Freedom Planet: Faith & Shock

Tempo estimado de leitura: 17 horas

    12
    Capítulos:

    Capítulo 13

    A maior nação de Avalice: Shang Mu

    Spoiler, Violência

    E lá vamos nós para mais uma nova nação.

    Muitas surpresas aguardam Lilac e seus amigos.

    A missão em Shuigang havia chegado ao fim, mas isso não era o fim de tudo. A estadia na nação dos pandas trouxe muitas incógnitas: porque Spade sumiu, dando lugar a seu braço direito, Violet Scarlett? E porque Spade quer desenvolver uma nova pedra do reino, como Dail disse? Mesmo com muitas dúvidas, foi uma viagem proveitosa. Novas amizades foram feitas, fortalecendo ainda mais a irmandade de Lilac e seus amigos no mundo de Avalice.

    E Viktor? Será que alguma coisa será feita para resolver sua situação? Como voltará pra casa?

    Sendo assim, daremos agora continuidade a história. Uma nova saga está prestes a começar.

    Casa da árvore de Lilac, Dragon Forest. Manhã.

    — AH MULEQUE! Que saudade desse café da manhã! Valeu, Viktor! – Disse Carol, encantada.

    — Ah Viktor... Você não perde mesmo a mão. Estão deliciosos! – Lilac compartilhada a mesma opinião.

    — Viktorius, você não é desse planeta... Esse cheiro está muito gostoso! – Milla já salivava se tão faminta que estava.

    — Viktor, o que é isso que você fez? É um aroma muito delicioso, como a Milla disse... – Lilac estava curiosa.

    O jovem, se sentando a mesa, logo tratou de dizer:

    — Ora, é algo muito comum no Japão, um país de onde eu vim. Essa magnificência de prato se chama Torta de Maçã de Aomori. Eu adoro comer essa torta.

    — Nossa, está muito bom. É uma delícia – Disse Lilac, comendo em seguida.

    — Cara, vou te contar... Que coisa boa é essa!? Piá, tu tem que começar a ganhar money com isso. Tu tem talento! – Disse Carol, devorando quatro tortas.

    — São muito saborosas. Estou até sentindo o sabor das maçãs na minhas boca... – Milla estava muito satisfeita.

    O café da manhã corrida tranquilamente. Para acompanhar, Viktor também serviu chá verde, uma iguaria tipicamente japonesa, que servia como acompanhamento a refeição servida. O casamento era perfeito, com um banho de sabor que voltou a encantar as garotas. Logo após o café da manhã, toda se aprontaram, pois teriam de se reunir com Royal Magister em seu castelo.

    Horas depois...

    Castelo do Reino de Shang Tu, Tarde.

    Lilac e seus amigos foram prontamente recebidos pela gosta do reino. General Gong tratou então de levá-los até o salão imperial, onde lá estava Royal Magister. Ao fundo, como esperado, estava também Neera Li que, como de praxe, olhava para Carol com um pouco de desprezo, com a felina desviando o olhar. Milla logo tratou de abraçar sua mestra, mesmo que a retribuição não fosse imediata. Mas não se preocupem: a panda sacerdotisa tinha um grande carinho por sua pupila, mesmo que não expressasse isso abertamente.

    Após a recepção inicial, bem formal por sinal, o monarca de Shang Tu convida a todos para que fossem até o salão de planejamento, o mesmo de antes. Chegando lá, com todos já sentados, o monarca diz:

    — Muito bem, Sash Lilac... Fico feliz que tenha regressado em segurança de Shuigang. E vejo que todos vocês estão bem satisfeitos... O que houve?

    — Ah car... Digo, Vossa Excelência. O Viktor deu um café da manhã pra gente digno de deusas – Disse Carol, ainda impressionada.

    — Hã? Mas... Então o jovem estrangeiro sabe cozinhar?

    — Como um profissional... Envia eu não soubesse que existia – Disse Lilac, olhando para Viktor.

    — Entendo. Devo parabenizá-lo, jovem Viktorius Ashem. É um fim magnífico que poucos sabem dominar.

    — Mu-muito obrigado, Vossa Excelência. Nossa, o senhor lembrou do meu nome todo! – Disse Viktor, surpreso.

    — Como manda os bons costumes. Eu gosto de receber a todos os nossos visitantes de forma que os representem. Sua linhagem deve ser respeitada.

    — Nossa... Eu nunca recebi tantas honras assim. Sério, não é necessário.

    — Eu insisto. Tem cuidado bem de nossas bem feitorias.

    — Embora algumas delas não mereçam... – Disse Neera, que estava de braços cruzados e de olhos fechados.

    — Eu ouvi isso, duas cores. Tu tá só no cutuco, né? Diz... Diz pra mim: tu me ama, né? – Disse Carol, irritada.

    — Já começou a ficar ouriçada, gatinha? Eu nem comecei...

    — Já é, então! Parte pra dentro, pelúcia da ombreira de metal!

    — Do que é que você me chamou? – Neera já havia se levantado, serrando o punho.

    — Tá vendo? Eu também sei provocar. E aí, como fica? Vem tranquilo!

    — Ei, vocês duas. Carol, pare de ser infantil. E Neera, pare de querer encrenca. A “gatinha” aqui está no seu lado, tudo bem? – Lilac logo tratou de encerrar a disputa.

    — Oh sim, eu quase havia esquecido... A dragão é a diplomata da gangue. Ao menos ela tem cérebro, ao contrário de uma aí... – Neera logo voltou a ser segurar, mas não sem antes ser ácida.

    — Essa bunitinha aí tá de saca comigo, Lilac. Tu tá vendo, né? – Disse Carol, tentando se controlar.

    — Estou sim, mas não vai adiantar nada vocês ficarem com essa briga de egos – Apaziguou Lilac.

    — Melhor ouví-la, “gatinha” – Cutucou novamente Neera.

    — Não começa... – Carol estava mesmo tentando.

