ANUON 9999

Tempo estimado de leitura: 4 horas

    12
    Capítulos:

    Capítulo 13

    Lupa, a garota que arde de desejos por Ethan - Parte 4

    Violência

    Ethan fica apreensivo com a presença de Lupa. Parecia até que ela já iria que esse encontro iria acontecer. O jovem logo pergunta:

    — O que está acontecendo aqui?

    Kaede olha para Lupa. Uma dualidade ocorre em seu humor: estava surpresa e ao mesmo tempo irritada com a jovem de cabelos acinzentados. Lupa manteve-se da mesma forma que é sua característica, tranquila e sem esboçar emoções, enquanto caminhava em direção aos dois.

    — Oi Kaede! Falavam sobre mim?

    — Sim. Eu não tenho medo de você.

    — Acredito que iria contar o que houve ontem, não é? Não me importo.

    — Você não pode ficar enganando Ethan e muito menos sair impune do que fez.

    — Impune? Fui eu que dei a punição... E você gostou.

    — Pare de falar isso! Eu nunca iria pensar assim!

    — kaede, pode ser sincera para nós...

    Ethan ficou confuso com a conversa das duas, dizendo:

    — PODEM ME DIZER O QUE ESTÁ ACONETECENDO AQUI?

    — ELA MATOU A TURMA R!

    — O QUE? COMO ASSIM?

    — ELA OS ASSASSINOU! EU VI, ETHAN... ELA É UM MONSTRO!

    Ethan olha para Lupa mostrando irritação. E pergunta, não acreditando:

    — Lupa, isso é verdade?

    — Sim, mas... o que muda?

    — O que muda, você ainda pergunta? Lupa, eu pensava que você não fazia este tipo de coisa. E envolveu Kaede em tudo isso também...

    — Ethan, nada disso importa agora... Kaede que o diga... não é?

    — Como assim?

    — Esta louca acha que eu gostei de vê-los morrer. Nada esconde minha repulsa contra aqueles desgraçados, mas nunca iria desejar que fossem mortos - Disse Kaede, irritada com Lupa.

    — Mas porque ela diz isso?

    — Por que minhas amigas já foram atacadas por eles.

    — Kaede... eu sei o que pensa... - Completou Lupa.

    — Cale-se, sua assassina sádica!

    Lupa, andando em direção a Ethan, vira-se para Kaede e começa a fitá-la como se um pedir olhava sua presa. Seu olhar era tão penetrante e intimidador que Kaede ficou apavorada. E ela pergunta:

    — O que pensa em fazer, sua assassina?

    — Ethan, gosta dela? - Disse Lupa, Virando-se para Ethan.

    — Sim, Lupa.

    — Como o que?

    — Como assim?

    — Ethan... o que sente por ela é o mesmo que sente por mim?

    — Eu... bem... - Tentou se expressar o jovem, desconfortável.

    — Ethan... Do que ela está falando? - Kaede estava confusa no momento.

    — Isso não importa a você, Lupa! - O jovem logo diz a real para Lupa.

    — Então acredita nela? Você a apóia em suas idéias...

    — Lupa, o que fez é imperdoável! O que você sofreu no passado não justifica tal ato!

    —Ethan... nunca passou pela sua cabeça que eu, acima de tudo, o amo?

    — Amor por mim, você diz? E com meus amigos? Por que não respeita o direito das pessoas viverem suas vidas? Quem me ama precisa respeitar meus amigos e meu espaço.

    — E você acha que aqueles humanos que me incomodaram fariam a mesma coisa?

    — Não importa. O que importa é o que se faz primeiro! Mostrar caráter é assim: perdoar e esquecer. Mas se continuam, faça-se justiça! Temos leis e elas devem ser respeitadas. O que você fez é desumano!

    —Ethan... Você deve saber que não sou humana...

    — Humano decente nenhum faria o que você fez. Seja humano ou o que você é, boa chamamos de assassinos e monstros. Não merecem estar vivendo entre nós sem pagar pelo que fez - Disse Kaede, desconhecendo ao certo o que Lupa seria.

    — Kaede, ela não é humana realmente  É uma loba.

    — Você está louco, Ethan? Essa história é absurda!

    — Por mais incrível que pareça, animais estão tramando começar uma guerra contra humanos. E ela é uma deles.

    — ETHAN, ESTÁ LOUCO?

    — Kaede, é uma longa história...

    — Ethan... você diz que ama seus amigos... mas nem ao menos contou a eles o que acontece...

    — Lupa, agora sei que deveria ter dado ouvidos a Anuon e Fhor. Você não entende mesmo e está convicta do que acredita. E eu estava iludindo...

    — Ethan... por favor... não fale isso...

    — Lupa! Pare com isso!

    — E tudo que nós passamos? Não significou nada?

    — Passamos? Tudo agora se encaixa! Você me usava como consolo por tudo que sofreu e queria encontrar refúgio em um romance. Na verdade eu sou um mero adorno seu. Não sou brinquedo de ninguém! A achava estranha e agora sei porque!

    Lupa então, parecendo demonstrar algum resquício de emoção, abaixa sua cabeça, deixando que seus cabelos escondessem seus olhos. Logo uma pequena brisa circunda o ar onde estão e Lupa levanta sua cabeça, mostrando sua face. Estava agora tomada por um ódio tamanho que fez com que Ethan e Kaede entrassem em desespero.

