MAKTUB

Tempo estimado de leitura: 6 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 3

    Entre poeira e lágrimas

    Adultério, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

    Boa leitura!

    - E-EU NÃO ACREDITO! COMO VOCE PODE?!

    Gritou a plenos pulmões.

    Então olhou para a Yamanaka

    -VOCÊ ERA MINHA AMIGA!

    Num rompante a insanidade tomou conta de seu ser e ela voou com tudo pra cima da loira.

    Sua cegueira era embebida em lagrimas!

    Mas antes que seu corpo alcançasse o da outra seu corpo foi parado por braços grandes e fortes

    -ME SOLTA, EU VOU MATAR ESSA VADIA!

    -SAKURA, SE CONTROLE!

    Então ela se virou pra ele

    Ofegava tamanha ira que sentia, o ar parecia lhe faltar de alguma forma.

    Ele estava lhe mandando se controlar?

    Ele?

    Não foi preciso envolver a mão com chakra, o soco que desferiu sobre o Uchiha o fez voar para a parede fazendo um rombo na mesma.

    Os poucos ninjas que estavam na sede aquele horário já estavam ali para saber o que estava acontecendo.

    Voltou sua atenção para a loira, ela tinha lagrimas nos olhos.

    Como ela se atrevia a chorar?!

    A faria chorar muito mais.

    Então voou sobre ela, mas as palavras seguintes a pararam

    -NÃO! EU ESTOU GRAVIDA!

    A mão da rosada parou no ar.

    Baixou a cabeça ouvindo aquela frase ecoar em sua mente

    Gravida

    Gravida...

    GRAVIDA!

    Sua melhor amiga gravida de seu marido?!

    -Sakura-chan!

    A voz do Hokage se fez presente no ambiente.

    Quando ela levantou os olhos novamente Shikamaru estava diante de Ino, a protegendo.

    Abaixou o punho e se virou, Naruto estava ali a encarando.

    Mais atrás estava Sasuke, que já se punha de pé

    Devia ter batido mais forte....

    Devia ter batido para matar.

    Então ela simplesmente passou pela figura do Uzumaki que no impulso segurou no braço da amiga.

    Sakura parou e com o olhar nublado e extremamente carregado olhou para a mão do Hokage e depois para seu rosto

    Ele pareceu entender o recado e lhe soltou.

    Passou pela porta e foi para as escadas, descendo as mesmas correndo e tentando não tropeçar nas próprias pernas a medida que o mar de sofrimento descia de seus olhos.

    Assim que cruzou as portas da sede dos ninjas de Elite olhou para os lados.

    E ali suas forças cederam

    Então caiu de joelhos e levou as mãos ao rosto.

    O som que fez ao passar as mãos pela face foi triste e profundo

    E pode ser ouvido por todos que estivessem próximos.

    Então sentiu alguém a envolver, tentou lutar contra aquele contato mas foi em vão, eram mãos fortes e protetoras.

    -Vamos Sakura, vamos sair do meio da rua.

    Por fim olhou para o dono daquela voz e daquele contato tão paternal.

    -K-Kakashi-s-sensei...eles...eles

    -Eu sei, venha vamos sair daqui.

    Mal sentiu ao ser levada pelo ex-Hokage, suas pernas eram praticamente arrastadas pelo caminho que o copy ninja havia escolhido.

    Quando finalmente ele abriu a porta do apartamento e a pôs sentada sobre o sofá, as lagrimas voltaram sem ao menos notar.

    -Você sabia?

    Questionou erguendo os orbes ao ex sensei

    -Não, mas suspeitava.

    -Eu também suspeitei mas...achei...achei que era coisa da minha cabeça.

    Então levou mais uma vez as mãos ao rosto contendo os soluços que saiam descontrolados.

    Kakashi se sentou ao lado da antiga aluna e a trouxe para perto de si, afagou levemente os cabelos cor de rosa e deixou que chorasse tudo que queria.

    Não tinha o direito lhe pedir para se acalmar.

    Ela precisava botar tudo aquilo pra fora.

    Toda a aquela dor.

    Ficou com ela o tempo que foi preciso. Ela chorou, suspirou, chorou novamente, ficaram em silencio durante todo o processo, até que que viu os olhos fechados e marcados pelas lagrimas. Então se levantou e com jeito retirou a bolsa que pendia torta do ombro da cerejeira, a ajeitou sobre o sofá e deixou que dormisse.

    Antes de sair passou a chave na porta, tinha receio do que a rosada pudesse fazer caso saísse do apartamento.

    Assim que abriu os olhos uma dor de cabeça alucinante a atingiu e serviu como lembrança do porquê de estar ali, na casa de seu ex professor.

