Dance Comigo

Tempo estimado de leitura: 3 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 10

    Novidades

    Álcool, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo

    Saito largou os papeis em cima da mesa e se levantou indo ate a filha.

    –Como sabe disso?

    –O asilo que fui ser voluntaria aquele dia...ele...ele estava la, eu dancei com ele pai, dancei com meu avô.

    O Haruno abraçou a filha.

    –Como sabe que era ele?

    –Ele me pediu pra perdoá-lo...fui la ontem para vê-lo mas me disseram que ele tinha morrido, fui ate seu quarto e tinha uma foto sua la, uma da minha avó...

    –Agora sabe de onde vieram esse cabelos cor de rosa.

    –Sim. Sakura respondeu começando a derramar as primeiras lagrimas.

    –Desculpe ter escondido isso de você, só estava tentando te proteger.

    –Porque o trouxe pra cá?

    Saito a soltou do abraço e encarou, pegou seu braço e ambos seguiram para o sofá.

    –Depois que minha mãe morreu ele já não tinha ânimo pra mais nada, então acabou indo a falência. Depois de um tempo fui visitá-lo e o convenci a me deixar ajudá-lo, ele disse que queria consertar seus erros, que se arrependia do que havia feito comigo e que queria vê-la...ele te viu Sakura, de longe...muitas vezes.

    –Porque então não deixou eu me aproximar dele?

    O Haruno suspirou.

    –Eu tentei, mas ele dizia não estar preparado. Entenda Sakura, seu avô não era muito bom em palavras e sentia vergonha pelo que fez, mas pode ter certeza, ele se arrependeu e...te amava.

    Sakura recostou a cabeça no ombro do pai e chorou.

    –Porque eu sempre perco as pessoas que me amam...

    –Não diga isso princesa, você nunca vai me perder. Saito acariciou os cabelos da filha.

    –Promete?

    Ela o encarou com os enormes olhos verdes marejados.

    O pai então enxugou as lagrimas da filha e sorriu.

    –Prometo!

    Ambos sorriram.

    –Agora vamos sair e comer alguma coisa, estou morrendo de fome e não temos nada em casa.

    –Esqueceu de fazer as compras de novo?

    –Eu não esqueci, só ando sem tempo.

    –Pai, você esqueceu!

    –Tudo bem, eu esqueci. Satisfeita?

    Ambos se dirigiram ate a porta pegando seus casacos e colocando os sapatos.

    –Por hora sim.

    –Ah é espertinha, pois então quem perder faz as compras.

    –Perder? Perder o que?

    –1, 2, 3, já!

    E Saito saiu disparado correndo porta afora.

    –Ei, assim não vale.

    Sakura fechou a porta apressada e saiu correndo atrás do pai pela rua.

    Nunca nenhuma garota falara com ele daquela forma. Principalmente uma garota como ela, sem qualquer tipo de atributo atraente aos olhos. Tudo bem que quando ela dançava ate que dava pro gasto mas só, não era nada demais, agora falar para Sasuke Uchiha manter as calças no lugar era demais, o que ela tinha a ver com aquilo? Nada!!

    –Não acredito que ainda estou pensando nisso!

    Disse largando a flanela com qual lustrava a lataria do carro e se jogando dentro dele deixando a cabeça recostada no banco, suspirou e fechou os olhos.

    “...-eu já esperava isso de você.”

    Abriu os olhos novamente. Então ela sempre esperava o pior dele?!

    –Porque ainda esta pensando nisso seu idiota! Disse para si mesmo.

    Se inclinou e encostou a testa no volante.

    Suspirou.

    –Porque ninguém nunca te disse isso antes obviamente...

    –Falando sozinho?

    Sasuke bateu a testa na buzina tamanho susto.

    –Pai?! O que esta fazendo em casa essa hora?

    Perguntou massageando a testa.

    –Vim pegar uns documentos que deixei pra trás.

    –E não podia mandar ninguém levar pra você.

    Fugaku pigarreou.

    Sasuke entendeu o porque, o mais velho desejava ter um encontro a sós com sua mãe. Esse dois eram uns velhos tarados, isso sim.

    –Não interessa. O que faz ai sozinho? Devia estar aproveitando melhor o seu tempo e treinando pra festa das empresas, espero que não faça feio no dia.

    –Não se preocupe, você vai se orgulhar de mim. Disse saltando do carro e sorrindo debochadamente para seu progenitor.

    –Assim espero...bom, estou atrasado, ate o jantar.

