MAKTUB

Tempo estimado de leitura: 8 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 34

    Remissão

    Adultério, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

    Sentiu seu corpo inteiro tencionar na hora.

    -Sakura...

    A Yamanaka começou

    Então por detrás da loira de olhos azuis ele passou quase esbarrando na mesma

    Seu filho

    Seu menino

    -Mamãe!

    Ergueu os olhos para os escuros de Samir e o abraçou sentindo todo o alivio apossar de seu ser.

    -Fiquei tão preocupada com você! Aonde esteve?

    Ela agarrou o rosto anguloso do rapaz e o mirou atentamente

    -Estava lá fora, vi quando tudo aconteceu. Foram rebeldes, seguidores de Faruk!

    Desviou o olhar para a loira ainda parada na porta, ela também era abraçada pela filha de cabelos escuros.

    -Habiba!

    Zayn adentrou no local apressado

    -Graças aos céus você está bem.

    Ela levou a mão a barba rala e sorriu aliviada

    -Eles não querem nosso bebe...

    Zayn murmurou para Sakura

    -Veem como uma afronta, uma afirmação de meu poder.

    A rosada levou a mão ao peito assustada

    -As explosões foram apenas um aviso.

    Sakura se adiantou abraçando o marido e fechando os olhos.

    -Não se preocupe Habiba, vou proteger nossa família, custe o que custar!

    Quando se separaram Naruto apareceu junto a Hinata e Temari

    -Estão todos bem?

    Então ela o viu abraçado a filha morena.

    Ino se soltava da loira e a encarou profundamente

    -Sim Naruto, foi apenas um susto mas já passou.

    Disse em um tom alto que fez todos prestarem a atenção em si

    -Acho que conseguiram estragar nossa comemoração

    O Emir lhe segredou ao pé do ouvido

    Os olhos da cerejeira se mantinham fixos nos da loira

    -Talvez não, vá até nosso convidados e peça desculpas, são nossos amigos, sei que vão compreender.

    Zayn a observou e olhou diretamente para onde a esposa mirava

    -É uma festa afinal de contas, vamos festejar.

    Completou a rosada

    -Sim, você está certa.

    Então deu um passo adiante a puxando pela cintura mas a cerejeira não saiu do lugar

    -Você não vem?

    -Ainda não.

    Subiu os orbes aos do marido para em seguida baixa-los novamente, diretamente para ela

    -Tenho assuntos a tratar com a senhora Yamanaka.

    Disse em alto e bom som

    Mal se apercebeu da reação das pessoas ali presentes

    -Habiba, tem certeza?

    -Tenho.

    -Bom, então vamos deixa-las a sós

    O Emir falou direcionado as outras pessoas

    Sentia o peso dos olhares sobre si

    Mas o único que a importava era o dela

    Yamanaka Ino.

    Viu quando a filha loira passou os dedos pela mão da mãe e sentiu o leve beijo que seu filho lhe depositou sobre os fios rosados.

    Ela deu um passo para frente e a porta foi fechada, deixando ambas finalmente a sós.

    O olhar, aquele olhar que não via a tatos anos, estava ali, finalmente, cara a cara.

    A viu tomar ar e abrir a boca, mas nenhuma palavra foi exprimida

    Decidiu começar por si mesma

    -Creio que veio até aqui porque queria falar comigo.

    Ela mordeu os lábios os pressionando fortemente

    Respirou fundo mas não teve coragem de começar

    -Bom já que não tem nada para dizer posso voltar para meus convidados

    Então saiu de perto da mesa e passou pela figura da loira indo em direção a porta

    -Não, espere!

    Quando estava com a mão erguida para tocar na maçaneta ela a parou

    Se virou fazendo a longa saia se movimentar

    A Yamanaka apertava as mãos com força

    -O Sai...

    -O que tem ele?

    -A quanto tempo?

    A voz da loira saiu mais baixa do que era seu comum

    -Muitos anos...

    Viu os orbes azulados se arregalarem

    -Desde antes de você partir?

    Sakura molhou os lábios, ergueu uma das sobrancelhas cor de rosa e decidiu prosseguir

    -Não. Depois, durante o período que passei de vila em vila até cruzar o oceano.

    Ela baixou o olhar, observou os olhos marejados deixarem um leve rastro na maquiagem

    Sakura deu um passo para mais perto da Yamanaka

    -Sai e eu somos amigos, sempre fomos. Eu o encontrei em minha peregrinação e não perdemos contato desde então. Ele está aqui devido a importância que tem em minha vida

    Viu os ombros finos da loira se movimentarem quando ela fungou

    -Não é um tipo de afronta a você como pode ter chegado a imaginar, gosto das pessoas que me são importantes por perto.

    Ino subiu o olhar, as lágrimas escorriam soltas

    -E as que não são bem longe!

    Concluiu a cerejeira

    -Eu sei, sei que não deveria estar aqui! Sei que eu e minha família não somos bem-vindos. Mas você precisa saber que eu não fiquei com o Sasuke depois que você se foi. Não estamos juntos, nunca estivemos!

