MAKTUB

Tempo estimado de leitura: 2 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 5

    Incontido

    Adultério, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

    Era estranho manter-se fixo na vila após passar tanto tempo viajando pelas diversas vilas e nações do mundo shinobi.

    Mesmo casado, sua responsabilidade em proteger Konoha era prioridade, e somente alguém como ela, sua esposa, Sakura, entendia sua escolha.

    Sabia que ela se sentia solitária, ele também se sentia, por isso, em algumas ocasiões em que estava perto da Folha, dava algum jeito de lhe visitar por algumas horas durante as madrugadas frias.

    E esquenta-las com o encontro de seus corpos saudosos e cheios de uma luxuria contida.

    Não era um homem de muitas vontades, mas era apenas vê-la deitada sobre a cama de ambos, a cama onde seu espaço permanecia vazio, que se excitava e desejava ocupa-la, preenche-la!

    Após quase dois anos viajando, sendo a proteção da vila fora de seus portões, recebeu uma mensagem do Hokage.

    Líder...da Anbu Raiz.

    Um cargo que já fora de Danzou, e que até então aparentemente estava extinto.

    Invocou seu falcão já com a resposta pronta entre os dedos.

    Recusaria.

    Mas antes de colocar a resposta na pata da ave em seu braço algo veio em sua mente.

    Era uma chance de ficar em sua vila, de fazer algo grande dentro dela, por ela. Danzou foi um crápula filho da mãe, um dos poucos em que sentiu prazer em matar, fazer algo com os restos do que ele deixou, algo finalmente digno...

    E finalmente estar com sua esposa, como um casal de verdade.

    Ponderou.

    Amaçou o papel e rapidamente rabiscou outra resposta.

    “Estou voltando”

    Ela lhe pulou nos braços em sinal de alegria quando adentrou em casa naquela manhã de domingo.

    E nunca viu os olhos verdes brilharem tanto como quando disse que iria ficar, e dessa vez pra valer.

    Talvez apenas no dia do casamento.

    Foram dias bons aqueles.

    Dias tranquilos em que suas peles não podiam nem ao menos se roçar em algum cômodo da casa que já estavam se amando.

    Mas então tudo mudou...

    Não soube dizer exatamente quando começou, mas foi pouco tempo após seu retorno, quando foram visitar o bebe recém nascido de seu amigo.

    Sakura segurava aquele bebe com maestria e sorria para a senhora Uzumaki dizendo como o pequeno Boruto havia crescido desde o dia do parto.

    Naruto apenas lhe falava das maravilhas que era ser pai.

    E então aquilo veio, pairando como uma sombra sobre suas vidas.

    Ela ficou obcecada.

    Nunca chegaram a conversar abertamente sobre filhos, somente uma vez pouco após o casamento quando a esposa lhe perguntou o que ele pensava sobre a ideia.

    Na época não pensava nada.

    Então ela apenas decidiu não se precaver.

    E vinha sendo assim desde então.

    O tempo fora serviu como escudo das tentativas falhas, mas agora, ali, com ele sempre presente...

    Nada mais de desejos espontâneos...

    Nada mais de vontades a esmo.

    Nenhuma caricia sem premeditação.

    Tudo agora era voltado para a concepção de um rebento, que simplesmente não vinha.

    No inicio ele tentava se aproximar, lhe despertar como era no começo, mas ela se afastava.

    Só tinha aquela esposa fogosa e ardente durante alguns poucos dias do mês. Ai sim, estava no céu!

    Mas quando esses dias passavam e nada acontecia, ela entrava em um casulo de solitude e introspecção somente dela, que mesmo sendo a Sakura de sempre sofria por que simplesmente não conseguia engravidar.

    Ele queria sim um filho, que homem saudável, vivendo bem com a esposa em um casamento sólido não deseja?!

    Principalmente ele...que havia perdido todos os elos de sangue de uma forma tão brutal.

    Mas aquilo estava minando o que tinham construído ao longo dos anos.

    Não queria perder aquilo.

    Chegou mais cedo do trabalho aquele dia, daria um basta em toda aquela situação.

    Não sabia bem como dizer, mas ela entenderia.

    Era Sakura, a doce Sakura...ela sempre entendia.

    Quando terminou de fechar a porta de casa seu corpo foi pressionado pelo pequeno e magro da esposa.

    Ela pulava de alegria entre seus braços.

    Sasuke não entendia o motivo de toda aquela felicidade

    -Sasuke-kun, positivo!

    Então ela se afastou e lhe mostrou o objeto com dois riscos

    O Uchiha torceu o cenho sem entender

    -São dois traços, significa positivo, eu estou gravida!

    Ficou extasiado

    Seria pai!

    Ela o abraçou novamente e ele correspondeu a apertando.

    -Obrigado.

    Disse baixo no ouvido da cerejeira que tinha os olhos marejados.

    Mas então o baque veio.

    -Desculpe Sakura.

    Shizune lhe entregou o papel e ela o abriu com o olhar descrente.

    Negativo.

    -Nem sempre se pode confiar nesses testes de farmácia, você sabe como é...

    O exame de sangue não errava.

    Ela não estava gravida.

    Levantou da cadeira apressada e saiu do consultório.

