MAKTUB

Tempo estimado de leitura: 6 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 25

    Neblina

    Adultério, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

    Ver o espectro daquela mulher era muito diferente de tê-la ali, a centímetros de distância.

    Subiu o olhar novamente apenas quando viu o rapaz tomá-la nos braços, feliz e sorridente.

    -É muito agarrado a mãe.

    Mãe!

    Agora tudo fazia sentido.

    Ela era a mãe de Samir.

    Quando notou a forma com que as mãos delicadas tocavam o rosto do filho, uma chuva de sensações apossou-se de seu ser.

    Quase segurou-se em Naruto quando aquilo veio em sua mente.

    O olho negro seguiu de um para o outro, da mãe e em seguida para o filho.

    E então, como uma enxurrada de sentimentos veio a resposta.

    Assim que bateu os olhos naquele rapaz o achou muito parecido com alguém a princípio.

    Mas não era com a mulher de cabelos rosados que agora simplesmente enaltecia a força do filho do Hokage.

    Ele era extremamente parecido com...

    Com...

    -Agora lhes peço licença pois a viagem foi extremamente longa e cansativa.

    Quando os olhos verdes se viraram para trás sentiu seu corpo dar um leve impulso para frente, inconscientemente em direção a ela.

    -Nos vemos no jantar.

    E a medida que a via se afastar foi como vê-la partir novamente, como no dia que ergueu o peito para dizer que estava deixando para trás a senhora Uchiha.

    Deixando para trás tudo que fora dele.

    Mas talvez...só talvez, algo seu tivesse ido com ela.

    Pois aquele rapaz...

    Aquele rapaz era a cara de seu pai

    Fugaku Uchiha!

    Levou a mão ao peito sentindo-o apertado enquanto a outra ia a boca segurando o impulso que seu corpo insistia em dar.

    -Com licença.

    Foi tudo que disse antes de se virar

    -Sasuke...

    -Papai!

    Pode ouvir ser chamado mas era como se uma neblina densa lhe tampasse a visão.

    Assim que chegou do lado de fora tossiu de forma forte e contínua respirando fundo o ar seco daquele lugar.

    Afrouxou a gola da capa e olhou ao redor.

    Tossiu mais uma vez e simplesmente se pôs a andar, ignorando veementemente se alguém viria ou não atrás dele.

    Desejava com todo seu ser um gole forte de sakê, mas nem sabia se saberia identificar onde se conseguia algo assim em um lugar como aquele.

    Então um tremor o abateu seguido da fúria.

    Parou no meio da rua.

    Levou mais uma vez a mão aos lábios e conteve o impulso, virou-se bruscamente seguindo o caminho de volta ao palácio.

    Precisava de algo que o sakê não traria.

    Respostas

    Já não havia mais ninguém na entrada do lugar, então saiu em busca dele, do Hokage.

    Ele sabia que Sakura estava ali, todo aquele tempo...sabia que os trazendo ali, todos eles dariam de cara com ela!

    O que ele estava pretendendo?

    A medida que andava sentia-se mais perdido, mesmo indo em busca do chakra do loiro, estava nervoso, ansioso demais para se concentrar, até que saindo de um dos aposentos, sorrindo e de mãos dadas com a esposa, deu de cara com a figura do Uzumaki.

    -Sasuke!

    -Naruto, precisamos conversar.

    Sua voz saiu forte e intensa

    Hinata mostrou-se tensa ao ver o estado do moreno e então soltou a mão do marido

    -Vá Naruto-kun, depois damos nosso passeio.

    O loiro olhou para a esposa e depois para o Uchiha e concordou, Hinata voltou para dentro do aposento e fechou a porta.

    -O que deu em você? Porque saiu daquele jeito?

    -Você sabia que ela estava aqui?

    Naruto suspirou

    -Então é isso

    Disse o Uzumaki

    -Sabia esse tempo todo que o garoto era filho dela!

    Sasuke deu um passo mais próximo

    Seu olhar era intenso e cheio de cobranças

    -E não disse nada!

    Naruto passou a mão pela nuca de forma ansiosa e encarou o moreno

    -Durante todos esses anos eu não sabia que ela estava aqui, só fui descobrir quando o rapaz chegou na vila, e foi só naquele momento que eu soube que ela tinha um filho, que ele era o filho dela.

    Naruto fez uma pausa

    -Kakashi...

    Sasuke deu um passo para trás e soltou o ar de maneira displicente

    -Kakashi...claro! Vocês dois sabiam de tudo isso!