    — Muito bem, chega! Royal Magister... Nós conseguimos cumprir com a missão... – Disse Lilac, pegando a T'zamure, colocando-a sobre a mesa.

    — Fico muito satisfeito com o sucesso de vocês. E como foi?

    Lilac mudou rapidamente de semblante, ficando um pouco mais séria. Ela, olhando para Neera Li, diz:

    — Neera, suas forças de inteligência estavam certas. A The Red Scarves está mesmo por trás de tudo isso.

    — Eu sabia! E o que descobriram? – Disse a panda, olhando para Lilac.

    — Nós fomos atacados por eles em Shuigang... Bem, na verdade... eles atacaram a cidade para acharem fragmentos da pedra do reino.

    — O que? Mas... O que eles fizeram a seguir?

    — Tentaram invadir o palácio de Shuigang.

    Royal Magister e Neera Li logo se surpreenderam com a notícia. O tom havia mesmo mudado. Tomando a palavra, o monarca diz:

    — E o guardião? O encontraram?

    — Ele que nos encontrou, Royal Magister – Disse Milla, rindo.

    — Isso é verdade?

    — Sim, Vossa Excelência. Sem maiores detalhes, porque prometemos a Dail sobre isso antes de voltarmos – Disse a dragão, se sentando.

    — Entendo. Mas e o que aconteceu com o Castelo de Shuigang?

    — Quando nós conseguimos entrar, nós... – Tentou dizer Lilac, sendo interrompida por Milla.

    — ... Eu e o Viktorius entramos num caminhão pra seguir o rastro dos ninjas. As garotas até lutaram contra um robô libélula. Aí nós entramos no castelo e ficamos escondidos até que... – Disse a canina, sendo observada por Neera Li

    A panda, ao ouvir isso, se levantou e começou a caminhar lentamente. Porém seu olhar ficou fixo aos olhos de Viktor que, preocupado, diz:

    — Senhorita Neera Li, o que...

    — Levante-se, Viktor.

    — Hã? Mas...

    — Levante-se antes que eu faça isso pra você.

    — Mas o que... – Viktor então se levantou, olhando para a panda – ... Do quer tratar comig...

    Ela então executou uma chave de braço com uma só mão, rendendo Viktor. Com todos surpresos olhando para o ocorrido, ela diz:

    — Continuem conversando. Eu já ouvi o suficiente. Preciso mesmo conversar com esse idiota...

    — Neera, isso que está fazendo é devidamente necessário? – Disse Royal Magister.

    — Não se preocupe, Vossa Excelência. Ele está bem e está inteiro... Não é, Viktor? – Disse a panda, forçando ainda mais o braço do jovem.

    — Si-sim... Está sim, senhorita Neera Li... Poderia diminuir a força, por favor? Eu vou conversar com você...

    E com Viktor acompanhando Neera para fora do salão, Lilac então continuou a dizer:

    — Bem, quando todos nós estávamos dentro do Castelo, muitas coisas aconteceram. Nós vimos a Violet Scarlett ser quase morta pelo guardião.

    — Isso aconteceu mesmo? Sob os muros do Castelo de Shuigang? – Disse Royal Magister.

    — Sim. Ela foi salva por Spade.

    — Então Neera estava mesmo certa. Por isso que nem se deu o trabalho de ouvir o restante...

    — Spade conseguiu fugir com Violet, mas... Nós precisamos entrar em combate contra o guardião.

    — O que? Mas a ordem dos guardiões de Shuigang são...

    — Honrados. Porém nós estávamos sendo testados pelo guardião. Quando finalmente ele se convenceu que estávamos lá para ajudar, logo tratou de nos apresentar a Dail...

    — Mas como a The Red Scarves conseguiu invadir o Castelo? Creio que depois do que Brevon fez a segurança do lugar estaria muito mais severa.

    — E estava. Eles permitem que invasores entrem. Porém eles impedem que saiam. O guardião nos disse isso. Toda pessoa não autorizada a entrar no castelo não sairá de lá.

    — Um método estupendo de desenvolver segurança. Eu não teria pensado nisso. Uma estratégia digna da linhagem de Shuigang.

    — Sim... Bem, Dail boa disser que Spade está agindo as escondidas a muito tempo e que está mesmo juntando resquícios da pedra do reino.

    — Entendo... Neera então está agindo no mesmo ritmo que Dail e sua inteligência.

    — Porém temos duas notícias bem bombásticas.

    — O que seria?

    — Dail desconfia que Spade esteja querendo fazer sua própria pedra do reino.

    Royal Magister se levantou, surpreso com a notícia. Ele, ainda não acreditando, diz:

    — Isso é impossível! Como ele poderia... Como alguém poderia fazer isso?

    — A notícia é que Spade está criando uma máquina que faça isso acontecer. A The Red Scarves expandiu seus domínios além dos reinos, com bases secretas por Avalice.

    — Isso é muito ruim... Muito... Precisamos mesmo começar a...

    — Espere, Vossa Excelência. Tenho uma última notícia.

    — E qual seria?

    — Dail me disse que Mayor Zao [➕ REFERÊNCIA] está com um resquício da pedra do reino.

    — De fato seria natural que os resquícios estejam por toda Avalice.

    — Não, Vossa Excelência não entendeu bem. Carol, está com o pendrive aí?

    — Tô sim, mommy – Disse Carol, pegando o item no seu bolso, entregando a Lilac – Pera... Aqui.

    A bela dragão púrpura então colocou o flashcard no computador do salão de planejamento, mostrando em seguida o enorme resquício. Royal Magister logo ficou ainda mais surpreso, dizendo:

    — Sash Lilac... Dail disse a ti se Zao [➕ REFERÊNCIA] sabe de toda a história por trás do que estamos investigando?

    — Não, ele não tem noção alguma...

    — Ah tá na cara que o pintor de rodapé não ia saber. Todo mundo conhece a peça. O cara aí tá lá na curtição... Adoro aquele carinha, hihi. E antes que alguém diga algo, principalmente tu aí que tá lendo essa fic: já tô acostumada para o “➕ REFERÊNCIA”, nyah!

