MAKTUB

Tempo estimado de leitura: 2 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 2

    Ruínas

    Adultério, Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

    Boa leitura

    A rosada ficou com a amiga o resto da manha e a tarde cobriu seu horário no hospital, tentou pegar uma folga para ficar com ela mas com Shizune fora era totalmente inviável.

    Pediu então para que Hinata o fizesse.

    A loira não queria ficar na casa que dividiu com o marido e com a morte dos pais a casa e a floricultura foram vendidas. Hinata então abrigou a loira por uns dias, quando Shizune voltou, Sakura conseguiu uma folga e arrastou a amiga para a sua casa.

    Sabia que Sasuke não iria gostar mas conversaria com ele.

    Quando ele chegou elas estavam jantando.

    -Tadaima.

    Disse retirando os sapatos e a capa na entrada

    -Okaeri, anata. Veja quem está aqui.

    Sasuke olhou para a Yamanaka e apenas ergueu a sobrancelha.

    -Sai se separou de Ino, ela vai uns dias aqui conosco, tudo bem?

    Sasuke nada disse, apenas se direcionou para a escada indo para o andar superior.

    -Ele odiou a ideia.

    -Não importa, você vai ficar aqui comigo e vou arrancar uns sorrisos dessa sua cara.

    Ino sorriu resignada para a amiga.

    Sakura ajeitou o quarto reserva que tinham na casa para a amiga.

    Quando foi se recolher percebeu que o marido já estava deitado, e não havia jantado.

    -Podia ter me avisado que teríamos hospedes.

    A rosada mirou o moreno

    -Eu sei, me desculpe, tive medo que recusasse, Ino ficou sozinha, não posso deixa-la abandonada.

    Sasuke bufou e se virou para o lado.

    Sakura se trocou e foi se deitar, assim que apagou as luzes sentiu as mãos dele sobre si.

    -Sasuke-kun...temos visitas.

    -E daí?

    -Ela pode ouvir.

    Ouviu o moreno soltar o ar cansado e virar para o outro lado.

    Assim os dias se passaram, cindo para ser mais exato, Sakura passava o dia com a amiga e tentava distrai-la, a vila toda já estava sabendo que a Yamanaka havia sido abandonada pelo marido, Sakura fazia de tudo para as fofocas não chegarem aos ouvidos da loira.

    Sasuke, durante o período que a Yamanaka estava em sua casa, ficou a maior parte do tempo que pode o trabalho. Sakura sabia que era incomodo ter a amiga lá, mas o Uchiha nada dizia.

    Naquele dia Sakura foi chamada às pressas ao hospital devido a uma emergência.

    Então Ino ficou sozinha na casa dos Uchihas.

    Leu a maior parte do dia, comeu alguma coisa, fez uma leve faxina...até encontrar no canto da geladeira o calendário marcado.

    Uma pessoa leiga não entenderia aquela sequência, mas ela entendia bem, era o ciclo ovulacional da amiga. Sentiu um aperto no peito, provavelmente estava atrapalhando ficando ali, Sakura tinha planos com o marido e ela querendo ou não era um estorvo.

    Pensou em si mesma e em como ela própria evitava a gravidez em todo o tempo que ficou casada. Sai nunca falou em filhos e ela nem se preocupava, então sempre tomou as pílulas anticoncepcionais, agora sabia porque ele não falava, não pretendia ficar com ela...

    Sentiu a garganta embargada e os olhos marejarem.

    Então ouviu o trinco da porta e a voz grossa se fez no ambiente ao lado

    -Tadaima

    -Okaeri.

    A loira foi até a sala limpando o canto dos olhos rapidamente.

    -Sakura foi até o hospital, houve uma emergência.

    Sasuke a mirou por um instante e então se virou para as escadas subindo sem dizer mais nada.

    Ino suspirou, talvez fosse a hora de achar um lugar pra ficar.

    Quando chegou em casa já era mais de onze horas da noite, tentou entrar sem fazer barulho mas para sua surpresa os dois estavam sentados na cozinha. Pareciam conversar.

    -Olá, bem vinda.

    Ino a cumprimentou assim que chegou a cozinha.

    -Obrigada.

    Olhou para Sasuke que se levantou e levou os pratos que estavam sobre a mesa para a pia

    -O que estavam fazendo?

    -Te esperando.  Respondeu a loira. -Quer jantar? Eu fiz a comida.

    -Não...comi algo no hospital.

    O silencio se fez presente no ambiente e então a Yamanaka se levantou da cadeira

    -Bom, acho que já vou me deitar, boa noite.

    Nenhum dos dois respondeu.

    Então ela apenas saiu, Sakura pode ouvir quando a porta do quarto de hóspedes foi fechada.

    A cerejeira mirava as costas largas do marido que lavava a louça como se ela mal estivesse ali.

    -O que faziam, realmente?

    Questionou

    -Sua amiga já te respondeu.

    Então ele secou as mãos no pano de prato e se virou.

    -Ficaram me esperando esse tempo todo, sem fazer nada?

    -Jantamos durante o processo.

