Always

Tempo estimado de leitura: 3 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 2

    Capitulo 2

    Álcool, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez

    Cochilou em cima do pacote de biscoitos, as formigas o comeriam vivo se passasse mais tempo ali, se levantou e falou um palavrão em pensamento, caminhou preguicosamente para banheiro a fim de fazer sua higiene matinal.

    E mais uma vez o transito de Tókio não colaborava nem um pouco, por já estar acostumado sempre saia meia hora mais cedo de casa, detestava atrasos. Naquela manha fez tudo que fazia todos os dias, se trocou no vestiário, pegou os prontuários em sua sala, visitou os pacientes mais graves e fez alguns relatórios. Acabou tendo uma emergência próximo ao meio dia, um dos pacientes teve uma parada cardíaca, tentaram tudo para ressucita-lo mas fora em vão, mais tarde foi dar a noticia aos parentes.

    -Nos diga doutor, como ele esta?

    Era a mãe do Jovem que acabara de morrer, tinha lagrimas nos olhos e o rosto vermelho, devia estar chorando a horas.

    -Fizemos de tudo para reanimá-lo mas seu coração não agüentou, estava fraco demais.

    A mulher torceu o cenho e desabou em lagrimas, algumas outras mulheres ao redor também começaram a chorar e correram para abraçá-la, um homem sentado em uma das cadeiras abaixou a cabeça e agarrou os cabelos, provavelmente era o pai.

    Não se sentia bem naquela situação, nunca tinha problemas em dar a noticia aos familiares, o problema só chegava na hora da reação dos mesmos, seus rostos torcidos em sofrimento e as lamurias que se seguiam.

    -Com licença. Disse sendo ignorado por todos.

    Levou as mãos aos cabelos negros os bagunçando ainda mais

    -Ei garoto, não vai almoçar?

    Sasuke estava em sua sala com as pernas pro ar, olhando pro teto e perdido em pensamentos.

    Abaixou os olhos e deu de cara com um ser alto e cabelos prateados, era Kakashi, diretor do hospital, grande cirurgião e amigo do moreno.

    -Onde você se enfiou desde ontem, posso saber doutor Hatake?

    -Ah meu jovem, estava aproveitando a vida, coisa que você deveria fazer também.

    Kakashi deu um tapa nos pés do moreno os fazendo cair da mesa, o mesmo sorriu e se inclinou chegando mais próximo do medico.

    -Nos dois sabemos muito bem como você aproveita a vida... e continuou com seu sorriso lateral.

    -Bom, falamos nisso depois, vem, vamos almoçar, estou faminto depois da noite de ontem.

    Sasuke balançou a cabeça e se levantou, Kakashi era um conquistador barato, dava em cima de qualquer coisa viva que se movimentasse, ate de Tsunade, vinte anos mais velha que ele. Mesmo assim era a única pessoa com a qual poderia contar, alem de Naruto é claro. Kakashi era amigo de Itachi muito antes de conhecer Sasuke, tão amigos que chegaram a dividir a mesma paixão por carros, basquete, vodka e mulheres, loiras de preferência, muitas namoradas foram dividas entre os dois. Com a morte do Uchiha mais velho Sasuke e Kakashi se aproximaram mais, os dois estavam na sala de cirurgia do moreno, a diferença é que Sasuke se culpava, já Kakashi tinha experiência suficiente para saber que não fora culpa de ninguém, mesmo assim evitava tocar no assunto na frente dele.

    Caminhavam distraidamente pelos corredores ate ouvirem ruídos estranhos vindos do andar superior.

    -Que barulho é esse? Sasuke perguntou interrompendo a fala do amigo que descrevia a noite que passara com a loira que conheceu em um bar.

    -Ah, vem do andar de cima, estão fazendo uma festinha para uma jovem que deu entrada ontem.