    -Kakashi... continuou Naruto -É padrinho de Samir, esteve aqui durante os anos que se manteve fora da vila, ajudando esse lugar, ajudando a Sakura, o garoto foi até nossa vila por vontade própria, por desejo de conhecer o local de nascimento da mãe!

    -E o pai?

    O Uzumaki estranhou a pergunta de Sasuke

    -O pai dele concordou com a viagem...do que está falando?

    Sasuke buscava qualquer coisa no olhar azul diante de si, se pudesse agarraria a cabeça loira do homem a sua frente e tiraria todas as informações que quisesse e dane-se o resto.

    Mas não podia, simplesmente não podia...

    -Olha, eu entendo que foi um baque para você, para todos, mas já é hora de superar tudo isso. De todos superarmos! Viemos aqui de maneira diplomática, ela tem a própria família e você tem a sua, o que quer que tenha acontecido foi a quase vinte anos.

    Sasuke passou a mão pelos cabelos fazendo o olho lilás aparecer por um mísero instante

    Naruto prestou atenção no movimento

    -Ainda sente algo por ela.

    Sasuke o mirou como se ele tivesse lhe revelado o sentido da vida

    O Hokage se aproximou e tocou em seu ombro

    -Você sempre, sempre a amou, eu sei disso, e agora você também sabe. Ver ela casada e com um filho deve ser difícil...

    -Não sabe o que está dizendo Naruto.

    Disse desviando o olhar

    -Eu me mantive afastado de você durante esses anos mas não quer dizer que ainda não o considero um amigo, você sempre foi, sempre foi meu irmão e por isso foi tão difícil ver você errando daquela forma.

    -Você me odeia!

    O olhar do Uchiha caiu sobre o do Uzumaki com intensidade.

    -Acha que se eu o odiasse entregaria o treinamento do meu próprio filho em suas mãos?

    Sasuke ponderou a fala do Hokage

    Suspirou desviando o olhar

    -Se eu o odiasse teria me afastado definitivamente e nunca mais falaria com você, mas não, estou aqui, com a mão em seu ombro tentando até hoje fazer você se reerguer. Você é um bom homem Sasuke, eu vi como se esforçou durante todos esse anos, você apenas cometeu um erro.

    O moreno fechou os olhos e se afastou do amigo

    -Olhar pra ela, ver a mesma mulher, a mesma...

    -Eu sei...

    -Não, não sabe!

    -Fique feliz Sasuke, feliz por ela. Ela conseguiu superar tudo aquilo e construir uma vida plena com o novo marido e o filho.

    Naruto se aproximou mais uma vez

    -Enxergue o lado bom meu amigo, não as tragédias...chega de tragédias em nossas vidas.

    Se calou e respirou fundo.

    Ao menos ali dentro o ar era fresco e lhe acalmou os sentidos.

    -Obrigado.

    Disse ao loiro e se virou, indo na outra direção.

    Naruto nada disse, apenas observou o moreno se afastando com passos firmes.

    Quando chegou no quarto que dividia com Ino ela não estava lá. Retirou a capa apenas com uma das mãos a deixando sobre a mesa com o incenso. Aparentemente o mesmo era trocado diariamente pois o aroma já não era o mesmo do dia anterior.

    Sentou-se na cama e refletiu

    Talvez Naruto tivesse razão

    Tudo aquilo que brotava em seu interior e o minava aos poucos...lhe trazendo essas alucinações...

    Cruéis demais até mesmo para um homem como ele.

    Era preciso parar de enxergar os espectros que o assombravam.

    Enxergar até mesmo seu pai nos traços do filho da Haruno

    Não! Da Hadiya...

    Levou a mão ao peito o sentindo apertado assim que deixou o corpo desabar sobre a cama

    Pois aquilo só piorava com o passar dos anos.

    Quando Ino entrou ele ainda olhava para os formatos das mandalas desenhadas no teto.

    Ela não fez nenhum ruído, só percebeu que sentou-se ao seu lado na cama quando sentiu o peso ao lado do confortável colchão afundar.

    -Você sabia?

    Ela perguntou

    -Não

    Ficaram em silencio, até a loira o quebrar mais uma vez

    -O que faremos?

    -Terminaremos a missão eu acho...

    Notou o movimentar no lado oposto e finalmente a mirou

    Tentava controlar a emoção

    -É como...como voltar ao passado, relembrar tudo, reviver tudo!

    Os olhos azuis brilhavam

    -Eu sei.

    Voltou a olhar para o teto

    -E nossas filhas?

    Não houve resposta para aquela pergunta

    Terminava de colocar sua capa para o evento daquela noite, vez ou outra percebia a movimentação da loira pelo aposento, ia de um lado ao outro mexendo nos cabelos, nas roupas, no sapato, na maquiagem...