    Sakura observava os olhos negros, Sasuke não era dado ao anfitrião...

    -Pensei que não gostasse dela.

    -Ela é sua amiga, estou me esforçando.

    Então passou pela figura da cerejeira e subiu para o andar superior.

    Sakura começou a ser requisitada no hospital e então precisou voltar, Ino então decidiu procurar um lugar para ficar.

    Acabou achando um pequeno apartamento no centro da Vila que lhe atenderia bem

    As coisas no hospital estava um caos esses dias que a rosada se ausentou, e Ino ainda estava de licença, Sakura mesmo havia dado um pequeno afastamento a ela para que se reerguesse e se sentisse bem para voltar ao trabalho.

    Então foi uma surpresa quando a viu perambulando por ali antes do tempo da licença acabar

    -Ino, o que faz aqui? Sente alguma coisa?

    -Não, eu estou bem, na verdade eu vim dar baixa no meu cargo.

    -O que?

    A rosada se surpreendeu.

    -Já conversei com o Hokage e não vou mais trabalhar aqui no hospital.

    -O que você vai fazer?

    -Vou pra inteligência, assumir o cargo que  foi do meu pai, espero chegar a altura dele um dia.

    Sakura sorriu, então puxou a loira para um abraço.

    -Que bom Ino, fico feliz que esteja se reerguendo.

    A Yamanaka sorria quando a amiga lhe soltou.

    -Agradeça a seu marido, foi conselho dele.

    -Sasuke?

    -Sim, conversamos aquele dia que você chegou tarde, um ponto de vista masculino na minha situação foi bem reconfortante.

    -Ah....que bom então.

    -Eu preciso ir, tenho muita coisa pra estudar e me inteirar, Shikamaru está orgulhoso.

    -É pra estar mesmo.

    Estava muito ocupada com os afazeres do hospital tanto que teve de enviar uma mensagem a Sasuke avisando que passaria a noite lá e que não se preocupasse. Voltou para casa após um plantão de vinte e sete horas, estava exausta e tudo que precisava era dormir.

    Quando chegou o marido não estava, mas pelo horário sabia que deveria estar trabalhando.

    Acordou horas depois com ruídos na sala, desceu as escadas e os encontrou, o que a deixou surpresa.

    -Ino?

    Sasuke adentrava em casa acompanhada da amiga.

    -Oi Sakura, vim com Sasuke até aqui, espero que não se importe.

    O Uchiha havia deixado suas coisas na entrada e estava no sofá abrindo diversos pergaminhos.

    -Naruto pediu para que ele me ajudasse a entender como funcionam algumas áreas secretas do corpo shinobi de Konoha, vou precisar agora trabalhando na inteligência.

    -Entendo.

    Os fitou por alguns instantes

    -Precisam de ajuda com alguma coisa?

    Sasuke olhou na direção da escada

    -São informações ultrassecretas.

    E voltou a olhar para os pergaminhos separando alguns e os entregando a Yamanaka.

    -Claro, vou deixar vocês trabalharem.

    Ficou no quarto mas não voltou a dormir, estava com a atenção focada na movimentação no andar debaixo, eles falavam pouco, e o que chegava a escutar era sobre trabalho.

    Pouco tempo depois e já precisava se arrumar novamente para voltar ao hospital.

    Mas no seu interior não queria deixá-los sozinhos em casa.

    Então Sasuke entrou no quarto quando ela terminava de abotoar a calça branca.

    -Ino já foi?

    -Já

    -Sem se despedir?

    -Pensamos que estava descansando.

    Engoliu as palavras diversas vezes antes de deixa-las finalmente sair

    -Porque não me disse que estava a ajudando?

    O moreno se virou para a esposa

    -Porque você não tem parado em casa

    -Eu estou trabalhando....

    -Eu também.

    Concluiu indo em direção ao banheiro.

    Não podia esperar para terminar a conversa, já estava atrasada para seu plantão.

    Quando chegou o dia já estava amanhecendo, tirou as roupas do hospital e vestiu qualquer coisa caindo na cama.

    Sasuke acordou ao sentir o colchão no lado oposto, se virou para o lado e viu a esposa de olhos fechados, aspirou o perfume que vinham dos curtos cabelos cor de rosa e se aproximou colando sua pélvis na curva do quadril.

    Se remexeu esperando que ela notasse sua excitação mas nada aconteceu.

    Beijou o pescoço fino e passou a mão pela silhueta bem desenhada, ela se remexeu mas nada.

    Bufou e se levantou.

    Desceu até a cozinha em busca de um bom copo de água bem gelada para lhe acalmar os ânimos....

    Quando deu o primeiro gole no liquido transparente olhou para o calendário no canto superior na lateral da geladeira.

    Um circulo marcava uma data, exatamente a data da ultima vez que tiveram um contato mais íntimo.

    Deixou o copo sobre a pia e subiu para se trocar.

    Precisava passar em um local antes de ir para a sede da Anbu.