    A dor pungente em seu peito venceu a da cabeça, mais uma vez as lagrimas vieram, silenciosas, sorrateiras, suas únicas companheiras no apartamento vazio.

    Quando Kakashi retornou não disse nada, apenas acendeu a luz e viu a rosada deitada no mesmo lugar, as marcas das lagrimas estavam ali, em sua face e em seu sofá.

    -Trouxe algo pra você.

    A cerejeira não direcionou o olhar a ele, mas mesmo assim o copy ninja deixou a bolsa a seu lado no chão próximo ao sofá e a sacola com a comida sobre a mesa de centro na altura dos olhos da rosada.

    -Não estou com fome.

    Somente o cheiro daquela comida já a enjoava

    Tudo a enjoava

    Toda sua vida

    Todas as mentiras

    Toda a ilusão.

    -Não pode ficar sem comer.

    Ele não obteve resposta.

    -Naruto quer falar com você.

    A cerejeira se sentou no sofá, ainda estava com a capa da viagem.

    -Quero que o Naruto se foda.

    Era a primeira vez que Kakashi via Sakura falar daquele jeito

    -Onde é o banheiro?

    O ninja apontou para uma porta ao lado da cozinha.

    Sakura recolheu a alça da bolsa que o mestre trouxe e caminhou até o local indicado.

    Acendeu a luz e fechou a porta.

    Por fim se olhou no espelho.

    Os cabelos cor de rosa estavam levemente atrapalhados, sua roupa estava suja da poeira da estrada mas o que estava em pior estado era seu rosto. As marcas de suor, poeira e lagrimas eram tangíveis.

    Retirou peça por peça as largando no chão.

    Girou a torneira do registro e assim que a água começou a cair deu um passo para dentro do box.

    Fechou os olhos ao sentir a pressão sobre sua cabeça lhe lavando a sujeira e a alma.

    Mas a cena daquele beijo....

    A voz dela lhe dizendo que estava gravida.

    Era como uma sinfonia mortal que lhe cortava de dentro pra fora.

    Espalmou a mão sobre o azulejo e deixou as lagrimas se misturarem as águas que escorriam por seu rosto.

    Tampou a boca com uma das mãos quando sentiu que os soluços viriam.

    Se ajoelhou sobre o chão do box e por fim se sentou, abraçou as pernas e ficou ali sentada no chão frio sentindo a água caindo sobre si.

    Como um véu cobrindo suas dores

    Terminou o banho e pegou uma das toalhas enroladas sobre a prateleira ao lado da pia.

    Secou o corpo e depois os cabelos.

    Foi até a bolsa ao lado da porta e abriu, quando viu a primeira peça um misto de tristeza e ira a invadiu.

    Retirou cada peça, uma por uma, e todas elas tinham o maldito símbolo bordado.

    Esvaziou a bolsa e então começou a arranca-los, usava os dedos, as unhas e até mesmo os dentes, tudo para se ver livre do símbolo daquele clã.

    Daquele maldito clã que ela quis tanto fazer parte.

    Quando saiu do banheiro vestia uma blusa de mangas compridas e um short largo.

    Estava horrível

    Se sentia horrível.

    Kakashi apareceu em seguida e sorriu por detrás da máscara.

    -Preparei um quarto pra você.

    Então sumiu pelo pequeno corredor.

    A rosada o seguiu.

    O aposento não era grande, tinha uma cama de solteiro e um criado pequeno com um abajur em cima, uma janela com cortinas brancas e um quadro sobre a cabeceira. Era aconchegante.

    -Espero que goste.

    Sakura quis sorrir em agradecimento mas não pode

    Não conseguia sorrir.

    Kakashi lhe deu um leve beijo na testa por sobre a mascara

    -Se precisar de alguma coisa estou no fim do corredor.

    Completou se retirando e fechando a porta.

    Sakura largou a bolsa no chão ao lado de sua mochila de viagem que o ex sensei já havia deixado ali.

    Sentou na cama e olhou para a janela onde as cortinas balançavam a medida que a brisa da noite passava pelas frestas.

    Se perdeu naqueles movimentos esperando o sono chegar.

    Mas ele custou a vir, seus pensamentos ficaram presos em toda sua vida, em todos os sacrifícios, em tudo que fez para estar junto de alguém que simplesmente desprezava todo aquele amor que ela lhe dedicou durante toda a vida.

    Quando cochilou foi por pouco tempo, quando o sol já despontava no horizonte.

    Kakashi não viera acorda-la, mas ela pode ouvir a movimentação pela casa durante a manhã.

    Ouviu batidas na porta e mesmo não respondendo ela foi aberta.

    -Sakura, tem alguém aqui querendo ver você.

