ANUON 9999

Tempo estimado de leitura: 9 horas

    12
    Capítulos:

    Capítulo 57

    A primeira batalha - Parte 1

    Violência

    Um capítulo com várias descobertas os aguardam.

    A situação se tornou caótica num piscar de olhos. Sem ideia do que estava acontecendo, Kaede viu Son atacar Ethan ferozmente, com o Anis aquecendo suas mãos com labaretas. O jovem, por sorte, consegue se esquivar do ataque, com Son não acreditando que havia errado seu golpe.  Irritado, continua a investir contra ele, que corre para trás de uma pilastra. Son então desvia dela, sobrevoando a sala. Ao alto, diz:

    — Humano, não sei como conseguiu se esquivar dos meus golpes, mas seus amigos... Hahahaha! Eles não escaparão!

    — NÃO FAÇA ISSO! - Gritou o jovem, desesperado.

    E Ethan corre em sua direção agora. Son mostra um leve sorriso e volta suas atenções novamente a ele. O Anis pirotécnico aplica em Ethan um chute que faz com que o jovem caia no chão. Levemente contundido, ele se levantou dizendo:

    — Porque fez isso?! Desgraçado!

    — Hehehe... posso ser sádico, mas isso não interfere em meu caráter. Nunca iria atingir seres que nada tem a ver com a luta. Porém você é um daqueles heróis com dever em proteger "indefesos"... Hahahaha!

    — Caráter?! Isso é jogo sujo!

    — Hahahahaha! Mas irei pegá-los quando terminar com você, não se preocupe!

    — Kaede e Ryoga... saiam. 

    Com Ryoga incrédulo, ele diz:

    — Cara, tu tá falando sério? O bombardeio emplumado aí tá cheio de sangue nos zóio e tu quer que a gente dê um blergh?!

    — Sim... e leve Kaede.

    Mas vocês já devem saber no que isso iria dar, não? Com a palavra Kaede:

    — Não sairei daqui. Não me dá ordens!

    — Kaede, saia!

    — Eu sou a autoridade aqui. Você é um verme! Não vou sair até fazer esse monstro pagar pelo o que fez com essa gente toda!

    — Vai começar com isso agora? SAIA JÁ DAQUI! ESSA GUERRA NÃO É SUA!

    — CALA A SUA MALDITA BOCA! Eu luto com ele. Tenho mais força e conhecimento de combate que você!

    — Ah é mesmo? Está se promovendo agora? Vejam só... A samurai tentando mostrar mais força que eu...

    — O QUE?! SOU MUITO MAIS FORTE E CAPAZ QUE VOCÊ! E homem nenhum fala dessa forma, seu arr*mbato! Saia daqui e leva o Ryoga com você... Deixe-me lutar com Son!

    — Kaede, você é muito teimosa mesmo. Arrogante até dizer chega!

    — CALE-SE

    — CALE-SE VOCÊ!

    — Ethan, não me provoque... VOCÊ JÁ PASSOU DOS LIMITES!

    — Você que está se metendo nisso. VAI... CAI FORA DAQUI!

    E os dois ficaram alí brigando, com Son somente observando. Ryoga, já irritado com a situação, diz:

    — Aí... os dois aí poderiam terminar a briguinha de vaidades em outra ocasião? Tem um passarinho aí que tá afim de comer a gente vivo! Pô, fala sério...

    — Ryoga, Veja lá como - Tentou dizer Kaede, se virando para o jovem.

    — PARA COM ESSA P*RRA, KAEDE! PARA! Ele já tá lutando, caramba... Deixa o Ethan! Tem coisa que a gente diz que é "assunto de homem" mas não é querendo ser machista nem nada. É tomar a responsa pra si mesmo, p*rra! Respeita o cara! Ou tu vai bancar a feminista chata que acha que pode tudo na hora que quer? Não, Kaede! Esse assunto não é seu e você sabe disso!

    Kaede entendeu o que Ryoga sua dizer, mesmo que de uma forma dura. Já entendida e com ambos olham para Son e Ethan, Kaede diz:

    — Tudo bem, pode lutar com ele. Depois a gente conversa... - Disse, correndo até uma porta.

    Com os dois saindo da sala, Ethan coloca-se em base de luta frente a Son, que investe contra ele mais uma vez, tentando o golpear visando sua cabeça. Mas o jovem humano, mostrando agilidade surpreendente, consegue neutralizar o ataque, segurando um dos braços do Anis e lhe apricando um arremesso. De forma incrível o golpe e efetivo, fazendo com que Son fosse ao chão. Não acreditando no que aconteceu, o Anis diz:

    — Humano desgraçado... - Disse, se levantando... - Como conseguiu ficar forte desta forma? Kenta... Aquele humano me disse que você era um inútil...

