Dance Comigo

Tempo estimado de leitura: 3 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 18

    Nem tudo está perdido

    Álcool, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo

    –Como assim?

    Sakura não acreditou no acabara de ouvir, aquela escola era a vida de Tsunade.

    –Chegamos lá pra ensaiar e ela estava desmontando tudo, dizendo que estava fechando a escola e que devíamos procurar outro lugar pra ensaiar.

    A rosada suspirou e passou as mãos pelos cabelos saindo em disparada pelas ruas sendo seguida por Lee e Kiba.

    –Sakura-chan!

    Hinata gritou mas não foi atendida.

    –Ela deve estar com problemas, vamos Hinata!

    Tenten segurou a mão da amiga e saiu correndo atrás dos outros.

    —_________________________

    Entrou em casa pelos fundos, não queria encontrar ninguém, seu humor estava péssimo. Passou pela cozinha apressado, a empregada se assustou quando o viu passar e nem teve tempo de responder ao Uchiha que lhe pedira um suco imediatamente no quarto.

    Jogou a mochila no chão e tirou os sapatos, despencando na cama logo sem seguida. Ouviu sutis batidas na porta do quarto e mandou quem quer que fosse entrar.

    –Seu suco senhor.

    –Deixe na mesa.

    A empregada deixou o suco sobre a mesa do computador sob os olhares do moreno. Não era nem jovem nem velha, mas uma coisa era notada de longe, ela era latina. A moça pediu licença já pronta para se retirar, Sasuke a analisou pensativo, Sakura também tinha sangue latino.

    Quando a moça estava prestes a deixar o local, o moreno a abordou.

    –Você não é daqui, não é mesmo? Disse pegando suco e dando um gole, ela acertara novamente seu suco de abacaxi.

    –Não senhor...sou de Cuba, uma ilha na América Central.

    –Sei onde fica Cuba.

    A moça se envergonhou.

    –Me diga, você sabe dançar?

    A empregada arregalou os olhos e encarou o jovem a sua frente que ainda a analisava.

    –Bem...sei dançar as músicas nativas.

    –E quais são elas?

    –Algumas folclóricas, outras bem conhecidas como o cha-cha-cha, rumba e salsa!

    Sasuke a interrompeu.

    – Essas danças, são de salão, não são?

    –Sim, foram adaptadas para a dança de salão.

    –Perfeito! O moreno se levantou de sopetão deixando o copo novamente sobre a mesa. –Quero que me ensine todas elas.

    A moça arregalou os olhos ainda o observando.

    –E-eu?

    –Claro, quem melhor que uma latina legítima pra me ensinar essas coisas.

    –Mas senhor, não acho que seus pais vão aprovar isso e...

    O Uchiha a interrompeu mais uma vez.

    –Meus pais não precisam saber disso, e é claro, você será muito bem recompensada.

    A moça passou a refletir. Sasuke era um rapaz mimado e mal dirigia a palavra a ela. Mas estava no Japão porque precisava do dinheiro para ajudar sua família em Cuba, não podia recusar trabalho, e afinal, ela não estaria fazendo nada de errado.

    –Tudo bem, eu aceito ensinar o senhor.

    –Ótimo. O moreno se aproximou dela e a encarando nos olhos perguntou...

    –Qual o seu nome?

    –Esperanza.

    O jovem estranhou o nome, talvez nem o soubesse pronunciar direito mas não se importou. O importante agora é que havia conseguido o que desejava.

    –Começamos amanhã quando meus pais saírem.

    –Tudo bem. Com licença.

    A moça se retirou do quarto e Sasuke se jogou novamente sobre a cama, mas agora com um enorme sorriso no rosto.

    —______________________

    Todos subiram as escadas desesperadamente. Quando Sakura chegou ao seu fim, viu a porta do lugar escancarada, com Tsunade e Shizune terminando de juntar tudo e colocar em grandes caixas de papelão.

    A cerejeira deixou a mochila no chão e correu até a loira.

    –O que pensa que está fazendo?

    –O que está vendo Sakura. Não há motivos para continuar com isso.

    –Você está desistindo cedo demais!

