MAKTUB

Tempo estimado de leitura: 6 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 23

    A flor do deserto

    Adultério, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

    O caminho até a nação de Dohã foi mais rápido do que se esperaria para uma distância como aquela, o garoto...Samir, dizia que a tempos atrás a tecnologia não ajudava tanto quanto atualmente.

    Ele era um bom conduzente no fim das contas. Aparentemente existia uma embarcação que levava pessoas exatamente de onde estavam até a costa dos países além mar exclusiva da nação dele,  depois seguiriam viagem por terra.

    Hinata e Temari estavam junto, Naruto havia dito que a esposa foi formalmente convidada pelo Emir e era esperada, já Temari...faria o trabalho de relações internacionais já que tinha experiencia na área.

    Ela e Ino não se davam muito bem, mais pela Nara do que pela Yamanaka. Temari não fazia questão de esconder seu descontentamento com a loira e que não gostava da amizade dela com o marido, mas não a proibia, afinal só havia sobrado Shikamaru e Chouji na vida da loira.

    O rapaz fazia de tudo para que toda a comitiva fosse bem servida, contava histórias de sua terra que chamavam muito a atenção das meninas e das senhoras presentes.

    Boruto não aparentava ir muito com a cara dele, mas nada dizia, talvez pela presença dos pais.

    Quando Ino soube da ida de Inoue para Dohã e dos motivos para o mesmo, a discussão foi inevitável, até mesmo Sarumi e ele próprio precisaram entrar no meio, a loira mais velha insistia que a filha devia ser uma Yamanaka, seguir dentro do clã, mas foram as palavras de Inoue que a calaram de vez

    “-Eu não quero ser uma Yamanaka, quero ser uma ninja médica!!”

    Pôde perceber o ar magoado da matriarca, mas a mais jovem se manteve firme e seguiu viagem, estava feliz, até mesmo Sarumi, a mais séria de todos, estava animada.

    O que Dohã tinha que os atraía tanto assim?!

    No navio os jovens se separam dos adultos em suas atividades corriqueiras enquanto os mais velhos discutiam seu posicionamento diante a nova nação, o que era esperado, os movimentos políticos e toda diplomacia. Temari se mostrava uma profissional muito mais dedicada que o próprio marido e não deixava Naruto descansar enquanto não estivesse satisfeita.

    Fazia sentido afinal de contas, ela estava ao lado de um kage desde muito cedo, entendia muito mais daquilo do que todos ali juntos.

    -Quando chegarmos em Dohã, possivelmente seremos muito bem servidos, como já estamos sendo, eles tratam os hóspedes com toda pompa, então não se surpreendam com o exagero.

    Temari os deixava a par dos costumes locais.

    -Eles são muito afetuosos também, então não se espantem com as demonstrações de afeto em público, pode parecer estranho para nós mas é comum para eles.

    Ela se interrompeu por um instante mas depois prosseguiu

    -Ah, e não se espantem se eles comerem com as mãos!

    Os presentes se surpreenderam

    -Mas porque isso Temari-chan?

    Hinata perguntou

    -É uma forma que tem de se conectar com o alimento, a cultura lá é muito diferente da nossa.

    -Estou vendo...

    Ino comentou

    Quando desembarcaram os veículos motorizados já os esperavam, iriam diretamente para o médio oriente, por terra, com paradas estratégicas pelo caminho.

    Sasuke não gostou muito da ideia dos adultos irem em um veículo e os mais jovens em outro, mas não disse nada, mesmo assim manteve-se atento à movimentação dos mais novos.

    Afinal de contas, jovens eram jovens...

    -Are, esse lugar não chega nunca?

    Foi Naruto quem reclamou quando desceram para pernoitar em mais uma das cidades no caminho.

    Apesar de ser um homem de quase quarenta anos, o Hokage ainda mantinha alguns trejeitos de sua personalidade impulsiva de outrora.

    -Pois eu estou adorando Naruto-kun, podemos passar um tempo juntos.

    Hinata disse dando as mãos ao marido e acariciando seu braço.

    O Uzumaki sorriu para a esposa

    Ino e Sasuke dividiam o mesmo quarto, afinal, ninguém ali sabia que eles não eram um casal.