    — MEU DEUS! O QUE ESTÁ ACONTECENDO? 

    — ETHAN, O QUE ELA VAI FAZER?

    — Não sei, Kaede! E me desculpe por ter envolvido você nisso!

    — Envolver-me em que?

    — Nesta guerra!

    — Guerra? É sério isto?

    — Sim, infelizmente. VAMOS SAIR DAQUI!  

    Logo são envolvidos por uma rajada de vento, que os joga contra uma parede. Lupa havia mudado, já não mostrava aquela aparência de tranquilidade e suavidez. Sua face parecia como de uma assassina, pronta para exterminar suas vítimas. Ethan, depois do golpe, se levanta e vira-se, procurando por Kaede, que estava desacordada, com um ferimento na testa. O jovem fica nervoso com o ocorrido e diz:

    — LUPA, PARE COM ISSO! ACABOU!

    Lupa anda em direção a Ethan, mas com o mesmo semblante de antes. E ela diz:

    —SÓ ACABA QUANDO EU QUISER! ETHAN... VOCÊ SERÁ MEU, MAS ANTES DEVE SOFRER POR TER ME REPROVADO... ME REJEITADO... ME MENOSPRESADO!

    Lupa, depois de suas palavras, mexe suas mãos, como se fosse cortar o ar, e desfere uma rajada de vento poderosíssima contra Ethan. Milagrosamente consegue se esquivar, caindo de mal jeito e machucando uma das mãos na queda. Olhou então para trás, de onde se esquivou, e viu que aquela parede onde se chocou agora a pouco foi cortada em três partes, deixando-o surpreso com o poder do golpe da jovem, cansando-lhe aflição. Se a rajada tivesse o atingido na certa seria retalhado. Pois causa disso, olhava para Lupa de outra forma: estava com medo de morrer, fato esse que já havia sentido antes. Ele, mostrando desespero, diz:

    — Lupa, por favor... PARE COM ISSO!

    Mas Lupa não mostrava dar ouvidos aos pedidos do jovem. Mas a bela Anis, naquele mesmo instante, voltou sua atenção a Kaede, dizendo:

    — QUE ESSA HUMANA SEJA EXTINTA AGORA!

    O desespero de Ethan aumentou ainda mais, com o jovem correndo em direção a sua amiga para protegê-la a todo custo, tomando o golpe por Kaede, indo ao chão em seguida. Bastante ferido, o rapaz ficou inerte apos o golpe desferido por Lupa. O acertou em cheio, cortando suas roupas, que foram rasgadas por onde os sopros de vento lhe acertaram, todos em seu abdomem.

    Ethan estava sangrando, além de fraco. Quase não conseguiu ficar de pé, enquanto observava Lupa se aproximar  Estava frente a frente com ela, olhando-a nos olhos.

    — Olhe para você, Ethan... Tudo isso podia ter sido evitado... Era só você ser meu...  

    — PREFIRO MORRER!

    Lupa parecia não ter gostado de ter ouvido o que Ethan disse e sua face mostrava isso: era de total ira. Seu corpo agora pareceia estar se transformando: seus cabelos começam a aumentar de volume e suas unhas se tornam presas afiadas. Logo uma cauda se desenvolve por trás de si.

    Sim, agora Lupa se parece mais com a sua forma original: uma loba albina antropomórfica com olhos cor de mel. Sua voz também havia mudado, assustando Ethan:

    — ETHAN... VOCÊ SERÁ MEU, COSTA O QUE CUSTAR! ME MAGOA TER DE FAZER ISSO... SUA PUNIÇÃO SERÁ SEVERA!

    Mas se ouvem vozes pelo ambiente. Estas vem conhecidas por Ethan:

    — E agora, humano? Acredita mesmo que ela gosta de você? O que acha dela agora? Concorda comigo agora? - Dizia Fhor, já manifestando seus poderes elétricos.

    — Não, Ethan! Não acaba assim! nós vamos lhe salvar! - Disse Anuon, ao resgate de seu amigo humano.

    Lupa olha para todos os lados e pergunta:

    — QUEM ESTÁ AÍ?

    E correm, em direção a Ethan, Fhor e Anuon, já recuperados de seus ferimentos de noites anteriores. Fhor foi emblemático:

    — Humano, você nada pode fazer contra ela! Patético. É elevado o tamanho da desproporção de suas habilidades...

    — Fhor, não fale assim! - Anuon disse, defendendo Ethan.

    — Anuon, perdeu o respeito mesmo comigo, não?

    — Não começe! Temos de detê-la!

    Lupa se surpreende com o ocorrido e diz:

    — ANUON?! FHOR?! VOCÊS DOIS JUNTOS... NO LADO DE HUMANOS?

    — E daí? Nós entendemos perfeitamente o que nos tornamos e não iremos compactuar com essa matança desnecessária de Piece 1! - Disse a felina, determinada.

    — Luto pelo que acredito! Ainda acho os humanos uma peste a ser combatida, mas não posso matar inocentes... - Fhor mostrou seu ponto de vista.

    — Piece 1 não irá perdoá-los por isso! E nem eu! PREPAREM-SE...

    Continua...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!