Dance Comigo

Tempo estimado de leitura: 3 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 3

    Seu Segredo

    Álcool, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo

    Seus pés doíam, seus joelhos doíam, seus quadris doíam...mas não eram nada comparados a felicidade que sentia em seu coração. Cada segundo de esforço eram recompensadores.

    Abriu a porta de casa e sorriu ao constar que o pai já havia chegado.

    –Estou morta!

    Disse se jogando no sofá da sala e deixando seus pertences escorrerem para o carpete.

    –Estou vendo. Saito estava sentado diante de uma escrivaninha na sala, lendo papeis que provavelmente eram do trabalho. – Não devia se esforçar tanto.

    –Olha quem fala! Sakura olhava o pai. –Trazendo serviço pra casa de novo, aposto que mal vai dormir essa noite.

    Ralhou com o homem.

    –É por uma boa causa, e alem do mais, era eu quem devia dar as broncas por aqui.

    Olhou para a filha que apenas lhe mostrou a língua.

    Ela se levantou pegando suas coisas do chão e foi ate ele.

    –Só não se canse muito. Se inclinou e lhe beijou o rosto.

    –Certo. E você vá tomar um banho, está fedendo.

    Sakura estreitou os olhos e teve ganas de dar um enorme abraço molhado de suor no pai, mas não o fez, sabia que ele estava brincando.

    –Está com inveja, sabe que danço muito melhor que você. Retrucou.

    Saito a encarou.

    –Nem se você fosse a estrela de Dirty Dancing.

    Sakura soltou uma risada.

    –Então vem aqui e me mostre.

    Ele sabia o que a filha estava tentando fazer, sorriu afetivamente com o gesto.

    –Com esse seu cheiro eu desmaio antes mesmo de conseguir ficar de pé.

    A rosada bufou.

    –Certo. Caminhou ate os pés da escada, mas antes de subir olhou novamente para o pai.

    –Ainda não terminamos essa conversa. E correu em direção ao quarto.

    Jogou novamente suas coisas no chão e se deitou na cama.

    Mais uma vez seu pai evitara. Desde a morte da mãe que ele nunca mais sentiu vontade de voltar a dançar e isso a incomodava constantemente, afinal já faziam 5 anos.

    Resolveu esquecer os problemas por um momento e foi para o banheiro, realmente precisava de um banho.

    Sasuke a encarava despudoradamente durante toda a aula, se seus amigos não estivessem tão distraídos falando besteiras com toda certeza teriam percebido. Sua curiosidade aumentava mais a cada minuto que o relógio sobre o quadro percorria, estavam quase no fim de mais um dia de aula e ele precisava saber o que aquela garota fazia num lugar como aquele. Talvez ela fosse amiga de alguém por la, ou assistia as aulas...dança de salão não era muito comum no Japão e alguns ritmos eram mal vistos pela sociedade. Quando mais pensava mais curioso ficava.

    Finalmente os sinal indicando o término das aulas tocou.

    –E ai, vamos ensaiar hoje? Neji perguntou.

    –Eu não vou poder. Sasuke se adiantou em dizer.

    –E porque não? Naruto perguntou.

    O que diria? Não podia dizer que seguiria a garota de cabelo cor de rosa ate uma escola de dança.

    –Meu pai me pediu pra fazer umas coisas pra ele. Foi uma péssima desculpa, mas funcionou.

    –Tudo bem, nos vemos amanha então. Gaara falou já partindo para se encontrar com a irmã.

    Parou o carro do outro lado da rua e se encaminhou para o prédio a frente. Abriu a porta e pode perceber que não havia ninguém alem de Shizune.

    –Sasuke-sama! A ouviu dizer. –O que faz aqui?

    A morena o olhou com curiosidade.

    –Bem, eu vim...

    –Ah, Uchiha! A loira peituda o gritou saindo de uma sala.

    –Tsunade-sama. A cumprimentou.

    –Vejo que estava tão ansioso pra começar as aulas que se antecipou vindo hoje.

    –Sim sim, foi isso mesmo. Disfarçou.