    Não disseram nada, Sasuke dormia no sofá que geralmente havia nos aposentos e ela na cama.

    Tudo luxuoso demais para o que eram acostumados.

    -O tal Emir deve estar gastando uma nota com essa viagem!

    Boruto comentou colocando uma quantidade significante de comida na boca e recebendo um olhar repreensivo da mãe para que se comportasse direito.

    Quando Sarumi chegou junto a Samir, sendo seguidos logo atrás por Inoue, engoliu rapidamente a comida e se ajeitou na cadeira.

    -Estão fazendo de tudo para nos agradar, então aproveite.

    Piscou Naruto para o filho que sorriu em resposta.

    -Espero que tudo esteja do agrado de vocês, se precisarem de algo, por favor, me avisem.

    Samir lhes dirigiu a palavra logo se sentando a mesa.

    -Está tudo ótimo Samir-san, nem precisava disso tudo.

    -Vocês são preciosos para nós, merecem o melhor que pudermos oferecer.

    Estavam no melhor hotel da região, como estava sendo durante toda a viagem.

    -E minha mãe me mataria se soubesse que não tratei um hospede bem.

    Comentou o rapaz

    Naruto travou

    -Sua mãe?

    O olhar ébano subiu até o Hokage

    -Sim, ela passou um tempo com os Tuaregues no deserto, para eles os hospedes são como reis, foi ela quem levou esse conceito para nossa nação, por isso presamos muito para que sejam bem servidos.

    O jovem lhes sorriu.

    -Então ela viveu no deserto?

    A curiosidade de Naruto chamou a atenção dos outros na mesa

    -Por um curto espaço de tempo sim, foi antes de eu nascer, antes mesmo do meu pai.

    O olhar do Hokage pareceu distante

    -Uma mulher muito corajosa...a sua mãe

    O moreno maneou sutilmente a cabeça

    -Intrépida, como meu pai gosta de dizer. Acho que foi isso que fez com ele se apaixonasse por ela.

    Temari soltou um leve pigarro

    Naruto baixou o olhar

    -Mal vejo a hora de me encontrar com eles.

    E ergueu os olhos azuis sorridente.

    Comeram conversando animosidades e seguiram viagem, até que finalmente a paisagem mudou. O ar ficou mais seco e a temperatura foi subindo, o verde foi mudando de tom e as cidades foram se esparçando.

    Estavam chegando ao deserto.

    Então pararam os veículos.

    -É aqui, depois do deserto, estaremos em Dohã.

    Temari comentou.

    Estava ansioso para chegar ao tal lugar, possivelmente pelos dias de viagem, ou pelo ar sufocante que se fazia ali já que abrir as janelas era impossível devido ao calor do lado de fora.

    E lá fora, tudo que se via eram as montanhas, gigantescas e feitas completamente de areia

    -Ei Temari...Suna é não é assim.

    Naruto comentou olhando pela janela

    -Suna é do outro lado do mundo, aqui estamos no meio da terra, onde o sol bate diretamente, dizem que até hoje viajantes se perdem nesses lugares e nunca mais são achados.

    E então olhou para o loiro

    -Fora as tempestades de areia.

    -Será que vem vindo uma?

    O Hokage pareceu apreensivo e Temari gargalhou

    Hinata acalmou o Marido

    -Fique tranquilo Naruto-kun, se algo de ruim fosse acontecer, Samir-san nos diria, estamos todos seguros.

    O Uchiha continuava com o olhar preso nas enormes dunas do lado de fora, até que viu, se aproximando, lentamente, estava sobre um animal e todo coberto por tecidos.

    Ficou sob alerta

    Coberto dos pés a cabeça, apenas com os olhos negros de fora, parou diante do veículo que estavam, atrás dele outros puderam ser vistos.

    Quando ele desceu do animal de corcovas, abriu a porta e o mormaço adentrou.

    -Hokage-sama, sou Amin Hadiya, irmão mais novo de Zayn Hadiya, vim garantir sua passagem segura pelo nosso deserto, a partir daqui peço que nos acompanhem sobre os camelos.

