápio elaborado, com wraps, sanduíches, saladas, bolos e muito mais. Comentaram entre eles antes de Hermione pedir:

    - Queria um suco de melancia com banana e um wrap de carne desfiada. - Parecia ser bom, recheado com mussarela, alface, requeijão e um molho especial. Não tinha trazido lanche e estava com um pouco de fome. Talvez nem precisasse de fazer jantar em casa.

    - E o senhor? - Perguntou o garçom, depois de anotar seu pedido.

    - Um smoothie de morango e jabuticaba, e uma pizza de carbonara. - Pediu Harry, vendo o garçom anotando o pedido e se afastando. Vendo o olhar de Hermione sobre si, se justificou – Não tem problema de quebrar, de vez em quando, a dieta.

    Hermione sorriu, concordando com suas palavras. Ela também costumava fazer o mesmo, mas muito raramente. Enquanto esperavam, conversaram sobre amenidades, sentindo uma conexão pouco conhecida por ambos. Era como se conhecessem há muito tempo. O garçom chegou com os pedidos e Harry separou algumas fatias de pizza, estendendo em um guardanapo na direção de Hermione, dizendo:

    - Para você.

    - Obrigada! - Agradeceu, com um sorriso, pegando nas fatias quentes e pousando no prato. - Muita amabilidade sua.

    Conversaram um pouco sobre seus gostos musicais, ele gostava do mesmo gênero de música que ela. Jazz dos anos 50 e 60, e percebia muito do assunto. Sentia que Harry estava se interessando por ela. Só queria viver novas experiências, novos amores.

    A hora passou, enquanto Hermione mergulhava nesses pensamentos, E seus olhos não paravam de se fixar nos ombros largos. Já passava da meia noite quando ela, não aguentando mais o cansaço, comentou, enquanto se erguia da cadeira:

    - Está ficando tarde. Eu preciso de descansar da viagem que fiz. – Ele a imitou e convidou:

    - Posso levar você a casa? Isso é, se não se importar de andar de mota. - Hermione sorriu, andar de moto. Desde seus dezessete anos que não andava em uma. Depois de Ron, aquele namorado que veio depois de Draco. Draco, seu primeiro amor, que nostalgia sentia quando se recordava dele. Onde estaria? Se separaram, pois ele tinha ido viver para os Estados Unidos com a família, pois o pai tinha arrumado um emprego muito bem pago.

    - Vou só lavar as mãos. - Informou Harry, se levantando – Volto já.

    Pegou na prancha, avançando ao longo do mar. Hermione tocou no pé, sentindo uma pontada dolorosa. Precisava de pôr gelo, antes de piorasse. O garçom veio recolher os pratos e perguntou se tinham gostado.

    - Estava tudo maravilhoso, obrigada. - Agradeceu ela, pela amabilidade. Harry demorou alguns minutos e, quando regressou, vinha somente com umas chaves na mão.

    - Eu deixo a prancha aqui, perto dos barracões. - Disse, ao ver seu olhar inquiridor - Como venho aqui todos os dias, aluguei um armário.

    Saíram do ruidoso bar, em direção ao parque de estacionamento. Estava uma noite maravilhosa, amena. Escutava as ondas batendo nas rochas e um vento suave brincava com seus cabelos. Hermione coxeava um pouco devido ao hematoma e Harry, vendo como ela andava tão devagar, pediu:

    - Fique aqui, que eu vou buscar a mota. - Hermione parou mesmo por baixo de um candeeiro, sua sombra sendo iluminada pela luz amarelada, vendo como ele acelerava o passo, se afastando cada vez mais dela até desaparecer na escuridão. Escutou risadas atrás de si e viu um grupo de quatro mulheres saindo do bar em direção a um Peugeot branco. As quatro usavam vestidos curtos e decotados, revelando uma pele bronzeada. Ao mesmo tempo que elas entravam no carro, escutou o ruído caraterístico de um motor e se virou, vendo Harry surgindo da escuridão e parando à sua frente.

    - Venha. - Convidou, estendendo uma mão. Hermione hesitou, escutando a voz de sua mãe a avisando para não andar com desconhecidos, principalmente à noite, mas sentia que conhecia Harry há muito tempo. Se sentou por detrás dele, pousando as mãos na parte detrás do assento. Harry lhe ofereceu um capacete, mas logo a avisou:

    - Tem de se agarrar a mim ou vai cair facilmente, Hermione. - Fez o que ele lhe pediu, tocando em seu corpo firme e sentiu a forma dos músculos contra suas mãos. Harry acelerou, saindo do parque de estacionamento, avançando para a rua movimentada. Percebeu que ele conduzia com experiência, se sentindo mais aliviada. Agarrada a Harry, sentia o desejo crescendo, enquanto sentia o vento e olhava a bela paisagem, com árvores repletas de folhas, cheias de vida. Apontava o caminho até casa.

    Observou o cabelo bagunçado, desejando tocá-lo, senti-lo sob seus dedos, mas se conteve. Não sabia porque queria tocá-lo tanto. Tinha sentido uma grande afinidade por Harry, como se o conhecesse há anos e não há algumas horas. Chegaram tão rapidamente a casa que, subitamente, ficou triste. Queria passar mais um tempo junto a ele. Tinha sido uma tarde tão especial.

    - Obrigada, Harry. - Agradeceu, saindo da mota – Foi um dia muito agradável. Gostei muito de sua companhia, há muito que não conversava como Hermione.

    Ele deixou escapar um sorriso com o elogio, acenando antes de partir. Enquanto pegava na chave e entrava em casa, pensou como Harry lhe tinha mostrado, naquele dia de praia, como ela era bonita, sensual e interessante. Exatamente o contrário do que Viktor tinha feito ao longo de todos os anos que estiveram juntos.

    Trancou a porta, largou a bolsa no chão e correu para o chuveiro onde, debaixo da água morna, pensou nos olhos verdes, no sorriso intenso e no corpo firme de Harry, abraçando o dela. Imaginou como seriam as mãos firmes tocando em seu corpo e , de seguida, com a toalha enrolada em seu corpo, se atirou para cima da cama, imaginando reencontrá-lo muitas mais vezes.

    Continua...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!