    — Que você está falando, Carol? – Perguntou Milla, de forma meiga.

    — Ah minha fofucha... Liga não. Só a quarta parede sendo quebrada. Mas segue o baile...

    — Não estou entendendo nada...

    Caminhando até uma das janelas do salão, Royal Magister logo diz:

    — Se Spade pensa mesmo em fazer uma nova pedra do reino, então boa poderemos estar em perigo.

    — Sim, foi o que Dail disse também.

    — Precisamos informar a Zao [➕ REFERÊNCIA] sobre esse problema. Acredito que sua colaboração será garantida.

    — Então nos dará uma nova missão?

    — Sim, Sash Lilac. Eu gostaria que vocês fossem até o reino de Shang Mu e avisem ao nosso grande amigo sobre tudo.

    — “Grande amigo”... – Disse Carol, tentando segurar uma gargalhada – Lilac, “grande amigo”...

    — Carol, respeite a Vossa Excelência!

    — Pff... Eu tô tentando, mas... Caraca... “Grande amigo”... Eu não vou aguentar, Lilac... huhu... – Carol estava fazendo um enorme esforço, tapando a boca.

    — CAROL!

    — Eapera... E o Viktorius? – Disse Milla, preocupada.

    — Ora, Milla... A tsudere de gelo tá dando um lero com ele e...

    Enquanto isso...

    Escritório da divisão de segurança e inteligente do Castelo de Shang Tu.

    “... se ela tem juízo, pelo menos podemos ficar sussa.”

    — SEU IDIOTA IRRESPONSÁVEL!

    Neera estava mostrando muito mais irritação que de costume, gritando horrores com Viktor. O jovem não tinha direito a palavra, enquanto Neera continuou:

    — Eu havia pensado que no mínimo você teria a decência de respeitar uma promessa... Mas não... VOCÊ TINHA QUE COLOCAR A SI MESMO EM PERIGO E AINDA LEVAR A MILLA JUNTO!

    — Mas senhorita Neera, eu...

    — CALE-SE! Eu não quero ouvir sua voz! Eu deveria prendê-lo por ter colocado a Milla em perigo! Você só faz idiotices!

    — Eu poderia pelo menos tentar me explicar?

    — Porque eu deveria te dar essa oportunidade?

    — Porque você precisa saber o que houve antes de me condenar.

    — Ah... Que droga! Vai, diz então...

    — Nós não tivemos escolha. Os ninjas nos atacaram e...

    — Porque não chamaram a polícia de Shuigang?

    — E você acha mesmo que os ninjas iriam esperar eu chamar pela polícia? Eu estava lutando para me proteger e não para me meter em encrencas. Uma coisa seria eu entrar, mas eu que fui colocado dentro da encrenca.

    — Isso não significa nada. NADA! Bastaria fugir!

    — Fugir? Você está louca? Eu nunca poderia fazer isso!

    — E porque não? E sua promessa, não significa nada?

    — Mas eu cumpri com minha promessa. Eu não posso ferir meus juramentos...

    — Que juramento?

    — Eu devo me proteger e proteger a quem está a minha volta. Foi isso que jurei quando ganhei minha faixa preta em karatê. Eu sou um mestre, senhorita Neera Li. Eu não posso deixar minha promessa com você sobre meu título.

    Pela primeira vez em muito tempo a bela panda tratou de se controlar e mudar o tom da conversa com o jovem. Ela, olhando-o boa olhos, diz:

    — Você fez uma promessa. É um contrato comigo que nunca poderá ser quebrado. Siga-o e não terá problemas comigo. Deixei bem claro isso?

    — Sim, senhorita Neera.

    — E tem mais uma coisa...

    — O que?

    — Eu não quero que coloquem a Milla em perigo novamente. Principalmente você. Entendeu?

    — Sim, eu entendi. Mas quero dizer uma coisa antes de ir...

    — O que seria?

    — Milla é uma garota muito forte. E acredito que ela seja assim por sua causa.

    — Milla já era forte. Ela só precisava de disciplina. E principalmente de ficar longe de más influências... E isso inclui todos vocês.

    — O que? Está dizendo que eu sou má influência pra ela?

    — Suas idiotices acabam fazendo a cabeça dela. Por isso eu não gosto que ela se misture. Mas ela tem a vida dela, então mantenha essa sua promessa e estaremos conversados.

    Neera estava mesmo definindo bem seu ponto de vista. Ela não gostava que Milla estivesse junto a Lilac e seus amigos, mas sabia que não poderia forçá-la a nada. A canina tinha total Liberdade de fazer o que quiser de sua vida, mesmo com a panda sendo sua mestra. Viktor havia entendido isso mas, ao se levantar, diz:

    — Uma coisa a falar sobre a Milla antes que eu saia, senhorita Neera Li...

    — O que quer dizer?

    — Milla tem total ciência do que faz. Ela é independente. Todo mundo gosta dela e a respeitam. Ela tem influenciado a todos nós mais do que nós a ela. E ela foi treinada por você. Seja lá como ou porque, algo de você está nela agora. E são só coisas boas.

    — E o que você quer dizer com isso?

    — Eu só quero te parabenizar. Só isso.

    A panda ficou em silêncio. Talvez por não ter palavras para demonstrar agradecimento ou, como sabemos, não quisesse demonstrar sua reais emoções. Tendo em vista essa última alternativa, Neera Li se sentou em sua poltrona frente a mesa do seu escritório e diz:

    — Sabe onde fica a porta. Cuide-se e não quebre sua promessa.

    — Tudo bem. E obrigado.

    — Saia logo de uma vez, Viktor!

    O jovem então saiu da sala, indo em direção ao saguão principal, onde se encontrava os outros e, para sua surpresa, General Gong. Se aproximando, pôde ouvir a conversa que Lilac e Carol estavam tendo.

    — E é isso, Carol. Hoje mesmo iremos para Shang Mu.

