Dance Comigo

Tempo estimado de leitura: 3 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 6

    Dançar

    Álcool, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo

    A visão do traseiro de Ino empinado, com a camisola azula levantada ate a cintura, a calcinha abaixada e os seios semi a mostra roçando no capo do carro lhe dava cada vez mais tesão. Puxava sua cintura pra si com força fazendo os gemidos da loira serem cada vez mais altos. Fora uma boa idéia ir ate o mirante da cidade, naquele horário não havia ninguém na rua e ele ainda tinha a desculpa que queria curtir a vista...

    A sensação dos seus testículos batendo firmes contra aquela carne branca lhe fazia morder os lábios para não urrar, ela era uma delicia.

    –Vai Sasuke, vai.

    O moreno segurou o rabo de cavalo da Yamanaka e o puxou, fazendo-a fechar os olhos e rebolar mais.

    –Estou quase...o Uchiha suspirou.

    Antes que o mesmo ejaculasse, retirou seu membro de dentro dela e gozou nas nádegas vermelhas com as marcas dos dedos de Sasuke.

    O moreno subiu a calça enquanto Ino também subia a calcinha e ajeitava as roupas, não reclamou por ter ficado lambuzada do liquido do Uchiha, gostava quando o mesmo fazia aquilo, mostrava quanto ele a desejava.

    –Vamos, está quase amanhecendo.

    Ambos entraram no carro e rumaram para a casa da loira.

    –Nos vemos amanha na corrida?

    Ela acariciava os cabelos rebeldes do moreno que já mantinha o carro estacionado na frente da casa dos Yamanaka.

    –Provavelmente.

    Agora que tudo tinha acabado,desejava com todas as forças ir pra casa e dormir ate se decompor, mas como todas as outras, Ino era melosa e adorava as conversas pós sexo.

    –Vou sentir sua falta...

    E se aproximou de Sasuke beijando seu pescoço subindo ate a orelha.

    –Ino, eu preciso ir.

    Tentou a afastar, ate porque se ela continuasse, não sabia ate onde poderia chegar.

    –Tudo bem. Suspirou resignada. –Ate amanha.

    –Ate.

    Assim que ela saiu do carro, o Uchiha acelerou firme ate sua casa, agora sim completamente pronto para dormir.

    Aquela manha de sábado estava inacreditavelmente bonita, prometera a Tsunade ajudá-la nas aulas de dança para os velhos do asilo no bairro onde ficava a escola de dança, seria uma boa distração para pequenos pensamentos que rondavam sua mente. Geralmente Sakura não fazia aquilo, não dançava na frente de ninguém, mas se era por uma boa causa...porque não ajudar?!

    Saiu cedo, deixando o café da manha do pai preparado e o mesmo ainda dormindo, afinal de contas ele merecia descansar um pouco. Caminhava absorta em pensamentos e cantarolando uma musica, levava uma bolsa com as roupas já que não gostava de sair com saia e sapatos de salto alto, já os cabelos estavam presos em um rabo alto.

    Parou na porta do local e tocou a campainha, era como uma casa normal, provavelmente com muitos quartos. Tocou mais uma vez e ninguém atendeu, bateu na porta mas o efeito foi o mesmo, ate que decidiu girar a maçaneta. Ela jamais esperava ver o que encontrou la dentro.

    Idosos. Homens e mulheres e ate alguns funcionários requebrando despudoradamente ao som de um mambo, mas não era um mambo qualquer...

    Não tinha como não rir daquilo. Tsunade ia na frente fazendo trenzinho com todos os outros atrás, a musica tocava alta e alguns se esforçavam para acompanhar o ritmo, a loira gritava alto e remexia os quadris fazendo também os seios pularem. Se ela não fosse japonesa, com certeza diria que havia alguma coisa de latina na loira, por isso ela e sua mãe foram tão unidas, tão amigas.

    Assim que a viu, gritou ainda mais.

    –Sakura!! Vamos, venha, entre na fila e comece a rebolar!!!

