MAKTUB

Tempo estimado de leitura: 6 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 19

    Djins

    Adultério, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

    Levava a carta do Hokage entre as mãos, estava em um time, sim, finalmente um time!!!

    Quando chegou no lugar de treino indicado por seu padrinho, notou o local deserto.

    Ponderou se estava no ponto certo, acreditou que sim já que Kakashi lhe afirmara com convicção que era que ali que o time 7 sempre treinou, por toda a vida, em todas as gerações.

    -Essa área já está reservada!

    Ouviu uma voz atrás de si e se virou.

    Quando viu a figura nos trajes roxos e negros, se postou diante da mesma.

    -Sim, eu vim em busca da equipe que treina aqui.

    A jovem o mirou de cima a baixo

    -E quem é você?

    - Samir! Samir Hadiya.

    Fez uma reverência em cumprimento a garota

    -E você?

    Perguntou ao voltar a encará-la

    -Sou Sarumi. Uchiha Sarumi.

    -É um prazer conhecê-la.

    Completou

    Os orbes em tons de ébano se perderam nos ônix da garota a sua frente.

    -Oe, Sarumi-chan, que bom que já chegou!!!

    O jovem loiro se aproximou correndo e parou ao lado da companheira de equipe.

    -Hum...quem é esse cara?

    -Sou Samir, vim me juntar a vocês.

    Boruto franziu a testa e questionou

    -Então é você que vai ficar no lugar do Mitsuki?

    O Uzumaki direcionou sua atenção a Sarumi

    -Porque não me disse nada?

    -Eu não sabia…

    E continuou mirando o jovem a sua frente, tinha o olhar analítico de seu progenitor

    -Papai não me disse nada

    -Eu também não sabia

    A voz do Uchiha se fez presente e então Samir se virou

    Os olhos desiguais do homem tão alto quando ele pousaram sobre si, era um ser imponente.

    -Acredito que seja o sensei…

    Então lhe estendeu o papel que tinha entre as mãos

    Sasuke o pegou e abriu ainda olhando para o rapaz, somente depois de observá-lo bem deixou os olhos caírem sobre o papel.

    -O Hokage o designou como membro do time.

    O Uchiha disse dobrando o mesmo logo o devolvendo

    -Sim, será uma honra fazer parte de sua equipe senhor…

    -Uchiha. Sasuke Uchiha.

    Então naquele instante Samir compreendeu que a jovem atrás de si tinha ligação com o homem à sua frente.

    -Bom, vamos ver do que é capaz, Samir.

    Completou o mais velho e direcionou o olhar para os dois atrás do mesmo

    -Boru..

    Ele começou mas Sarumi saiu na frente

    -Eu luto com ele!

    Se virou novamente para a jovem.

    -Eu mesma luto com ele, sensei.

    A morena completou olhando em direção a figura esguia e mais velha.

    -Certo.

    O loiro coçou a cabeça e se afastou, o mais velho apenas cruzou os braços e esperou que ambos começassem.

    Ficou parado imóvel por alguns instantes

    Ela o olhava como um predador analisa sua caça antes do bote

    -Então? Vai me atacar ou vai ficar só me olhando?

    Nunca havia lutado com uma mulher antes, nunca com ninguém além de sua mãe.

    Entrou em posição e aguardou.

    -Bom, já que você não começa…

    Então ela deu fez o primeiro movimento, com os cabelos negros voando soltos por detrás da bandana da Vila vindo com tudo em sua direção.

    Mal teve tempo de desviar, a Kunai que sequer reparou a garota levar entre os dedos passou a milímetros de seu rosto.

    Sua adrenalina foi a mil, ele realmente estava lutando, e ela iria machucá-lo...pra valer!

    Quando se virou a garota já avançava novamente, a série de golpes era rápida, ela era veloz e foi num descuido seu que com a outra mão ela o atingiu com a outra kunai que nem ao menos tinha visto.

    Era ambidestra.

    Sentiu a ardência no rosto e a percebeu sorrir.

    Quando levou a mão a face viu o rastro de sangue

    Mas ao buscar a kunoichi novamente, ela já não estava mais diante de si, nem atrás, nem por cima, então só havia um lugar…

    E foi exatamente de onde veio, saiu do chão com tudo lhe dando um golpe que se não fosse desviado a tempo cravaria a kunai exatamente em seu estômago, de cima para baixo.

