ANUON 9999

Tempo estimado de leitura: 7 horas

    12
    Capítulos:

    Capítulo 45

    Kenta vs Lupa

    Violência

    Um duelo inesperado vai ocorrer?

    Diante a bela Anis Lupina, que havia atacado um de seus capangas, Kenta ficou estarrecido com esse fato. Não entendia o porquê de seu ataque. E nervoso com o momento, diz:

    — Garota... Porque você fez isso?

    — Ele me incomodou e... eu não gostei do cheiro dele...

    — Você é uma Anis, não é? Não havia necessidade alguma pra...

    — Não é você quem decide isso...

    — O que? Eu preciso agora levá-lo a um hospital e...

    — Não é preciso... pois ele já está condenado...

    Como um predador vendo o sofrimento de sua presa, Lupa então usou suas unhas, que eram bem afiadas e, com um golpe rápido, arranca a cabeça do capanga. A reação de Kenta foi imediata, mostrando sua irritação:

    — SUA LOUCA! PORQUE VEZ ISSO?

    — Acabei com sua dor... - Disse, limpando o sangue de sua mão com um lenço.

    — Sua miserável... DESGRAÇADA!

    — Porque está assim? Ele não está sofrendo mais...

    — E ainda debocha de mim? VOCÊ VAI MORRER!

    — Vê-lo em ação... Kenta? Venha então...

    — Hã? Você... sabe meu nome?

    — Não acabei de dizer?

    — Isso... ISSO É UMA TRAIÇÃO?!

    — Não sei do que está falando... humano.

    E Kenta correu a toda em direção a Lupa, tentando-lhe acertar um soco, facilmente esquivado pela Lupina. Continuou com seus ataques, mas Lupa consegue evitá-los com movimentos suaves, mostrando em seu rosto uma serenidade incomum, com Kenta dizendo:

    — Desgraçada! Eu vou acabar com você!

    — Se continuar assim... nunca irá encostrar em mim...

    — CALE-SE, SUA LOUCA! - Dizia, enquanto tentava lhe acertar uma sequência de socos.

    — Seus socos são potentes... Sabe lutar.. não é?

    — CALE A BOCA!

    — Bem... deve treinar mais... pois está muito lento...

    — CALE-SE!

    Lupa continuou com seus movimentos, se esquivando facilmente dos ataques de Kenta, que ficava ainda mais furioso diante sua frustração de não conseguir acertá-la. Anuon e Fhor, observando o duelo, ficam impressionados com a aparição de Lupa, pois pensavam que nunca iria regressar, com Fhor dizendo:

    — Ela voltou! Temos problemas sérios agora.

    — Sim e acho que Kenta nada sabe sobre ela. Tenho pena dele...

    — Mas o que ela pretende com isto?

    — Simples: ela quer se apresentar a Kenta.

    — Desta forma?

    — Sabe muito bem que, apesar de sua aparência e de sua calma, ela mostra-se em combate como uma verdadeira assassina.

    — Sim...

    Voltando a luta, Lupa agora toma a inicativa de atacar Kenta, dizendo:

    — Agora que está exausto... creio que deva... lhe mostrar o que eu sou capaz...

    — O que?

    E indo a encontro dele, desfere golpes em áreas diferentes de seu corpo, como se quisesse atingir seus pontos de pressão.

    — Em artes marciais... aprende-se que... há pontos críticos... nos membros...

    — O que vai...

    — Abdômen... onde o oponente tira sua força... - Disse, enquanto lhe atingia com a ponta de um de seus dedos em sua costela.

    — AHHH! ARGH!

    — E tem o diafragma, onde está seu fôlego... - Disse, o atingindo na barriga com força.

    — ARGH! - Kenta logo perdeu metade do fôlego que tinha, puxando ar pela boca.

    — E seus braços... direito...

    — AHHH! SUA...

    — ... e esquerdo... - Disse Lupa, paralisando os dois braços de Kenta.

    E a jovem não parou, continuando com seus ataques: 

    — Suas pernas... direita...

    — AHHH!! NÃO...

    — ... e esquerda... - Disse, fazendo o mesmo que antes nas pernas de Kenta.

    O humano, praticamente imóvel, usando somente seu ponto de equilíbrio parte se manter em pé, já estava completamente dominado. E sabendo que não poderia fazer nada para impedir Lupa, decidiu pedir:

    — UGH! PARE...

    — E sua cabeça... o mais importante deles...

    — Não... Pare...

    — Hm? Você... desiste?

    — Sim... Eu não aguento mais...

    — Você me desafiou... não pode desistir...

    — Por favor... Pare... - Disse Kenta, vendo Lupa se aproximar.

