Redenção

Tempo estimado de leitura: 2 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 5

    Apenas vagando sem rumo neste mar da vida

    Álcool, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoiler, Violência

    Sakura estava diante do líder da Vila do Som, ele lia seus relatórios de forma bem atenta e sem demonstrar muita reação. Quando terminou, baixou os papeis e olhou para ela.

    -Então acha melhor transferir o Centro Médico para o centro da vila?

    Katsuo a questionou

    -Seria o mais apropriado. O lugar atual não tem circulação de ar, de luz, além de representar um local de muitos traumas físicos e psicológicos para a maioria da população.

    O mais velho a observava atento

    -O centro da Vila é de fácil acesso, poderia ser um local mais amplo, aberto, e convenientemente na superfície.

    Ele sorriu com a última frase dita por ela.

    -Eu concordo, só não sei se teremos recursos pra isso.

    Disse largando os relatórios sobre a mesa

    -Peça ajuda aos Países da Aliança Ninja, peça em meu nome, diga que estou cobrando um favor...tenho certeza que eles não irão negar.

    -Tem certeza? Katsuo franziu a testa

    -Absoluta. Além disso, teremos de treinar médicos, enfermeiros...

    O outro suspirou.

    -É muito trabalho.

    -Uma vila em desenvolvimento é assim.

    Sakura sorriu.

    -Sim, é verdade, e você ainda levou meu melhor shinobi.

    O sorriso da rosada se foi.

    -Eu fiz o que?

    -Sano.  Respondeu Katsuo. –Eu o adverti que você era casada mas ele me afirmou que você disse que não há nada entre você e o Uchiha.

    Sakura levou uma mecha do cabelo rosado para trás da orelha.

    -Sim, é verdade, não somos casados. Ele foi, mas não comigo.

    O outro se recostou na cadeira.

    -Nunca vi Sano se interessar por alguém assim, na verdade nunca o vi se interessar por ninguém.

    Ele a ponderou.

    -Você deve ter algo muito especial.

    Sakura então se pôs de pé.

    -Bom, preciso enviar uma cópia desses relatórios para Konoha também, com licença.

    Finalizou aquela conversa já se levantando da cadeira posta diante da mesa do líder de Oto.

    Mas antes de se retirar ele a chama

    -Sakura.

    Ela se vira e o encara

    -Espero vê-la no festival de inverno.

    Ela lhe sorri gentilmente e se retira

    Mas do lado de fora seu sorriso se desfaz.

    -Está tudo bem Sakura-sama?

    Mei a questiona de sua mesa.

    A rosada a encara e suaviza a expressão

    -Sim Mei-chan. Até mais tarde.

    Enquanto caminhava para fora se lembrava do sutil toque de Sano em seu braço, de como roçou os dedos nos seus... recordava também de logo após agradecer pela companhia dele ao longo do dia e se encaminhar para casa.

    Não era ingênua, pelo contrário, estava muito longe de ser, no início chegou a pensar que o zelo fosse por recomendação de Katsuo.

    Homens com poder tendem a querer proteger mulheres que de alguma forma lhes são preciosas ou úteis.

    Então ela o viu caminhando no centro da vila, ele se destacava no meio das pessoas, observou os olhares que ele atraía, viu algumas garotas se aproximarem e puxar assunto, mas ou ele ignorava ou dizia algo que as deixava cabisbaixas.

    Sakura soltou um leve sorriso

    -Tão parecido...

    Disse para si mesma.

    Então ele parou diante de si.

    Mas não disse nada

    Sakura ergueu uma sobrancelha

    Ele estava...nervoso?

    De alguma forma ela achou aquilo, como diria? Fofo? Cativante talvez.

    -Quer me dizer alguma coisa Sano?

    Finalmente o som de sua voz se fez presente

    -Viria ao festival...

    Ele a encarava mas a frase pareceu morrer entre seus lábios.

    A rosada resolveu o ajudar

    -Com você?

    -Sim!

    Ela sorriu

    De alguma forma era cômico ver um homem daquele tamanho ficar sem jeito ao chama-la para um encontro.

    Ponderou.

    Vários questionamentos passaram pela cabeça da rosada

    Mas resolveu ignorar todos eles naquele instante

    -Adoraria.

    Sano pareceu relaxar os ombros.

    -Nos vemos mais tarde

    Disse por fim e passou pela enorme figura a sua frente.

    Talvez fosse hora de viver algo real.

    Percebeu todos agitados no treinamento, após a única mulher do corpo ninja ter conseguido entrar para o grupo de elite ou outros ficaram afoitos e davam tudo de si.

    Eles estavam exaustos mas pareciam ansiosos com algo.

    Quando deu por encerrado o treino do dia entendeu o porquê de toda aquela ansiedade, a vila estava sendo enfeitada para algum tipo de festival.

    -Sasuke-san!