    As palavras saíram de forma rápida e emboladas

    Sakura então se aproximou ainda mais da loira, Ino se assustou com a proximidade repentina

    -Pois devia ter assumido o papel que tomou de mim.

    Desviou da loira e voltou para perto da mesa

    -Mas pelo visto não teve coragem pra isso!

    Sakura praguejou apoiando ambas as mãos sobre o tampo escuro

    -Eu estava carente... começou a Yamanaka -Sei que não existe desculpa para o que fizemos mas eu preciso te dizer! Olhei pra ele e vias semelhanças que ele tinha com Sai, em como ele superou os problemas que eles tinham em comum. Eu enxerguei nele aquilo que estava faltando e não percebi as proporções do mal que estava causando.

    Sakura ouvia aquelas palavras sentindo o amargor já esquecido voltar lentamente, relembrando das sensações de anos atrás.

    -Ele me deu os poucos minutos de felicidade no meio da tristeza em que eu vivia, me fez sentir algo...

    A cerejeira fechou os olhos ao ouvir aquelas palavras

    -Eu machuquei você. Você que era a pessoa mais próxima a mim, que era minha irmã.

    A rosada se virou num rompante fazendo as joias que usava tilintarem

    -Não me chame de irmã! Você nunca foi minha irmã, se tivesse me considerado alguma vez em sua vida não teria feito o que fez!

    A loira soluçou diante daquelas palavras

    Sakura desviou o olhar ofegante

    -Quando...a voz da Yamanaka saiu trêmula- Quando você abriu aquela porta eu percebi, eu vi tudo, vi o mal que havia feito, a monstruosidade. Não perdi só meu emprego, pedir as pessoas a minha volta, todos começaram a me menosprezar...

    A cerejeira apenas soltou o riso pelo nariz

    -Não devia deixar que as pessoas ditem como sua vida deve ser ou te diminuir. Sabe quem me disse isso?

    Os orbes verdes a alcançaram

    -Você!

    Ino mordeu os lábios e sacudiu a cabeça

     -No fundo as outras pessoas não me importavam se eu perdi o essencial, você.

    A rosada girou os olhos sobre as órbitas.

    Ino suspirou alto e prosseguiu

    -Perdi minha vontade de tudo, inclusive de existir.

    Se atentou àquelas palavras

    -Talvez por isso eu tenha sido abandonada, eu era tão...tão

    -Mesquinha.

    Completou a Hadiya

    -É...

    Ino murmurou

    -Eu merecia tudo de pior que acontecesse comigo porque era isso que eu desejava para alguém que fizesse algo como o que eu tinha feito. Reneguei minhas filhas durante a gravidez porque simplesmente não conseguia conviver com a culpa, porque elas tinham vindo de uma traição, de um ato ruim.

    Sakura a mirou quando a Yamanka respirou profundamente

    -Temi tanto que Deus me tirasse uma delas como uma forma de me castigar.

    Então Ino deu mais um passo à frente

    -Eu não sei se fui capaz de me perdoar pelo que fiz a você, mas o seu perdão, o perdão que não fui capaz de pedir, eu peço agora.

    -Meu perdão não muda nada

    A rosada foi sucinta

    -Não...mas me traria um grande e profundo alívio.

    Sakura ficou em silencio

    -Eu sei que não mereço...

    -Não, não merece!

    A cerejeira a interrompeu

    Mirava a face vermelha da loira pelo pranto recente

    -Eu tentei me redimir, tentei ser a melhor mãe, a melhor pessoa que eu pudesse ser mas eu não consigo sentir!

    -Não consegue ser feliz não é?!

    A loira mordeu os lábios e balançou a cabeça de forma afirmativa

    -Então não é do meu perdão de que precisa, é do seu.

    -Sakura...

    As lágrimas voltaram a verter soltas pelo rosto da loira

    -Se eu sentisse alguma por você não teria parado a minha mão dezoito anos atrás.

    A Yamanaka arregalou os olhos

    -Ou teria dado aquele soco assim que te vi com toda sua família aqui na minha casa.

    -Então...então

    Estava perdida nas palavras

    -Eu não me preocupei com você em todos esses anos, sequer pensei em você ou no que tinha feito. O que aconteceu em Konoha ficou em Konoha, fiz questão de deixar lá quando parti. Não perdi meu tempo odiando você ou amaldiçoando o filho que esperava, eu tinha mais com o que me preocupar, tinha um marido e um filho maravilhosos, uma nação nova, eu tinha que ocupar meu tempo sendo feliz.

    Por fim Sakura molhou os lábios e respirou fundo

    Caminhou até a loira e passou pelo corpo fino, parou por um instante apenas para lhe dizer

    -Também devia se ocupar com isso e deixar o passado aonde ele pertence.

    Se adiantou até a porta a abrindo e saindo deixando-a escancarada

    Deixando uma Ino atônita para trás.

