ANUON 9999

Tempo estimado de leitura: 4 horas

    12
    Capítulos:

    Capítulo 14

    Lupa, a garota que arde de desejos por Ethan - Parte Final

    Violência

    Lupa havia mudado e muito. Agora parecia uma verdadeira loba guerreira, que não media esforços para conseguir o que desejava. Queria eliminar Fhor e Anuon.

    Depois da intimidação de Lupa, Fhor e Anuon vão a encontro dela, correndo em direções diferentes tentando tirar sua concentração. Mas a lupina investe mesmo assim contra os dois, movimentando o ar com suas mãos, que fazem com que Anuon e Fhor sejam arremessados para longe. Como são ágeis, conseguem se recuperar e correm novamente a encontro de Lupa. Anuon diz:

    — Fhor, ela não vai nos deixar chegar perto dela.

    — Não me diga. Pensou mesmo que seria fácil?

    — Tem alguma idéia?

    — Tenho, claro! Somente observe...

    E ele então começa a manifestar seus poderes. Faíscas saem de seu corpo, iluminado o ambiente. Lupa, que somente observa, diz:

    — Seus truques não podem me ferir, Fhor! Vc sabe disso!

    —Não vou atacar você, Lupa.

    — O QUE?

    E Fhor estava dizendo a verdade: ele criou ante Lupa um tipo de bateria que unidos que se movimentasse muito, inibindo sua mobilidade.

    — Quero ver se afastar da gente...

    — Isso não é nada...

    — Anuon, gostou?

    — Muito bom. Como esperado de você - Disse Anuon, em prontidão.

    — Como disse... isso não é nada... - Disse Lupa, com os olhos fechados.

    E Lupa, com um só golpe, consegue dissipar a barreira de Fhor facilmente. O felino, impressionado, diz: 

    — Não é possível! Mas como você conseguiu?

    — Fhor... já deveria estar morto... Você sabe disso...

    Lupa, então, começa a invocar um de seus golpes, movimentando uma de suas mãos, girando-a e, surpreendendo a Anuon e Fhor, lâminas formadas pelo ar em volta aparecem.

    — O que é isso? - Disse Anuon, preocupada.

    — Ela conseguiu solidificar o ar e o transformou em uma lãmina - Fhor conhecia os ataques de Lupa.

    — Minha foice... a qual estimo muito... pode retalhar qualquer coisa...

    — Ainda assim, é só uma arma...

    — Não é somente uma arma... Minhasv lâminas são uma extensão dos meus ansejos, do que eu melhor sei fazer: matar.

    E munida de sua foice, Lupa golpeia o ar, fazendo com que abra-se um tipo de fenda nunca ventania a sua frente e atinge Fhor em cheio, fazendo com que caia atrás dos destroços da parede. Anuon, desesperada, fiz:

    — Fhor, você está bem?

    — Apesar de ter levado um golpe poderosíssimo, que quase me matou... sim... ESTOU ÓTIMO!

    — É inútil... vocês não podem me vencer... — Disse Lupa, olhando para os dois.

    — E agora? Ela se protege com os ventos... E ainda está armada com sua foice enorme... O que fazer? - Dizia Anuon, preocupada.

    — Anuon, você é uma das melhores Anis de Piece 1! Não se rebaixe ao desespero... - Fhor tentou motivar a felina.

    — Sim, Fhor... mas não consigo pensar em algo que possa fazer frente a ela. Somente se...

    — Somente o que?

    Anuon baixa sua cabeça, se concentrando. Ela, parecendo ter planejado algo, olha para Fhor e Ethan, dizendo em seguida:

    — Aconteca o que acontecer, não olhem para trás! Eu já sei o que fazer.

    — Anuon, o que vai fazer? - Disse Fhor, confuso.

    — Confie em mim e proteja Ethan e a humana.

    — Anuon, não me dê ordens! Sabe muito bem que sou seu superior!

    — ISSO NÃO IMPORTA MAIS! NÃO SOMOS MAIS MARIONETES!

    — ANUON, BAIXE O TOM DE SUA VOZ COMIGO!

    — CALE-SE! FAÇA O QUE EU DISSE!