    E se curvou suavemente

    Quando Naruto foi abrir a boca para dizer algo puderam ouvir o garoto

    -Tio!!!

    Samir pulou sobre as costas do homem quase o derrubando sobre a areia.

    -ladayk wasayit alsabii! (tenha modos garoto!)

    Quando se ergueu novamente o lenço sobre o rosto estava fora de lugar e todos puderam contempla-lo.

    -Desculpem os maus modos do meu sobrinho.

    Amin comentou olhando com o olhar severo para Samir que sequer se importou.

    - lanurahuna? (Vamos apostar?)

    Disse o mais jovem acariciando o animal de corcovas

    - 'ant lm tukhrij min alkhade hataa alan wataetaqid 'anak darabatni

    (Você nem saiu das fraudas ainda e acha que ganha de mim?)

    Samir encarou o tio

    - 'ana mtakd (tenho certeza!)

    O mais velho direcionou o olhar mais uma vez para os convidados.

    - Espero que possam nos acompanhar.

    Todos dentro do veículo se entreolharam.

    Temari cutucou Naruto

    -Ah, claro, claro...

    O Hokage foi o primeiro a sair

    -Tenho certeza que vão gostar da experiencia.

    Amin comentou sorridente.

    -Pedimos que cada um vá acompanhado já que acredito ser a primeira vez da maioria.

    Ele estendeu a mão e ajudou cada uma das mulheres a sair do veículo.

    -Vá ajudar as do outro, garoto!

    Disse a Samir.

    Prontamente ele foi até o outro veiculo e abriu a porta, de lá ajudou Sarumi e Inoue a sair, Boruto deu um salto para fora gritando como ali fazia calor.

    Aquilo era totalmente desnecessário, andar de camelo, àquela altura da vida?!

    -Me acompanha Sasuke?

    Foi Temari quem o chamou, o moreno estranhou mas não disse nada, Temari fazia questão de deixar bem claro que não ia com a cara dele, então porque se mostrava solicita em dividir um animal com ele ninguém saberia dizer.

    Ignorou e se ajeitou para subir.

    Foi ajudado pela mesma que parecia ter experiencia no trato  com aquilo

    Naruto foi com Hinata, obviamente, e Ino com o tal Amin...

    Procurou por suas filhas, Sarumi ia sentada diante do corpo de Samir e Inoue dividia um animal com um Boruto sisudo.

    Seus pensamentos foram tomados quando o animal, que se mantinha deitado sobre as patas para que subissem, se pôs de pé.

    Pode ouvir os sons de espanto de Hinata e Ino.

    -Até que isso é divertido!

    Naruto comentou.

    Poucos instantes depois sua fala mudou

    - Acho que estou ficando enjoado!

    O sacolejar do animal, para frente e para trás necessitava bastante experiência e controle mental para não se deixar levar pelo nausear dos movimentos.

    -É melhor nos adiantarmos antes de anoiteça.

    Amin comentou.

    -Aceita meu desafio tio?

    Samir disse de onde estava

    -Você não aprende não é garoto...

    - Hayaa!!  (Vamos lá!!)

    O rapaz gritou e seu animal disparou, o mais velho bufou e então o alcançou, e ambos ficaram lado a lado, disparados, em alta velocidade até sumirem pelo deserto.

    Temari gargalhou e todos puderam ouvir os gritos de Ino sumindo ao longe.

    -Sarumi!!!

    Inoue disse mas já era tarde, a morena estava longe, restando a eles irem no seu ritmo, com Naruto reclamando de enjoo durante todo o trajeto que restava.

    Já nas portas da cidade as luzes se fizeram presentes, de várias cores e tons, Dohã surgia em meio ao deserto como uma flor, um oásis.

    -Nossa...

    Finalmente Naruto havia mudado o discurso

    A tecnologia e modernidade do local tornavam quase inacreditável que o lugar ficava exatamente em meio a um deserto.

    Ninguém estranhava a enorme comitiva passando por ali sobre camelos, rodeados por homens de negro, deviam ser acostumados no fim das contas, pôde vislumbrar a grande construção iluminada.

    -Aquela é a Universidade de Medicina.