    Shizune encarava o rosto do Uchiha que apenas maneou a cabeça em sinal de agradecimento e se levantou.

    Foi atrás dela em sua sala.

    Quando a alcançou estava chorando virada para a janela.

    -Podemos tentar novamente.

    Disse se aproximando e lhe tocando o braço exposto pela blusa de alças finas.

    -Porque eu simplesmente não consigo?

    Se virou pra ele com os orbes verdes brilhando

    -Nós vamos conseguir.

    Confirmou a mirando com aqueles olhos negros e a passando uma confiança tão grande que a fez concordar com a cabeça.

    E os meses se passaram

    E nada aconteceu.

    Então ele decidiu lhe fazer uma surpresa

    -Vou colocar a prótese

    E o rosto a tempos entristecido se iluminou.

    Ela preparou tudo, queria o melhor para o marido.

    Desde a cirurgia a recuperação ela lhe auxiliou e permaneceu a seu lado, e eles se tornaram mais cumplices.

    E parece que com a prótese ele se tornou mais presente e fundamental no trabalho

    Assim como ela

    E todo aquele furor do tempo de separados começou a se esvair.

    Ela era atenciosa e lhe dispensava toda atenção quando estava em casa, tanto que ele chegou até a se esquecer dos planos de uma possível gravidez.

    Eles mal se tocaram por um tempo devido a recuperação e depois pela rotina atribulada do Uchiha, mas um determinado dia ela o esperou na cama vestida com algo que ele nunca a vira usando antes, uma lingerie vermelha extremamente atrativa.

    E se amavam, se queriam, assim como era antes.

    Seguiu-se assim por alguns dias e depois voltava tudo ao normal, ele em sua rotina e ela na dela. Ate que em outro momento ela vinha novamente com outra peça, dessa vez de outra tonalidade, e o agarrava, e eles faziam, e faziam, e faziam...

    E depois ficavam sem se tocar novamente.

    Ate que ela vinha exibindo luxuria e desejo, e não era mais como antes, onde levavam um tempo fazendo, se saboreando, se querendo, se amando...não, ela parecia ter pressa, parecia querer satisfaze-lo logo, nem sabia se ela estava gostando realmente, ela só se preocupava em lhe dar prazer e o fazer derramar.

    Em uma determinada manhã a viu cheia de segundas intenções.

    -Sasuke-kun?

    O moreno apenas se virou para a figura da esposa ainda sentada na mesa da cozinha que era conjugada com a sala.

    -Tente não chegar tarde essa noite.

    O que ela estava tramando?

    -Alguma data importante?

    Ele sabia que não havia nada, sempre lhe mandava um falcão nas datas importantes quando estavam distantes, guardava na memoria todas elas.

    Sakura ficou levemente ruborizada mas tentou disfarçar.

    Ela ainda roborizava depois de todo aquele tempo...

    -Não, só tente não chegar tarde.

    -Tudo bem.

    E então saiu.

    Saiu cedo da Anbu naquele dia, mas não foi para casa, não queria encarar a esposa, então foi para o Ichiraku ficar junto do amigo.

    Pensou realmente em desabafar com Naruto sobre toda aquela situação, mas como falar sobre algo tão íntimo?

    Ele era casado então talvez...

    -Naruto...

    -Diga Teme.

    O loiro já tinha uma quantidade significante de macarrão na boca.

    -Você e a Hinata já tiveram.... fez uma pausa -problemas conjugais?

    -Que tipo de problemas?

    Que tipo de problemas tinha?

    -Ela já ficou estranha com você?

    -Só quando estava gravida.

    Sasuke suspirou, desse mal ele não sofria.

    -Está com problemas com a Sakura-chan?

    -Algo assim.

    -Mulheres sempre são problemáticas, como diz Shikamaru. Relaxe, Sakura-chan te ama, não há nada que ela não faria por você.

    Ele tinha razão.

    -E pra problemas conjugais o melhor que fazemos é beber!

    Sasuke girou os olhos

    -Oe Tio! Traga o seu melhor saquê.

    Sasuke teve que retirar a garrafa de perto do Uzumaki antes que tivesse que levar o Hokage carregado para casa, o que com certeza não seria bem visto.

    Quando chegou, a casa estava na mais pura penumbra, pode ver de relance uma garrafa de saque sobre a mesa da cozinha e uma travessa com algo dentro, subiu as escadas apressado mas parou ao adentrar no quarto, ela devia estar dormindo.

    Mas os olhos verdes o miraram indagativos enquanto se despia para um banho antes de se deitar.

    Respirou fundo dentro do box...céus, estava linda dentro daquela lingerie preta.

    Se conteria, aquele habito dela estava os prejudicando, não os aproximando.

    Quando ela disse que só queria ficar com ele, respondeu que ela não precisava daquele tipo de artimanhas.

    Afinal ele estava ali. Finalmente ele estava ali.

    Ele só precisava e só queria estar com ela

    Ela se zangou e se virou para o lado lhe dando boa noite.

    Mas a curvatura de sua silhueta naquele conjunto envolvente

    Deus, ela estava tão...

    Então cedeu!

    Simplesmente não conseguia ficar sem tocar nela.

    Sem tê-la

    Sem se derramar nela.

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!