ANUON 9999

Tempo estimado de leitura: 4 horas

    12
    Capítulos:

    Capítulo 12

    Lupa, a garota que arde de desejos por Ethan - Parte 3

    Violência

    Depois do incidente traumático e grotesco, as duas jovens se olhavam. Kaede, espantada com o que acabara de acontecer, estava aterrorizada com que Lupa, que estava tranquila, havia feito. A jovem de cabelos prateados, limpando seu rosto com um lenço, andando em direção a Kaede, diz:

    - Garota... O que viu lhe assusta?

    - O que... O que é você? Os matou! Por que?

    - Humanos... Eles estavam me incomodando... Iriam morrer, de qualquer forma... Ao menos não sentiram dor...

    - Você é um monstro! Saia de perto de mim!

    Lupa, já mais próxima de Kaede, continuou a dizer:

    - Menina... eu até gosto de você... Você tem um bom caráter... mas ficar desta forma, assustada, não vai lhe ajudar em nada... sabia?

    - Mas eles... eles não mereciam morrer assim...

    - Não diga isso... Eu sei que eles fizeram com suas amigas...

    ? COMO VOCÊ SABE DISSO? - Gritou Kaede, ainda temerosa.

    - Eu sei... É o suficiente... E eu sei que, no fundo, você se segue vingada... Se sente bem, não é?

    - Lupa, eu...

    - Pode dizer... Você não estará sendo uma má pessoa...

    - Mas eles...

    - Kaede... é seu nome, não é?

    - Si-sim...

    - Não precisa esconder sua raiva com eles... Acabou...

    - MAS ISSO É ERRADO! Tirar vidas desta forma... E você, como fez para matá-los desta forma?

    - Kaede... Não tenha medo de mim... Quero seu bem... E você o quer, não é? - Disse Lupa, acariciando com uma das mãos o rosto de Kaede.

    - Por que está fazendo isso?

    - Quero tranquilizá-la... Se quiser, pode me chamar de amiga...

    - AMIGA? Quero distância de você! Tire as mãos de mim!

    - Bem, Kaede... pode ir embora agora... Mas lembre-se: solte sua raiva. Suas amigas foram vingadas... hoje. Nunca mais serão incomodadas... Você também deve mostrar esta sua alegria em vê-los estarem mortos...

    - Cale-se! Você dizendo essas coisas sem expressar nenhuma emoção me incomoda.

    - Você não pode esconder isso de mim... Vc está aliviada... Sente-se bem com o fato de estarem mortos... Você não é uma pessoa ruim em gostar disso...

    Depois do que disse Lupa, Kaede saiu em disparada, chorando desesperadamente pela noite. Lupa a observava, virando-se e continuou seu caminho sem destino aparente.

    Enquanto isso...

    {Casa de Ethan, 20:00 pm.}

    Ethan finalmente chega em sua casa. Seus pais haviam saído de deixaram um bilhete sobre a mesa, sendo percebido pelo jovem.

    "Querido...

    Eu e seu pai saímos para fazer compras! Sabe, vimos as promoções na tv e temos que aproveitar!

    Até logo!

    Ps:Tem comida feita no microôndas!"

    Ethan se dirige ao forno e pega o prato. Senta-se então a mesa e começa a servir. Depois de comer, sobe suas escadas e vai até o banheiro. Escova seus dentes e vai para seu quarto. Lá, vê Anuon e Fhor conversando. A felina diz:

    - Ethan, você demorou. O que ouve?

    - Nada. Está tudo absolutamente bem.

    - Humano, você está estranho - Percebeu Fhor, caminhando em direção ao jovem.

    - Que nada, Fhor

    - Ethan, esteve com Lupa novamente? - Anuon logo perguntou.

    - Sim. Como sabe?

    - E que tipo de conversa tiveram desta vez?

    - Coisa de humanos... Hehehe...

    - Ethan, o que aconteceu?

    - Bem, Anuon... Lupa me beijou... duas vezes.

    - LHE BEIJOU? Aquilo que os humanos fazem quando demonstram afeto um pelo outro? - Anoun logo esbravejou, não acreditando.

    - Sim.

    - Ethan, você é louco?

    - Porque diz isso?

    - Lupa é filha de Piece 1!

    - E daí?

    - E daí? Ela é uma Anis! E uma assassina! Ela não é uma humana como você!

    - Não acredito nisso... Até vocês me disseram que não sabem o que Lupa fez naquelas cidades. E se foi ela.

    - Ethan, não se arrisque...

    - Sabe Anuon, Lupa é uma garota especial. Não porque me beijou, mas por mostrar sinceridade em suas palavras.

    - Humano, mesmo que Lupa sinta algo por você, não quer dizer que seja benevolente com outros humanos. Eu posso lhe dar certeza de que ela já deve ter matado alguém aqui - Disse Fhor, com um tom de seriedade em suas palavras.

    - Não diga isso, Fhor. Ela não faria isso. Em nenhum momento vi nela algo que possa ser hostil.

    - As pessoas daquelas cidades não diriam isso...

    - Eu consegui mudá-la.

    - Não conte com isso, Ethan. A presença dela naquelas cidades já é uma evidência.

    - Mas vocês acham que uma pessoa como Lupa, que beija humanos, seria capaz disso?

    - O que acha disso, humano? Qual sua opinião?

    - Bem, eu... Tipo... *Lupa... Bem... Fhor e Anuon a conhece melhor que eu. Ela não é uma humana, eu sei. Mas... eu... * - Pensou Ethan, agora mais confuso pelo que sentia por ela.

    - Vá dormir, humano! Amanhã você pensa em algo para responder.