    A rosada gargalhou e correu para o fim agarrando-se na cintura de uma idosa que fazia força com as pernas para acompanhar a todos.

    Realmente, aquilo poderia ser divertido.

    Notou Shizune em um canto sorrindo com as bochechas vermelhas, provavelmente da cena a qual Tsunade e agora Sakura, se prestavam. Ao lado dela estavam duas mulheres, uma ruiva e uma morena, ambas pareciam ser muito distintas pelas roupas que usavam.

    –Quem é aquela garota Shizune-san? A morena distinta perguntou.

    –Ah, aquela é a Sakura-chan. Filha de uma grande amiga de Tsunade e uma ótima dançarina.

    –Ela se mexe bem! A ruiva comentou.

    –Nem imagina o quanto.

    Findada aquela cena, Sakura já ofegante se aproximou de Shizune e das outras.

    –Bom dia... disse

    –Bom dia Sakura, estas são Mikoto e Kushina, beneméritas desse asilo.

    –Muito prazer! Estendeu a mão para ambas que a cumprimentaram sorridentes.

    –Fico feliz que uma jovem como você se disponha a perder seu sábado para ajudar os idosos. Mikoto falou analisando a rosada.

    –Faço qualquer coisa para ajudar Tsunade, e também não me custa nada aproveitar uma manha os distraindo.

    Kushina sorria abertamente para a cerejeira, aquele sorriso lhe pareceu bastante familiar, mas decidiu não comentar nada.

    –Onde posso me trocar? Perguntou meio sem jeito.

    –Oh, que cabeça a minha, tem um banheiro na terceira porta a esquerda, sinta-se em casa.

    –Obrigada. E a rosada pegou sua bolsa e se dirigiu ate o local.

    –Vou ajudar Tsunade, com licença. Shizune se retirou do lado das duas indo de encontro a loira.

    –Uma graça essa garota, não acha? Kushina perguntou a Mikoto.

    –Ela é bem diferente das meninas que estou acostumada a conhecer.

    –Você fala das garotas que Itachi e Sasuke estão acostumados a te apresentar!

    –Exatamente. A morena suspirou. – Queria tanto que se acertassem com uma boa moça, uma independente, humilde...

    –Se acalme Mikoto, um dia eles vão aprender, todos eles, inclusive o Naruto. Acredita que finalmente ele arrumou um emprego?! Estou tão contente que finalmente ele está crescendo.

    –Espero que um dia Sasuke também tome jeito. Acho que ate a festa das empresas ele vai acordar pra realidade, pelo menos é isso que Fugaku e eu esperamos.

    –Não se preocupe minha amiga, ele vai tomar, todos eles vão.

    Sakura entrou no aposento e ambas se calaram.

    Uma musica suave começou a tocar leve...

    A rosada segurou a mão de um senhor que a encarava, no inicio ele relutou, mas depois se deixou levar.

    Começou lentamente e depois ambos entraram na musica, a cerejeira girava sem perder a postura, a saia esverdeada parecia flutuar sobre o piso e o senhor a olhava com os olhos brilhantes, como se recordando de tempos distantes que não voltam mais. Todos os olhavam, alguns sorriam, outros apenas observavam, mas ninguém questionou o fato que aquela dança os tocavam.

    Sakura girou a foi pega pelo senhor meio sem jeito, sorriu e se deixou guiar.

    Logo Tsunade e Shizune estimularam os outros a entrar na dança, um a um buscava seu par e mesmo sem saber exatamente o que faziam não deixavam de aproveitar.

    Era nítida a satisfação de cada um ali presente.

    Quando a canção cessou, Sakura encarou o senhor com rugas nos cantos nos olhos, seu casaco marrom cheirava a tabaco, e de algum modo ele a lembrou do avô japonês que nunca conhecera.

    –O senhor foi muito bem!

    Ela lhe sorria.

    –Obrigado.E desculpe pelos meus erros.

    –Imagina, não houve erro nenhum.

    –Um dia...ele pausou.- Um dia você irá entender e se puder me perdoar...