    -Festinhas no hospital senhor diretor?! Sasuke disse em tom de deboche

    -Você é o único que se recusa a aproveitar a vida, Uchiha. Gosto de ver os pacientes se divertindo.

    -Assim ate parece que você é uma ótima pessoa... o moreno girou os olhos

    -Claro que sou, e alem do mais, tem uma loirinha linda la em cima, podíamos dar uma passada la depois...

    -Não posso, tenho que ir ver uma paciente que Konan me deixou antes de sair de licença.

    -Ela engravida e sobra pra você...

    O moreno bufou

    -Pois é.

    -Bom.... Kakashi passou o braço em torno do pescoço de Sasuke . – Deixe terminar de te contar minha noite maravilhosa

    O moreno tendeu a dar uma desculpa qualquer e sair das garras do amigo, mas fazer o que, talvez rir um pouco da cara dele lhe faria bem, e alem do mais, estava morrendo de fome.

    “Estava perdido em meus pensamentos,tinha vários relatórios de pacientes para terminar e o barulho daquela festa no andar superior me irritava profundamente, com certeza Kakashi estava no meio para permitir esse tipo de coisa em um hospital, provavelmente Tsunade também já que era uma beberrona. Minha cabeça latejava, estava cansado. Esfreguei os olhos ate que ouvi meu celular tocar, ou era Karin ou aquele Dobe me chamando pra beber.

    -Alo. Disse com descaso.

    -Sabia que tem uma ruiva muito gostosa na sua cama que esta morrendo de saudades?!

    Não tem como não sorrir das coisas que Karin diz

    -É mesmo? E o que você esta fazendo ai com ela?!

    Adorava vê-la irritada, era uma das poucas vezes que nos divertíamos.

    -Isso não tem graça Sasuke!

    Ela deu um gritinho tão fino que tive de afastar o telefone do ouvido.

    -Que horas você chegou?

    -Faz uma meia hora, você vai demorar? Ela arrastava a voz, sempre fazia isso quando queria alguma coisa de mim.

    -Não, logo estarei ai, só vou terminar alguns relatórios.

    -Ta bom, estou te esperando .

    Antes de desligar ela soltou uma de suas perolas

    -...e sem nada da cintura pra baixo.

    Karin era uma mulher bonita, tentadora e praticamente viciada em sexo, tinha seu lado bom é claro, afinal que homem não gostaria de uma mulher assim ...mas também era fútil, alienada em seu mundinho que considerava perfeito, nunca tínhamos conversas mais longas e a maioria era sobre bobagens, ela era um passatempo que a medida que o tempo foi passando se esqueceu de passar, a verdade é que já tinha me acostumado com sua presença e seus mimos.

    Arrumei minha mesa e recolhi alguns dos relatórios para terminar em casa, apaguei a luz de minha sala e sai pelos corredores.

    Estava distraído pensando em sei la o que quando senti um empurrão em meu ombro o que fez todos meus papeis caírem no chão.

    Mais uma vez senti o cheiro de morangos. Era ela...

    O ser mais estranho que já vi na vida.

    Ela me encarava com seus enormes olhos verdes, e o mais irritante é que não tirava aquele sorriso dos lábios, como da ultima vez.

    -Você não olha por onde anda não?! Falei ríspido enquanto me agachava para pegar os papeis.

    -Você que estava distraído com a maior cara de lesado que eu já vi!”

    Ele levantou o olhar para ela já irritado, ainda tinha o sorriso estampado na face e o terrível senso de moda.

    -O que você disse? Falou em tom ríspido.

    A garota rodou os olhos e se ajoelhou em sua frente.

    -Nada, deixa que eu te ajudo.

    -Não precisa. Disse puxando alguns dos papeis das mãos dela e se levantando.

    Ajeitou seu jaleco enquanto a garota ainda estava agachada no chão.

    -Sabe... ela começou

    Ele a olhou e notou que o sorriso não estava mais em seus lábios

    -Você é muito estressado pra um medico tão bonito.