    Deu graças por aquela noite ter conseguido terminar seu plantão mais cedo. Talvez assim conseguisse passar algum tempo com seu marido, mas para sua surpresa assim que pôs os pés dentro de casa notou que ele não estava sozinho.

    Bateu a porta com mais força do que o seu comum.

    Estavam novamente sentados a mesa da cozinha, os papeis estavam de lado e eles comiam algo parecido com ramén.

    -Desculpe, atrapalhei vocês?

    Disse chegando a cozinha e cruzando os braços.

    -Não! Imagina Sakura, estávamos em uma pausa. Venha jantar conosco.

    -Estou sem fome.

    Respondeu já se virando.

    Enquanto deixava a água do chuveiro cair por seu corpo um amargor subiu do estomago até a boca ao imaginar os dois comendo lá embaixo sozinhos.

    Pensou em falar com Naruto sobre aquela situação, mas o que diria?

    Que não queria que seu marido ajudasse mais sua amiga no trabalho?!

    Podia pedir a Ino pra se afastar mas então veio o peso na consciência. Ela estava sozinha e agora seu novo trabalho era a nova esperança que havia encontrado, via como ela estava feliz, mesmo também estando afastada da mesma nos últimos dias devido a quantidade de afazeres.

    Quando Sasuke entrou no aposento já estava deitada. Tudo que disse foi:

    -Não quero que fique mais aqui com a Ino.

    O moreno a encarou.

    Sakura tentou desvendar o olhar que o marido lhe lançava, o viu estreitar o olhar levemente mas foi só.

    -Tudo bem.

    Foi tudo que respondeu.

    Virou-se para o lado tentando conter aquele sentimento ruim que crescia dentro de si.

    Não aconteceu mais, não sabia se ficava aliviada ou não pois agora o marido chegava mais tarde, coisa que só foi perceber um tempo depois já que virava a noite no hospital. Tanto que andava se sentindo fraca. Não precisou perguntar onde estava, sabia que era com a amiga loira.

    Não queria criar uma cena, não tinha o porquê afinal de contas.

    Ela era sua melhor amiga, da vida inteira...não tinha porque suspeitar.

    Dois dias depois precisou sair em uma curta missão de auxilio em um vilarejo vizinho, sentia-se mal por todo o clima que estava mantendo em casa, então decidiu que assim que voltasse faria uma surpresa ao marido, tiraria uns dias do hospital e o convenceria a também pegar uma folga para que passassem algum tempo juntos, quem sabe uma curta viagem?!

    Mal via a hora.

    A missão de três dia acabou se entendendo para cinco devido ao mau tempo, então quando chegou nem quis passar em casa, foi direto para a sede da Anbu.

    Fazia séculos que Sakura não pisava naquele lugar, estava tudo completamente diferente, maior, com toda tecnologia que o mundo ninja disponibilizava isso graças aos esforços de Kakashi, um ex Anbu. Tinha orgulho por seu marido fazer parte de tudo aquilo.

    Afinal ele lutou muito para ser quem era e se ver livre dos fantasmas do passado.

    Assim que adentrou no prédio foi cumprimentada por alguns, se bem se lembrava a sala de Sasuke ficava no quinto andar.

    Foi até o elevador mas o mesmo estava demorando muito e ela tinha pressa.

    Então decidiu ir pelas escadas.

    Ajeitou a bolsa que levava a tira colo e começou a subir, mesmo sem treinar com tanta regularidade devido a rotina árdua no hospital, estava em boa forma.

    Chegou rápido ao quinto andar e então foi em direção a sala onde as palavras “Uchiha Sasuke Chefe da Raiz” reluziam, aquele horário da manha o lugar estava bem vazio, mas como lider Sasuke fazia questão de chegar bem cedo.

    Dizem que Fugaku era assim quando comandava a policia da vila, talvez o marido tentasse seguir seu exemplo.

    Antes de bater na porta olhou para as roupas, estavam meio empoeiradas então bateu as mãos pelas mesmas e em seguida as levou aos cabelos os ajeitando. Não devia estar em sua forma mais apresentável mas não se importou ela era uma ninja afinal de contas, e estava morrendo de saudades do marido.

    Queria lhe afazer uma surpresa e por isso ocultava seu chakra

    Tocou na maçaneta abrindo o largo sorriso e assim que a porta foi aberta seu mundo caiu

    Eles estavam aos beijos...

    Ino estava debruçada sobre a figura esguia de seu marido que segurava na cintura fina de sua melhor amiga e lhe correspondia a altura

    O choque veio lhe roubando a fala

    Sua vista ficou turva na hora

    Foi como ser atingida em cheio por um golpe bem no meio do peito

    E queimava, doía, ardia...

    -Sasuke...

    Sua voz saiu como um lamento, acompanhada do mar de lagrimas que já escorriam dos orbes esverdeados.

    Eles se separam ao ouvir o som vindo da porta

    -Sakura!

    Sasuke se pôs de pé e Ino levou a mão aos lábios com os grandes olhos azuis arregalados.

    Tudo que conquistou estava ruindo bem diante de seus olhos

    CONTINUA...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!