    -Droga!

    A ouviu praguejar e se moveu sutilmente para ver o que a incomodava.

    -Acho que não trouxe uma roupa adequada o suficiente para uma ocasião como essa.

    Sasuke observou o vestido longo e elegante que a Yamanaka usava. Acreditava que o tom de azul combinava bem com seus olhos, mas não disse nada.

    -Está incomodada com tudo isso não é?

    Ino sentou-se sobre a cama e passou a mão pelos cabelos dourados

    -Você a viu...viu como ela está, viu todo esse lugar, esse palácio, nem sei se deveríamos mesmo estar aqui!

    O Uchiha nada respondeu.

    Então se pôs de pé em um rompante

    -Acho que vou trocar de roupa.

    -Não, já estamos atrasados.

    Então foi até a porta e a abriu, dando passagem para que a loira passasse.

    Observou-a respirar fundo e passar por ele sem mais nada dizer.

    -Espero que Sarumi tenha colocado ao menos um vestido na mala.

    Ouviu Ino sussurrar antes de adentrarem no salão.

    Não chegou a lhe responder pois sua visão se perdeu na diversidade dos entretenimentos presente no ambiente. Logo Naruto e Hinata chegaram e instantes depois, Temari.

    Todos muito bem vestidos para a ocasião.

    O loiro exibia seu manto de kage como se o tivesse adquirido a poucos minutos.

    Sasuke procurou por suas filhas com o único olho exposto.

    -Vou atrás das gêmeas

    Ino lhe disse como que adivinhando seus pensamentos.

    Quando viu Boruto adentrar no recinto fazendo certo estardalhaço, observou que Inoue vinha logo atrás, mas nada de Sarumi.

    Quando a loira mais jovem se aproximou lhe sorriu zombeteira

    Estava linda...

    O vestido claro, os olhos bem marcados com a maquiagem fraca, lábios com um leve brilho, até mesmo um suave penteado havia em seus cabelos tão dourados quanto os da mãe.

    Quando sua menina havia crescido tanto?

    -Está bonitão!

    Ela lhe disse e ele sorriu sutilmente recebendo uma pequena cotovelada da garota

    Assim que abriu a boca para lhe responder as portas foram abertas, e por elas os dois passaram, os governantes daquela nação...

    -Waqtaan mumataeanaan jmye!

    Ouviram o homem dizer.

    Mas seu olhar...

    Seu único olhar, estava nela!

    No instante seguinte Naruto se aproximou com a esposa.

    Os convidados ao redor conversavam ao som da música tocada por instrumentos que nunca havia visto na vida, o ambiente cheirava as velas que queimavam as ervas que continham dentro das mesmas.

    Tentava prestar atenção no que Naruto dizia, mas seu olhar traidor...tão traidor quanto já fora um dia, buscava por ela.

    Quando a figura imponente do Emir se fez presente entre eles o Hokage o cumprimentou, mesmo assim continuou com o olhar perdido pelo salão.

    -Vejo que gostou de nossa cultura Uchiha

    Sasuke instantaneamente pousou o olhar sobre o homem

    E nada respondeu

    Naruto lhe sorriu e continuou o assunto

    -É uma bela comemoração, aqui tudo é encantador

    Viu o loiro olhar para a esposa um pouco mais adiante, ela se deslumbrava facilmente ao observar um homem engolir uma espada até o cabo.

    -E então senhor Hadiya, diga, como conheceu a Sakura-chan?

    Surpreendeu-se com a pergunta feita pelo Uzumaki

    O homem sorriu

    -Por favor, estamos entre amigos, Zayn, apenas Zayn!

    Observou Naruto tentar pronunciar o nome tão característico da região, mas na realidade estava mais interessado na resposta que o Emir tinha para dar.

    -Bom...ele começou ganhando a atenção de todos que estavam próximos, Ino estava ao seu lado, Temari ao do homem, Inoue junto a Boruto, parecia tão atenta as palavras do Emir quanto o Hokage. -No dia que a vi pela primeira vez, a terra tremeu!

    Naruto ficava cada vez mais deslumbrado a medida que o homem ia narrando os acontecimentos.

    Já sua filha parecia escutar um conto de aventuras, de fantasia, estava totalmente imersa nas palavras ditas pelo sotaque carregado do líder de Dohã.

    -Acho que me apaixonei exatamente naquele dia, e nem ao menos tinha visto seu rosto ainda.

    O homem deu um gole na bebida que tinha entre as mãos e sorriu

    -Quando ela tirou o tecido do rosto, eu já estava enfeitiçado.

