Gaara & Rock Lee

Tempo estimado de leitura: 2 horas

    16
    Capítulos:

    Capítulo 22

    Capítulo Vinte e Dois

    Homossexualidade, Nudez, Sexo

    Depois de chorar, dormir, chorar mais um pouquinho e um banho deliciosamente gelado a noite finalmente chegou. Não importa o quanto eu pensasse nisso, a ideia não me agradava, eu estaria lá com eles enquanto me torturava o vendo festejar com uma prostituta. Talvez eu não deva ir, poderia ir encontrar Kankuro e dizer que não vou, seria tortura de mais para meu frágil coraçãozinho. 

    Quando estava nos fundos da casa ele me agarrou pelos ombros e começou a tagarelar o fato de sair em uma noite com homens que sabem se divertir, começou a reclamar de alguns amigos ninjas da Vila e foi me arrastando com ele. Perdi a oportunidade de ficar trancado no meu quarto, fomos andando em direção a Academia Ninja e quando estávamos chegando perto de umas árvores Kankuro parou e chamou seu irmão. 

    Gaara fez uma pergunta sem nexo e o mais velho respondeu, ele saiu de trás de uma árvore e suas roupas eram completamente pretas, mas a escuridão e a luz do luar destacavam mais seus lindos olhos turquesas. Ele parecia um pouco irritado, então seguimos Kankuro ao nosso destino, conversa vai e conversa vem e Gaara pouco se entrosava na conversa. Depois de atravessarmos um túnel uma carruagem simples nos esperava, Kankuro anunciou animado: 

    --Agora assim vamos a festa! 

    Mesmo a contra gosta continuei seguindo-os. Quando chegamos ao estabelecimento que tinha o disfarce de uma simples casa de banho, fomo direcionados a trocar nossas roupas por yukatas pretas e seguimos até o porão. O cheiro do incenso era forte e apesar de aquele lugar ser bem escondido estava lotado, não demorou para quatro mulheres nos servirem. 

    Fomos levados para uma sala VIP e cada uma se apresentou aos seus clientes, tinha uma ruiva que não conseguia tirar os olhos, ela de fato era muito linda e como meu coração estava machucado eu poderia tentar conserta-lo em suas belas curvas. Nos sentamos e fiquei logo de frente com ele, meu deus, aquela mulher com suas pernas em cima dele estava me deixando louco. 

    Percebi que Kankuro se comunicava silenciosamente com ele e logo os dois saíram da sala, me levantei e fui sentar do lado onde ele tinha estado antes, não demorou muito e ambos voltaram. Gaara sentou-se ao meu lado, Kankuro falou algo com a loira que em seguida se jogou em seus braços. 

    --Me disseram que você é tímido. - Não queria escutar aquilo, mas a curiosidade me atingia. Olhei de relance e aquela atrevida passava a mão no peito dele! - Podemos ir para um lugar mais reservado, mais íntimo. 

    A minha mente gritava para ele não aceitar, implorava para ele dizer não, mas meu mundo caiu quando ele disse: 

    --Vamos. 

    Eu não tinha mais animo, a realidade me atingiu em cheio e quando ele se levantou meus olhos encontraram os deles, e tive a ligeira impressão de que ele estava incomodado com algo. Desviei meu olhar e tentei focar na moça que dançava à minha frente. Gaara tinha indo embora com aquela mulher, ele talvez passaria a noite ali aos braços dela e eu estaria aqui catando meu coração iludido. 

    Quando já estava para desistir e ir embora a imagem de seu olhar de incomodo invadiu minha mente. Aquilo me perturbou e movido por um impulso fui atrás dele. Saí da sala e do lado de fora perguntei a uma das moças onde ficava os quartos, algumas queriam me mostrar pessoalmente com outras intenções, mas neguei e menti dizendo que tinha esquecido algo. Uma delas me apontou o caminho e o segui, o corredor com diversas portas eram longos e a única maneira de descobri onde ele estava era invadindo cada um. 

    Estava pronto para abrir a primeira porta quando vi aquela mesma moça sair de uma à direita. Quando ela sumiu por outra mais a frente entrei naquela, ele estava deitado com as mãos na cabeça e parecia tentar respirar. Ele levantou a cabeça e ficou levemente surpreso e tudo que disse foi: 

    --Errou a porta.  

    Sim, eu estava na porta certa, seu olhar estava em conflito, percebi que ele não queria estar ali. Sorri e lhe estendi a mão. 

    --Vamos embora daqui. 

    --Do que está falando? 

    --Gaara, eu percebi muitas coisas durante esses anos e uma coisa que percebo agora é que você não quer estar aqui. Por favor, vamos embora. 

    Ele processou minha oferta e por fim levantou pegou minha mão e fomos embora dali sem avisar a ninguém. 


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!