    A rosada que estava sobre os lençóis apenas ergueu o olhar, então a figura da senhora Uzumaki se fez presente na porta.

    -Vou deixar vocês conversarem

    Então Kakashi fechou a porta as deixando sozinhas.

    A ex Hyuuga abriu a boca tomando ar para falar mas Sakura saiu na frente.

    -Se está aqui pelo Naruto perde seu tempo.

    Hinata se aproximou

    -Estou aqui por mim, e por uma amiga muito querida, você.

    A morena se sentou na beirada na cama e olhou para a figura encolhida debaixo dos lençóis.

    -Como você está?

    -Como pareço. Destruída.

    -Sakura-chan, não fique assim...

    -Como quer que eu fique Hinata? Eles me traíram, os dois, meu marido tendo um caso com minha amiga, como você estaria em meu lugar?

    Hinata desviou o olhar e mordeu o lábio inferior.

    -Entenda que Naruto-kun não sabia de nada.

    -Eu não acredito, e na verdade não me importa, ele uniu os dois, pra mim isso já é o bastante.

    A morena suspirou.

    -Bom, eu preciso ir, só vim ver como estava, estamos preocupados.

    Sakura não disse mais nada.

    -Sakura-chan, por favor, não deixe que ele faça isso com você.

    Então a Uzumaki abriu a porta e antes de sair deu mais uma olhada na amiga.

    “...não deixe que ele faça isso com você.”

    Tampou a cabeça com os lençóis quando sentiu as lagrimas retornarem.

    Quando saiu do quarto já era início da tarde.

    -Ah, que bom que saiu, estava começando a ficar preocupado.

    Kakashi estava sentado no sofá com um de seus inseparáveis livros entre as mãos.

    O fechou assim que viu a figura da ex aluna brotar na sala.

    -Não queria te preocupar.

    Ela se sentou ao seu lado e ele lhe sorriu gentil

    -Estou exagerando.

    Então se pôs de pé e lhe estendeu a mão

    -Venha, vou preparar algo bem gostoso para comermos.

    Sakura não tinha um pingo de fome, mas mesmo assim deu a mão ao ex sensei e se levantou.

    O copy ninja fez basicamente a única coisa em que era bom, macarrão, então comeram em silencio. Mal tocou na comida, seu estomago não estava aceitando muita coisa, a cada garfada o bolo na garganta parecia querer voltar e Sakura chegou a temer que Kakashi pensasse que era por causa de sua comida.

    -Me lembro de você comer muito mais durante as missões.

    -Estou sem apetite.

    Ele recolheu os pratos e Sakura quis ajudar a lavar a louça mas o ex professor não deixou.

    -Não! Sente um pouco, vá ver tv, ler, se distrair.

    Seguiu seu conselho, ligou a tv da sala e ficou zapeando os canais mas nada realmente chamou sua atenção. Um filme antigo a prendeu por um mmento, então ficou ali, tentando se entreter.

    -Preciso sair por um instante, você vai ficar bem?

    -Não vou pular da janela Kakashi, não se preocupe.

    Nenhum dos dois riu.

    -Não demoro.

    E pegou as chaves saindo porta a fora.

    Tentou prestar atenção no filme mas a cada frase dos atores ela era transportada para sua própria tragédia. Então desligou a televisão e se recostou no sofá olhando para o teto.

    O que faria dali em diante?

    A primeira coisa era entrar com o pedido de divórcio.

    Depois precisava pegar seus objetos pessoais naquela casa.

    Nada que conquistou depois de casada, somente o que viera antes, seus pertences de infância, lembranças dos pais que naquele momento deu graças por estarem aposentados e vivendo em uma vila distante. Eles não precisavam ver a filha passando por isso.

    Depois isso... talvez, voltasse para o trabalho.

    O trabalho... fechou os olhos imaginando que naquela altura todos já deveriam saber do ocorrido e provavelmente seu nome corria solto pela vila.

    Afinal ela não seria mais a Doutora Uchiha, seria novamente apenas Haruno.

    E então viriam os olhares de pena, os julgamentos, as pessoas pensando que ela não conseguia segurar um marido, que ela era uma coitada e sabe-se lá Deus mais o que.

    Se pudesse sumir, faria isso agora.

    Kakashi retornou já no fim da tarde e trouxe anmitsu, uma de suas comidas favoritas.

    Comeu para não lhe fazer desfeita, afinal o ex professor estava sendo extremamente atencioso.

    Percebeu que estava com mais fome do que esperava.

    Quando terminaram, Sakura direcionou sua atenção a Kakashi que mais uma vez retirava os recipientes vazios de sobre a mesa.

    -Kakashi...

