Freedom Planet: Faith & Shock

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    12
    Capítulos:

    Capítulo 34

    Conflitos na Agência - Parte 3: The Duel

    Spoiler, Violência

    Um desfecho bastante diferente do habitual os aguardam.

    Enquanto isso...

    Ala Go

    Praça central da Agência.

    Lilac estava paralisada com a flor que Viktor havia escolhido. Depois de tanto relutar, a dragão diz: 

    — Mais uma vez, Viktor. Mais uma vez...

    — Como assim?

    — Você me surpreendeu novamente, tenho que admitir. E meu teste funcionou.

    — Seu teste? Como assim?

    — Queria tirar a prova. Viktor, não vou te esconder nada: todas aquelas pessoas que você convidou... Elas gostam muito de você. E eu queria ver se você estava mesmo bem e... consciente. Hehe... E está muito por sinal.

    — Ah... Isso... Bem, a Carol me disse isso também.

    — Ah eu devia imaginar que aquela bola de pelo não iria ficar de boca fechada...

    — Mas que teste é esse?

    Lilac então caminhou até o lago e, continuando, diz:

    — Sabe, desde que você apareceu e se envolveu com a gente, nós nunca saímos pra conversarmos só eu e você. E eu queria ter um momento a sós com uma pessoa confiável e gentil. Viktor, esse teste da flor foi uma forma de eu confirmar uma coisa...

    — O que?

    — Estava querendo ter um momento com você. 

    — Mas porquê? Nós ficamos sempre juntos...

    — Ah Viktor... Como posso dizer? É que eu vi você com toda aquela gente e... Bem, essa sua inocência e tal... Eu não consigo mesmo dizer...

    — Lilac, por acaso você está sentindo ciúmes,?

    — Hã? Ah... Não é bem isso... Sabe, eu... Bem...

    — Hahaha! Dessa vez eu que te peguei! Devolvi!

    — Hahahaha! Bobo! Me pegou mesmo... Que coisa. Fiquei bem sem graça... Ai ai...

    — Mas o que você queria me dizer além disso?

    — De que você é especial. Tudo que faz é de forma gentil e bondosa. Você é importante pra gente e... – Disse Lilac, com uma gota de lágrima em um de seus olhos – ... só de pensar que a qualquer momento você pode voltar pra onde você veio... Não estou pronta pra me despedir de você. Acho que nenhuma de nós... Eu te pedi que não se metesse em confusões mais e... você foi além disso. Você se tornou ainda mais agradável e foi por isso que aquelas pessoas todas que conheceu retribuíram o mesmo amor que você as proporcionou...

    — Lilac...

    — Você já parou pra pensar o porquê de você ter aparecido? Eu mesmo penso nisso e... eu só tenho a agradecer a você por tudo. Muito obrigada, Viktor. Por tudo. Talvez o que eu diga não expresse tudo que eu penso de você... Eu só quero o seu bem e nada mais. Não sei por quanto tempo mais iremos nos ver, mas quero que isso se prolongue o tempo que for preciso pra que você vá bem e em paz.

    — Lilac, eu... – Se aproximou Viktor, com um sorriso – Eu que devo agradecer. Se não fosse vocês me salvando e me mostrando esse mundo, eu não estaria aqui fazendo parte disso tudo. Então... muito obrigado. Eu me sinto honrado de ter conhecido um dragão de verdade. E fico ainda mais feliz em saber que esse dragão é uma garota forte e Incrível como você.

    Viktor então, gentilmente, colocou a rosa amarela entre os cabelos de Lilac. O adorno só a deixou ainda mais bela, como Viktor mesmo ilustrou:

    — Amarelo e lilás... Combinou muito bem. Um dueto harmonioso, Lilac “Yellow”, hehehe...

    — Ah Viktor... Seu bobo! Deixa eu te dar um abraço!

    Como disse, a bela dragão o abraçou com força. Todo esse tempo Lilac só queria estar junto a Viktor para terem um momento juntos. O laço de amizade e amor ficarem ainda mais fortes desta forma. Diante os desafios que passaram, a dragão só se preocupava com o jovem humano, para que não se sentisse mal e... para protegê-lo.

    E para a origem da maior confusão...

    Ala Ichi

    Centro de pesquisas da Agência.

    — Asuka Tenjoin? – Disse Noah, surpreso.

    A grã mestra, estampando um sorriso no rosto, estava frente a frente com o albino. Seria uma afronta para provocá-lo? Ou um acerto de contas um contra um?

    A jovem grã mestra caminhou em direção a Noah, dizendo:

    — Já deve saber que a essa hora toda a Agência...

    — Bacana a forma que você editou aquele vídeo. Pegou só a parte que foi conveniente a você e jogou em público. Estou impressionado com sua sinceridade, grã mestra.

    — Que bom que gostou. E escolhi aquela parte para dar a todos a noção do quão grande será minha justiça contra sua doutrina demoníaca.

    — Creio que o único demônio aqui é você, Asuka Tenjoin...

    — Hm... Que delícia. Então o mestiço tem garras afiadas... Ui, chegou a me arrepiar.

    — Gosto do seu deboche. Isso só evidencia a sua total falta de noção.

    — Noção não me faz falta. Tenho isso em excesso. Por isso eu estou aqui, para levá-lo até os agentes.

    — Hã? Do que está falando?

    — Ora, acha mesmo que haverá um final feliz para sua jornada cheia de atrocidades e maldades? Noah Hibiki, hoje você conhecerá o que esteve guardado a todos vocês a muito tempo.

    — Como é?

    — Todos vocês... Membros dessa seita demoníaca do Kaipasu... Hoje você pagará por tudo que fez a todos nós!

    Mas uma coisa Asuka não esperava: Zoey se colocou a frente de Noah, impedindo a aproximação de Asuka, que diz:

    — Zoey, o que pensa que está fazendo?

    — Grã mestra Asuka Tenjoin, creio que estamos trabalhando. Se dirija a mim como se deve.

    — Hm... Tenho pleno acordo, Zoey Loba Cinzenta, aero cientista e doutora.

    — Bem melhor... Agora peço que se retire de meu laboratório imediatamente.

    — Que atrevimento dizer tais coisas!

    — Estamos trabalhando. Você mesmo sabe das normas que VOCÊ MESMA FEZ! De acordo com a diretriz sete, no parágrafo dois, nenhum oficial, seja alta, média ou baixa patente, tem autoridade em ingressar em um centro de pesquisas sem que haja um mandado ou causa grave para tal. Você está aqui a trabalho ou motivos pessoas a um visitante, grã mestra?

    Asuka havia esquecido do mais básico. E isso foi sim uma vitória a favor de Noah. Sabendo que estava errada, Asuka deu-lhe as costas dizendo:

    — Muito bem, aero cientista e doutora. Estou de saída e peço desculpas pela falta de...

    — Noção? Hm... Então eu estava mesmo certo, não é? – Debochou Noah, devolvendo a provocação.