    — Isso isso isso isso isso! Caraca, já vi vantagem em fazer missões! Haha! Cara, isso vai ser o máximo!

    — Ei, o que houve? Já teve a reunião? – Disse Viktor, ao chegar onde estavam.

    — Ah piá... Agora que o troço vai ficar louco... Cara, nós vamos para Shang Mu!

    — Hã? Mas eu pensei que a própria guarda do reino que faria isso...

    Gong, que acompanha a conversa, diz:

    — Não, jovem. Nós da guarda do reino não queremos chamar atenção. Vocês conseguiriam fazer isso melhor do que a gente.

    — Ah mas pode crer que nós podemos, grandão.

    — O respeito passou longe, não? Meu nome é Gong. Não se esqueça disso.

    — Falou, Gong. Tu mudou muito, sabia? Tá mais Neera em menos Gong. Mas a parte da panda tsudere que você pegou é a boa, hihihi! – Disse Carol, com sarcasmo.

    — Hã? Do que você está falando? Eu sou eu e sempre serei eu. A única coisa que estou fazendo de diferente é treinar mais. Royal Magister disse que deveria fortalecer meu espírito porque meu corpo já é forte o suficiente.

    — Resumindo: ele te colocou pra estudar pra você deixar de ser “songo mongo”...

    — Carol, tenha mais respeito ao Gong! – Disse Lilac, irritada.

    — Tá, dessa vez abusei mesmo... Desculpa aí, Gong. Mas tu tá bem melhor agora. Sem zuera.

    — Tudo bem. Jovens... Ah falando nisso... Viktor, tenho notícias dos cientistas.

    — Hã? E aí, descobriram algo? – Disse Viktor, curioso.

    — A única coisa que eles descobriram é que nos últimos dias teve uma tempestade de raios em Avalice. Teve uma descarga muito alta de energia. Mas não encontraram nada que ligue isso a você estar aqui.

    — Tá, mas o que isso ajuda o piá? – Perguntou Carol.

    — Nada. Era só pra ele ficar sabendo.

    — Ah... Gong... Uma vez Gong, sempre Gong.

    — Carol, sempre Carol.

    — Amém! Nyah!

    — Bem, estou aqui pra outra coisa. Quero que me façam um favor.

    — Hã? Favor? – Perguntou Lilac.

    — Tenho alguns livros que entreguem na biblioteca de Shang Mu. Zao [➕ REFERÊNCIA] me recomendou alguns e estes só tinham lá na cidade dele. Poderiam entregar para mim?

    — Ora, claro. Podemos sim. Pode contar conosco.

    — Muito obrigado.

    Como o combinado, os jovens então seguiram para a casa da árvore de Lilac, para se prepararem para seguir ao seu novo destino, Shang Mu. A missão era simples: ir até o Castelo de Shang Mu e falar com seu monarca, Mayor Zao, sobre a iminência de um suposto esquema da The Red Scarves conseguirem por as mãos no enorme resquício.

    Lilac e seus amigos logo reuniram suas bagagens. Dessa vez a viagem era especial: Royal Magister disponibilizou fundos posta que todos fossem levados da firma mais confortável possível e estadia na cidade. Exatamente isso. Todos teriam suas despesas todas pagas. Por isso Carol estava radiante dentro da van fretada exclusivamente para os jovens.

    — Lilac, tamo no céu. Todas as despesas pagas e ainda em Shang Mu! Cara, eu vou comprar muita coisa lá...

    — Hã? Do que você está falando? Estamos em missão! Não teremos tempo para...

    — Qual foi, Lilac? Por o pé na jaca de vez em quando não faz mal a ninguém. Relaxa, boba. Vamo curtir!

    — Carol, nós não deveríamos abusar da boa vontade de Royal Magister...

    — Lilac, É SHANG MU! Caraca, temos uma oportunidade de ouro nas mãos!

    — A Carol está certa, Lilac. Precisamos nos divertir também – Disse Milla, abraçando a bela dragão.

    — Hã? Até você, Milla?

    — A gente está tão atarefada que estamos esquecendo de aproveitar. Por favor, vai?

    — Ah... Está bem... Está bem... Mas sob uma condição.

    — Qual, mommy? Tudo que a senhora mandar – Disse Carol, também abraçando Carol.

    — Antes de nos divertirmos, vamos tratar de resolver tudo que viemos fazer em Shang Mu. Concordam?

    — Tá, acho justo. E você, Milla?

    — Eu também concordo. Vai ser muito legal! E o que acha, Viktorius?

    — Eu? Bem... Eu nunca fui nesse lugar, então eu deixo na mão de vocês – Disse Viktor, um pouco pensativo.

    — Fechou então. Haha! Férias, finalmente! – Disse Carol, bastante contente.

    Durante a viagem, Viktor estava mesmo pensativo até demais. Enquanto as garotas conversavam, o jovem tratou de fechar seus olhos e descansar. Porém em pensamentos.

    — *Porque a senhorita Neera Li é assim tão fechada? Ela leva muito a sério seu trabalho. E porque tanta proteção a Milla? Mas mesmo assim a senhorita Neera lhe dá liberdade... Tipo, a Milla é uma excelente pessoa, meiga, gentil, forte... Como é que a Neera conseguiu ser aceita por ela como mestra?*

    Conforme o tempo passava, o cansaço era visível nas meninas. Tanto que o resto da viagem foi de pleno descanso por parte de todos. O sono veio e dormiram.

    Horas depois...

    Cidade do reino de Shang Mu, centro. 18:00 PM.

    Gigantesca.

    Avassaladora.

    Estonteante.

    Incrivel.

    Brilhosa e fervente.