    –Não sei o que quer dizer mas...

    Foi interrompida.

    –Você tem lindos cabelos. Minha Inori tinha os cabelos iguais aos seus.

    Não soube dizer o porque mas se sentiu incomodada com aquela conversa.

    –Vamos descansar um pouco sim?!

    –Sim, agora finalmente eu posso descansar.

    Ela lhe sorriu e ajudou a se sentar em uma cadeira.

    –Como o senhor se chamar?

    –Moruno. E sorrindo tentou continuar. –Moruno Ha...

    –Vamos Sakura, vamos continuar.

    Tsunade a puxou enquanto uma nova musica, agora mais animada começava a soar.

    –Obrigada por me ajudar, se não fosse você não saberia o que fazer com eles. A loira sussurrou em seu ouvido.

    –Tudo bem Tsunade, tudo bem. Sakura ainda buscava com o olhar o idoso com quem falava, mas o mesmo já havia sumido.

    –E ai, o que está fazendo?

    –Limpando a fênix, por quê?

    –Pensei em darmos uma saída por ai, olhar umas peças, talvez umas gatas.

    –Sinto muito cara, estou quebrado.

    –Sasuke Uchiha recusando um programa, o que aconteceu?

    – Sai com a Ino essa madrugada, pra piorar meu pai me fez levantar cedo pra olhar umas coisas da empresa.

    –Saquei. Então vou ver se o Gaara anima.

    –Seu tio não te repreendeu pela ultima “saída”?

    –Ele fez uma viagem de negócios hoje de manha, e também ele sabe que eu sou a única esperança dessa família, não pode me privar de certos luxos, você entende.

    –Entendo.

    –Bom, vou nessa, ate.

    –Ate Hyuuga.

    O moreno desligou o telefone e o jogou por sobre a lataria do carro o fazendo cair no banco do passageiro. Quando ia voltar pra debaixo de sua fênix, sua mãe o chamou.

    –Sasuke querido, perdeu uma manha e tanto!

    A morena estava ofegante e segurando os sapatos nas mãos, o Uchiha se assustou um pouco, nunca vira sua mãe naquelas condições antes.

    –Pensei que tivesse ido a um asilo.

    –E fui.

    A morena sorria, o moreno ergueu uma sobrancelha sem entender.

    –Pois parece que acabou de chegar de uma festa.

    –É, foi mais ou menos isso.

    –Asilo bem animadinho esse seu.

    Mikoto se aproximou do filho e se abaixou beijando sua testa.

    –Não tenha ciúmes querido, foi só um pessoal de uma escola de dança ate la, não me divertia assim a muito tempo.

    –Sei, espero que o papai entenda isso.

    –Por falar nele, onde está?

    –Em casa, no escritório.

    –Otimo!

    A morena se levantou alegre e antes de se retirar virou-se para o filho.

    –Tinha uma garota la, tão linda...seria perfeita pra você!

    Sasuke revirou os olhos.

    –Mamãe, tem que parar de tentar me arranjar com as filhas das suas amigas.

    Sasuke se segurou para não rir, já havia se envolvido com boa parte das filhas das amigas da mãe, mas se recusava a namorar qualquer uma delas, fato que sua progenitora não precisava saber.

    –Ela era uma professora, dançava tão bem, você tinha que ver e...

    –Mãe, estou ocupado.

    –Ah, tudo bem querido. Mikoto suspirou.- Ate mais tarde.

    –Ate.

    O moreno se arrastou novamente para debaixo do carro sem deixar de pensar como essa coisa de dançar influenciava as pessoas, ate sua mãe, uma mulher rica e distinta havia chegado descabelada em casa, é...a dança mudava as pessoas.

    Não pode deixar de pensar em Sakura e na forma que os olhos verdes se transformaram quando dançaram os três.

    Balançou a cabeça para afastar esses pensamentos, a nerd cor de rosa da escola não podia continuar em sua mente, mesmo que ela se transformasse em mulher na pista de dança.

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!