    — Kitsune me ensinou.

    — Kitsune?! - Disse, surpreso - A raposa? Mas...

    — Ela mesma.

    — Impossível. Ela nunca teria condições de te ensinar isso!

    — Muita coisa aconteceu desde então... Ela aprendeu uma técnica chamada Maratsu-Kyoken e me ensinou... Tem muitos segredos dela que você não imagina...

    — Então esse é um dos segredos dela... Hm... interessante.

    E logo abrem-se pequenas portas pela sala. Ethan as observa, não entendendo o porque, dizendo:

    — O que está acontecendo?

    — Vamos deixar as coisas mais interessantes. Meus amigos também querem fazer parte da festa! hahahahahaha!

    E Ryoga e Kaede, que já estavam em um outro corredor, são puxados por feixes de energia como se fossem garras que saíam das portas. Ethan também é puxado, sem conseguir se soltar, sendo levado por eles. Com Son de braços cruzados e esboçando um sorriso maligno, diz:

    — Piece 1, não é só vc que pode se divertir. Hehehe... Vem vindos a minha mansão... de onde nunca mais sairão com vida! Hahahaha!

    Minutos depois...

    Em algum lugar da mansão.

    Sob uma escuridão que imperava no lugar, a umidade era sentida no ar que se respirava, deixando-o abafado quando se movimentava. A respiração era difícil... e lá estava Ethan. Caído a beira de uma fonte em algum lugar, supostamente abaixo da mansão, estava em uma caverna. Com sua visão voltando e conseguindo enxergar somente a até alguns centímetros a frente, diz:

    — Que lugar é esse? Son, que brincadeira é essa?  Droga... Eu deveria ter suspeitado que não seria tão fácil...

    Caminhando sem saber para onde ir, sentou-se no chão um pouco. Visivelmente confuso, diz:

    — Agora que consigo mostrar o que aprendi, acabo preso. Sou um inútil mesmo... Espero que a galera esteja bem...

    Enquanto isso, em um outro lugar da mansão...

    O lugar era totalmente diferente para onde Ethan foi levado. Era um campo florido, com um ar que revigorava o mais fraco dos seres. Naquele local onde o visual era realmente estonteante, Kaede olhava para os lados depois de se levantar e observava o quão belo o lindo jardim era. Se levantando, correu em seguida, ainda impressionada com o lugar. Ao horizonte, observa pássaros voando inclusive, dizendo:

    — Esse é o lugar mais lindo que eu vi na minha vida! Em nada lembra o... Mas espere! Que lugar é esse? E onde estão os outros?

    Porém, ao fundo, Kaede logo viu uma pessoa e, percebendo a presença da jovem, esse alguém diz:

    — Olá, jovem. Prazer em conhecê-la.

    — Hã? Quem... quem é você?

    E logo a pessoa se levanta e se apresenta. Era um rapaz usando uma calça azul com o dorso despido. Tinha asas de morcego e seus olhos eram de cores diferentes, evidenciando o fenômeno de heterocromia: um era azul e o outro púrpuro. Ele, mostrando uma voz suave e agradável, diz:

    — Me chamo Nomed. Está em meu território agora, jovem... E sua presença me agrada.

    — Espere... Eu me lembro desse nome!

    — Me conhece? Não esperava que fosse tão bem informada, linda jovem.

    — Você que lidera a Tríade! Anuon me disse!!

    — Anuon, não é? Sei... Four Nine se rebelou, não foi?

    — Como sabe?

    — Piece 1 me contou... Somos inimigos mortais, mas odiamos traição da mesma forma. Sabe, eu simpatizo com retalhação... como justiça.

    — Grrr..  Me diga... Porque estou aqui?

    — Ora, além de bem informada também é curiosa... Adoro isso em vocês, humanos...

    — ME DIGA LOGO, SEU ANORMAL!

    — Hm... É apressada e tem gênio indomável... Boas qualidades... Bem, queremos nos divertir com vocês.

    — O que? Mas... Porque? Isso não faz sentido!

    — Mostrar a Piece 1 que a Tríade é eficiente. 

    — Eficiente? Como assim?

    — Vocês causaram muitos problemas a Piece 1, sabia? Hehe... Eu achei isso fascinante... Ver aliados a ele se rebelarem e diminuir seu exército... Eu deveria ser grato a vocês, mas tenho honra e orgulho em ser um Anis. Então, vocês são meus convidados... e hóspedes eternos da Mansão Nomed.