    –Bom, estou com uma jovem aqui que está sem par. Poderia me ajudar?

    O moreno olhou para o local de onde Tsunade havia saído e viu uma garota parada, tinha os cabelos azuis e uma flor branca no cabelo.

    –Venha Konan, não sinta vergonha.

    A jovem se aproximou dos dois.

    –Prazer. Ouviu-a pronunciar baixo.

    –Prazer. Respondeu meio seco.

    Pedia ao céus para lhe enviar uma desculpa e sair daquele lugar.

    –Bem, ambos vão aprender a valsa. Tsunade começou.

    A moça se aproximou do Uchiha.

    –Primeiro é preciso saber a postura.

    Tsunade colocou Sasuke virado de frente para Konan.

    –Segure nas costas dela. Notou a azulada corar.

    E ele o fez, segurou nas costas dela e com a outra mão tomou as suas.

    –Muito bem, queixos paralelos ao chão, coluna reta, um respeitando o espaço do outro. A loira dizia olhando os dois. –Shizune, música.

    A morena apertou um botão do enorme som que ficava do outro lado da sala. Uma

    forte melodia começou a tocar.

    No primeiro passo a jovem pisou em seu pé.

    –Me desculpe. Ela arregalou os olhos e moreno fechou os seus, afinal...onde havia se

    metido. Tudo culpa de seu pai.

    –Tudo bem, isso acontece. Tsunade disse vendo a expressão nada amigável do Uchiha. –Konan, é o Sasuke quem deve lhe guiar, não se esqueça disso.

    Depois de mais alguma tempo de ensaio, o moreno teve certeza quem nem ele nem a azulada tinham talento pra aquilo, depois de a segurar pela quinta vez para que não escorregasse pensou em desistir de tudo e mandar o pai se ferrar. Estava tão concentrado nos próprios pés que nem notou outros alunos ensaiando também, o mais estranho foi o fato que eram dois homem, um com sobrancelhas grossas e cabelo de cuia e o outro com cabelos castanhos arrepiados e uns sinais estranhos no rosto, um dançando com o outro. Mas que merda era aquela afinal?

    –Eles não tem par. Ouviu a garota dizer baixinho, e o pior, estavam bem mais adiantados que eles.

    Depois de encerrada a musica notou estar ofegante, e jovem diante de si também.

    –Bem, ate que pra primeira aula não foram nada mal, a loira sorria amigável.

    Ela devia dizer isso pra todos. Foi péssimo e sabia disso.

    Ouviram a porta bater e todos olharam.

    –Ah, que bom que veio, Sai, ela está te esperando.

    Um jovem moreno e extremamente branco entrou vestindo uma roupa social e sapatos pretos brilhantes, tinha um sorrisinho rosto que o Uchiha detestou.

    –Obrigado Tsunade. E foi reto ate a porta onde Sakura estava no dia anterior.

    –Bom, todos vocês foram muito bem, vão evoluir aos poucos. A loira disse se virando

    pra eles.-Principalmente você, Sasuke. Todos no ambiente olharam pra ele que nada disse. –E caso pensem em desistir, quero lhes dar um estimulo.

    A loira foi ate a porta em que o garoto branquelo entrou e a abriu. La de dentro podia se ouvir uma melodia suave.

    Sasuke arregalou os olhos ao constatar o que acontecia la dentro.

    La estava ela, com um longo vestido branco, bem colado na parte superior que descia e abria em uma saia rodada. Os sapatos também brancos riscavam o chão sem nem ao menos os tocar. Se aproximou da porta fixo naquela imagem, os cabelos rosados caiam como uma cascata ate abaixo dos ombros. O jovem branquelo a conduzia com maestria, eles giravam ao som da musica e olhavam para um ponto distante.

    Ela era como uma visão...

    O moreno que a conduzia a inclinou para trás e ela num passo perfeito dobrou uma perna esticando a outra, tombando para o lado lentamente e encontrando o par de olhos escuros.