    Nem soube de onde saiu aquilo, mas quando deu por si, já tinha falado

    -Não se importa em ser mais fraco que sua mulher?

    Percebeu o olhar inquisidor de Naruto sobre si, mas tudo que fez foi manter os olhos fixos sobre o homem de turbante.

    E ele, Zayn, o sustentou

    Após um instante de silencio ele respondeu

    -A fraqueza e a força indiferem do poder físico. Sakura me ajudou a retomar Dohã sem dar um soco sequer, somente com sua inteligência.

    Ele sorriu por um momento

    -Ela não achava justo homens comuns lutarem contra ela, então o máximo que fez foi garantir que nossas forças não perecessem em campo, foi uma questão de dias até tomarmos a capital.

    Molhou os lábios na bebida mais uma vez

    -A capacidade de manipular a energia que vocês tem não os torna mais fortes, só dá essa impressão a mentes pequenas. A grandeza vem de dentro e só os homens sábios sabem usá-las de verdade. Homens fortes sobem e caem a todo momento, basta surgir um com mais poder, mas somente os verdadeiramente sábios permanecem.

    Sasuke nada disse, apenas ouviu o pigarro de Naruto e o loiro perguntar que bebida era aquela que tomavam pois estava muito saborosa

    -É uma infusão de ervas nativas

    Zayn respondeu ao loiro ainda com o olhar no Uchiha

    Então ela surgiu, o tilintar de suas joias e o perfume marcante deixavam sua presença ainda mais notável.

    -Habib, já vai começar.

    Ouviram-na dizer ao marido

    Em momento algum a atenção dela foi desviada do homem

    -Ah, ótimo, então vamos! A viu sorrir, não era o sorriso forçado que direcionava para ele, como os que estava distribuindo durante toda a noite pelo salão, era um sorriso simples, sincero. Conhecia aquele sorriso.

    Conheceu bem durante certo tempo de sua vida.

    -Habib, o que quer dizer?

    Ouviu Naruto perguntar a Temari

    -Significa meu amado na língua nativa.

    Habib...

    Anata!

    E foi com essa lembrança, dos finos lábios bem desenhados o chamando carinhosamente quando ainda eram um só que sentou-se na mesa baixa.

    Sua atenção só foi tomada novamente quando o rapaz juntou-se a eles.

    Não conseguiu prestar atenção no show que se iniciou, pois sua atenção se manteve fixa nele, nos traços, nos trejeitos, buscava algo, qualquer coisa

    Qualquer mísera coisa...

    Ali, lado a lado, vendo-os juntos, notou como ele segurava o copo como o Emir

    Batia palmas como ele

    Balançava os ombros no ritmo da música, exatamente como ele

    Apenas o sorriso não era dele, era dela

    De Sakura

    Até que pulou do assento se pondo de pé para dançar junto ao outro, ao tio que acabava de chegar.

    Surpreendeu-se ao ver aquela expressão no rosto dele

    Durou apenas alguns segundos e dispersou como se nunca houvesse existido.

    Baixou os olhos para a mesa, mesmo com toda a movimentação ao redor, apenas ele havia ficado sentado ali, junto ao líder daquela nação.

    Ergueu os olhos para ele que sorria, gargalhando ao ver como seus convidados se divertiam, direcionou seu olhar para o lado, para ela, viu como mexia os braços, sorria satisfeita assim como o homem.

    Então pousou a vista em Sarumi, somente naquele instante havia notado que a filha estava ali, e sim, estava com um vestido, provavelmente emprestado pela irmã, estava bonita mesmo sem ter nada quase nada enfeitando o rosto e os longos cabelos negros presos em uma trança lateral, possivelmente também obra da irmã. Naquele momento ela mantinha a atenção fixa na movimentação do que acontecia diante dos olhos de todos.

    O jeito dela...tão parecido com o seu próprio.

    -Desculpe interromper o divertimento, mas é hora do jantar!

    A rosada se pôs de pé e todos a aclamaram quando anunciou o banquete que se seguiria. Observou quando o árabe se levantou e foi até ela, como a segurou e trouxe para perto, mas desviou o olhar ao notar um Naruto cansado e eufórico se aproximar novamente.

    -Eu adoro esse lugar!

    Disse sorridente.

    Assim que se assentaram, o Emir e sua família na ponta, sendo seguido por Naruto e sua família, depois Temari, e por fim ele, Ino e sua filhas, puderam contemplar a infinidade de comidas e bebidas presentes naquela mesa.

    -O que é isso?

    Ouviu Sarumi perguntar a mãe sobre um prato exótico diante de si mesma

    -Eu não sei.