    — Hehe... Será um imenso prazer esperá-lo lá fora, Noah Hibiki. Ou você é um covarde?

    Mas antes que saísse, Milla diz:

    — Asuka-chan?

    — Hm? – Disse, se virando – Milla Basset, o meu nome é...

    — Asuka-chan! Eu sei o seu nome. Mas eu acho que você não sabe quem é o Noah.

    — Sei muito bem quem ele é, Milla Basset.

    — Eu estou falando com a Asuka-chan, não estou?

    — Milla Basset, porque está...

    — MILLA! ME CHAMA SÓ DE MILLA! A ASUKA-CHAN DEVE ESTAR AÍ DENTRO DE VOCÊ QUERENDO SAIR!

    — Milla Basset... Você está gritando comigo. Não vou admitir que...

    — VOCÊ VAI ME PRENDER?! ENTÃO ME PRENDE! Aliás... A gente já está preso mesmo... Não vai fazer diferença. Mas eu sei que a Asuka-chan está aí dentro em algum lugar... porque ela é legal e amorosa comigo.

    — Hunf... Que desperdício... – Disse Asuka, voltando a caminhar e sair pela porta.

    O recado foi dado. Asuka Tenjoin avisou que ficaria esperando por Noah no lado de fora do centro de pesquisa. Porém Zoey diz:

    — Ela estava mesmo disposta a te fazer mal, Noah.

    — Zoey, agradeço pela ajuda.

    — É o mínimo que eu podia fazer. Mas ainda não resolvemos nada... Ela está te esperando, Noah.

    — Eu sei disso. E eu irei até ela.

    — O que?

    E Milla logo se manifestou outra vez:

    — Noah, ela não parece estar com bom humor.

    — Não se preocupe, Milla. Vocês duas pelo menos me deram tempo pra pensar o que fazer.

    — Hã? Mas o que você vai fazer?

    — Algo apropriado a uma grã mestra...

    O que Noah havia pensado?

    Enquanto isso...

    Na praça principal, Lilac e Viktor estavam bastante a vontade sentados no banco. Relaxando a calmaria, eis que sua paz termina: uma grande aglomeração de agentes tomam os corredores, rumando para a ala Ichi. Lilac, por estar usando de suas habilidades auditivas, já havia entendido o que estava acontecendo:

    — NOAH?! Viktor, temos que ir!

    — Hã? O que foi?

    — A Asuka... Ela vai punir o Noah...

    — Mas...

    — RÁPIDO! NÃO PODEMOS PERDER TEMPO!

    Com os dois jovens se apressando...

    Na cara de Lenzin, a panda guardiã e Carol conversavam amigavelmente quando perceberam uma grande movimentação no lado de fora. Rapidamente Lenzin e a felina verde foram até a janela e viram vários agentes se apressando, indo em direção a Ala Ichi. E elas ouviram de um deles:

    — Nossa... A grã mestra vai definitivamente punir o possuído! Agora teremos justiça!

    Imediatamente Carol e Lenzin se olharam, com a panda dizendo:

    — O que eu mais temia...

    — A Asuka... Tipo, ela vai...

    — Sim, ela vai. Precisamos ir até lá. Vamos!

    — Falou!

    As duas saíram em disparada, acompanhando a grande repercussão que havia tomado a Agência por completo.

    O momento que Asuka tanto planejou havia chegado.

    Ala Ichi

    Grande salão da Agência.

    O lugar era espaçoso, onde podíamos ver um grande estandarte do Reino de Shang Mu e, no piso, o símbolo da Agência. Parecia até mesmo uma arena de luta... ou seis esse a principal ideia? Ignorando esse detalhe, vemos então Asuka Tenjoin, acompanhada por Arthemis e praticamente uma platéia forma por quase todos os agentes. Todos estavam amontoados olhando para o prédio do Centro de Pesquisas da Agência. E eis que a porta automática se abre, com Noah Hibiki caminhando sob vaias inflamadas de todos os agentes alí presentes. Alguns até mais exaltados diziam:

    — Possuído! Você é um demônio!

    — VOCÊ DEVE QUEIMAR!

    — SAIA JÁ DAQUI, SEU POSSUÍDO!

    Logo atrás de Noah, o acompanhando, estavam Milla e Zoey. Pela tamanha inimizade que os demais agentes estavam tenho com o albino, a pequena canina estava acuada com tanta negatividade, com ela pensando:

    — *Essa gente... Estão punindo alguém que nem conhecem direito... Isso não é certo, o Noah não é uma má pessoa...*

    O jovem albino, seguro de si, ignorava totalmente os protestos, continuando a caminhar até a grã mestra, que sorria a sua aproximação. Ela então diz:

    — Vejo que você não é um covarde. Ao menos um pouco de coragem vindo de um desgraçado como você...

    — Não. Isso nada tem a ver com coragem. Não confunda isso com vontade, Asuka.

    — Ora, vivendo e aprendendo... Obrigado pela explicação esclarecedora, Noah Hibiki. Mudou o meu dia.

    — Disponha. E então... Como vai ser?

    — Simples: você vai se deixar ser julgado e pagará por tudo que fez. Simple and Clean – Disse, pegando um tablet.

    Mas esboçando um rosto intimidador, Noah diz: 

    — Não.

    — Você disse alguma coisa? É que preciso me esforçar pra ouvir pessoas abaixo de mim, sabe?

    — Você ouviu bem, Asuka Tenjoin. Isso não vai acontecer.

    — Não é uma escolha, praticante do Kaipasu. Você não tem dire...

    — CALE A SUA MALDITA BOCA, SUA ANORMAL!

    — Gritando comigo... Hm... Essa é sua natureza, Noah Hibiki. Estou gostando de ver sua honestidade. Mesmo vindo de um ser demoníaco como você...

    Nesse tempo, Lilac e Viktor chegaram e fizeram companhia a Noah. A dragão não perdeu tempo:

    — ASUKA... TRATE DE PARAR COM TUDO ISSO!

    — Ah?! Sash Lilac... Hm... A líder exemplar do Team Avalice. Você sim tem direitos.

    — Pare com isso agora mesmo!

    — Porém você não tem poderes aqui. Sua presença se limita a observar o que está prestes a acontecer. Ou está disposta a lutar contra uma oficial do Reino de Shang Mu?

    Sim, vocês já devem saber quem não gostou nada de ouvir isso.

    — ASUKA TENJOIN!

    Era Lenzin que, com um Incrível salto, aterrissou frente a grã mestra, dizendo:

    — Uma oficial contra outra oficial.

    — Justo. Pena que nem mesmo você pode ir contra as leis de nosso Reino.

    Carol, se juntando a Lilac e Viktor, diz:

    — E aí, gente.

    — Carol?! Por onde você andou? – Perguntou Viktor.

    — Resolvendo pepino. E agora a gente tem uma horta pra resolver...

    — Nem me fale...

    E Lenzin, continuando sua disputa, diz:

    — Asuka, o que está fazendo é algo abominável.