    Temari comentou

    Seus olhos rapidamente buscaram por Inoue, parecia hipnotizada.

    Então pararam, e o palácio de onde estavam diante não perdia em grandiosidade para aquela que acabara de ver.

    As portas foram abertas e de lá ele surgiu, as roupas brancas e vermelhas, os cabelos longos presos sutilmente na base e jogados pelos ombros.

    A barba aparada e o sorriso no rosto.

    -Bem vindos a Dohã!

    A beleza do lado de fora não fazia jus a do lado de dentro. O chão em mármore, os salões amplos de se perder de vista, colunas brancas bem trabalhadas.

    Flores espalhadas pelos cantos dando cor ao ambiente claro.

    -Espero que a viagem apesar de longa, tenha sido o menos tortuosa possível.

    Zayn Hadiya estava parado diante deles, os criados traziam suas malas enquanto uma senhora de traços ocidentais como o homem a sua frente dava as ordens aos mesmos.

    -Desculpem estar sendo tudo assim, meio no improviso, minha esposa deveria estar aqui, ela os receberia muito melhor do que eu, mas saiu em missão e acabou demorando-se mais do que o esperado, já está voltando, acredito que amanhã teremos o prazer de sua presença.

    Estava começando a ficar curioso sobre essa mulher que todos falavam.

    -Uzumaki Naruto...estava curioso sobre sua pessoa.

    O homem se curvou e Naruto repetiu o gesto

    Pode perceber o Uzumaki levemente sem graça, geralmente não o tratavam com tantas pompas assim.

    -E eu de conhecer vocês, a anos tento contato.

    O homem se aproximou

    -Que nosso contato se inicie e seja duradouro.

    Ele lhe estendeu a mão e o loiro a pegou meio sem jeito.

    Apertaram-nas e então o árabe continuou

    -Espero que meu Samir não tenha lhe dado trabalho

    -Ah, não, ele é um ótimo rapaz, mas deve perguntar isso a seu sensei que está aqui, Sasuke.

    O olhar do homem caiu sobre si

    -Sasuke...

    A mão antes direcionada a Naruto veio em direção ao Uchiha

    Ele o encarou por um instante e então ergueu a sua própria

    -Obrigado por ter auxiliado meu filho.

    -É como Naruto disse, ele é bom, já veio treinado, não tive muito trabalho.

    Zayn sorriu

    -Ele e a mãe levam os treinos a sério.

    Apertaram- se firmemente e então se soltaram

    Ino estava ali, a seu lado, mas suas filhas não

    -Eu fico aqui tagarelando e me esqueço da viagem longa que fizeram, devem estar cansados, os jovens já foram encaminhados para seus quartos, esta noite deixarei que descansem, serão servidos em seus aposentos e amanhã conversaremos.

    Ele se curvou mais uma vez e completou

    -Caso precisem de algo é só chamar, seus pertences já estão nos quartos.

    Hinata e Temari agradeceram a hospitalidade, então os criados vieram e levaram cada um a seu lugar de pouso.

    Ele e Ino foram levados para o mesmo.

    -Acho que pensam realmente que somos um casal.

    A loira comentou

    -Isso te incomoda?

    -Depois de tantos anos? Não.

    E então lhe sorriu levemente

    Quando a porta do lugar foi aberta beirava ao exagero

    A cama era gigantesca, haviam almofadas, um grande tapete ornamentado no chão, a sacada era grandiosa e a porta de madeira ficava aberta dando a visão de Dohã aos visitantes, o banheiro ao lado era todo em pedra, a banheira grande, com várias essências, e diversos tipos de sais...

    Flores pendiam do teto, um doce aroma de incenso queimava na mesa em um canto

    -Se nosso quarto é assim, imagina o do Hokage.

    Ino comentou se aproximando da cama

    -Chegaram muito antes de nós?

    O Uchiha se referia a corrida estranha que os dois árabes fizeram mais cedo.

    Ino sentou-se na cama e suspirou

    -Onde eles estavam com a cabeça em fazer algo como aquilo?

    -Talvez você precisasse de um pouco de adrenalina, faz anos que não sai em missão.

    A loira nada respondeu

    -E Sarumi?