    — O que vive quer dizer com isso? DIGA! - Disse Kaede, mais irritada.

    — Vocês não irão morrer. Serão presos e nos alimentarão por anos. Iremos vencer Piece 1... e provar a ele que humanos são úteis... como alimento.

    — O QUE?! VOCÊ NÃO PASSA DE UM SÁDICO! PORQUE ESTÁ ME MANTENDO AQUI NESSE LUGAR?

    — Como disse, quero me divertir... - Disse, caminhando em direção a Kaede.

    — Hã? O que está pensando em fazer?

    — Eu sou um Humis... Um Anis com forma humana... Por isso eu quero sua companhia... jovem humana...

    — O QUE?! COMO OUSA? JAMAIS DEIXARIA QUE ENCOSTASSE EM MIM!

    Kaede, temendo pelo pior, se mune com um pedaço de galho que estava caído no chão. Investiu em seguida com todas as forças contra Nomed, que se esquiva facilmente. O Anis, enquanto evitava os ataques, diz:

    — Ora, ora... estou vendo que a a jovem é uma guerreira fabulosa. Gosto disso!

    — SEU MALDITO! AHHH!

    E Kaede, agora mais irritada, concentra-se e usa um dos estilos do Maratsu-Kyoken.

    — MARATSU-KYOSAN!

    Mesmo usando de um simples galho, Kaede tinha conhecimento de luta suficiente para sublimar seu ataque de acordo com a resistência de sua arma e, com isso, acertiu Nomed no seu dorso, fazendo-o cair. O golpe foi tão eficaz que fez com que o Anis sangrasse em sua boca. Ele, se levantando, diz:

    — Subestimei você, humana...

    — EU VOU ACABAR COM VOCÊ! EU JURO QUE EU VOU TE DESTRUIR! EU TENHO NOJO DE SERES COMO VOCÊ!

    — Bem, levarei esta luta a sério a partir de agora. Não adianta pedir clemência...

    E a garota, girando o galho, diz:

    — Clemência é para fracos. Venha!

    — Hehehe... vai se arrepender...

    Enquanto isso, em outro lugar...

    Numa sala com o que havia de mais tecnológico na mansão, via-se computadores, que estavam ligados a várias pessoas. Eram câmaras, que conservavam vivas daquelas pobres almas que nada podiam fazer. Humanos presos, servindo de alimento para os Anis da mansão. E nesse lugar, deitado, estava Ryoga, acordando em seguida. Ao olhar ao redor, ficou impressionado com o que viu, dizendo:

    — Tá, ok... Já entendi... Agora estou em uma fase do Metroid Prime. Vou procurar por um dispositivo pra abrir alguma porta e essas coisas desses jogos de Wii... Fala sério, caraca! Eu gosto de Resident Evil! E do jeito que as coisas estão, é bem possível que apareça algo parecido com o Tyrant ou o Nemesis. Tem uma porta grande aqui... sei não...

    Apesar de seu conformismo, Ryoga estava com medo. Andava com toda a cautela, procurando por algum botão que abrisse a porta. Mas algo lhe chama a atenção: uma das câmaras não está suspensa e havia alguém dentro. Chegando perto com cuidado, vê uma linda jovem de longos cabelos loiros e...

    — DESPIDA!? Ai... Ryoga, deixa de ser pervertido... Para de olhar... O que faço, caraca?

    E acidentalmente, quando estava tentando "limpar sua mente" (é o Ryoga, leitor!), acaba apertando o botão que abria a câmara. Logo a água que envolvia seu corpo foi expelida por tubos. Depois disso, Ryoga diz:

    — Cara, é mesmo uma garota... Ela não pode ficar assim! - Disse, olhando para a própria camisa.

    Tomando todo o cuidado, a levanta e tira sua blusa de manga comprida mas, assim que tenta vestí-la, algo o impede. Um detalhe considerável que ele mesmo diz:

    — Caraca, ela tem assas! E com penas brancas! Será um anjo? Será que tomou um Red Bull? Se sim, então essa aí exagerou na dose!

    Sabido disso, ele rasga sua camisa, de forma que pudesse vestir a jovem preservando a saúde de suas asas. Assim que o faz, a levanta novamente e ajeita seu cabelo, que estava sobre seu lindo rosto. E de forma inesperada, ela abre os olhos. Ryoga logo pergunta:

    — Oi, tudo bem com você? Qual seu nome?

    E a garota, o olhando de forma amedrontada, diz:

    — Nome? Eu... Eu sou Alísia... E você?

    Continua...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!