    Ainda sobravam muitos adjetivos para tentar descrever o que era aquela cidade. Seus altos edifícios quase escondiam o horizonte montanhoso da região, com estradas e avenidas cruzando toda a cidade. O trânsito era intenso, mostrando que era mesmo uma cidade bem populosa. Era encantadora: muitas praças ornamentais contrastavam com a modernidade, de uma forma única e acolhedora. Mas não parava por aí: o comércio era o ponto forte da megalópole, com procura por parte dos habitantes por qualquer produto que existisse em Avalice. O transporte não era um problema: um robusto sistema de metrô cortava o subsolo da cidade, assim como monotrilhos trilhavam acima de todos pelas ruas cheias de gente que rumavam pela cidade. E o mais interessante: shoppings... Muitos shoppings pela cidade inteira. Se existisse um lugar em toda a Avalice que usava e abusava de energia essa era Shang Mu, o maior reino do planeta. Definitivamente a população mais variada em espécies entre todos os reinos.

    Ao chegarem a cidade, Viktor dou o mais impactado pela grandiosidade do lugar, mal conseguindo falar.

    — Pessoal, isso é mesmo real? Essa cidade é enorme! Nem mesmo Nova Iorque é tão grande assim!

    — Lá vem o piá com essas coisas do mundo dele... E é isso mesmo, Viktor. Tudo aqui é grandioso mesmo. Puro luxo, sem economia – Disse Carol, pegando sua mochila da van.

    — Aqui cresceu muito, não? A minha mestra disse que muita gente veio pra cá por causa disso – Disse Milla, andando ao lado de Lilac.

    — Sim. E Royal Magister disse que seríamos hospedados nesse hotel aí – Disse Lilac, apontando para o prédio.

    — Nyah?! Pera... Tu tá dizendo que... – Carol mal conseguia acreditar, olhando para o enorme prédio que estava a sua frente – ... nós vamos ficar hospedadas no Gigante de Shang Mu Hotel?! CA-RA-CA!

    — Sim. Não houve economias por parte do reino de Shang Tu.

    — Ah cara... Eu amo isso... Eu amo ser mimada! Nyah!

    Quando adentram ao saguão do hotel, o nível de luxo era absurdo. Mármore chinesa no piso, porcelanato nas paredes, enormes pilastras, quadros caros decorando as paredes, muita gente usando roupas finas... E novos heróis usando a roupa habitual de cada um. Todos então passaram a olhar para eles com desprezo, com Lilac dizendo:

    — Pessoal, vamos para o quarto logo... Essa gente aqui está me deixando incomodada...

    — Bando de riquinho esnobe. Somos do gueto mesmo! A favelada chegou em Shang Mu!

    — Carol, para de chamar atenção!

    — O pobre também tem seu lugar! Já é!

    E logo todas são levadas até o quarto. Chegando lá, o lugar era enorme. Só o quarto do hotel tinha quase três vezes o tamanho da casa da árvore de Lilac. Todos então ficam impressionados com o tamanho do lugar, com Carol correndo por todos os cômodos. Haviam quatro camas muito bem arrumadas, jacuzzi, sauna, três banheiros... porém não havia cozinha, para desolação de Viktor.

    — É, garotas... Não vou poder cozinhar...

    — Ah tá de saca, né? Tu não tá pensando grande, piá... – Disse Carol, abraçando o jovem pelo pescoço.

    — Hã? Como assim?

    — Cara, carinha... Tu tá no hotel mais luxuoso de toda Avalice. Se você tá no que tem de melhor aqui, imagina então a comida que essa gente prepara...

    — OH MINHA NOSSA! MINHA NOSSA! Eu... Eu preciso mesmo experimentar cada prato daqui! Eu preciso ver a cozinha, conversar com os cozinheiros, ver cada coisa que...

    — Tá, sossega leão! Pega leve... Seu 486 não dá vazão pra tanta informação. Fica sussa. Tudo no seu tempo, piá... Lilac, o que faremos primeiro?

    — Bem, vamos até o Castelo de Shang Mu para falar logo com o monarca. Depois vamos fazer o favor ao Gong. Tudo bem? – Disse a dragão, pegando sua mochila.

    — Tá falado! Aí depois disso é hora da farra! Hahahaha!

    Tempo depois...

    Castelo de Shang Mu, tarde.

    O lugar era monumental e gigante. O castelo do reino de Shang Mu contemplava a vista de quem chegava a cidade: era possível vê-lo de qualquer lugar. Uma construção imponente, que arremetia a prédios da antiga Taiwan, vários metros quadrados do mais absoluto verde ordenavam seu contorno, com uma forte guarnição que se esforçava para manter não só o castelo mas como tudo o reino protegida.

    E já no interior do Castelo, justamente no salão do monarca, os jovens se encontravam com o bem humorado e ganancioso Mayor Zao, com seu enorme chapéu de monarca, o que tentava esconder sua baixa estatura.

    — Lilac, já percebeu quantas vezes as palavras “enorme”, “gigante” e “grande” foi dita nesse capítulo? – Disse Carol, olhando para sua amiga.

    — Do que você está falando, sua boba?

    — Deixa quieto. Nyah!

    E eis que o espirituoso Zao recebeu de braços abertos suas visitantes.

    — Carol, Lilac, Milla e... um NPC qualquer do meu reino! Como estão?

    — Olá, Mayor Zao! A quanto tempo não nos vemos! – Disse Lilac, com um sorriso.

    — Ah faz muito tempo... A propósito, vocês usaram aquele cupom de cinco por cento de desconto em qualquer shopping?

    — Usamos sim. Compramos um abajur.

    — Sério? Não poderiam usar em uma coisa mais cara, como um carro?

    — Mas eu não preciso de um carro. Eu já tenho minha velocidade pra me levar onde eu quiser. E a Carol tem a moto dela.

    — Ah... Sei... Então a brincadeira agora é me deixar mal... Já sei: porque não dizem que eu preciso emagrecer também? [➕Sarcasmo]

    — Não... Não foi minha intenção...

    — Hahahaha! Não ligue para o que eu disse. Só estou devolvendo a sua zuera! [➕FunFactor]

    — É, você não mudou nada...

    — É nem no tam... – Quase deixou escapar Carol – ... digo, no tambor que quero tiqui tiqui tiqui tá! Nyah! *Ufa, essa for por pouco!*

    — Mas me digam, a que devo essa visita?