    — O termo foi bem usado, cara grã mestra. Mas o abominável aqui se chama Noah Hibiki.

    — Insolente! Você está cometendo um delito a nossa pátria!

    — Não, Lenzin Tzu Chiang... O que estou fazendo é justiça. Noah Hibiki é um praticamente de Kaipasu. Sua presença em nosso Reino é uma afronta. Você mesma o estava investigando mesmo antes do Torneio T.O.R.M.E.N.T.A. O que tem a me dizer sobre isso?

    — Grrr... Eu estava cumprindo com meu dever!

    — E eu agora estou cumprindo com o meu. Acha mesmo que um simples exorcismo irá apagar todo que ele fez?

    — BLASFÊMIA! TRATE DE RETIRAR O QUE DISSE! EU IREI PROTEGER A HONRA DE MINHA FAMÍLIA!

    — Uma luta entre oficiais? Sério mesmo? Hm... Basta eu me negar e você será banida para sempre.

    As coisas estavam perdendo o controle. Já não havia muita ordem no lugar e, com isso, Noah decidiu agir: se colocou entre as duas e diz:

    — Guardiã, não perca o seu tempo.

    — Hã? Noah...

    — Ela está descontrolada e decidida a fazer “justiça”. Só que eu também estou...

    — O que quer dizer?

    E ele, tão decidido quanto Asuka, diz:

    — Eu, Noah Hibiki, membro do Team Avalice, filho de Yvo Hibiki e Rebeka Zas, desafio a grã mestra da Agência para um duelo!

    Todos ficaram impressionados com a atitude do albino. Até mesmo Asuka não acreditou.

    — Quer duelar contra mim?

    — Sim. Ou será que a grande e intocável grã mestra é incapaz de aceitar esse desafio?

    — Não existe razão alguma pra que eu aceite.

    — Então creio que existe dúvidas quanto ao que você acredita.

    — Desgraçado... Você não passa de um ser amaldiçoado por natureza. Você sequer tem o direito de desafiar uma oficial como eu...

    Mas Lenzin tinha um pensamento diferente. Ela, retirando sua espada, diz:

    — Sob a palavra do Grandíssimo Monarca Mayor Zao, eu Lenzin Tzu Chiang, guardiã do Reino de Shang Mu, concedo tal direito a Noah Hibiki a um duelo justo. Grã mestra Asuka Tenjoin, se você se negar ao duelo terá de responder por desistência e Noah Hibiki estará isento de qualquer forma de retaliação. Decida-se. *Bela atitude, Noah Hibiki*

    A manobra de Lenzin deixou Asuka sem muitas alternativas. Mostrando irritação, ela então diz:

    — Muito bem, guardiã... Eu aceito o duelo.

    Lilac, desesperada, logo foi até Noah, dizendo:

    — VOCÊ ESTÁ LOUCO?! Porque isso agora?

    — Lilac, era o único jeito. Eu planejei isso faz tempo.

    — O que? Mas como acha que lutar contra ela vai resolver as coisas?

    — Porque cansei de tudo isso. Asuka Tenjoin não é uma pessoa que está aberta a conversar, mas... se ela não quer ouvir minhas palavras, então irei usar meus punhos.

    Com os dois se preparando para a peleja, Lenzin diz:

    — Noah Hibiki, como o desafiante tem o direito de detalhar as regras.

    — Não... Sem regras.

    — O que?

    — Sem regras, guardiã. O que ficar de pé será dono da verdade. Concorda, grã mestra?

    E no outro lado, estalando os dedos, veio a resposta dela mesma:

    — Concordo plenamente. E será muito prazeroso ouvir você gritar de dor e pedir misericórdia. Talvez eu lhe dê... Meu humor é inconstante, você sabe...

    Tudo já estava pronto. E de fato o salão principal virou uma arena...

    A luta iria começar a qualquer momento.

    Music: “Thrash Metal Instrumental” by Red Ruins Me.

    Asuka vs Noah – Heavy vs Metal.

    Com Noah e Asuka trocando olhares, Lenzin anunciou o início:

    — LUTEM!

    Nem perda de tempo Asuka foi a toda contra Noah, que começou a ser esquivar dos potentes socos e chutes da grã mestra. Melhor preparado desde a última luta, sua agilidade era impressionante.

    Os olhares de quem acompanhava o duelo se mantinham estáticos, onde até a ação de piscar era algo não muito frequente. Asuka estava mesmo pegando nem pesado, mesmo com Noah conseguindo evitar seus ataques. Ela, confiante, diz:

    — Por quanto tempo acha que vai aguentar meus ataques, Noah Hibiki?

    — O suficiente para fazer você calar a boca!

    — Será divertido ver você tentar...

    O duelo se tornou no momento um estudo. Tanto Noah quanto Asuka tentavam avaliar cada movimento, com uma enorme vantagem para Asuka, que pensou:

    — *Ele está mais rápido que dá última vez... Deve estar usando sua doutrina... Vou acabar com isso em breve... Você não irá sair inteiro daqui, Noah Hibiki...*

    Enquanto isso, observando a luta, Arthemis só fazia medições. E a cada segundo ela instantaneamente realizava leituras corporais em sua amiga:

    — *Temperatura: 39%. Status: Asuka Tenjoin. Ela já está em seu estado aflorado desde o início. Mesmo com uma porcentagem baixa, Asuka Tenjoin não está se contendo. Será por causa do duelo? Ou... Noah? Invariáveis... Eu não tenho em meu banco de dados tais parâmetros. Asuka-chan... cuidado...*

    Os olhos de Asuka já estavam fazendo uso do Future Vision, calculando cada movimento de Noah. E enquanto tentava acertá-lo, ela diz:

    — Você é um livro aberto, Noah Hibiki... Eu já lhe disse...

    — Então você já sabe o final da história...

    — Você caído, implorando por clemência!

    — Está lendo o livro errado!

    Perfilados, os agentes da Agência torciam para sua grã mestra, a incentivando para que eliminasse o suposto “demônio”. Milla, ao ouvir tais coisas, diz:

    — Não... Não... Isso é horrível! Eles não conhecem o Noah como eu conheço! Parem... Parem... PAREM COM ISSO! PAREM!

    Carol, assim como Lilac, se aproximaram da canina, a acalmando. Com a pequena acolhida, Lilac diz:

    — Milla, eu concordo com você... Porém...

    — Lilac, faça eles pararem de chamar o Noah de demônio... Por favor...

    — Eu não sou a pessoa que vai fazer isso, Milla...

    — Então quem?

    E Carol, com um semblante bem sério, observando a luta, diz:

    — O Noah, Milla... O felpudin. E ele vai... tá firmado isso.

    O clima era de revolta. Os demais agentes apoiadores da causa de Asuka deixavam as coisas ainda mais fora de controle. Por dois lutando, ainda que no início, já davam a noção exata de que os atritos iriam aumentar para todos os lados.