    –Cedo? Eu passei anos da minha vida investindo nessa escola, agora não dá mais, não temos recursos, não temos alunos, não temos nada!!

    Tsunade estava visivelmente nervosa, deu as costas a rosada e caminhou até o aparelho de som, puxando os fios furiosa.

    Shizune se aproximou de Sakura e sussurrou para que somente a mesma ouvisse.

    –A hipoteca da escola está prestes a vencer, Tsunade preferiu fechar logo e entregar o lugar ao banco do que ficar se remoendo tentando achar uma solução.

    –Não tem nada que possamos fazer? Sakura encarava a loira de longe.

    –Creio que não, não temos alunos e nem ao menos alguém pra participar do campeonato de dança.

    Sakura arregalou os olhos.

    –É isso!! Quase gritou.

    –Isso o que?

    –Vamos participar do campeonato de dança.

    –Mas...como se...

    A cerejeira passou a caminhar até a loira deixando Shizune falando sozinha.

    –Lustre o salão Tsunade, precisamos de espaço pra ensaiar!

    –Ensaiar? Ensaiar o que?

    –Pro concurso de dança, é lógico.

    –Não temos participantes para o concurso Sakura, já se esqueceu?!

    –Claro que não, mas acontece que parece que você também se esqueceu que temos alunos.

    Disse direcionando o olhar para Rock Lee e Kiba.

    –Está louca? Não posso colocar dois garotos dançando juntos em um concurso!!

    –E quem disse que eles vão dançar juntos...

    Sakura sorriu ao ver Tenten e Hinata chegando logo atrás dos dois rapazes.

    –Sakura...no que está pensando? Shizune perguntou se juntando as duas.

    –Nós vamos participar daquele concurso e atrair alunos, eu te garanto.

    A cerejeira caminhou animadamente até as duas.

    –Que bom que estão aqui, preciso pedir um favor a vocês.

    –Claro Sakura-chan, tudo que estiver ao meu alcance... Hinata sorriu ternamente.

    –Ótimo! A rosada pegou uma mão de cada amiga e puxou entre os dois garotos, levando-as para um canto do salão.

    –Não sei se estou gostando dessa história. Tenten comentou durante o caminho.

    –O que vou pedir a vocês é um caso de vida ou morte!

    –Está me assustando. Hinata comentou.

    –Sei que nos conhecemos a pouco tempo e que mal nos falamos antes mas... eu não pediria isso a mais ninguém.

    –Por Deus Sakura, diga logo, está me matando de curiosidade! Tenten disse ansiosa.

    –Bom, preciso que entrem em um concurso de dança para nos ajudar a salvar essa escola!

    A cerejeira soltou tudo de uma vez. Tenten começo a gargalhar, já Hinata ficou o mais vermelha que pôde.

    –Está falando sério? perguntou a morena de coques diminuindo as risadas.

    –Queria que fosse brincadeira mas não é. É sério meninas, se vocês recusarem não tenho a quem recorrer.

    –Mas Sakura-chan, não sabemos dança de salão... Hinata tentava voltar a sua tonalidade natural.

    –Não tem problema, vou ensinar tudo que precisam saber. E então, qual é a resposta?

    A cerejeira encarava as duas.

    –Digamos que teoricamente nós aceitássemos essa idéia absurda, quem seriam nosso pares?

    Sakura sorriu e abraçou um ombro de cada uma, direcionando-as para a porta, no local ainda estavam parados Rock Lee e Kiba, aguardando o desenrolar dos fatos.

    –Aquele belo par de rapazes bem apessoados parados ali.

    –Tive medo de você dizer isso. Tenten comentou.

    –E então o que me dizem?

    Hinata e Tenten se viraram para Sakura.

    –Sakura-chan...eu não sei...

    –Não precisam responder agora,pensem esta noite e amanhã na escola vocês me dizem, tudo bem?

    –E vai adiantar dizermos que não? A morena de coques perguntou sorrindo.

    –Hum...não!

    Elas sorriram e se despediram, antes de saírem Hinata e Tenten encararam Kiba e Rock Lee uma ultima vez e se entreolharam.