    Ambos até esqueceram de Lupa, trocando olhares. Por alguns instantes uma guerra de egos começou a ser travada entre os felinos, que se olhavam sem se moverem, ouriçados por tamanha raiva. Mas Anuon se contém e diz:

    — Fhor... só lhe peço uma coisa... como sua fiel soldado...

    — O que, 9999?

    — Confie em mim. Não estou te ordenando. É um pedido. Entre aliados - Disse Anuon, com lágrimas em seus olhos e sua pelugem do alto de sua cabeça cobrindo seus olhos rubros.

    — Anuon...

    — Por favor, Fhor!

    E Fhor sinaliza bom dia cabeça, confirmando que aceitará o plano. O felino então recua e vai em direção a Ethan, que estava caído. Anuon parte contra Lupa sozinha, a desafiando. Lupa diz:

    — Acha mesmo que pode me vencer sozinha, Anuon?

    — Cale-se, Lupa!

    — Gostava de você... íamos ao lago Esaka... comíamos frutas juntas... Mas não perdôo você por ter traído meu pai...

    — Não houve traições aqui, Lupa! Só defesa de teorias. Acho Piece um grande líder, ainda... Eu o respeito... mas não posso matar pessoas que não fizeram nada de errado e principalmente, nada contra nós.

    — Tola...Ethan é especial mesmo... Ele fez isso com você... não foi?

    — Ethan somente me fez abrir os olhos  Sempre tive boas intenções, mas era cega por vingança. 

    — Bem, chega de conversa... Vamos terminar com isso logo...

    E Lupa se prepara para mais um golpe! Com sua foice. O desferindo, pela intensidade, Anuon não teria como escapar. Lupa então diz: 

    — Até Riviera, Anuon... Tenha seu descanso merecido na terra prometida...

    Mas Anuon, concentrando seus poderes, tem uma mutação que fez aumentar o tamanho de suas garras, que ficaram com uma cor rubra ainda mais intensa. A Anis desferiu então um de seus golpes, cortando o ar em direção ao poder de Lupa e, consequentemente, repelindo o ataque da lupina albina milagrosamente. Lupa, impressionada, diz:

    — Como... Como consegiu isso?

    — Isso você não sabia... não é Lupa?

    — Sabe que não pode esconder novas habilidades de Piece 1. Já conspirava contra ele com essa sua atitude!

    — Não, Lupa! Ele havia autorizado para desenvolvermos nossas próprias habilidades, ainda que de forma sigilosa.

    — Bem... não faz diferença... Spin 0.07 (leia-se two seven) deverá saber em breve...

    — Lupa, ele deve estar longe...

    E ao longe, Fhor, que observava todo o embate, acudindo Ethan, faz um comentário:

    — Spin? Então ele pode estar aqui também?

    — Hã? Só que voc... - Tentou dizer Ethan, ainda fraco.

    — Fique quieto, humano.

    Voltando a Lupa e Anuon, elas ainda travavam o embate.

    — Anuon... você ficou forte... mas não o suficiente...

    — Veremos, Lupa.

    — Sou controladora dos ventos... seu golpe é uma simples brisa que me atrasa...

    — Não será só isso. Irei lhe vencer!

    E Anuon parte para cima de Lupa,  desferindo seus golpes ferozmente, mas a loba consegue se esquivar facilmente. A felina, então, começa a aumentar a velocidade de seus golpes, fazendo com que Lupa tenha dificuldades para se defender em seguida. Porém Anuon, enfim, consegue ferir Lupa, mesmo que superficialmente. A lupina albina mostra sinais de desequilíbrio e vai ao chão, pois o golpe havia sido violento. Anuon se aproveita do ocorrico e lhe aplica o ferrão de sua cauda. Lupa poderia ser forte, mas não era tão rápida quanto Anuon, que diz:

    — Lupa... o que fazia você ser tão poderosa era que seus inimigos não a conhecia! Sei que é lenta, por isso não nos deixava chegar perto de você... Como consegui desenvolver este novo golpe, ficou sem sua principal defesa.

    — O que injetou em mim, Anuon?

    — Não foi fatal. Não tenho interesse em acabar com você. Só recebeu um tranquilizante. Logo ficará fraca...

    — Não, Anuon... você não vai me vencer... 

    — Piece 1 não a treinou por completo, por saber de seus reais poderes. Você sempre foi a protegida dele.

    — Reais poderes?

    — Sim, aqueles que você usou naquelas cidades.