    De forma intensa a batalha entre os dois se intensificava, com Asuka começando a golpear Noah de um jeito mais coordenado: era uma estratégia. Ela, já mata segura de si, diz:

    — Você é previsível demais... – Disse, o atacando sem parar.

    — Parece que isso está sendo o suficiente – Disse, segurando um soco de Asuka com uma das mãos.

    — Haha! Ledo engano, miserável!

    O soco da grã mestra, mesmo que defendido, não deixou de infligir dano: Noah sentiu uma onda de energia por tudo seu braço, seguindo até seu peito, o golpeando de tal forma que o jogou para longe, se chocando contra uma parede. Ao atingir, acusou o golpe, dizendo:

    — Ah... Mas...

    — Sem palavras, não? Fraco... Muito fraco... Foi fácil criar um deslocamento de energia centrípeta pelo seu braço.

    — Impossível! Você não teria...

    — ... capacidade? Ah mas eu tenho... Eu tenho, Noah Hibiki... Isso só foi um aviso. Pois agora irei castigá-lo sem dó...

    Asuka usou da física para conseguir neutralizar a defesa de Noah. Socos tem movimentos formando uma parábola na na maioria das vezes. Com isso a grã mestra utilizou de um soco de ordem circular, onde a força gerada circulou pela extremidade de sua pele, até tocar algo sólido e uniforme, como o peitoral de Noah. Abalado com o fato, ele pensou:

    — *Ela descobriu uma forma de inutilizar qualquer tipo de defesa a meus golpes. Ela está usando os dados coletados de nossa última...*

    — E então... Já está pronto? Muito vem... Aqui vou eu!

    Asuka atacou Noah com toda fúria dessa vez, executando potentes socos e chutes. O albino tentava se esquivar, mas entre um golpe e outro instintivamente se defendia, recebendo danos em seu dorso pelo golpe de energia centrípeta da grã mestra da Agência.

    As coisas não estavam boas e Noah continuou sendo pressionado por Asuka sem parar. Ela, deslumbrada por tanta facilidade, dizia:

    — Hahaha! Grite, esperneie, seja reduzido a um simples nada... Um inútil que é incapaz de se defender...

    — Não conte com isso! – Disse, deferindo um chute contra Asuka.

    A grã mestra se defendeu facilmente da sequência de chutes de Noah, que diz:

    — Sua miserável... Sempre de suas tramóias pra lutar?

    — Fraco... Muito fraco... Deveria aceitar seu fim pacificamente. Lhe pouparia da vergonha que irá passar e a dor que irá sentir!

    Noah insistia sem sucesso os consecutivos que tentava causar dano a Asuka. Mas a felina não parecia perder o foco nem um instante. Com aberturas em sua defesa, o albino facilmente era atingido, com a força dos golpes da grã mestra lhe causando um belo estrago. Ela, acertando Noah com um chute em seu rosto, diz:

    — Hahaha! Devo lhe agradecer pelo duelo. Está sendo ainda mais prazeroso te esmurrar pra que todos vejam o quão fraco é um praticante do Kaipasu!

    — CALE A BOCA!

    — Bateu o desespero, Nohzinho? Não tem volta... Eu vou acabar com você totalmente!

    Depois de receber o último golpe, Noah partiu com tudo para cima de Asuka, mas era inútil: a felina se defendia perfeitamente e anulava todos os golpes do jovem albino. Parecia como na primeira luta que tiveram... ou talvez pior, pois dessa vez Asuka desferia seus golpes em força máxima. Com Noah já estando um pouco tonto de tantos golpes recebidos, Asuka, imponente e em base de luta, diz:

    — E então, não vai calar a minha boca? Estou esperando... bem disposta pra te esmurrar cada vez mais... Nohzinho.

    — Grr... Eu vou...

    — ... me destruir? Perdeu totalmente a noção do ridículo. Tss tss... Pobre Noah Hibiki... Fracassado na vida e na luta pra se manter vivo... Não percebe o quanto você é patético? Você pensou mesmo que poderia me vencer em um duelo? Olha pra você... Destroçado, selado, humilhado... Não tem poder algum. Deveria ser até considerado um sem valor...

    A situação de Noah não era das melhores. Com todos os agentes vibrando pela sua líder, novamente Noah entrou em devaneios, mas não por livre espontânea vontade. Em sua mente, com ele se observando frente a Asuka, íris e Ingrid apareceram a seu lado, com ele dizendo:

    — Não atrapalhem minha luta.

    — Olha a má criação, hein! – Disse Íris, irritada.

    — Noah, o que está acontecendo com você?

    — Eu vou calar a boca dessa desgraçada no soco, só isso – Disse, olhando para a imagem projetada de Asuka em sua mente.

    — Noah... Porque você está lutando? – Disse Íris, ainda irritada.

    — Pra acabar com a soberania dessa garota! Já estou cheio de suas atitudes fascistas!

    — Não, Noah... Essa não é a luta que você quer...

    — Íris e Ingrid... Saiam. Eu sei exatamente o que fazer. Depois dessa luta todo esse lugar vai mudar, eu prometo a vocês. Todo mundo vai se livrar das garras dessa grã mestra metida a monarca!

    — Não, Noah...

    A sincronização com seus devaneios foi desfeita, com Noah voltando a luta. Furioso e irritado com as provocações de Asuka, ele diz:

    — Você teve uma vida cheio de portas abertas... VOCÊ NÃO TEM IDEIA DO MUNDO QUE VIVEMOS!

    — Lindo vê-lo surtar... Continue, está me divertindo – Disse, socando Noah na barriga.

    — Ahhh... Você... Você sempre viveu num palácio que você chamou de casa... NÃO TEM NOÇÃO DO QUE A NATUREZA PODE FAZER COM A VIDA DE ALGUÉM! – Disse, tentando acertar Asuka com um chute.

    — Já nas últimas, Noah? Apelando para o emocional? Haha... Melhor se preocupar com esse soco! – Disse, com seu punho encontrando o rosto de Noah.

    — Ahhh... Não... Não é emoção... É ajuste de contas seu com o mundo, que você não conhece, tem medo de enfrentar e fatalmente... QUE FATALMENTE TE COLOCARIA NO CHÃO COM UM MÍSERO GOLPE! – Disse, insistindo em um outro chute.

    — Hahahaha! Você perdeu a noção aqui, Nohzinho! Já está delir... – Disse, sendo surpreendida.

    Porém, entre tantos ataques da felina grã mestra, eis que um estrondoso soco é desferido por Noah, que esbravejou:

    — PHOENIX FLAME FULLMETAL!

    O golpe acertou Asuka em cheio em sua barriga, a jogando para longe. Ela então executou uma manobra ao ar, caindo de pé, sendo arrastada um pouco para trás por causa da inércia.

    Asuka sentiu o golpe...

    Sim, ela sentiu...

    Não, o dano não foi pelo golpe. Foi pela ação... A ação de Asuka Tenjoin ter errado...