    Conseguiu recuar poucos milimetros antes de bloquear o golpe.

    “Lembre sempre de evitar os pontos vitais”

    Recordava dos ensinamentos de sua mãe como flashes e de como ela sempre planejava o ataque exatamente nesses pontos cruciais para que ele desenvolvesse bem seus reflexos.

    A jovem aumentou o sorriso e começou a fazer os selos 

    “Somos ninjas de força bruta, o melhor momento para quebrá-los é quando estão fazendo os movimentos com as mãos, então seja rápido”

    Seu corpo agiu mais rápido que sua mente, e então o chakra fluiu, de uma vez, potente e vivaz, ele avançou sobre ela desferindo o golpe único.

    Em uma batalha real teria mirado em um ponto vital, mas ali ele quis destruir sua fonte de selos.

    Ouviu o som do ombro e dos braços rachando.

    Era um ótimo som.

    -Sarumi-chan!

    O ninja loiro se aproximou da figura caída no chão enquanto o mais velho havia descruzado os braços e o olhava com um ar descrente, talvez como um animal descontrolado.

    Foi uma péssima maneira de se enturmar, sentia-se horrível vendo o homem desaparecer com a garota gemendo de dor entre os braços. Quis correr e dar um jeito na situação mas era tarde demais.

    Precisava encontrá-la, pedir desculpas, se explicar, correu os olhos pelo local e até mesmo o shinobi loiro havia sumido.

    Suspirou, deviam ter ido para o hospital, e era exatamente para lá que se encaminhava apressadamente.

    Foi pulando pelas casas, no fim das contas não foi difícil achá-lo, as placas de localização espalhadas pela vila ajudaram muito, quando entrou tentou perguntar pela jovem, mas não o deixariam entrar se não fosse conhecido da garota, sabia bem disso. Então se esgueirou pelo mesmo, era bom nisso, vivia o fazendo desde a infância quando queria visitar a mãe que estava sempre ocupada, no fim das contas não foi difícil achá-la, a assinatura de chakra ainda estava fresca em sua mente.

    Quando a viu sentada na cadeira de espera sentiu um alívio, então se aproximou rapidamente e nem se preocupou muito com as pessoas ao redor.

    -Fique longe de mim!

    Travou com as palavras desferidas a ele

    Quando ia abrir a boca para dizer-lhe algo o homem tomou a dianteira

    -O que faz aqui Inoue?

    Só naquele momento se apercebeu da garota loira, a mesma que havia visto assim que chegou na vila.

    -Eu…

    Ela começou, mas a médica se aproximou da morena sentada na cadeira e analisou a situação fazendo a jovem gemer de dor.

    Aquilo o fez se sentir ainda pior.

    -Está deslocado, vamos ter que colocar no lugar, você não vai poder treinar por uns dias mocinha!

    Sarumi soltou um praguejo e um olhar ferino a Samir..

    Então respirou fundo e fez o que lhe foi ensinado, sabia que estava em uma batalha, mas isso não mudava o fato que sentia- se mal pela que havia infligido a garota.

    E uma coisa que seu pai havia lhe ensinado era: “Se fez algo de errado,peça desculpas e conserte”

    Se ajoelhou diante da figura sofredora da Uchiha e tocou sutilmente sobre o ombro deslocado, só de fazer o ato já conseguia sentir os ossos que precisavam ser postos no lugar.

    Por fim fez a luz verde fluir, não o verde comum, habitual, mas a mais pura forma de chakra curativo que havia aprendido.

    Queria fazer a dor passar o mais rápido possível

    -Desculpe ter machucado você.

    Começou

    -Na minha cultura tratamos as mulheres como rainhas, pois são isso que elas são.

    A olhava nos olhos enquanto dizia, algo também ensinado por seu pai.

    -Espero que possa me perdoar.

    Sorria em sinal de paz.

    -Pode colocá-lo no lugar agora, ela não vai mais sentir dor.

    Disse se levantando e direcionando a atenção para a médica de pé ao lado da garota loira.

    E foi o que aconteceu, quando a morena estalou os ossos os pondo em seu lugar de origem foi como se dobrasse um papel tamanha facilidade com que o fez.

    E a Uchiha não soltou um pio.

    -Eu já vou me retirar, desculpem o transtorno.

    Era hora de sair dali,  enquanto se afastava deu de cara com o ninja loiro que caso se lembrasse bem, tinha por nome Boruto.