    Ino respondeu

    Pelo visto eles desejavam agradar todos os paladares presentes, pois a mesa extremamente cumprida estava repleta de pratos locais e das regiões visitantes.

    Quando o líder local anunciou o banquete ele olhou ao redor procurando os utensílios.

    Notou que seus conterrâneos também faziam o mesmo.

    -Habib, nossos convidados...

    Sakura disse em voz baixa mas não foi como se não pudesse ser ouvido

    -É verdade, me perdoe Habiba.

    Então o homem se virou para os criados e soltou

    -Tragam os pausinhos!!!

    Naruto segurou o riso junto a Boruto

    Viu quando a rosada levou a mão a barba dele e sorrindo lhe corrigiu

    -Hashis querido, chamamos de hashis, lembra?!

    Ele levou a mão a boca e pediu desculpas

    -Perdoem-me.

    Então ordenou mais uma vez

    -Tragam os hashis!!

    Ela lhe sorria, ternamente...

    Quando o criado lhe entregou o utensilio não sentia a fome que aquele banquete ostentava.

    O restante da noite seguiu amena, as poucas conversas eram sobre política, o calor, nada muito interessante, até que ela chamou a atenção de Naruto

    -Vá com calma Naruto, Gaara saiu daqui carregado após tomar alguns desses.

    Olhou para a figura loira que terminava de virar o copo pela garganta

    -Isso é uma delícia, o que é?

    -Cerveja preta

    -Cerveja? Mas é tão doce...

    -É uma especialidade local

    Sakura concluiu após levar um pedaço de fruta seca a boca e sugar os dedos suavemente em seguida

    Ela se atentava no que Temari dizia, soltou uma pequena risada quando a Nara lhe disse algo.

    Percebeu a forma como pegava mais uma fruta sobre o prato e o levava a boca, sequer sujava os dedos no processo.

    Os lábios pintados de vermelho continuavam intactos, e ela repetia o gesto, passo a passo.

    Percebeu que talvez aquela fosse sua comida preferida pois apesar da infinidade de pratos sobre a mesa, a rosada se fixava somente naquele.

    Lembrou-se dos umeboshis que ela tanto gostava, talvez por isso eles foram servidos assim que chegaram ali.

    Deu graças quando os primeiros convidados deram a noite por encerrada e se retiraram.

    Já era hora de sair dali.

    -Eu já vou

    Disse baixo próximo a Ino

    -Talvez eu deva ir com você.

    Ele nada disse, apenas se pôs de pé

    Foi a loira que tomou a palavra

    -Já vamos nos retirar, boa noite, foi um ótimo jantar, obrigada.

    Ele nada disse

    -Mas e a sobremesa sensei?

    Foi Samir quem o questionou

    Observou quando Sakura segurou a mão do filho e lhes direcionou a palavra

    -Boa noite, nós que agradecemos pela companhia.

    Será que ela ainda se lembrava?

    Se lembrava que ele não gostava de doces ou apenas... apenas não se importava com a presença deles ali?!

    -Venham meninas

    Ino chamou

    Sarumi e Inoue encaram a mãe, conhecia bem aquele olhar, era o olhar que davam quando a mãe pedia algo que não desejam fazer.

    -Deixe-as, cuidaremos bem delas!

    Sakura concluiu e olhou para Ino

    A loira o encarou e então soltou algo como um leve sorriso resignado para a rosada, se inclinou para as filhas e sussurrou

    -Comportem-se

    Então ergueu-se e ambos se retiram da mesa, lado a lado

    -Acha que foi uma boa ideia ter deixado elas lá?

    -É só um jantar.

    Dizia andando apressadamente sem motivo algum

    -O que tem de mais em um jantar?!

    Ficou um tempo sobre a sacada olhando para o grande céu de Dohã.

    Estava inquieto, Ino também, tanto que demorou até se trocar e finalmente decidir ir se deitar, agora finalmente dormia.

    Ele apenas ficou ali, sozinho com seus pensamentos

    Pensamentos perturbadores demais para deixa-lo dormir

    Desceu o olhar para até uma das sacadas abertas e ao perceber a movimentação a viu

    Ali soube que finalmente o jantar havia terminado

    Ela olhava para o céu assim como ele fazia agora pouco.

    Quando a brisa da noite passou viu quando se abraçou ainda observando os pontos cintilantes.

    Mas nenhum ponto naquele céu lhe chamaria mais atenção do que ela.

    E aquele pensamento...talvez insano demais para ser real o envolveu mais uma vez.  

    E somente ela, aquela mulher...

    Sua ex mulher, teria a resposta!

    Saiu do quarto sem olhar para trás.

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!