    Esse era seu combustível de sempre ir em frente no que quis alcançar em sua vida, Arthemis sabia disso... e a IA felina recebeu os dados em instantes:

    — *Temperatura: 59%. Seu poder aflorado está exponencialmente crescendo... Asuka Tenjoin... Não posso deixar que chegue...* ASUKA TENJOIN! PARE DE LUTAR!

    Os gritos inesperados de Arthemis chegaram até a grã mestra. Porém seu sentimento era de total ignorância, gritando:

    — NÃO PAREM ESSA LUTA POR NADA! Eu quero... Eu quero ir até o fim... ATÉ O FIM PARA EXTERMINAR ESSE DEMÔNIO E LIVRAR NOSSA TERRA DESSE MAL CHAMADO KAIPASU!

    Noah, enquanto andava em direção a Asuka, estava mostrando irritação. E diz:

    — SUA MISERÁVEL ANARQUISTA! Você acha... Acha mesmo que eu estou aqui para ser um saco de pancadas? Não, Asuka Tenjoin... Eu vou te espancar até que esse seu gênio se desmanche como um castelo de areia que o mar leva... A natureza, Asuka Tenjoin... A NATUREZA DAS COISAS TEM UM PODER DE DESTRUIÇÃO INFINITAMENTE MAIOR QUE QUALQUER MÁQUINA! E você não sabe de nada... Nunca enfrentou o mundo... O mundo além de Shang Mu... E Não me refiro a um pedaço de terra com leis e deveres... E SIM UM MUNDO SOB AS LEIS DA NATUREZA!

    Os cabelos curtos de cor ciano de Asuka cobriam seus olhos, onde podíamos ver sua expressão de ainda mais fúria ao mostrar seus dentes. Ela não estava só furiosa... já estando em um estado mais drástico e quase sem controle.

    “... que chegue além dos 70%!” foi o que Arthemis pensou. E esse valor estava em 65%...

    Noah estava estático a frente da grã mestra, que de forma ameaçadora diz:

    — Noah Hibiki... Noah Hibiki... NOAH HIBIKI! KYAHHH! – Gritou, correndo descontrolada contra Noah – VOCÊ NÃO SABE NADA SOBRE MINHA VIDA! NÃO SABE O QUE PRECISEI FAZER! – Disse, acertando Noah com infindáveis socos potentes e precisos por todo seu corpo – EU PERDI MUITAS COISAS NESSE CAMINHO! SÓ NÃO PERDI MAIS PORQUE TINHA PESSOAS OLHANDO POR MIM, ME PROTEGENDO... E é por eles que estou aqui... ESTOU AQUI PRA TE PUNIR POR ELES! SUA EXISTÊNCIA AMALDIÇOADA ME TROUXE DE VOLTA O TERROR!

    O albino sequer pôde fazer algo contra os ataques consecutivos de Asuka. Esmurrando Noah sem dó algum, ela praticamente externou toda sua raiva perante o mestiço, dizendo:

    — VOCÊ ME GOLPEOU PELA ULTIMA VEZ! AHHH! EU VOU TE DESTRUIR, SEU DESGRAÇADO IMUNDO! VOU TE QUEBRAR TODO, SEU MISERÁVEL! AHHH! VOCÊS DO KAIPASU NUNCA MAIS TIRARÃO ALGO DE MIM!

    Não adiantava Noah tentar defender os ataques poderosos de Asuka. Ela já estava usando tanto a One Hand como a Two Hand. Os golpes estavam muito mais potentes e devastadores. O albino fazia um grande esforço de tentar apará-los, mas sua situação era difícil.

    Porém...

    Mesmo que Asuka Tenjoin desferisse seus golpes mais potentes, Noah continuava resistindo. Alimentado pela fúria, ele deferiu mais uma vez seu golpe:

    — PHOENIX FLAME FULLMETAL!

    O soco, também poderoso, dessa vez acertou o rosto de Asuka, que foi para trás com o golpe. Voltando sua cabeça para frente, novamente podíamos ver seu rosto estampando inquietação e descontentamento. E justamente nesse momento, Noah, já um pouco desgastado por causa dos golpes de Asuka, diz:

    — Eu... Eu vou acabar com você... VOCÊ OUVIU? EU VOU ACABAR COM VOCÊ! ESSA SUA LUTA CONTRA MIM NÃO FAZ SENTIDO! VOCÊ QUER UM MOTIVO PRA VINGAR INGRIS! Vai... Diz... Todo esse ódio não é por justiça... É POR VINGANÇA!

    — Noah Hibiki... Seu desgraçado amaldiçoado... Noah... Hibiki...

    — Você... Você sempre teve de tudo... Teve pais amorosos ao seu lado o tempo todo... NADA TE FALTOU PRA VOCÊ CRESCER! TINHA TODOS OS MEIOS PRA SEGUIR EM FRENTE! E no mundo... Tanta gente querendo ter o mínimo pra viver e não ter oportunidade de seguir em frente... COISA QUE VOCÊ SEMPRE TEVE!

    Era o engate. Na mente de Asuka Tenjoin o que acabou de ouvir foi o estopim. Sob os olhares de Lenzin e Arthemis, a grã mestra praticamente caiu em fúria sistêmica.

    — Como sabe sobre meus pais? Você está falando dos meus pais... Não ouse... Não ouse dizer uma palavra deles...

    — Sei de toda sua história... Você sempre teve de tudo... sua ingrata... SUA INGRATA!

    Arthemis, ao observar seus dados, já estava deveras preocupada. Isso foi percebido por Lilac, que se aproximou da IA felina e diz:

    — Arthemis, o que está acontecendo?

    — Eu contar a história dela a vocês foi um erro...

    — O que? Porque está dizendo isso?

    — Lilac Sama... Existe muitas coisas sobre Asuka Tenjoin que eu não disse...

    — O que? Arthemis, o que...

    — A prótese. Ela trouxe uma nova perspectiva para Asuka, porém houve um preço a se pagar...

    — Preço?

    — Toda a prótese é uma extensão de mim.

    — O que?!

    — Parte do metabolismo de Asuka absorveu meus nanites. Em outras palavras, Asuka tem 15% de construção inorgânica em seu DNA. Isso lhe trouxe força e mais eficiência neuro cognitiva como efeito colateral. Mas... Bem, houveram efeitos colaterais negativos.

    — Arthemis...

    — Um deles é seu aumento de temperatura, que a faz variar de humor. Isso é controlável e Asuka tem plena ciência e noção deste estado. Entretanto há um limite...

    — O que seria esse limite? Arthemis, eu não estou gostando...

    — Asuka está prestes a romper os 70% de sua temperatura... E isso irá ativar o...

    E o braço direito de Asuka diversos leds começaram a se iluminar, fazendo com que sua prótese se mutasse, modificando-se e mudando de cor. Agora era um braço com aspecto metálico de cor preta, onde no visor que apareceu sobre seu ombro direito dizia:

    >program acept: frenzy mode

    “... modo de frenesi. Asuka explode em fúria quando ela libera todo seu potencial destrutivo. E nesse momento, quando ela romper essa porcentagem, Noah correrá risco de morte!”