    Fhor estava mesmo irritado, assim como Anuon. De fato, Lupa era uma Anis. A jovem conseguiu mesmo seduzir Ethan, fazendo-o perder a noção do perigo que estava correndo. Mas seria isso uma estratégia da jovem? Ou Lupa estaria mesmo apaixonada por Ethan? Não havia garantia de nada. Como já estava tarde, o jovem deita-se em sua cama começa a dormir.

    O tempo passa...

    De manhã, Ethan se apronta rapidamente, tendo todo o cuidado em não acordar os felinos. Desce as escadas, toma seu café da manhã e, enquanto se alimentava, sua mãe diz:

    - E aí? Está tudo bem mesmo?

    - Sim, porque?

    - Está animado hoje, garoto. Está com um sorriso no rosto que chega a contagiar.

    - As mil maravilhas, mãe.

    - Que houve?

    - Conheci uma garota na escola.

    - Sério? Já estão namorando?

    - Não... Ainda não..

    - Malandrinho! Juízo, hein.

    - Tá legal, mãe. Fica tranquila.

    Terminado o café da manhã, vai a escola.

    Tempo depois...

    Chegando ao colégio, encontra Ryoga no pátio, que diz:

    - E aí, cara! Tudo bem?

    - Tudo ótimo!

    - Hey! Tá animado essa manhã. Milagre.

    - Hehehe... Estranho, né?

    - Hehehe... "Muito estranho"... Foi a Lupa, não foi?

    - Adivinhão!

    - Cara de sorte.

    - Que isso, cara!

    - Ah, tá! Rolou de novo, não foi?

    - Tá afiado hoje, Sherlock.

    - PÔ, CARA! VOCÊ É MEU HEROI!

    - Não grite, Ryoga.

    E o sinal de início das aulas dos. Todos os alunos se deslocam para suas turmas.

    Na sala de aula, lá estava Lupa, ao lado de Ethan, este com uma alegria nunca vista. Olhava pra a jovem a todo instante. Logo a professora pergunta a ele:

    - Ethan, você que não está prestando atenção a minha aula... de que modo as células se alimentam?

    - Osmose! Absorvem todos os nutrientes a sua volta

    - Acertou. Pelo menos sua falta de atenção a mim não tirou sua atenção aos estudos.

    - Obrigado, professora!

    Ryoga, falando baixo ao amigo, diz:

    - Pô, cara... tu tá sinistro hoje, hein...

    - Me deixa, cara! Tô bem...

    Terminada a aula, pois havia soado o sinal de intervalo, todos saem. Ethan, que a dias não mostrava tanta energia e bom estar, caminhava sossegadamente pelos corredores. Até mesmo a conversa do intervalo com os demais estudantes havia sido bem descontraída. Claro, Lupa ficou afastada dos demais, olhando para o jovem sem desviar o olhar. Acabando o intervalo, todos voltam a suas salas e tudo transcorre perfeitamente.

    Mais tarde...

    Ao fim da aula, Ethan, Ryoga e Kaede fazem sua caminhada em grupo, indo para suas casas como sempre fazem. Logo Ryoga comenta:

    - Ethan, você hoje se superou.

    - Valeu cara! Não sei o que deu em mim hoje...

    - Haha! Tem o nome de Lupa seu segredo...

    - Não espalha!

    - Todo mundo sabe, Ethan. Só você que não.

    - Não somos namoramos... ainda...

    - "Ainda"? Praticamente consumado.

    Kaede manteve-se muda o tempo todo. Não falava nada e parecia distante da conversa deles. Ao fim de uma rua, se despedem, menos Kaede, que diz:

    - Ethan, posso falar com você?

    - Ah, sim... claro... Tchau, Ryoga!

    - Valeu, cara! - Disse o jovem, caminhando por uma rua adjacente.

    Kaede convida Ethan para ir a uma praça perto dali. Avistam então um banco e sentam-se. A jovem diz:

    - Feliz hoje?

    - Sim, muito.

    - Bem, Ethan... isso está me mordendo por dentro, então vou direto ao assunto.

    - O que foi, Kaede?

    - É sobre Lupa. Ela é estranha...

    - Eu também pensava assim. Mas...

    - Mas o que?

    - Tipo, no início eu poderia dizer que tinha medo dela... Mas agora... Bem, ela é especial pra mim.

    - Não precisa falar sobre isso comigo.

    - Que foi, Kaede?

    - Eu não preciso saber o que você sente por ela. Aliás, você mal a conhece. Porém...

    - Porém o que?

    - Ethan, ela já lhe fez alguma coisa ruim?

    - Kaede... Bem... Isso depende.

    - Depende o quê?

    - Se beijar é uma coisa ruim, ela é muito má...

    Kaede, bastante irritada, se levanta quase agredido Ethan. Ela estava mesmo disposta a isso, serrando seus punhos frente ao tudo do jovem.

    - Você é um idiota! Estou falando sério!E la já fez?

    - Não, nada! Ela nunca fez nada demais a mim... *Kaede falando dessa forma até parece que sabe da real natureza de Lupa*.

    - Ethan, se estiver escondendo algo...

    - Não, Kaede. Mas o que você tem contra Lupa?

    - Lupa ontem fez algo de que você reprovaria!

    - Caramba, Kaede! Você está me assustando.

    - Ela que me assustou. Se soubesse... Não sei se está pronto pra ouvir isso...

    - O que foi, Kaede?

    - Ethan, ela... Minha nossa, Ethan... Foi algo...

    E logo que Kaede iria falar, eis que surge Lupa, tl com seu olhar tranquilo e sem emoção como sempre teve. Ethan e Kaede se surpreendem, causando um silêncio repentino no local...

    Continua...


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!