    Ele apenas o mirou com uma cara não muito boa e continuou seguindo seu caminho, pode ouvi-lo perguntar pela garota de cabelos negros.

    A bela e nervosa garota de cabelos negros.

    -Como foi o primeiro dia de treino?

    Kakashi perguntou assim que colocou o pé no apartamento

    -Não muito bom na verdade…

    O mascarado sorriu.

    -Já era o esperado, nenhum primeiro dia com o time 7 é fácil, eu que o diga.

    Samir lhe sorriu resignado

    -Venha, vamos comer e você me conta tudo.

    Os dias que se seguiram não foram fáceis, mas aos poucos ia tentando se adaptar, ele quis aquilo a vida toda, não tinha o direito de reclamar. Seu sensei, Sasuke Uchiha, era o homem mais calado que já vira na vida, muito diferente do ninja loiro, Boruto, filho do Nanadaime Hokage e levemente rebelde, fazia de tudo para chamar a atenção da única mulher da equipe, Sarumi, filha de Sasuke, e o membro mais arredio de todos.

    As lutas com Boruto sempre eram rápidas pois o ninja era impulsivo e na verdade bem fácil de prever, apesar de ter mistérios ocultos e um poder ainda inexplorado. Já Sarumi não lhe dava brecha, e por vezes suas batalhas terminavam empatadas, Boruto sempre torcia para a jovem e a estimulava, quando por algum descuido perdia, ele tentava se aproximar, mas ela o rechaçava.

    Um dia, após um treino, enquanto terminava de juntar suas coisas, tentou se aproximar da garota.

    -Sabe que ele gosta de você não é?

    Ela se levantou após terminar de fixar bem a bolsa de armas na perna e o mirou

    -Quem?

    -Boruto.

    Ela sorriu com a lateral dos lábios

    -Amor...isso não existe, não entre homem e mulher.

    Samir se surpreendeu com o comentário

    -Porque acha isso?

    -Por que eu sei que não, eu nunca o vi, é só mais  uma distração.

    Ele estava pasmo. Como assim o amor era apenas uma distração..era a coisa mais inacreditável do mundo, como ela podia dizer algo como aquilo?

    -Então não acredita no amor?

    E o mirando nos olhos escuros concluiu

    -Não.

    Então se virou indo embora e o deixando sozinho. 

    Talvez agora entendesse um pouco porque a jovem era tão amargurada.

    Caminhava pelo centro da vila até avistar a loja, já era hora de findar com a animosidade entre os dois, e ele não conhecia uma mulher sequer que não gostasse daquilo.

    Adentrou no recinto observando a palavra aberto escrito na letra cursiva.

    Os olhos azuis caíram sobre sua figura fechando um grosso livro apressadamente

    -Bem vindo!

    Disse levemente sem jeito.

    -Obrigado.

    Ele olhou ao redor, o ambiente era claro e tinha a mescla dos aromas das flores presentes ali.

    Então deixou sorrateiramente os olhos pousarem sobre o livro de capa dura e grossa que inutilmente a garota tentava esconder

    -Embriologia e genética…

    Disse em voz alta

    Os olhos azuis se alarmaram

    -É um dos meus campos favoritos…

    -Você é médico?

    Ela perguntou surpresa, então balançou a cabeça fazendo a fina franja loira balançar junto

    -Claro que é, eu vi o que fez no braço da minha irmã.

    -Sarumi é sua irmã?

    Ela apenas maneou a cabeça

    -Gêmea!

    Ele sorriu

    -Então acredito que esteja gostando do livro.

    Ela relaxou e também sorriu

    -Sim, elucida muita coisa. Sempre fomos separadas na academia por sermos diferentes fisicamente, ela morena e eu loira, eu com as características da minha e ela…

    -Do seu pai. É,eu reparei.

    Inoue ficou em silêncio por um momento mas depois prosseguiu

    -Às vezes não me sinto uma Uchiha, mesmo tendo o sobrenome e fazendo parte da família...as pessoas não veem como uma.

    Samir se aproximou do balcão e se inclinou sobre o mesmo ficando próximo a jovem

    -Eu sei como é, a genética é como um jogo de dados, não se sabe o que vai dar. Olhe pra mim! Minha mãe é oriental, de olhos verdes com os cabelos rosados, mais uma distorção genética do tom vermelho, meu pai é árabe, de olhos em tom de mel e cabelos castanhos… muitos dizem que lembro meu tio pela cor dos olhos, na verdade apenas a cor dos meus cabelos se parecem com os do meu pai, e meus olhos, são tão orientais quando os da minha mãe. A genética é um tiro no escuro, o que vale de verdade é o que guardamos no coração, não no dna.