    — Bem, nós viemos a mando de Royal Magister e...

    — Ah então ele se lembrou de mim, não? Que bom. Só espero que ele saiba que minha cidade aumentou de tamanho. Querem ajuda para desenvolver a sua também? [➕Beijo no ombro]

    — Não. Acho que nossa cidade já tenha um tamanho bom... Mas temos uma notícia para o senhor. Nós...

    — Já sei, cara Lilac. Bem, se quiserem podem ficar no meu Castelo. Será uma honra hospedar as maiores heroínas de Avalice. Está também uma forma de promover meu mais novo empreendedorismo.

    — Hã? Como assim?

    — Ah... Vocês... Não... Sabem?

    — Não. Ninguém disse nada.

    — Aí, Zao... Como é que a gente vai saber dessa cidade se a gente acabou de chegar? – Disse Carol.

    — Me desculpem. Me desculpem. Bem, vejam só... – Disse enquanto apertava um botão que fez aparecer um enorme telão a frente de todos.

    E na gigante tela eis que é mostrado um logotipo do reino de Shang Mu, com os dizeres “Shang Mu Productions & Events”, o que causou logo uma reação em Viktor, que diz:

    — Esperem, restava ver se...

    — Piá, fica na sua. Não vem com essa. Só assiste o vídeo, “NPC qualquer”.

    — Mas eu não sou um NPC...

    — Fica sussa!

    E um urso pardo bem mal encarado, usando uma boina com um óculos escuro apareceu no vídeo, dizendo:

    — Ei, você! Tá procurando uma boa briga? Tá com sede de sangue e ossos quebrados? Está procurando um lugar pra ver muita porrada?

    Carol não resistiu:

    — Ah esse cara tá falando minha língua! Caraca!

    E o vídeo continuou:

    — Então... Nós daqui de Shang Mu ouvimos vocês! Estamos trazendo essa semana, para quem quiser, a maior novidade que NENHUMA NAÇÃO DE AVALICE TROUXE ATÉ HOJE!

    Um dia...

    Um dia...

    UM DIA SÓ DE PURA PORRADA, pra você saciar tia sua sede por lutas!

    E o mais importante: TODO MUNDO VAI PODER PARTICIPAR!

    TODO MUNDO...

    TODO MUNDO...

    TODO MUNDO, do anônimo ao popstar de toda Avalice vai poder mostrar o seu valor, COMO O GRUPO DE GUERREIROS MAIS FORTE! 

    Carol estava quase tendo um ataque do coração ao ver o anúncio, que nem havia chegado ao fim.

    — Caraca, Lilac... EU AMO TUDO ISSO! TENHO QUE FAZER PARTE DISSO! Onde, quando, que horas...

    — Carol, pare com isso. Nós temos uma missão!

    E o anunciante continuou:

    — E sinta a sensação de sentir como é sentir a sensação de sentir alguém sentindo sentir um soco sendo sentindo partir ossos! É ISSO MESMO!

    É ISSO MESMO...

    É ISSO MESMO! Um torneio de artes marciais...

    NÃO! É O TORNEIO DE ARTES MARCIAIS 

    Convidamos a todos os Lutadores de toda Avalice para mostrarem seu valor como guerreiros Unidos!

    Dezesseis equipes, com cinco integrantes cada...

    SÃO MAGNIFICOS OITENTA GUERREIROS...

    OITENTA GUERREIROS...

    OITENTA GUERREIROS prontos para mostrar que no mundo de Avalice tem muita vontade, honra e determinação de Lutadores!

    E PODE SER VOCÊ!

    VOCÊ!

    VOCÊ pode ser o campeão junto com sua equipe!

    O que você está esperando, lutador? Só tem lugar pra OITENTA GUERREIROS!

    CORRA PARA O GINÁSIO DE SHANG MU e faça a inscrição do seu time para T.O.R.M.E.N.T.A.

    T.O.R.M.E.N.T.A

    T.O.R.M.E.N.T.A, o Torneio Original Real do Maior Elemento Nobre de Toda Avalice!

    Tá com medo ou tá com vontade, lutador? Inscreva-se ou corra!

    Carol já estava indo correndo até o lugar, sendo impedida por Lilac, que diz:

    — Carol, aonde você está indo?

    — Tô indo comprar pão... NÃO PERCEBE QUE EU TENHO QUE FAZER PARTE DISSO? Caraca, o cara tava falando comigo o tempo todo.

    — Sua louca, será que vê esqueceu porque estamos aqui?

    — Eu não... Tu resolve a treta aí com o Zao. Eu vou pra inscrição desse torneio agora. Se é loco, cara. Coisa divina da mãe... Eu nasci pra disputar esse torneio!

    — Carol, a gente tinha combinado de primeiro resolver a missão do Royal Magister. E além do mais, você vai precisar de mais quatro pra formar um time.

    — Na hora lá vai ter gente sem time e a gente monta um aleatório mesmo. Qualquer coisa eu digito um código pra selecionar o Evil Ryu e o Akuma...

    — Carol, pare com isso. Não está certo o que você está fazendo. Você tem que cumprir o que prometeu.

    — Ah tá... Tá beleza então. Mas vamo então pra eu madrugar na fila do ginásio pra fazer a inscrição... Lilac, vai ter sangue e ossos quebrados!

    — Carol!

    — Sangue e ossos quebrados, Lilac! Caraca! Tô muito nervosa!

    — Para com isso, Carol! Vai assustar a Milla!

    — Eu estou tranquila, Lilac. A Carol é muito engraçada, Hahahaha! – Disse Milla, abraçada a Viktor, que Também caiu na gargalhada.

    — Hahahahaha! Minha nossa... A Carol está completamente dominada pelo instinto de predador dela! – Disse Viktor, entendendo a situação.

    — Falou tudo, piá! Caraca, vai ser muito massa isso tudo! Zao, tu se superou nessa! Tá perfeito. Esse apresentador é muito badass!