    Escutou seu nome ser chamado, ainda estava próximo ao galpão de treinos, então se virou

    Era Midori

    -Você...vai ao festival de inverno?

    Ela tinha o rosto levemente corado.

    -Não.

    Respondeu simplesmente, se virou e seguiu seu caminho.

    Assim que adentrou em casa deu de cara com Sakura vestida em um longo Kimono vermelho, que apesar de ir até os pés tinha uma enorme fenda na lateral, dava pra imaginar o que aconteceria assim que ela desse o primeiro passo. Os cabelos estavam presos no alto da cabeça com um arranjo de flores que pendiam e desciam até o longo pescoço, nos olhos a maquiagem era clara mas ressaltava os olhos verdes, nos lábios o batom também era vermelho, estava começando a detestar aquela cor.

    Ela sim iria ao tal festival.

    Passou por ela indo em direção a cozinha.

    Sakura suspirou.

    Aquele clima tenso entre os dois era péssimo e estava começando a cansá-la, eles compartilhavam a mesma casa, seria insuportável viver assim.

    Então se virou e foi até o balcão, levou sutilmente uma mão sobre o mesmo e o chamou

    -Sasuke

    Ele estava de costa com um copo d’água na mão

    Mesmo não recebendo sua total atenção ela continuou

    -Não podemos continuar convivendo assim, nos ignorando...as coisas entre nós precisam melhorar, pelo bem da missão.

    Ele direciona levemente o olhar para ela

    Tudo que Sakura viu foi o olho do Rinegan.

    -Estou de saída, então não precisa esperar por mim.

    Por fim ele se vira completamente

    E quebra seu silencio

    -Vai ao festival?

    -Vou.

    Aquela pergunta estava coçando em sua garganta...

    -Sozinha?

    -Não, com Sano, ele me convidou.

    O Uchiha então lhe dá as costas novamente e vira todo o conteúdo do copo de uma vez.

    Nunca o sabor da água fora tão ruim.

    Sakura respira fundo e decide dizer

    -É a primeira vez que vou a um encontro com alguém...

    Sasuke sente seu corpo retesar

    -Como eu mesma!

    Então sorri sem humor

    -Durante a adolescência nunca aceitei nenhum porquê...

    Recolhe a mão de sobre o balcão

    -Estava esperando você.

    Então ele escuta o som da porta, coloca o copo sobre a pia e apoia as mãos sobre a mesma

    Suspira

    Ele tinha que a deixar ir...

    Mas porque era tão difícil!

    Porque simplesmente não conseguia?!

    Abriu a porta e saiu.

    A noite havia caído na Vila do Som.

    O festival estava lindo, cheio de luzes e ornamentos dando boas-vindas ao inverno que estava por vir.

    Oto tinha seu charme.

    Algumas pessoas se surpreenderam ao ver Sakura andando junto a Sano.

    O centro estava cheio de luminárias, barraquinhas e pessoas em seus Kimonos andando pra lá e pra cá.

    Onde ela estaria no meio daquela multidão?

    Caminhou entre as pessoas buscando a única possuidora de cabelos rosados.

    Mas então ouviu seu nome ser chamado.

    -Sasuke-san!

    Era Midori, mais uma vez.

    Usava um kimono azul claro, os cabelos negros pediam soltos e lisos extremamente longos.

    Ela lhe sorria gentil.

    -Pensei que não viria...

    -E não vinha, estou apenas procurando uma pessoa

    -Ah...   seu tom pareceu levemente decepcionado, mas no momento seguinte sorriu novamente -Então, se quiser posso lhe acompanhar e ajudar a...

    Foi interrompida pelo som dos silvos junto aos estouros.

    Olharam para cima e viram os fogos em formato de flocos de neve.

    Mas então ele abaixou o olhar, e lá está ela, não muito distante. Olhava para cima, acompanhando o espetáculo junto as outras pessoas.

    Sano estava a seu lado, no instante seguinte ele se inclinou e pareceu dizer algo em seu ouvido, depois a segurou pela cintura, juntou o corpo dela junto ao dele e a ergueu.

    A cabeleira rosada inconfundível se elevou sutilmente sobre as outras.

    Mesmo com o som dos fogos ele conseguiu captar o som de sua risada.

    Aquele som...tão incrível, agora ressoava lhe dando a sensação de mil kunais entrando lentamente dentro de seu peito.

    Ainda com o sorriso no rosto viu os verdes se iluminando cada vez que os fogos explodiam no céu escuro de Oto.

    E destruíam seu coração.

    Deu meia volta.

    Pode ouvir Midori o chamar mas simplesmente ignorou.

    Abriu a porta na mais plena escuridão e assim permanecendo deitou-se no sofá

    Pousou o antebraço sobre os olhos

    E simplesmente ficou ali

    Em silencio

    Mesmo ainda ouvindo o som dos fogos lá fora.

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!