    Arregalou os orbes verdes e sentiu o ar falhar quase se desequilibrando e errando passo. O moreno a puxou e encerraram o show quem nem ao menos notaram estar dando. Ouviram as palmas que se seguiram.

    –Lindo... ouviu a jovem de cabelos azuis dizer.

    Então era isso que ela fazia naquele lugar, ia ate la para dançar...e como dançava bem.

    –Estava lindo como sempre Sakura. Tsunade disse ternamente sorrindo para a rosada.

    –Obrigada, disse ainda encarando o Uchiha parado na porta.

    –Tenho que ir, depois marcamos outra hora. O moreno que antes a conduzia falou baixo em seu ouvido e lhe deu um beijo no rosto quebrando o contato visual que antes ela mantinha com Sasuke.

    –Sim, e obrigada Sai. Disse se despedindo dele que passava pela porta ao lado de Sasuke.

    Sakura caminhou ate a bolsa jogada, dando as costas para a figura na porta, retirou uma toalha secando o suor da testa.

    –O que está fazendo aqui?

    A voz fina ecoou pelo ambiente, somente naquele instante ele percebeu que estavam sozinhos.

    –Não sabia que dançava tão bem.

    –Não respondeu minha pergunta. Ela parecia nervosa.

    – O mesmo que você, dançar.

    Ela o olhou com um sorriso irônico no rosto.

    –Você, fazendo dança de salão? Não da’ pra acreditar!

    –E porque não? Se escorou no batente da porta relaxando as feições.

    –Porque você é um riquinho mimado que só pensa em curtir a vida, o que faria num lugar como esse?!

    Aquela doeu, ela era bem direta com suas opiniões.

    –Nossa, então é essa a impressão que tem de mim?

    –É a que eu observo.

    –Então...você costuma me observar?

    Descruzou os braços e caminhou ate ela em passos lentos.

    –Você entendeu o que eu quis dizer.

    Ele parou a centímetros do rosto dela, a respiração da rosada que já havia voltado ao normal depois da dança, voltou a acelerar.

    –Falei serio quando disse que dançava bem.

    –Obrigada. Tentou normalizar o ar que saia de seus pulmões mas era inútil.

    Olhando-a de perto pode ver que ela estava bem diferente de como era vista na escola, não era mais a CDF carregada de livros, mas sim uma mulher com curvas e tinha um dom, um dom muito peculiar no lugar onde viviam.

    Sakura notou olhar do Uchiha sobre si, mas não corou como era de se esperar.

    –Sasuke-sama? Uma voz suave veio da porta.

    Ele se virou e Sakura se afastou.

    –Sim?

    Era Konan que estava la.

    –Poderia lhe falar?

    –Claro. Suspirou mas antes de sair olhou novamente para a rosada. –Ate amanha. E sorriu de canto.

    Assim que saíram Sakura bufou e passou as mãos pelos cabelos nervosa, teria problemas, podia sentir.

    –O que quer? Nunca conseguia abandonar o ar rude.

    –Queria te agradecer por dançar comigo hoje.

    –Não há de que. Disse seco já se encaminhando para pegar suas coisas e sair dali.

    –Poderia me ajudar com a Valsa? Estava envergonhada em lhe pedir isso.

    –Não tem um parceiro? Perguntou curioso e se virando pra ela.

    –Não...os outros rapazes que dançam aqui já estão mais adiantados e...eu não sou

    muito boa, como pode notar.

    A azulada estava corada, podia se notar que também era de uma família influente,

    Sasuke riu, estava no mesmo barco.

    –Tudo bem, será melhor que ensaiar com a Tsunade.

    –Obrigada. O sorriso dela foi simples.

    Findada a conversa o moreno saiu do lugar sem se despedir de ninguém.

    Entrou nervosa em casa e bateu a porta, deu graças por seu pai ainda estar fora, detestaria ter de explicar o porque de seu estado de nervos.

    Caiu na cama e fechou os olhos. Maldito Uchiha, tantos lugares para dançar e ele tinha justo que ir ate aquele? Ele rico, podre de rico, porque não ia numa dessas academias caras?!