    -Se agarrou ao colega como se dependesse daquilo para viver.

    Sasuke ponderou sobre o que Yamanaka disse, a morena era mais ponderada, centrada, talvez a atividade não tenha lhe agradado, mesmo que os ânimos entre os dois companheiros de equipe tenham se acalmado após o incidente inicial quando se conheceram.

    Sasuke ia dizer algo mais ouviram batidas na porta.

    Ino se levantou e foi abri-la.

    Uma criada muito bem vestida lhe estendeu a bandeja

    Não devia falar sua língua

    A loira a recolheu e agradeceu, a jovem apenas sorriu e fechou a porta

    -Nossa, acho que vou precisar me vestir melhor aqui, até as criadas usam maquiagem.

    -Deve ser um costume local.

    Sasuke disse retirando a capa de viagem e sentando-se sobre a cama

    Ino deixou a bandeja sobre a mesinha ao lado do incenso e a destampou

    -Onigiris, umeboshi e chá?

    Os olhos azuis o miraram

    O moreno olhou para a bandeja e depois para a Yamanaka

    -Provavelmente conhecem nossos gostos, Naruto disse que eles já fizeram acordos com várias vilas de nossa região.

    -Hum, talvez me acostume com esse lugar.

    A loira sorriu e Sasuke se atentou aos umeboshis.

    Ino se retirou dizendo ir procurar saber se as filhas estavam bem, Sasuke aproveitou para se banhar e então todo o cansaço se abateu sobre seu ser.

    Quando a loira voltou ele já estava dormindo.

    O café da manhã foi a demonstração mais farta de alimento que já viu na vida. A mesa cumprida com uma infinidade de acentos era ocupada por Zayn, Samir, Amin e seus convidados, a mistura de comidas árabes e orientais agradava todos os paladares e Hinata se mostrou muito interessada em provar os novos sabores.

    Temari se fartava da comida do deserto, já ele, preferia se fixar no que conhecia.

    Depois de alimentados foi a hora de conhecer Dohã. Passearam pela cidade junto a uma comitiva própria do Emir, muitos o cumprimentavam e ele fazia questão de apresenta-los a Naruto.

    Pelo visto o homem era visto como uma espécie de herói local, assim como o loiro o era em Konoha, voltaram no horário do almoço mas a grande movimentação do palácio chamou a atenção de todos.

    O sorriso que o homem deu ao ter algo soprado em seu ouvido pelo criado não lhe passou despercebido

    Então se virou para seus convidados e disse

    -Finalmente vão conhecê-la!!

    As portas foram abertas, por lá passaram algumas pessoas, ninguém em especial pelo visto já traziam diversos aparatos entre as mãos, além de malas e até mesmo espécies de plantas.

    Então ela adentrou, com as roupas brancas feitas de tecido leve, a brisa quente a acompanhou e balançou o véu que pendia de seus cabelos até o rosto, apenas os olhos eram deixados de fora.

    Marcados pela maquiagem escura e profunda.

    Uma sensação estranha apossou-se de si

    Aquele chakra...

    -Quem é aquela?

    Foi Naruto quem sanou suas dúvidas

    Sentiu o hálito do amigo mais próximo do que o comum

    -Não reconhece mais sua ex esposa?

    Então a mão pequena retirou o lenço de sobre o rosto...o mesmo rosto de anos atrás, sem mudar um traço sequer.

    Era como se o tempo tivesse parado a quase vinte anos.

    Olhou-a de cima a baixo e constatou

    -Ela está gravida...

    Sussurrou

    -Desative esse olho Sasuke, estamos em um país estrangeiro!

    A voz de Naruto ecoava em sua mente, mas diante de si, tudo que via era ela.

    Sakura...

    Tudo que viu antes de fechar os olhos foi o homem se aproximar e segurar naquele rosto intacto, beijar o centro do losango onde jazia uma pedra aparentemente preciosa e sorrindo  dizer, em alto e bom som

    -Essa é minha esposa, Sakura Haruno Hadiya,  luz da minha vida!

    Quando os abriu o Sharingan já não estava mais lá

    -A flor de Dohã.

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!