    A batida de um coração ecoou...

    Um semblante selvagem e enraivecido foi visto...

    A união entre orgânico e inorgânico...

    O terror tomou conta de Noah, principalmente depois que viu Asuka executar um único salto, estando a sua frente em segundos. E com um som seco sendo ouvido, Noah é golpeado em sua barriga com toda a força da felina, fazendo-o ser jogado para longe.

    Um segredo escondido por Arthemis até então, compartilhado no momento mais crítico a qual a IA felina enfrentou. Ela não esperava que a situação chegasse a esse patamar. Ela então continuou a dizer mais sobre:

    — Ela definitivamente... Minha Asuka-chan... Minha amiga e principal criadora... passa a se comportar como uma máquina, onde a lógica é uma só: terminar aquilo que começou...

    — Arthemis... Isso significa que...

    — Minha Asuka-chan... ela se tornará uma assassina... em prol de sua causa. Uma tragédia está pra acontecer, Lilac...

    Milla e Carol, assim como Lilac, ficaram desesperadas, tentando se aproximar do centro. Da mesma forma, olhando Asuka de forma temerosa, Lenzin pensou:

    — *Eu... Eu não posso acreditar... Eu falhei novamente... Asuka Tenjoin... ela se tornou uma ameaça... Eu... Eu...*

    A guardiã percebeu que Lilac tentou se aproximar de Asuka, para impedir a luta, mas:

    — SASH LILAC, VOCÊ ESTÁ IMPEDIDA DE FAZER O QUE PENSA EM FAZER!

    — O QUE?! LENZIN, SERÁ QUE VOCÊ NÃO...

    — QUIETA! É UMA ORDEM DIRETA! Ninguém pode impedir esse duelo a não ser eu.

    — Mas as consequências podem ser...

    — Eu sou a responsável... Estamos diante uma luta em igual acordo entre os envolvidos. Então respeite!

    Mas a panda sabia que algo muito ruim estava acontecendo.

    — *Eu falhei... Essa sensação... é como se espíritos malditos estivessem aqui... Irei acompanhar essa luta e devo diminuir os danos...*

    No outro lado do salão...

    Noah estava quase desacordado por causa do golpe impressionante de Asuka, que já não era mais a mesma. Caminhando em sua direção, o albino se levantou e, sem perder tempo, correu em sua direção e executou um soco, que foi facilmente esquivado. Asuka parecia dominada, com seu rosto sem esboçar emoções, chutando Noah em seguida, que vai ao chão. Ela, o olhando com desprezo, diz:

    — Golpe: acerto efetivo. Dano: parcial. Poder de força: 135. Efeito do ataque: alvo ainda móvel.

    Noah, se levantando, logo diz:

    — Eu lembro disso... Ingris... Ela agiu assim no torneio contra mim...

    Instintivamente Asuka levantou Noah pelo pescoço dizendo:

    — Esse nome... Eu o proíbo que o diga. Faça isso e terá um fim digno.

    — Ahhh! Sua desgraçada... Me solte... – Disse, tentando se soltar.

    A grã mestra dominada o jogou para longe, sob os olhares de todos. E ela, caminhando lentamente em direção a Noah, diz:

    — Uma punição apropriada a você na frente de todos... Um exemplo. Uma forma de mostrar como tratamos nossos alvos... Aniquilação. Dizimar o mal sem piedade... Que suas entranhas manchem esse solo e que isso sirva de aviso a todos... Demônios. Vida orgânica asquerosa que são não merecem um julgamento... Morte.

    A vista embaçada de Noah já trazia para si umas sensação de temeridade. Asuka estava dizendo palavras desconexas mas que explicavam suas ambições. Pega primeira vez desde o torneio, o albino voltou a ter um sentimento que não pensou que teria novamento:

    — *Medo?! Eu estou sentindo medo? Ela... Ah... Asuka Tenjoin... Ela está diferente de tudo que eu vi... Eu... Ela... Vai me matar hoje... Eu sinto isso...*

    Logo, em sua mente, um forte clarão o cegou. Noah entrou em um devaneio, dessa vez de forma mais intensa. Estando suspenso ao ar, logo é acompanhado por Íris e Ingrid, com ele dizendo:

    — Vocês?! Eu já avisei que...

    — Cale-se, Noah... – Disse Íris.

    — Essa é uma situação diferente... – Disse Ingrid – Não viemos dessa vez...

    — Hã? Como é? – Perguntou Noah.

    — Você nos chamou...

    — Eu?

    — Não se faça de desentendido. Está com medo, Noah. Nós não podemos te proteger, mas a gente sempre virá quando você nos chamar.

    — Ingrid, isso não está fazendo o minino sentido.

    E Íris, irritada, socou a barriga de Noah, dizendo:

    — Idiota.

    — Ah... Íris... Porque você me...

    — CALE-SE, SEU IDIOTA! Você perdeu a vontade de viver. Não é o medo que te fará morrer... Você ignorou a gente mais cedo... E agora nos chamou... O que você quer? O que você deseja da gente?

    — Eu não chamei vocês! Será que...

    — VOCÊ NOS CHAMOU! SABE PORQUE? NÓS SOMOS VOCÊ!

    — Íris...

    — Noah, porque você está lutando? – Perguntou Ingrid.

    — Vocês sabem... Eu quero fazer Asuka Tenjoin se calar e acabar com sua...

    — ERRADO! Isso nunca foi de seu feitio... Você nunca foi assim...

    — Vocês duas estão...

    — NÃO! – Gritou Íris — NÃO É VOCÊ LÁ! Noah, você não é uma má pessoa... Você não é invejoso!

    — Eu invejoso?! Vocês estão...

    — NÃO! – Gritou Ingrid – Admita! Você a admira!

    — O que?

    — Quanto mais lutar contra seus sentimentos mais irá causar dor a si mesmo.

    — Do que estão falando?!

    Uma imensa bola de energia se formou a frente de Noah, com Ingrid dizendo:

    — Esse é seu ego. Ele é enorme, mas... Você é ainda maior.

    — Porque estão dizendo isso? Porque isso tudo? Asuka está prestes a acabar comigo e fazer de mim um demônio! Como posso admirá-la?

    — Porque você sabe de tudo. Você sabe de sua história e da dela... E você tem noção da importância de fazer parte de tudo agora.

    — Fazer parte?

    — Você faz parte da vida dela agora. No momento sua pessoa se tornou a mais importante pra ela pelo o que você representa.

    — Mas o que...

    E Íris, o abraçando, diz:

    — Salve-a, Noah. Salve-a... Só você pode fazer isso.

    — Salvar Asuka Tenjoin?!

    — Veja a todos em volta. Todos que a apoiavam agora estão com medo dela, assim como você. Asuka os inspira a fazer coisas boas, de se tornarem mais fortes...

    — O que querem dizer?

    — Asuka Tenjoin Hopin... é uma boa pessoa como você.

    — Ela?! Vejam o que ela fez comigo! Como eu posso...