    Droga, droga, droga! Estava virando um habito chegar atrasada na escola, mas dessa vez a culpa não fora sua, mas de seu pai que a fez ficar acordada ate tarde tomando sorvete e vendo “O chamado”, não entendia o fato dele sempre insistir em ver esse filme se morria de medo, não admitia é lógico,mas que morria, morria.

    Estava tão apressada carregando seus livros que não percebeu uma pessoa vindo na direção contrária. Em poucos instantes ambas estavam no chão.

    –Ah, me desculpe, por favor.

    Sakura conhecia aquela voz. Era mais suave do que as das frescas daquele lugar.

    –Tudo bem, a culpa foi minha.

    As duas se levantaram e Hinata a ajudou a pegar seus pertences espalhados no chão.

    –Ah...não precisa...

    A rosada se espantou com o ato da morena.

    –Não tem problema, eu ajudo.

    A rosada se agachou e terminou de pegar suas coisas, recebenndo as que a Hyuuga recolheu. –Obrigada.

    –Não a de que.

    Hinata sorriu para Sakura, que retribuiu levemente sem jeito.

    –Bom, eu já vou.

    Hinata se virou para prosseguir seu caminho. Sakura estranhou.

    –Não vai para a sala? Só depois percebeu a gafe que cometera. -Desculpe, não é da minha conta.

    Hinata sorriu.

    –Não tem problema. É que me chamaram na diretoria, preciso ir ver o que é.

    –Ah, então...ate mais tarde.

    –Ate.

    E ambas se deram as costas, cada uma indo pra uma direção.

    Então ela estava atrasada de novo?! Parece que a aluna perfeitinha não era tão perfeita assim...

    Ino encarava Sasuke que parecia alheio a tudo a sua volta, só notou o moreno se mexer quando percebeu que a rosada entrara na sala. Aquilo a irritou profundamente.

    Tenten ia perguntar o que aconteceu a amiga mas se distraiu com um bilhete que acabara de cair em sua mesa.

    Ela o desdobrou e leu.

    “Preciso falar com você, sei que vai recusar mas é importante, te espero no estacionamento depois aula.

    Ass: Neji.”

    Olhou para o moreno que prestava atenção na aula, por um instante ele apenas a encarou mas voltou a atenção novamente para o professor.

    –O que ele quer dessa vez?

    Perguntou pra si mesma enquanto guardava o bilhete no estojo.

    Como aquela aula era chata, quando não era Iruka com seu discurso entediante era o professor Asuma, não sabia qual dos dois o dava mais sono, somente despertou quando notou a morena adentrar na sala. Ele tinha que admitir, ela estava linda aquela manha. Os cabelos negros estavam presos em uma rabo lateral fazendo uma cascata sobre o ombro da Hyuuga. Mas seu rosto não era mais tão alegre quanto o que vira logo no inicio da aula, talvez a ida a diretoria não tenha sido tão boa. –Se o Neji te pegar babando desse jeito pela prima dele, você vai ter grandes problemas.

    Gaara sussurrou ao loiro.

    –Não enche Gaara, não estou fazendo nada demais.

    –Ainda...

    Depois do intervalo era a aula de educação física. Tirando os garotos, quase nenhuma garota gostava daquela aula, era chata, cansativa, as faziam suar e ficar descabeladas. Mas naquele dia não, naquele dia algo diferente estava para acontecer. Todos estavam sentados na quadra de esportes esperando o professor Gai chegar, mas não foi ele que adentrou no local, mas sim uma mulher, uma linda e elegante mulher vestida com um belo vestido azul, era longo e rodado. A mulher tinha belos olhos avermelhados.

    Sakura quase não conseguiu esconder o espanto ao perceber quem era ela.

    –Bom dia, sou sua nova professora, me chamo Kurenai.

    Sakura nao entendia, o que Kurei fazia ali? Pelo que sabia ela dava aulas de dança na escola de Tsunade no período da noite e costumava trabalhar como coreografa de dia quando solicitada. Mas não sabia que havia sido contratada pela escola, e logo pela sua escola.

    Após se apresentar, o diretor da escola, o senhor Sarutobi, apareceu e explicou aos alunos que uma nova modalidade de aula estava sendo implantada na escola, que agora ofereceria aulas de dança na educação física. Mas não era qualquer dança, somente as clássicas, as mais “recatadas” por assim dizer.

    Enquanto o diretor falava, Kurenai se aproximou de Sakura que sentava mais afastada dos outros.

    –E ai, gostou da surpresa?

    –Ah...claro, mas porque Tsunade não me disse que viria dar aulas aqui?

    –Ora, porque era uma surpresa, achei que ficaria feliz por ter alguém conhecido por perto, sei que não gosta muito daqui.