    No dia seguinte falaria com ele, já era tida como estranha o bastante e se descobrissem que fazia dança de salão seria ainda pior.

    La estava ele, com aquele sorrisinho sínico no rosto, a loira encostada nos armários enquanto o Uchiha mantinha um dos braços encostado nos mesmo, bem próximo a Yamanaka.

    Sakura passou por eles bem rapido sem os olhar, mas infelizmente para o azar da cerejeira e seus incomuns cabelos cor de rosa, Sasuke notou quando ela passou. Seu sorriso aumentou mais ainda. Ino era irresistível mas tinha assuntos a tratar com a Haruno. Assim que o sinal bateu e Ino foi pra sala, Sasuke se virou e deu cara com um par de jades o encarando, e não eram nada amistosos.

    –Espero que não tenha contado nada pra ninguém! Apesar de o corredor estar vazio,falava baixo, não desejava arriscar.

    –Ei, calma ai Haruno.

    –Calma nada, não quero que ninguém dessa escola saiba o que faço. Ela o encarava nos olhos.

    –Qual o seu problema, tem medo que as pessoas peguem no seu pe? O Uchiha sorria, o que deixava a rosada mais irritada.

    –Não me importo com o que as pessoas digam, só quero terminar os estudos e sair daqui.

    –Otimo, eu não conto pra ninguém, mas com uma condição.

    Sakura suspirou, claro...ele queria algo em troca, conhecia a índole das pessoas daquele lugar, já era de se esperar.

    –O que você quer?

    –Preciso que me ensine a dançar.

    Os orbes escuros pareciam sérios apesar da enorme vontade de rir que a rosada sentiu.

    –Está falando serio?

    –Eu nunca brinco.

    –Você sabe que está na mesma situação que eu não é? Você, o todo poderoso garanhão fazendo aulas de dança, vai pegar mal, não?! Sakura cruzou os braços e sorriu com a lateral dos lábios.

    –Pode ate ser, mas é muito fácil pra um Uchiha recuperar uma reputação perdida... era verdade, os Uchihas não eram a família mais certinha do Japão, e todos sabiam disso, mas mesmo assim nunca perderam seu prestigio. -Já uma garota recém chegada a cidade, sem nenhum amigo, fica um pouco mais complicado, não acha?

    Como ela teve vontade de arrancar aquela sorriso irônico do rosto dele com um soco bem certeiro.

    –Tudo bem. Respondeu resignada e se sentindo péssima.

    –Ótimo. o moreno ergueu uma sobrancelha, já estava acostumado a conseguir as coisas que desejava. –Não preciso dizer que isso fica somente entre nós, não é?!

    –Não se preocupe, a ultima pessoa com quem eu iria querer ser vista é você.

    Antes mesmo que Sasuke respondesse, a rosada lhe deu as costas e caminhou ate a sala. Ele poderia revidar , afinal que garota não gostaria de ser vista com o Uchiha, mas resolveu ignorar, já havia conseguido o que desejava e não precisaria ter aulas com aquela loira peituda, se fosse pensar nem mesmo com Sakura ele precisaria dançar, já que Konan pedira sua ajuda como par, uma garota que aparentava algum refino, caso alguém descobrisse seria melhor que ser visto com a estranha cor de rosa da escola.

    Assim que se acomodou em sua mesa depois de dar explicações ao professor pelo atraso, viu a morena amiga da perua loira passar pela porta, pelo que sabia seu nome era Hinata Hyuuga, mais uma riquinha de família influente. Ela caminhou lentamente ate sua carteira e se sentou. Sakura não se lembrava de a ter visto no corredor, será que...será que ela a viu com Uchiha, será que teria ouvido a conversa?

    A cerejeira a encarou por um bom tempo notando se ela se viraria e diria alguma coisa a amiga loira, se aquela tal de Ino soubesse de seu envolvimento com Sasuke teria problemas muito sérios naquele lugar.

    Suspirou.

    –Maldito Uchiha! Disse pra si mesma.

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!