    Ficou de pe em sua frente e logo ele viu o sorriso se estampar mais uma vez naquele rosto.

    O que ela era afinal, alguma retardada?!

    Ele bufou e voltou a trilhar seu caminho ate a portaria

    -Irritante. Disse enquanto andava em tom audível a qualquer um.

    -Foi um prazer te conhecer também! Ela gritou quando ele estava próximo a saída.

    “Sair dali, era tudo que eu tinha em mente, ir pra casa e relaxar mas quando estava prestes a cruzar a portaria tive um estalo. A paciente que Konan me deixou. Tinha me esquecido completamente dela. Não estava em um dos meus melhores dias, respirei fundo e dei meia volta, seria coisa rápida, me apresentaria e diria que faríamos de tudo para que ficasse confortável, seria como todos os outros,sem dar nenhum tipo de esperança.

    Peguei o elevador e dei graças por estar vazio, cheguei rapidamente ao terceiro andar, na ala em que eu era especialista, me assustei assim que as portas se abriram, o som que me incomodou durante todo o dia vinha daquele andar. Ergui os papeis e constatei que ela estava no quarto 303. Caminhei rapidamente ate la, o som só ficava mais alto. A porta estava aberta e de dentro pude ouvir varias risadas, não acreditei quando vi, a tal festinha acontecia exatamente naquele quarto. Entrei e logo de cara vi uma enorme faixa cor de rosa escrito em letras garrafais:

    BEM VINDA.

    Se aquilo era uma piada, era de muito mau gosto.

    Haviam algumas garotas com copos nas mãos conversando e rindo. Dei um forte pigarro ao qual fui completamente ignorado, insisti dando uma forte tossida mas o efeito foi o mesmo. Não dava mais pra suportar, fui ate o som que se encontrava em cima do criado ao lado da cama e o desliguei. No mesmo instante recebi a atenção de todos.

    -Gostaria de falar com a paciente deste quarto por favor.

    Fui seco, como sempre. Elas pareciam se olhar, confusas...

    -Desculpem a demora, não conseguia achar as bebidas e...

    De novo o ser estranho, será que ela estava me seguindo?! Estava segurando umas latas com alguma bebida que não consegui identificar, claro, ela tinha que estar participando daquilo, também com aquelas roupas estava totalmente pronta para o carnaval.

    -Olha o medico estressadinho! Ela sorriu pra mim, não sei por que mas aquela garota tinha um claro dom de me irritar.

    -Ele é uma gracinha Testuda. Uma loira extremamente provocante ( com a saia que ela usava, não tinha como não notar) falou em alto e bom som, parecia me devorar com os olhos.

    -Você é uma tarada Ino! Outra garota com coques nos cabelos revidou.

    Uma garota morena com olhos perolados deu uma pequena e tímida risada, somente naquela hora notei sua presença ali.

    A loira e a morena começaram uma pequena discussão.

    -Aposto 10 na Tenten.

    A rosada falou se sentando ao lado da cama abrindo uma das latas e tomando logo em seguida.

    Aquilo era definitivamente uma das situações mais bizarras de se ver em um hospital e eu não tinha tempo nem paciência. Soltei um sonoro pigarro que mesmo assim não fez as duas matracas se calarem.

    -Desculpem mas não tenho tempo a perder, vim conhecer minha nova paciente...

    Busquei no prontuário o nome dela, nem tinha me tocado pra esse detalhe

    -Hum...senhorita Haruno Sakura.

    Nesse momento, por fim, o falatório cessou.

    -E então.... elas me encaravam -Quem é Haruno Sakura?

    Uma mão subiu no ar, a mão da ultima pessoa que eu esperava.

    Era ela. A garota estranha, de cabelos cor de rosa, chapéu amarelo e unhas coloridas.

    Era ela, que sorria mais uma vez pra mim

    Seu sorriso idiota

    Era ela? Ela que estava morrendo? ”

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!