    — Que poderes? Eu não... entendo...

    — Não se faça de inocente, Lupa.

    — Mas Piece 1...

    — Ele não te ensinou a ter sentimentos honestos. Você é só uma carapaça sem emoção alguma. Ele te fez isso porque você é uma assassina nata. Uma predadora plena.

    — Me mate, Anuon... - Lupa não parecia estar bem.

    — Eu já disse que não tenho intenção alguma em fazer isso.

    — Se eu ficar viva, eu terei de matá-la. Eu sempre tentarei fazer isso enquanto viver. Piece 1 me determinou isso... Ele é meu pai...

    — Lupa, eu não posso deixar que faça isso... Muito bem, encontre Riviera. Acaba aqui sua vida... Tenha seu descanso merecido na terra prometida.

    E Anuon se preparou mesmo para matar Lupa. Quase cortando-lhe o pescoço, Ethan a impede, gritando: 

    — ANUON, NÃO A MATE! POR FAVOR!

    — Mas por que? Ela é uma assassina!

    — NÃO, ANUON! CHEGA DE MORTES.

    — MAS ETHAN, ELA É UMA AMEAÇA AOS HUMANOS...

    — POR FAVOR, ANUON... ELA JÁ SOFREU MUITO NESTA VIDA! DEVE VIVER... ELA NÃO SABE O QUE É SER FELIZ... E ELA MERECE UMA CHANCE! 

    — Ethan...

    — LEMBRE-SE, ANUON... VOCÊ TAMBÉM JÁ FOI ASSIM UM DIA... Deixe que a vida faça por ensinar a ela, assim como está fazendo a você e a Fhor.

    Anuon fica pensativa e nota que Ethan está certo. Recolhe suas garras e, olhando para Lupa. E no instante que a lupina albina iria desmaiar, eis que uma estranha voz ecoa pelo ar: 

    — Lupa, não caia em tropeços. Eu estou aqui em sua defesa.

    — Pai...

    — Sim. Não desista do seu propósito. Esse fundo será seu, minha filhote. Uma derrota é só mais um aprendizado. Recue para avançar no futuro, mais forte e ágil.

    E Lupa é envolvida por um raio de luz e desaparece, sem deixar vestígios. Anuon, surpresa com tudo aquilo, e principalmente por ter ouvido Piece 1, olha para o céu, dizendo em seguida.

    — Piece 1 aumetou seus poderes também. Isso é preocupante.

    — Agora faz sentido o porquê de Lupa ter vindo para cá! Já sabe sobre o humano... - Fhor, se aproximando de Anuon.

    —Sim. E agora sabemos que distância não é problema para ele. Ele desenvolveu novos poderes.

    — A vida deste humano corre perigo, Anuon. Se você importa com ele, deve vigiá-lo sempre.

    — E você? Creio que também o fará.

    — Já o salvei de Lupa. Estamos quites.

    — Você vai embora?

    — Sim. Não há mais nada o que fazer aqui.

    — E Piece 1?

    — Todos estamos cientes que teremos mais problemas. Mas no momento eu tenho os meus. Até Riviera, Anuon. 

    — Fhor, fique conosco.

    — Ficar com humanos me incomoda... Este humano é só uma exceção. Eu o respeito.

    — Fhor...

    Fhor então se retira, executando um salto para cima como um raio, sumindo em seguida. E, andando com um pouco de dificuldade, Ethan disse:

    — Deixa ele ir, Anuon. Ele sabe o que tem que fazer.

    — Mas Ethan...

    — Ele é um soldado. Se tem orgulho nisso, então deixe.

    — E você, está bem?

    — Mais ou menos. Devemos ir a um hospital. Kaede ainda está desacordada.

    — Consegue andar?

    — Sim... Sorte que ninguém viu isso tudo que aconteceu aqui.

    — É mesmo. Já envolvemos esta humana nisso.

    E caminham em direcão a uma rua, onde estava mais iluminado e passavam carros. Ethan pediu ajuda a transeuntes, que não tardaram a ajudar. Mas, do alto de uma árvore, um par de olhos o observava. Estava escuro, não podia ser visto. 

    — Ethan! Este é seu nome. Kenta terá de me ajudar. Este humano tem fortes aliados... Devo ter cuidado, pois não são simples traidores...

    Continua.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!