Redenção

Tempo estimado de leitura: 2 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 8

    Como o seu amor consegue fazer o que ninguém mais consegue

    Álcool, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoiler, Violência

    De quatro sobre o balcão a rosada tomava a boca do Uchiha com ânsia, então ele se pôs de pé e segurando em seu rosto com ambas as mãos suspirava enquanto sentia a textura macia e o sabor dos lábios dela.

    Sakura ficou de joelhos levando as finas mãos para a cintura do moreno e o puxou para mais perto, Sasuke desceu os beijos para o pescoço da cerejeira e ela escorregou os dedos ágeis para seus glúteos os apertando

    Soltou uma fina risada, sentia falta daquilo.

    Ainda sentindo ele arrastar os lábios por sua pele, levou uma de suas mãos do traseiro firme do último Uchiha para frente e sentiu o tamanho do desejo por ela naquele instante, apertou o local gentilmente mordendo o lábio inferior quando o ouviu soltar um leve gemido.

    Sasuke tomou seus lábios mais uma vez, e enfiando sua mão entre os cabelos rosados arrastava os beijos pelo rosto dela enquanto sentia a mão ágil invadir sua calça.

    Aqueles dedos finos e macios tocando seu membro daquele jeito...do jeito que só ela sabia

    Afastou o rosto do dela e entreabriu os lábios, a mão dentro de sua calça começou a se movimentar com mais velocidade, então a rosada a retirou de lá e olhando para ele passou a língua pelos dedos

    -Senti falta desse gosto.

    E sorriu com a lateral dos lábios

    Ele mordeu o lábio inferior e avançou sobre ela começando a retirar a enorme blusa amarela, o sutiã roxo contrastava com a pele pálida da Haruno, Sasuke beijou o colo já baixando uma das alças, Sakura fechou os olhos, o moreno escorregou a peça e deixou os pequenos e perfeitos seios expostos, ainda de joelhos sobre o balcão, ela sentiu a língua passear de um para o outro,  seus mamilos entumecidos de desejo pareciam clamar por mais, e ele deu mais... envolveu sua enorme mão que cobria perfeitamente um deles enquanto abocanhava o outro com vontade, e ela cerejeira se perdia naquela sensações.

    Abraçou a cabeça farta de fios negros que rumava para o sul passando a língua pela barriga lisa, sentia um arrepio toda vez que ele fazia isso, mas então ele subiu e após dar mais um chupão em um dos seios a mirou novamente nos olhos  agarrando seu quadril e a fazendo sentar sobre o balcão.

    Sorriu com o gesto.

    Ele retirou suas meias e em seguida segurou no cós de sua calça e foi a descendo lentamente, Sakura ergueu o quadril para a peça passar com mais facilidade, e ele lhe sorriu cumplice.

    E por Deus, aquele sorriso a fez se sentir mais molhada do que já estava.

    Quando viu a calcinha também roxa se perguntou se ela tinha noção do quão sensual era.

    Se aproximou e segurando em sua nuca a puxou para mais perto, lambeu seu lábio inferior e levou dois dedos a boca da rosada, ela os beijou e em seguida os introduziu na boca os sugando, Sasuke ergueu a sobrancelha perdido naquela sucção, então os retirou de lá e os levou para dentro da peça fina sentido os poucos pelos do local e o exato ponto de prazer da rosada.

    Os passou por toda a vulva para em seguida pressionar aquele ponto e começar a massageá-lo.

    Sakura entreabriu os lábios, Sasuke colou sua testa a dela a medida que ia sentindo as sensações a dominarem, ela afastou mais as pernas e ele intensificou o movimento.

    Seu membro iria explodir dentro da calça, mas a imagem dela entregue e gemendo pra ele não o fariam parar.

    Queria saborear aquele momento...aquele momento que pensou que talvez nunca mais teria.

    Então desceu mais a mão e introduziu um dedo, ela mirou os olhos nele, tinham as testas coladas

    Ele aumentou os movimentos do dedo e ela mordeu os lábios, então introduziu mais um

    Sakura levou uma mão ao pulso de Sasuke o auxiliando nas estocadas

    -Mais rápido

    Ela disse o olhando nos olhos.

    Estava quase

    Então ele sorriu e parou

    E num tom baixo e soturno disse

    - Sinto falta de beijar você...nos lábios de baixo

    E após dar uma última estocada com os dedos os retirou sua mão dali e os levou a boca já saboreando o gosto dela.

    Sakura arfava, e apoiando as mãos sobre o balcão viu Sasuke se ajoelhar diante de si.

    Aquilo era definitivamente muito excitante

    Ele afastou mais suas pernas e afastou sua calcinha para o lado, e então veio o movimentar de sua língua, úmida, quente, passeando por toda sua vulva já inchada de desejo

    Jogou a cabeça pra trás e entreabriu os lábios

    Quando começou a suga-la não conteve o silvo longo que deixou escapar

    Ergueu o corpo e pode vê-lo com a cabeça enterrada entre suas pernas

    Aquele homem tão grande, tão forte, tão poderoso...

    Tão rendido.

    Ele ergueu o olhar e ela viu os olhos desiguais enquanto mais uma vez ele passava a língua por toda a extensão de sua intimidade

    Quase gozou naquele instante

    Entre um sussurro e um gemido conseguiu pronunciar

    - Eu quero você...

    Ele parou e se ergueu, a olhando nos olhos e com a ajuda dela ,desceu a calça que usava  baixando a roupa de baixo junto, tinham pressa.