    — Ela é como você... – Disse Ingrid – E você sabe de tudo isso. Sabe que ela está sofrendo por dentro... pois está contaminada com o ódio. O desejo do Kaipasu corre pelo sangue de Asuka, Noah. Só você pode salvá-la... e você sabe disso.

    Aos poucos Noah conseguia perceber a analogia a qual Íris e Ingrid estavam fazendo. Na verdade o sinal de dejavu era evidente: a sua luta contra Ingris no torneio havia se repetido com inversão de papéis. Noah estava com medo de Asuka e estava fugindo de seu compromisso.

    — Isso que você disseram... Eu e Asuka... Um ciclo de ódio como o caminho do Kaipasu trouxe a todos... Não é um bom lugar... Não é... não não não não... Ela nem ninguém merece esse caminho... Eu... Eu quero... Eu quero salvá-la! Eu não vou fugir, não vou ter medo... EU PRECISO SALVÁ-LA!

    — Vá, Noah... – Disse Íris...

    — Salve-a com o que dizemos a você... – Disse Ingrid.

    E voltando a realidade, Noah se levantou com valentia, enquanto Asuka se aproximava carregando todo o ódio de sua vida. E o albino, pensando nas palavras esclarecedoras de suas amigas, pensou:

    — *Eu vou te salvar, Asuka... com amor*

    Music: “Bring Me To Life” by Evanescence

    Noah vs Asuka – Saving Hope.

    “Como pode você ver dentro dos meus olhos, como se fossem portas abertas?

    Levando-o até meu interior onde eu me tornei tão contaminada...”

    A movimentação na tensa platéia de agentes era de total apreensão. Eles sabiam que sua grã mestra não estava em sã consciência e agindo como uma pessoa diferente que de costume. Lenzin, sentindo a necessidade de intervir, só observava atenta. Logo Viktor, que estava somente olhando para Noah, olhou para a panda, indo em sua direção. Lilac, assim como as garotas, olhavam para o jovem albino, com a dragão pensando:

    — *O brilho nos olhos de Noah... São os mesmos do nosso último suspiro contra Dyona Taz... Ele... O Noah... Ele pensou em algo. E... Se ele está assim... Eu... Não! TODOS NÓS DEVEMOS TER FÉ NELE!*

    “Sem uma alma, meu espírito está dormindo em algum lugar frio

    Até que você o encontre lá e o leve de volta... pra casa”

    Asuka atacou Noah com tudo, mas dessa vez o jovem albino resistiu ao golpe, segurando seu punho, dizendo:

    — Peço perdão... por não ter visto isso antes!

    (Wake me up)

    Acorde meu interior

    (I can’t wake up)

    Acorde meu interior

    (Save me)

    Chame meu nome e me salve da escuridão

    (Wake me up)

    Faça meu sangue correr

    (I can’t wake up)

    Antes que eu me desfaça

    (Save me)

    Me salve desse nada que me tornei

    Lilac, Carol e Milla seguraram nas mãos uma das outras enquanto observavam Noah segurar o ataque de Asuka. Todos os agentes entenderam o que estava acontecendo e já não tinham o mesmo pensamento da luta. Junto a eles estavam Liane, Tayce, Zoey... até mesmo Sheng e Joshy, assim como Tats. Os olhos eram todos voltados para os dois, com Asuka voltando a castigar Noah sem pena. Seus incríveis socos deixaram o jovem albino quase sem fôlego, mas ele insistiu:

    — Eu entendo você... EU ENTENDO VOCÊ! ASUKA! TODO ESSE TEMPO EU ESCONDI DE MIM MESMO O QUE EU PENSAVA A SEU RESPEITO!

    Dominada pela ira, a felina grã mestra levantou Noah, chutando com extrema força em seu dorso. Ele foi jogado para longe, caindo em seguida. Mas mesmo assim se levantou em seguida, correndo contra Asuka e a golpeando com um violento soco no rosto, dizendo:

    — VOCÊ SEMPRE ESTEVE CERCADA DE AMOR! TUDO QUE CONSEGUIU FOI COM ESFORÇO! E eu... Eu só estava com inveja... EU ERREI, EU ADMITO! VOCÊ SEMPRE TEVE AS COISAS PORQUE SEUS PAIS TE PROPORCIONARAM ISSO!

    Asuka estava tão dominada pelo modo de frenesi que ignorou os duros golpes de Noah, que continuou:

    — ELES LUTARAM CONTRA O SISTEMA ATÉ ONDE PODIAM... mas você... VOCÊ CONTINUOU... NÃO SE ENTREGOU... SEUS PAIS SÓ FIZERAM O QUE QUALQUER UM FARIA PARA O FILHO: DAR A OPORTUNIDADE QUE ELES NUNCA TIVERAM! EU ERREI EM TE JULGAR! EU ERREI!

    Os dizeres de Noah chegaram a todos, principalmente a Arthemis, que pensou:

    — *Asuka-chan não visita seus pais a três anos... Desde então ela não saiu mais da Agência, nem na invasão da horda de Brevon. Noah Hibiki... Ele está... SERÁ?! Ele estaria mesmo tentando...*

    E Noah, olhando para uma Asuka imóvel, diz:

    — EU PEÇO DESCULPAS POR TER PENSADO MAL DE VOCÊ! POR TODO ESSE TEMPO VOCÊ TEVE ATITUDES BOAS... mas... o desejo de acabar de vez com o mal te drenou, secou seu interior... até lhe deixar um vazio... O VAZIO QUE VOCÊ NUNCA PREENCHEU!

    Lenzin, ao ouvir as palavras de Noah, logo se encheu de esperanças, pensando:

    — *Noah Hibiki... Você... Você descobriu o que eu sempre vi nela! Ele pode... Ele pode ser o ponto que faltava... Eu... Eu quero acreditar nisso... EU DEVO ACREDITAR NISSO! EU ACREDITO! Não pare o que está fazendo... NÃO PARE!*

    Embora Noah insistisse, Asuka não deu sinais que havia ouvido o que Noah estava dizendo. Ainda dominada, começou a golpear Noah em seu rosto e dorso, dizendo:

    — Você fez sua escolha... A morte.

    Sendo novamente surrado sem pena, Noah lentamente forçava seus ataques entre os de Asuka e, como estava tentando fazer, continuou dizendo:

    — EU ESTOU AQUI, ASUKA! Por todos que te protegeram e lutaram por sua causa... EU VOU TE SALVAR! Nem que pra isso... NEM QUE PRA ISSO EU TENHA QUE TE FAZER ME OUVIR USANDO A FORÇA DE MEUS PUNHOS!

    “Agora que sei o que me falta

    Você não pode simplesmente me deixar

    Respire dentro de mim e me torne real

    Bring me... to life”

    Nesse meio tempo da batalha, onde Asuka agrediu Noah, foi um dos poucos momentos que Lenzin iria mostrar desequilíbrio, pois sua direita se levantou até a bainha de sua espada, mas a mão confiante e acolhedora de Viktor segurou a da panda, que se surpreendeu e olhos para o humano, recebendo em troca um olhar de confiança e conforto. Nesse instante Lenzin percebeu que o pensamento positivo de todos se uniu para uma causa em comum: salvar Asuka.