    O ex Hokage a mirou

    -Pode ir comigo até minha...   parou a frase no meio -minha antiga casa amanhã? Preciso pegar algumas coisas.

    -Claro Sakura mas, você tem certeza?

    -Tenho, quanto antes fizer isso melhor.

    Ele concordou com a cabeça.

    -Pode também, pedir ao Hokage para providenciar os papeis do divórcio?

    -Sakura...

    -Por favor Kakashi-sensei.

    O copy ninja suspirou

    -Espero que não esteja se precipitando.

    -Quanto mais se enrola pra arrancar um curativo de uma ferida, mais ele dói.

    -Tudo bem. Vou falar com Naruto amanhã.

    -Obrigada.

    Então se levantou indo em direção ao quarto.

    -Por tudo.

    Ele lhe sorriu e ela sumiu pelo pequeno corredor.

    Na manha seguinte seu estomago revirava a medida que pensava no que tinha que fazer.

    Vestiu uma roupa qualquer, calca preta e blusa rosa. Esperou Kakashi ficar pronto na sala e então quando ele apareceu saíram. Estava a praticamente três dias sem dar as caras na rua, não sabia como as coisas estavam.

    Decidiu ir em um horário em que sabia que ele estaria no trabalho para não correr o risco de encontrar com a figura do Uchiha enquanto pegava suas coisas.

    Ainda era cedo mas mesmo assim ela sentia o peso dos olhares daqueles que já estavam na rua.

    Kakashi foi gentil e lhe puxou para perto, lhe abraçando pelos ombros.

    Sakura lhe deu um sorriso triste em agradecimento.

    Quando chegaram diante da casa, Sakura soltou um suspiro mais alto do que imaginava.

    As voltas no estomago voltaram com toda força e ela quase deu meia volta, mas se fosse nunca mais voltaria.

    Então ambos começaram a subir os poucos degraus ate a porta principal mas no instante seguinte um ninja surgiu diante deles.

    -Desculpe Kakashi-san, mas está sendo solicitado na sala do Hokage.

    Ele olhou para a aluna e ela se afastou dele

    -Tudo bem Kakashi sensei, pode ir.

    -Tem certeza?

    -Tenho, serei rápida.

    -Tudo bem, também não vou demorar. Ja ne.

    E sumiu em uma nuvem de fumaça juntamente com o outro ninja.

    Então ela terminou de subir os degraus sozinha.

    Pegou sua chave que estava na bolsa de viagem que naquele momento estava vazia e abriu a porta.

    Demorou alguns instantes antes de adentrar.

    Estava todo como havia deixado antes de partir em missão. Talvez alguma coisa ou outra fora de lugar mas no geral, tudo parecia igual.

    Encostou a porta e decidiu começar logo o que tinha ido fazer ali.

    Subiu as escadas e foi para o quarto, teve receio de adentrar no início, e se ele já tivesse a levado pra lá? E se encontrasse resquícios dos dois.

    Sentiu uma pontada no peito.

    Não importava mais, entrou no quarto e viu tudo do mesmo jeito, a cama estava arrumada e  o lugar parecia limpo.

    Foi até o armário e o abriu, olhou todas as roupas, todas elas com o símbolo do clã Uchiha...não levaria nenhuma delas.

    Ficou sobre a ponta dos pés e pegou uma caixa na parte de cima do guarda roupas.

    Abriu e olhou o que tinha dentro.

    Um álbum de fotografias de sua infância junto a seus pais.

    Uma boneca que guardou pensando em um dia dar a sua filha, caso tivesse uma...

    Sentiu as lagrimas teimosas forçarem seu retorno, mas se conteve.

    Então pegou o porta retratos e olhou para a fotografia do antigo time.

    Sorria  naquela fotografia, um sorriso gentil e cheio de sonhos, a maioria voltados para o garoto que olhava com cara amarrada para o companheiro loiro do outro lado da foto, estava feliz em estar no time dele.

    Aquele garoto que realizou seus maiores sonhos... e então os destruiu 

    Largou a fotografia no chão, não precisava mais dela.

    Levantou e foi até a cômoda, abriu uma das gavetas e remexeu em busca dos trajes. Viu a lingerie, a ultima que usou com ele.

    Parou por um momento e levou a mão a boca para conter a emoção.

    Não queria mais chorar, não podia, ele não merecia suas lagrimas.

    Encontrou as peças, uma por uma e então foi as guardando na mochila, suas antigas roupas de genin.

    Fechou a gaveta e depois o zíper, ajeitou a alça no ombro e saiu.

    Não olhou para trás, não havia mais nada dela ali.

    Desceu as escadas apressada e assim que chegou ao ultimo degrau o viu parado ali

    Próximo ao batente da porta.

    Continua...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!