    Ainda a mirando e com os dedos finos o guiando até sua entrada ele começou a se introduzir em seu interior

    Em meio ao gemido de prazer ela sussurrou

    - Me preencha...

    E ele fez, lento, devagar e profundamente

    Quando estava todo dentro dela parou, e ainda olhando para os olhos verdes cobertos de desejo selou os lábios dela mais uma vez

    Ela retribuiu e ele começou os movimentos com força e intensidade.

     Segurou em seu quadril e avançava contra ela, por que ali era o seu lugar.

    Dentro dela

    -Eu quero sentir você.

    A cerejeira clamou retirando sua camisa às pressas

    Ele a ajudou como pôde

    E ela a abraçou enquanto o Uchiha a invadia.

    Pode sentir os seios pequenos lhe tocando o peito nu, o corpo bem feito envolvido ao seu, os gemidos que ela dava só para ele.

    Iria ao céu e ao inferno com ela

    Por ela...

    Sakura cravou as unhas em suas costas à medida que ele intensificava os movimentos.

    Sasuke segurou nos glúteos dela a puxando mais para si.

    Estavam tão emaranhados um no outro que pareciam querer se fundir.

    Então ela se afastou e se apoiou mais uma vez no balcão, olhou pra baixo, para o encontro de seus sexos, e sentiu...estava vindo, subiu os olhar e encontrou os dele...sim, vinha, e ele sabia, então começou a aumentar as investidas.

    Os seios da cerejeira pulavam, a franja estava colada na testa, os gemidos ecoavam entre a sala e a cozinha e então a onda chegou.

    Quase a deixando surda.

    O calor, o tremor e o alivio

    Relaxou e se deixou tombar sobre a madeira do balcão

    Mas ele continuou, e agora tinha toda a visão do corpo dela

    Suado, entregue...

    Ergueu as pernas da rosada a colocando sobre seus ombros, podia sentir indo mais fundo, queria ir mais fundo.

    Se inclinou sobre ela e a beijou intensificando a investidas, e com os lábios colados seus sussurros de prazer se misturaram, Sakura levou as mãos mais uma vez ao traseiro do Uchiha e o trazia para si, o arranhando no processo, então deu uma, duas, três estocadas e descolando os lábios dos dela se derramou por inteiro soltando um gemido forte e gutural mais alto do que o esperado.

    O moreno deitou o corpo sobre o dela que apenas abaixou as pernas e o deixou ali, sentindo seus mundos voltarem a órbita normal.

    Era sempre assim, um silencio profundo após se amarem, antes era por ser proibido, mas e agora?

    Sasuke ergueu a cabeça e a olhou, ele tinha os fios lisos atrapalhados e a franja fora de lugar dando a perfeita visão de seus dois olhos, o Uchiha não era de sorrir mas tinha o ar tranquilo, sereno.

    -Somos bons nisso. Ele disse

    Sakura também se ergueu levemente e sorriu

    -Em transar?

    Ele ergueu uma sobrancelha

    -Em nos amar.

    A cerejeira voltou a deitar a cabeça, parecia ponderar

    -Eu sempre fiz amor com você.

    Ela olhava para o teto, seu olhar parecia distante

    Sasuke se levantou

    -O que você fazia comigo?

    Por fim os orbes esverdeados caíram sobre ele

    O tom sereno já não estava mais presente

    -Por favor Sasuke, não estrague o momento.

    Sakura se sentou e começou a colocar o sutiã de volta.

    -Eu estragar o momento? Você está estragando!

    A rosada desceu do balcão e ajeitou sua calcinha no lugar, procurava no ambiente onde fora parar seu casaco.

    -Pare Sakura, pare e converse comigo!

    Sakura então se virou para ele, já tinha a calça no lugar mas permanecia com o peito desnudo

    Aquele Sasuke silencioso e quieto não parecia ser mais presente entre eles.

    -Você não tem que se vestir correndo e sair, não é mais assim, não precisa ser assim!

    A cerejeira respirou fundo e olhou para o piso

    -Não é fácil me acostumar com isso.

    Ele se aproximou

    -Eu nunca me entreguei dessa forma com ninguém...

    Disse o moreno parado diante dela

    Ela levantou a cabeça para encontrar o olhar dele

    -Você era minha missão Sasuke.

    -Sim, mas não sou mais!

    O Uchiha tocou seu rosto mas ela o virou

    Então ele se abaixou e o beijou dizendo

    -Pare de tentar me afastar

    E continuou beijando a face da rosada já colando seu corpo ao dela

    -Diga que me quer

    Pediu abraçando a cintura fina descendo as mãos grandes para o traseiro firme da Haruno.

    Ela ergueu o corpo e fechou os olhos quando os lábios finos desceram por seu pescoço mais uma vez

    -Eu quero...

    Sussurrou

    Então ele a ergueu e ela envolveu as pernas em sua cintura

    -Diga o quanto

    Sasuke a segurava com uma mão enquanto baixava novamente a calça com a outra

    -Muito

    Sakura apertava sua nuca e suspirou ao sentir o órgão ereto tocar sua intimidade coberta pela calcinha

    Então ele levou a mesma mão a peça fina e a afastou mais uma vez

    -Diga aonde

    Ela arrepiou com o contato

    -Dentro

    E após encaixar o membro na entrada da rosada começou a penetra-la, ia lento, devagar, como uma dança sensual entre os dois, segurando em seu bumbum e o apertando com vontade a apertando de encontro a sua pélvis fazendo-a sentir toda a sua extensão dentro de si.

    A cerejeira mordia os lábios e se embebia.

    Porque nada era como estar ali...o sentindo dentro dela

    O sentindo parte dela.

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!