    “(Wake me up)

    Acorde meu interior

    (I can’t wake up)

    Acorde meu interior

    (Save me)

    Chame meu nome e me salve da escuridão

    (Wake me up)

    Faça meu sangue correr

    (I can’t wake up)

    Antes que eu me desfaça

    (Save me)

    Me salve desse nada que me tornei”

    — ACORDE, ASUKA! EU SEI QUE VOCÊ ESTÁ AÍ DENTRO! SEJA FORTE! 

    Noah estava totalmente empenhado em sua nova causa. Em nada lembrava o início do duelo... Porque não era um. Noah estava irritado por toda a carga negativa que sentia em estar sendo dominado pelo Kaipasu e ser punido por isso. Mas as coisas mudaram. Íris e Ingrid lhe mostraram que não se pode punir quem o pune. Isso tudo um dia volta pra você mais forte e mais destruidor, devastando o que estiver pela frente e levando tudo e a todos a sua volta. Noah agora queria destruir esse vácuo... O vazio existencial de Asuka. E podem ter certeza que não só com palavras: o peso de seus golpes faziam a grã mestra seguir ainda mais em sua alma a sinceridade de Noah.

    “Bring me to life

    (Eu tenho vivido uma mentira, não há nada dentro)

    Bring me to life”

    — EU ESTOU AQUI, ASUKA! VOU FICAR COM VOCÊ ATÉ O FIM... ATÉ QUE VOCÊ ABRA A PORTA E SAIA DAÍ ONDE ESTÁ! – Disse, segurando os dois braços Asuka com forca – EU VOU TE FORÇAR A SAIR SE FOR PRECISO! 

    “Congelada por dentro sem o seu toque

    Sem o seu amor, darling

    Só você é a vida entre os mortos”

    Desesperadamente o corajoso híbrido albino lutava contra Asuka, trocando golpes violentos. Noah já dava sinais de que não iria suportar por muito mais tempo, mas entre estava decidido:

    — ASUKA! VOCÊ É MAIS FORTE QUE ISSO! EU SEI QUE VOCÊ ESTÁ ME OUVINDO! Os agentes... Todos eles estão te vendo... Eles tem admiração por você... ASSIM COMO EU! VOCÊ LUTOU CONTRA UM SISTEMA MANIPULADOR QUE TENTOU TIRAR SEUS SONHOS! Mas veja... VEJA ESSA AGÊNCIA! VOCÊ REALIZOU SEU SONHO DE PROTEGER AS PESSOAS!

    Lilac estava compenetrada, apostando todas a suas fichas em seu aliado. A fé contagiou a todos... Não! Os uniu totalmente. A causa de Noah era a mesma de todos no momento. A grã mestra da Agência estava no vazio absoluto, contaminada pela opressão do Kaipasu e Marduk, que lê arrancou sem braço... mas Asuka tirou isso como motivação e seguiu em frente. Essa história serviu de engate para muitas pessoas que a ouviu. Noah sabia disso e não poderia deixar que tudo fosse destruído novamente pelo mesmo Kaipasu que quase desgraçou a sua vida. A vida da Asuka, assim como sua própria história, era a fonte de inspiração de todos da Agência, ligar que construiu com as próprias mãos para proteger as pessoas. Era muito importante...e era inevitável sua queda caso Asuka também caísse.

    “(Wake me up)

    Acorde meu interior

    (I can’t wake up)

    Acorde meu interior

    (Save me)

    Chame meu nome e me salve da escuridão

    (Wake me up)

    Faça meu sangue correr

    (I can’t wake up)

    Antes que eu me desfaça

    (Save me)

    Me salve desse nada que me tornei”

    Com a luta chegando a seu momento final, Noah estava quase sem poder ser mexer, estando cansado e com sangramentos em seu rosto. A mancha rubra evidenciava sua determinação e busca pelo bem de sua rival... mas se mantinha de pé, com a fé de todos o segurando. Com Asuka o surtando sem parar, ele diz:

    — Você construiu isso tudo... Fez amigos... Aliados... Deu vida a Arthemis, que nos brinda com sua gentileza... Uniu causas... Fez crescer potenciais... e protegeu pessoas... Eu... EU TE ADMIRO MUITO, ASUKA! EU NÃO PODERIA FAZER MELHOR NEM EM UM MILHÃO DE ANOS!

    Ele, ao fim da combinando destruidora de socos, foi ao chão...

    Sem forças para se levantar...

    Tentando, mas em vão...

    Com Asuka se aproximando, a aflição de todos...

    Era o momento final.

    Asuka foi até Noah e repetiu o gesto que fez a Makal durante o exame Omna Sangou. Segurando o albino pelo pescoço, diz:

    — Concedo-lhe uma última palavra... Alvo.

    E Noah, engasgado em sangue, diz:

    — Eu... te... acho... incrível... Asuka Tenjoin... Hopin!

    “Bring me to life...

    (Eu tenho vivido uma mentira, não há nada dentro)

    Bring me to life!”

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||π√¶∆∆∆aazzuukkaa¥¥€¢€^&&$$-÷π√```~~~~׶√¶¶¶•×¶¶¶¶```√׶¶tteennjjooiinn¶¶¶√√•|¶∆∆¶¶}||`~¶¶¶}hhooppiinn

    SYSTEM DAMAGE

    ENGAGE

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    SYSTEM A.T.E.M REBOOT... Y/N

    YES

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    User: Asuka Tenjoin Hopin

    Type: organic

    Lvl: The Agency Gran Master

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`|€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    |€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    €€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||€€€€££¥••`×׶•|`~`||

    Initiative IGNITION

    KNOW-HOW

    ENGINNER

    Asuka segurava Noah enquanto de seus olhos lágrimas caiam aos montes. Ela, tendo noção do que estava acontecendo, só olhava o jovem albino nos olhos, como que não estivesse acreditando no que aconteceu. Um silêncio tomou conta do lugar, com todos olhando os dois, imóveis. Lenzin, ao perceber o que aconteceu, pensou:

    — *Ele... Noah Hibiki... Ele a salvou!*

    Mas diante esse cenário, algo alterou totalmente o desenrolar dos acontecimentos. Um sim de alarme foi ouvido por toda a Agência, com Arthemis dizendo:

    — EMERGÊNCIA! EMERGÊNCIA! TODOS OS AGENTES TOMEM SEUS POSTOS! EMERGÊNCIA! EMERGÊNCIA!

    Não houve muito tempo para conversa, com todos correndo para seus postos. Logo Asuka, que rapidamente derrubou Noah, foi para até proximo de Arthemis e perguntou:

    — O que houve?

    — INIMIGOS FORAM AVISTADOS!

    — O que?

    — O resquício roubado... Está lá.

    Continua.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!