    Ela abriu a boca chocada com as palavras do rapaz.

    -Devia considerar Dohã, temos ótimos campos de ensino na área médica.

    E lhe sorriu sorrateiramente

    -Você é de Dohã??

    A loira se empertigou no balcão

    Ele maneou a cabeça ainda sorrindo.

    A garota o admirava como se ele fosse um dos mestre que ensinavam sobre os mistérios do deserto, então ele apenas se levantou e olhou ao redor.

    -Bom, agora, o que me recomenda para que sua irmã finalmente possa me perdoar?

    Era fim de semana, então não teriam treinos, saiu cedo com a pequena flor vermelha entre os dedos.

    “Toda mulher gosta de rosas”

    E era uma rosa que levava, sabia por comentários de Boruto que a Uchiha mesmo em seu período de descanso saía para treinar sozinha, então a esperou a distância, pronto para se aproximar assim que a avistasse.

    Viu o patriarca sair e o seguiu com o olhar por um tempo, sempre o pegava o observando por um tempo acima do comum, o esmiuçava...talvez achasse que ele era diferente demais, ou o analisasse, o moreno parecia ser bem analitico, mas não o corrigia muito e nem se aproximava, de alguma maneira parecia gostar de vê-lo lutar.

    Minutos depois ela saiu, estava com a usual blusa roxa de zíper e o short preto, esperou que caminhasse mais um pouco e então se adiantou sobre uma casa, pulando na frente da figura a fazendo parar de imediato.

    -Para você.

    Estendeu a rosa antes mesmo que ela pudesse dizer algo, o olhar de reprimenda em seu rosto se tornou de espanto.

    -Espero que sejamos ser amigos e possa me desculpar pelo outro dia.

    Ele dizia ainda com a flor estendida na direção de Sarumi.

    -Você é bonita demais para viver mal humor.

    Então ele sorriu

    E ela lhe sorriu em resposta, pegando finalmente a flor estendida desanuviando o ar severo.

    Treinaram juntos aquele dia, e não foi como nos outros, duro e áspero…

    Ela não parecia mais querer lhe matar!

    O ar entre ambos era ameno, chegou até a lhe falar do lugar de onde vinha, conseguiu lhe arrancar um sorriso ou dois.

    -Gosto quando sorri.

    Achou tê-la visto corar.

    E a partir daquele dia, queria vê-la corar sempre, pois foi naquele instante que seu coração disparou pela primeira vez na vida.

    Se tornou maravilhoso estar Konoha, pois agora, seu coração estava em Konoha!

    Aquelas barreiras que ela havia colocado em torno de si, foi às derrubando uma a uma, com calma e paciência, pois o amor era assim, paciente, tranquilo, sempre sonhou viver um amor daquele, como o de seus pais.

    Ela relutou no início, realmente não acreditava nesse sentimento, disse que seus pais eram a prova viva disso! 

    Mas ele próprio a contestou, dizendo que os seus eram a prova do contrário.

    Quando sentiu o sabor dos lábios macios pela primeira vez...entendeu quando seu pai disse que o paraíso poderia estar na terra, era só encontrar a mulher certa.

    Mas existia uma angústia, uma inquietação sempre que a ideia da separação surgia na mente de algum dos dois.

    Ele pediu aos céus para que isso não acontecesse, pois seu tempo ali estava acabando.

    Um dia seu pai lhe disse que acreditava em gênios da lâmpada, pois foi um deles que havia trazido sua mãe até ele, na época achou aquilo uma bobagem mesmo não verbalizando, mas agora, naquele momento, começou a ter as mesmas crenças que seu pai, pois seu gênio tinha nome e sobrenome

    Uzumaki Naruto!

    Quando todo o time 7 estava reunido diante de seu gabinete na torre Hokage, foi que ele disse as palavras mágicas.

    -Vamos todos para Dohã!

    Continua...

    *Djinn- Os Djinns estão presentes no folclore árabe desde tempos pré-islâmicos. Ficaram conhecidos no ocidente na forma dos caricatos “gênios da lâmpada”, que aparecem em tantas histórias.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!