    — Ora, que bom que gostou. E convido vocês se quiserem. Nem precisam ir até o ginásio. Mas tem que confirmar logo hoje.

    — Mas é claro que eu vou! Pode crer! E aí, gente? Vocês querem participar?

    Carol parecia a única com vontade de verdade em participar. Viktor ficou na dele, enquanto Milla ainda estava rindo, com Lilac dizendo:

    — Carol, você está maluca. Pensa numa situação que ninguém quer passar? Então...

    — Lilac, sangue e ossos quebrados! As duas coisas!

    — Carol!

    — Sangue...

    — Carol!

    — E ossos...

    — Carol!

    — Quebrados!

    — CAROL, JÁ CHEGA! Não existe nenhum bom motivo para nenhum de nós participar dessa...

    Mas era melhor Lilac segurar vem o que iria dizer, pois o anunciante não havia acabado. O vídeo continuou, mesmo depois de uma breve parada.

    — Ah e você pensou que não tinha um prêmio?

    Temos sim...

    Temos sim...

    TEMOS SIM um prêmio perfeito para coroar o time vendedor...

    O time vencedor...

    O TIME VENDEDOR levará o prêmio máximo que simboliza todo o valor de nosso planeta!

    O time vendedor levará para seu Dojoh o espetacular e único...

    RESQUÍCIO GIGANTE HIPER MEGA FANTÁSTICO E ESPETACULAR DA JOIA DO REINO!

    Lilac quase cai pra trás com o anúncio “bomba”.

    — O QUE?! MAS... MAS... MAS...

    — Ih! Caraca... O prêmio é o resquício? Cara isso... é... DEMAIS! SUPER! Nyah!

    — Esperem... Deixa eu ver se entendi bem: o prêmio desse torneio é o resquício que viemos pra avisar sobre? – Disse Viktor.

    — Ai Viktorius... É isso mesmo. Que situação...

    Depois do vídeo, Mayor Zao estava radiante, vendo a reação positiva de Carol, e diz:

    — Esplêndido! Que bom que gostou, Carol! Essa jóia veio em boa hora pra presentearmos os maiores lutadores de toda Avalice! Vai... Me digam a verdade: sou ou não sou um gênio? [➕Eike Batista feels]

    A bela dragão estava sem palavras. Um resquício daquela tamanho, com uma enorme importância, sendo um mero prêmio de um torneio de artes marciais? Era demais pra ela.

    — Mayor Zao... Será que não poderia reconsiderar essa sua ideia?

    — Porque? Eu já havia calculado tudo até.

    — Do que está dizendo?

    — Só bastava da aprovação de alguém pra lançar esse vídeo em cadeia internacional.

    — Não me diga que...

    — Sim. Todo mundo a essa hora deve estar fazendo fila no ginásio. Da Avalice toda. [➕Youtuber influenser]

    — Mandou bem, Zao! Mandou bem demais, carinha! – Carol, sendo carinhosa.

    — Ora, obrigado. Por causa disso irei lhe dar um cupom de desconto em qualquer loja de artigos de artes marciais. Quinze por cento está bom? [➕ Capitalismo]

    — Senhor monarca, será que o senhor não sabe o valor real desse artefato que o senhor achou? – Disse Viktor.

    — Ei, você é mesmo um NPC? NPCs não tem muita fala... [➕ IRÔNICO]

    — Eu não sou um NPC! *O que é um NPC?* Meu nome é Viktor. E estamos aqui justamente para te avisar que essa pedra está sendo monitorada por um grupo de ninjas chamado The Red Scarves que...

    Não houve muito tempo para que Viktor tentasse algo. Lilac já estava sendo acudida por Milla. A bela dragão não estava mesmo esperando por isso.

    — Eu sei... A gente vai ter que entrar nesse torneio pra ganhar o prêmio... Eu sei.. Eu sei... Eu sei..

    — Mas Lilac... Tipo, vai ser irado!

    — Não, Carol... Não vai... Você está vendo isso como uma diversão e eu estou vendo como uma obrigação. São coisas diferentes...

    — Mas Lilac...

    — Carol, chega... CHEGA! Escuta, mesmo se a gente se inscrever nesse torneio, só tem eu, você e Milla.

    — Ueh, e o piá? Ele não conta?

    — Eu não quero envolver o Viktor mais do que...

    — Eu vou participar desse torneio! – Disse Viktorius, decidido.

    — Não Viktor, da última vez...

    — Da última vez era tudo um plano. Dessa vez iremos lidar contra gente anônima. Eu tenho plenas condições de lutar. E eu vou.

    — Essa parada, Viktor! Meu parça! – Carol logo tratou de incentivar.

    — Carol?! O que você está...

    — Mommy, tá tudo combinado. Tu pode contar com o Viktor, comigo e com a Milla.

    Zao estava literalmente feliz e alegre com o que haviam combinado.

    — Isso é ótimo! Ótimo pra promover ainda mais meu torneio! Vou garantir a inscrição de vocês, mas... Cadê o quinto integrante? – Disse Zao, ligando seu computador.

    Uma dúvida estava mesmo no ar. Todos ficaram temerosos com o fato.

    E o quinto integrante?

    Horas depois...

    Centro da cidade de Shang Mu, praça do centro. 20:00 PM.

    Sentados na praça, todos aguardavam Lilac que estava aí seu telefone celular ligando para Shang Tu. Logo ela retorna e diz a Carol:

    — Más notícias...

    — Ih lá vem...

    — Gong e Neera estão fazendo uma missão em Shuigang junto com Dail. E Ying numa poderia vir aqui. Resumindo...

    — Não temos ninguém pra chamar? É isso?

    — Sim. E as regras do torneio pedem cinco.

    — Ferrou. O que vamo fazer?

    — Não sei... Talvez um anônimo... Sei lá...

    — E agora?

    — Bem, ali está a biblioteca. Vamos até lá entregar os livros do Gong. Um problema a menos.