    -Habiba, tudo bem?

    Zayn lhe alcançou tocando seu rosto.

    -Sim, tudo. Vamos, temos uma comemoração pra fazer!

    Levou a mão ao ventre plano

    -Nosso filho está ansioso!

    O Emir sorriu e a beijou levemente.

    Seguiram para o salão de bailes onde a festa acontecia.

    Tudo correu da forma mais tranquila possível dali em diante, ela não viu a figura da Yamanaka ali presente mas de alguma forma sentia seu peito mais leve, mais tranquilo.

    O Uchiha também não estava lá.

    Temari foi a primeira a abordar dentre seus amigos se estava tudo bem, Hinata e Naruto vieram depois, ela apenas os dispensou dizendo para aproveitarem os festejos.

    Sai não estava mais lá, mas logo após tudo aquilo iria ter com ele.

    Foi outra loira, uma bem mais jovem, que veio ter consigo no decorrer da noite

    -Senhora Hadiya gostaria de parabeniza-la pela gravidez.

    Inoue se inclinou e a saldou

    -Obrigada.

    Quando a jovem se pôs de pé Sakura a considerou por um instante

    Zayn estava conversando com membros importantes de outras nações do outro lado do salão, ela estava sentada na ornamentada cadeira onde vez ou outra alguém vinha lhe cumprimentar pelo seu bebe.

    -Espero que consiga se adaptar bem ao nosso clima e nossos costumes, vai precisar quando começar seus estudos.

    A rosada soltou para a garota

    Inoue sorriu levemente

    -Dohã é um lugar lindo, sei que não terei problemas em me adequar.

    Sakura levou a taça com a bebida transparente aos lábios e tomou um gole

    -Acredito que saiba que deve ser merecedora do lugar que vai ocupar, caso contrário outra pessoa mais digna pode pegá-lo. Sua nação e meu filho estão acreditando em você.

    -E você Sakura-sama, não?

    A loira lhe dirigiu a pergunta

    -Não acredita em mim?

    Os olhos tão azuis quanto os da mãe a miravam de forma intensa

    -Me prove que é realmente boa e aí voltamos a conversar.

    Sorriu sutilmente para a garota e levou mais uma vez a taça aos lábios

    Então ouviu o riso alto do filho

    Samir era um rapaz muito expansivo

    Acompanhou o olhar da jovem até ele

    Viu quando sorriso nos lábios dela morreu lentamente

    Observou quando suspirou de forma lenta e pausada para a figura do filho

    Ela conhecia aquele olhar

    Conhecia muito bem...a decepção

    Estreitou os olhos levemente

    Aquela garota tinha sentimentos por seu filho?!

    Não houve tempo para nenhuma reação, pois as palavras seguintes da jovem a pegaram total e completamente desprevenida

    -Me diga Sakura-sama...

    Então os olhos triste se voltaram para si

    -...como fez para deixar de amar meu pai?

    A taça entre seus dedos foi ao chão fazendo o barulho do vidro se espatifando desviar a atenção da jovem.

    Mas a sua continuava ali

    Atenta no que ela havia dito.

    -Desculpe, eu não quis parecer rude, não vou mais lhe importunar.

    -De onde você tirou uma coisa dessas?

    A pergunta foi certeira!

    Inoue mordeu os lábios num movimento muito parecido com a própria mãe fizera a pouco tempo diante da cerejeira.

    -Eu sei que foram casados...

    A jovem desviou o olhar

    -Eu vi as fotos.

    -Do que mais você sabe?

    Quando a mirou novamente Sakura a encarava

    -Sei que agora está casada com o Emir e meu pai...

    -Seu pai?

    -Meu pai fica só.

    A rosada passou a mão pelos fios rosados e se ajeitou na cadeira

    -Você o abandonou?

    Sakura então se pôs de pé

    -Pergunte a ele o que aconteceu.

    Disse antes de se virar

    -Eu perguntaria mas ele nunca me diria! Seu nome, você...é um assunto proibido, um tabu, é como um fantasma sobre eles, meu pai e minha mãe! E acho que agora eu sei o porquê.

    -Porque?

    Sakura se voltou para a jovem a questionando

    -Porque você o abandonou!

    A cerejeira soltou um riso sem humor

    -Você não sabe de nada...

    -Então me diga! Por favor Sakura-sama, me diga a verdade!

    A rosada olhou fundo nos olhos da jovem, viu todo o desespero naquele pedido, então molhou os lábios e por fim disse

    -A verdade é que se seu pai e eu estivéssemos juntos, nem você nem sua irmã existiriam.

    A garota tomou ar para dizer mais alguma coisa mas a rosada tomou a frente

    -Essa é a única verdade que importa!

    Então saiu, deixando a jovem garota para trás

    Com a mente em chamas

    Com a mente confusas e cheia de dúvidas.

    Dúvidas essas que estavam prestes a serem sanadas!

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!