    Após a saída das garotas todos os presentes foram até a cerejeira.

    –E aí, o que aconteceu? Kiba perguntou antes de todos.

    –Bem, ainda não está tudo perdido. Amanhã vamos saber se conseguiremos manter a escola aberta, e vocês dois, finalmente vão ter pares femininos.

    —_________________________

    Se beijavam como se o mundo fosse acabar, ele acariciava suas costas enquanto ela passava uma das pernas sobre o colo do ruivo. Colou seu sexo no dele ainda de roupas, ofegava enquanto bagunçava seus cabelos, sedenta por um contato mais íntimo.

    –Acho melhor irmos com mais calma Ino.

    Gaara segurou firme a cintura da loira fazendo a mesma se conter.

    –Ora, porque...eu quero, você quer...

    –Mas não é num lugar como esse que se fazem essas coisas.

    –Eu não me importo com isso. Disse a Yamanaka tentando voltar a beijar o ruivo.

    –Mas eu me importo Ino! Respondeu começando a se alterar.

    –Qual é Gaara, vai fazer doce agora? A loira também se irritou e se jogou no banco do passageiro onde antes estava.

    –Você está agindo como um garoto que só pensa em sexo.

    –E você como uma mulher! Sabe que quando eu quero uma coisa eu digo logo, não entendo porque não fizemos até hoje.

    –Porque essas coisas não são feitas assim, de qualquer jeito, e se você engravidar?

    –Não me preocupo com isso, eu tomo pílula.

    –É tão fácil assim te levar pra cama?

    Gaara perguntou irritado, Ino o encarou mas ficou em silêncio. Depois alguns segundos o ruivo ligou o carro e dirigiu até a casa da loira, que nem ao menos se despediu, bateu a porta do veiculo e caminhou apressadamente até a residência.

    –Idiota! disse assim que bateu a porta de casa.

    Gaara ainda ficou alguns instantes parado na rua, bufou e pisou fundo no acelerador fazendo os pneus cantarem.

    Ino pode ouvir a arrancada que o ruivo dera com o carro, ajeitou os cabelos irritadiça notando que ninguém da casa viera falar com ela, pelo visto estava sozinha. Se jogou no sofá e pegou a bolsa lateral que costumava usar, retirou de lá o celular pronta pra ligar para o Uchiha.

    —______________________

    A noite avançava enquanto a Hyuuga permanecia deitada na cama. A proposta de Sakura martelava em sua cabeça, seria um absurdo aceitar aquilo, o que seu pai diria? Sua irmã? Seu primo? As pessoas da alta sociedade que seu pai tanto prezava?

    Mas e ela, o que achava?

    Se fosse parar pra pensar não estava fazendo nada de errado, ao contrario, estava ajudando uma amiga. E além do mais...estava cansada de ser a garota sempre certinha e bondosa, devia fazer algo por si, pra se sentir livre, pra se sentir mulher.

    Lembrou-se de Naruto com a garota na biblioteca, não que desejasse ser como aquela garota, afinal ela se ao respeito, mas desejava ser vista como algo mais que “ a prima do Neji”, ou “a Hyuuga santinha”. Estava na hora de desabrochar...

    —_________________________

    Tenten ajeitava algo sem seu armário, ainda não sabia que resposta daria a cerejeira, mas ela veio como um raio assim que fechou a porta e deu de cara com Neji aos beijos com sua nova namorada. Sorriam e andavam abraçados.

    —__________________________

    Sakura passara a noite toda pensando em outra alternativa caso as meninas não aceitassem sua proposta. Caminhava apressada e ao mesmo tempo nervosa. Assim que pôs os pés na sala, Tenten e Hinata pararam diante de si.

    –Aceitamos! Disseram em uníssono.

    Sakura mal soube o que fazer, sorriu e abraçou apertado as mais novas amigas que fizera.

    Todos na sala notaram o ato, principalmente Sasuke e Ino, que desde o dia que repreendera Hinata, não voltara a falar com as amigas.

    –Agora só precisamos convencer mais uma pessoa...

    A rosada não via a hora de chegar a tarde para poder usar seus métodos de convencimento com Konan!

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!