    Não demoram muito e atentam ao prédio. Ligar de estudos e pesquisas, a biblioteca geral de Shang Mu era um lugar muito conhecido em toda Avalice. Por sorte, por estar no fim do expediente, o lugar estava vazio, sendo habitado somente pelo curador da biblioteca. Trajando um terno preto, o jovem era um híbrido entre uma raça de felinos e, comum de Shang Mu, panda vermelho. Isso era evidente em olhar para seu rosto albino com traços suaves, e pelo fato de ter duas orelhas vermelhas felpudas. Olhando para as jovens que ser aproximavam, ele diz.

    — Olá, sejam bem vindas a biblioteca. Porém já estamos no fim do expediente.

    — Prazer, sou Lilac. Só viemos devolver esses livros e...

    — Ah tudo bem... Mas enfim... Você disse Lilac?

    — Sim, porque?

    — Ih, Lilac... Mais um fã. Te disse que tu é famosa, minha heroína! – Disse Carol, cutucando sua amiga.

    — Carol, não seja assim! Tenha modos!

    — Não, tudo bem. Eu sou mesmo seu fã – Disse o jovem, um pouco envergonhado.

    — Nossa, é sério? Bem... Eu... Eu não esperava e...

    — Irei fechar mais cedo. Quero mesmo conversar com você. Me de os livros aqui...

    O jovem estava mesmo encantado por conhecer Lilac. Carol estranhou a gentileza do rapaz. Milla e Viktor acompanharam a todos, indo até a parte de trás do prédio, que tinha um pequeno bar que servia suco de frutas. Já sentados, dele diz:

    — Prazer a todos. Me chamo Noah Hibiki. Sou curador da biblioteca. E é um imenso prazer conhecê-la, Lilac.

    — Puxa, obrigada. Mas porque tanta vontade assim?

    — Você salvou o planeta. É muito forte... 

    — Bem, eu tive ajuda de meus amigos... Eu não fiz tudo sozinha.

    — O suficiente para inspirar a todos. Inclusive a mim – Disse Noah, segurando em uma das mãos de Lilac de forma gentil.

    Mas Carol não recebeu isso muito bem.

    — Aí, bunitinho... Você tá bem íntimo já, né? Tu tem mais cara de trevoso que eu sei...

    — Hã? Do que está dizendo, Carol?

    — Que você está... Pera, como sabe meu nome?

    — Eu conheço você também. Sou seu fã do mesmo jeito que Lilac – Disse o jovem de rosto albino, segurando em uma das mãos de Carol.

    — É, bem... Cara, para de me olhar assim! Tu tá mesmo tentando me xavecar, é? – Disse Carol, envergonhada.

    — Não, me desculpe. É que eu estou mesmo conversando com vocês. Eu sempre quis esse momento. E eu também conheço a Milla.

    — Co-conhece? Mas eu não fiz nada... – Disse Milla, envergonhada do mesmo jeito.

    — Claro. Eu conheço todas vocês. As heroínas de Avalice juntas, em Shang Mu. Isso me inspira.

    A conversa estava mesmo amistosa. Noah mostrou que conhecia mesmo as meninas, de tudo que fizeram e o que aconteceu. Mas mesmo diante de tanta hospitalidade, Lilac tinha deveres a cumprir. Logo após terminarem de beber seus sucos de fruta, a bela dragão diz:

    — Noah, agradeço de coração pela hospitalidade e ofereço a você minha companhia em uma outra ocasião, mas estamos em uma missão.

    — Uma missão? Muito importante?

    — Sim. Nós viemos a essa cidade para recuperar o enorme resquício da pedra do reino...

    — Aquela que será dado ao grupo campeão do torneio?

    — Sim.

    — Mas só o grupo campeão poderá tê-lo. O que vocês farão?

    — Nós teremos que participar do torneio.

    — O que? – Disse Noah, surpreso.

    — Porém nós temos até o final desse dia para confirmar nossa inscrição. Nós estamos atrás de um quinto integrante...

    — Nós não achamos ninguém. Estamos mesmo precisando... – Disse Milla.

    — Eu me candidato.

    Isso sim foi algo bem inesperado. Um estranho simplesmente se candidata para fazer parte de um torneio. Porém esse teatro era um fã de Lilac e suas amigas. Carol logo diz:

    — Tá de saca, né?

    — Falo sério. Eu quero ajudar.

    — Cara, não é por nada não... Tu é um bibliotecário.

    — Ei, Carol... Isso não tem nada a ver. Eu sou um chef de cozinha e sou mestre de karatê – Disse Viktor, que estava quieto.

    — Caraca... Piá, eu pensei mesmo que tu era um NPC. Tava aí caladão esse tempo todo...

    — Estou quieto porque estava observando o Noah. Ele parece mesmo fã de vocês. E Prazer, Noah.

    — Ora, prazer. Eu pensei que você não estava junto com elas – Disse o híbrido, apertando a mão de Viktor.

    E Lilac se voltou novamente a Noah, dizendo:

    — Noah, você sabe lutar?

    — O suficiente.

    — Eu não quero te envolver nisso. Acha mesmo que consegue?

    — Sim. Porém eu tenho uma condição.

    — E qual seria?

    Logo Noah se levanta, chamando todos, para que o seguisse. Logo eles chegam até um descampado próximo a biblioteca. Pelos rastros no chão houve algum tipo de movimentação no lugar, coisa que Viktor logo percebeu.

    — *Esse lugar... O mato está quebrado e... não são simples quebras. Alguém treinou duro aqui e... Não, alguém treina aqui e por muito tempo. É exatamente como no meio Dojoh... O que está acontecendo?*

    E logo Lilac, estranhando, diz:

    — Noah, me diga porque estamos aqui. Nós precisamos andar rápido pois...

    — Lilac, eu esperei muito tempo por isso... E era por isso que eu queria te encontrar...

    — Hã? Mas o que...

    — Quer que eu seja seu quinto integrante? Então tenho uma condição: me vença em um combate.

    — O que?

    — Lilac, eu a desafio!

    Continua.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!