    Sakura sorriu. –Eu adorei a surpresa. Mas como veio parar logo aqui, nessa escola de riquinhos?

    –Bem, digamos que eu conheça um dos professores daqui...então...

    –Sei... a rosada sorriu zombeteira.

    –Oh, acho que já é hora de começar, quero ver você dando um banho nesses riquinhos hein.

    O sorriso de Sakura morreu, Kurenai sabia que ela não gostava de dançar em publico, principalmente daquele publico.

    –Kurenai não ... Sakura sussurrou mas a morena apenas lhe piscou o olho em resposta.

    –Bom, vamos começar formando os pares!

    Algumas garotas se mostraram bastante interessadas na aula, já os garotos nem tanto.

    –Não acredito nisso, aulas de dança?! Isso é coisa de garota! Naruto reclamava.

    –Eu não acho tão ruim Dobe.

    Todos encaram Sasuke de forma estranha.

    –Esta passando bem Uchiha?

    –Ora, vocês não sabem o que dizem?

    –Não, o que dizem? Neji perguntou desinteressado.

    –Que homens que sabem dançar são melhores na cama.

    Dizendo isso Sasuke se pôs de pe no meio da quadra.

    –Isso é verdade? Naruto perguntou quase no ouvido de Gaara.

    –Sei la, mas não custa tentar... o ruivo mirava uma determinada garota.

    –Bom, vejamos quem serão os pares... Kurenai observava os alunos, Sakura parecia querer se esconder. –Quero lembrar que os pares não serão fixos, serão trocados em todas as aulas.

    No fim, Sasuke acabou tendo de dançar com Hinata, Gaara com Tenten, Naruto com uma garota ruiva que ele acabou achando bem bonitinha, e Neji com Ino. Já Sakura pensou em inventar uma dor de barriga, mas sabendo que Kurenai não ia acreditar resolveu participar, dançou com um garoto bem alto, do qual não se lembrava o nome. –Vamos começar com a Valsa. Kurenai mostrou os passos básicos para todos, que tentaram da melhor maneira possível acompanhá-la. Sakura errou todos de propósito.

    Depois de escutar mais um xingamento de seu parceiro, controlou a vontade de rir ate ouvir um comentário da professora.

    –Muito bem senhor Uchiha, você leva jeito.

    A rosada sentiu uma enorme vontade de saber como Sasuke estava se saindo, mas o poste com quem dançava não lhe dava essa oportunidade.

    Ela por fim deu graças aos céus quando a aula acabou.

    –Você foi horrível! Ouviu Kurenai sussurrar pra ela quando passou por esta, Sakura somente sorriu.

    –Vai ver eu não levo jeito! Respondeu se virando para seguir o caminho do vestiário.

    Enquanto terminava de se trocar, a rosada pode ouvir os comentários de suas colegas.

    –Você foi bem Hina, você e o Sasuke arrasaram. Ouviu Tenten comentar.

    –Eu sei dançar valsa desde criança, imposição de família, mas o Sasuke foi quem guiou, ele foi muito bem.

    –Ele também deve ter tido que aprender. Bom,tenho que ir, vejo vocês amanha.

    –Porque a pressa Tenten? Ino perguntou curiosa, sentia que a amiga ia aprontar alguma.

    –Tenho que ajudar minha mãe, só isso, ate mais.

    –Ajudar a mãe, sei...

    Hinata e Ino se entreolharam e começaram a rir. –Estou aqui, o que você quer?

    Neji estava encostado no caro com os braços cruzados e alguns fios do cabelos longo e escuro lhe caindo na face.

    –Vamos conversar em outro lugar, entre no carro.

    Ele lhe deu passagem e abriu a porta do carro pra que entrasse.

    –Pois eu acho que aqui é um ótimo lugar pra isso.

    Neji bufou.

    –Por favor Tenten, ceda ao menos uma vez na vida.

    A morena estreitou os olhos mas decidiu entrar no carro.

    –Onde vamos?

    –Você vai ver.

    Depois de algum tempo, Neji parou na frente um parque visivelmente abandonado.

    –Porque me trouxe aqui?

    –Porque queria te perguntar uma coisa.

    Tenten olhava o local, era onde costumava brincar com seu pai quando ainda era vivo.

    –Vai apelar pro sentimentalismo agora?

    Ela sorriu.

    –Você não sai do modo ataque?

    –Não.

    O Hyuuga passou a mão pelos cabelos.

    –Então, o que quer me pedir?

    Ele se virou e a encarou nos olhos, Tenten ficou seria.

    –Eu queria...queria uma segunda chance, pra mim...pra nós.

    Continua...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!