    E sem misericórdia, Lupa o golpeou com um chute em sua cabeça, o fazendo voar por uns três metros. Kenta cai muito ferido, tentando se levantar, colocando suas mãos nas áreas atacadas. Lupa estava de pé, olhando para Kenta de forma fria e calma e, mostrando imponência em seu olhar, diz:

    — Agora será gentil... comigo?

    — Quem é você? Como tem tanda força?

    — Não é força... é jeito...

    — Eu não vou aceitar ser vencido por você... - Disse, percebendo que conseguia mover sua braços e pernas.

    — Gostei de ouvir isso... mostra que tem fibra... seus olhos dizem tudo... Você tem um olhar de predador... embora seja um relés humano... mas eu gosto disso... sabia?

    — VOCÊ É LOUCA!

    E corre novamente em sua direção, mostrando que estava recuperado das lesões em sua pontos de pressão. Tentou acertar seus golpes em Lupa, mas ela se esquiva, dizendo:

    — Seus movimentos... são muito lentos... Não há como me vencer assim...

    — Tome isso, sua louca!

    E novamente Kenta continua a tentar o impossível. Suas tentativas frustradas só o fazem cansar. Lupa intervém novamente:

    — Está paralizado agora... não está? - Disse, o abraçando por trás, falando em seu ouvido.

    — O que fez comigo?

    — Seu corpo... músculos... hm... você deve fazer exercícios...

    — O que fez a mim?

    — Toquei-o com um de meus truques...

    — Truques?

    — Sim... lobos gostam de intimidar suas presas olhando-as nos olhos... posso fazer o mesmo tocando-as...

    — Lobo? Você disse lobo?

    — Gosta de lobos... Kenta?

    — Então você é um maldito...

    — Hm... Sim... você descobriu agora... não é? Mas não vai livrá-lo do castigo...

    — Castigo? espere, você foi mandada por Spin, não foi?

    E antes de que pudesse fazer alguma coisa, o corpo de Kenta logo começa a ser envolvido por uma cortina de ar. Lupa se afasta e diz:

    — Não se preocupe... só irá ferí-lo um pouco... e contenha seus gritos... pois não podemos chamar atenção...

    — O QUE VAI FAZER?!

    Kenta é brutalmenete atacado. Seu corpo sofre cortes por causa do ataque de Lupa: o jovem é envolvido por um turbilhão de vento, quase como um tornado, que o retalhava em todas as partes do corpo. Seus gritos são ouvidos por todo o recinto, fazendo com que o restante dos capangas fujam amedrontados. Respingos de sangue sujam o rosto de Lua, que diz:

    — Sofrimento... dor... é algo tão triste... por outro lado... eu... hm... chega a ser poético... como aqueles livros escritos por humanos... o líquido que os mantém vivos também é saboroso... como a vida.

    Ao fim do ataque, Kenta vai ao chão, todo ensanguentado, com sua roupa rasgada e gemendo de dor.

    —AHHH! Sua mis... Por... que... 

    — Irá me tratar bem... 

    — Te tratar bem?

    — Sim, ou... devo fazê-lo novamente?

    — N-não... Eu a tratarei bem... eu a obedecerei...

    — Bom saber... Somos amigos... então...

    Anuon e Fhor conversam em voz baixa:

    — Anuon, acho que devemos começar a traçar alguma estratégia antes que as coisas piorem ainda mais!

    — Sim, eu concordo. Mas Fhor, o que Piece 1 fez a cabeça de Lupa? Porque atacar desta forma?

    — Como disse: a aparência de Lupa engana a qualquer um e sua mente doentia só irá trazer mais dor a quem ela começar a odiar.

    — E quanto a Ethan?

    — Bem, ele que comece a se preocupar, pois acho que Lupa não está para brincadeiras agora.

    E enquanto isso...

    Kyoto, Templo Rayka.

    Caminhando pelos corredores curto de adornos japoneses do templo, Maeti havia levado Ethan até o tatame. Quando chega, observa Kitsune no centro, esperando-o e vai a encontro dela. Com o jovem humano não entendendo muito bem o porquê daquilo tudo, perguntou:

    — O que foi, Kitsune? Não me diga que...

    — Não. Não lutarei com você desta vez.

    — E então?

    — Percebo agora que há uma grande diferença em nossas habilidades. então colocarei-o para lutar com alguém que esteja mais próximo de seu nível.

    — E quem é? Deve ser a Kaede...

    E olhando para trás de Ethan, a raposa diz:

    — Lute com ele - Disse, apontando para seu filho.

    — Maeti?!

    Continua...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!