ANUON 9999

Tempo estimado de leitura: 1 hora

    12
    Capítulos:

    Capítulo 7

    O fim ou o começo?

    Violência

    A noite passada foi intensa. Porém marcou o fim do embate.

    Mas foi o começo dos problemas...

    Medo, Sofrimento, Ódio, Pena...

    Será que havia terminado? Será que haveria paz?

    Depois do ocorrido, Ethan devolve Anuon novamente ao "cercado" de forma cuidadosa, colocando sobre a felina um pequeno cobertor. Mas Ethan não parecia bem. Ficou um pouco tonto, sem motivo aparente, pois até então os efeitos do ataque de Fhor haviam passado.

    - Acho melhor eu me deitar... Tudo está girando...

    E deita-se, caido em sono profundo.

    De manhã...

    Ao amanhecer, a mãe de Ethan entra em seu quarto, tentando-lhe acordar.

    - Acorda, dorminhoco! Escola já!

    - Mãe, vou hoje não... - Dizia, se espreguiçando.

    - Como não? levanta, AGORA!

    - Ah, mãe...

    - "Ah, mãe!" uma ova! LEVANTA, ETHAN!

    - Mas eu estou cansado, mãe...

    - LEVANTA! Vai tomar um banho gelado que logo melhora!

    - Droga...

    - Nada disso, rapaz! Vamos, levanta!

    E, depois de tanta insistência, ele acaba sedendo. Mas logo a mãe de Ethan repara em algo:

    -Ethan, o que ouve aqui? Tá tudo revirado e sujo...

    - Eh... Bem... foi... foi... FOI O VENTO!

    - O VENTO??? Como o vento pode fazer isso?

    - Sabe... aquela frente fria que avisaram? Acho que veio a noite e foi embora...

    - Será? Bem que eu vi folhas no corredor hoje...

    - É... foi isso!

    - Bem, vai tomar banho!

    - Tá!

    - E a gata?

    - A gata?

    - Sim. Como ela está? Parece que só dorme este bicho...

    - Não precisa falar assim! Ela está muito cansada...

    - Como sabe?

    - Ah, mãe... felinos vivem cansados, sabe...

    - Sei... é mesmo...

    - Bem, mãe, pode ir colocar meu café da manhã? Eu vou tomar banho...

    - Tudo bem, mas não demore!

    - Tá.

    Logo a mãe de Ethan se retira de seu quarto. Mas, antes de Ethan sair para o banho, aproxima-se de Anuon. A observa e repara que está em sono profundo. E acariciando sua cabeça diz:

    - Fica boa logo, guerreira...

    Em seguida, sai de seu quarto e toma seu banho. Após isso, desce as escadas e vai para a mesa, onde somente está sua mãe.

    - Onde está meu pai?

    - Teve que sair mais cedo hoje! Muito trabalho, sabe...

    - Ah, sim...

    Termina seu café, despede-se de sua mãe e vai para a escola.

    Chegando lá, no pátio, Ethan encontra Ryoga.

    - Oi, Ryoga! Beleza?

    - Tudo bem, cara? Rapaz, você está horrível esta manhã, hein...

    - Porque diz isso?

    - Tá cheio de olheiras! E você parece bem cansado também...

    - Mesmo? Eu não me sinto cansado!

    - Conta outra, Ethan! Tu tá cansado sim!

    - Tô nada, cara!

    Logo chega Kaede e os cumprimenta:

    - Oi rapazes!

    - Oi Kaede! - Disse Ryoga, já olhando para seu amigo.

    - O-Oi Kaede! - Ethan respondeu, completamente sem jeito.

    -Tô falando... Você tá super cansado! Tá até gagejando...

    -Não foi por isso...

    -Então o que?

    -Nada, esquece...

    E Kaede pergunta:

    - Vocês ficaram sabendo das novas?

    - Não! O que? - Perguntou Ryoga, curioso.

    - Parece que nossa turma vai ganhar aluno novo!

    - Agora, neste período do ano? - Disse Ethan, surpreso.

    - Sim.

    - Mas se um aluno entrar agora, ele vai ter muitos problemas para pegar as matérias... - Ryoga logo se preocupou.

    - É mesmo...

    - Muito estranho... - Disse Ethan.

    E toca o alarme de camada. O coordenador grita:

    - TODOS PARA AS SUAS SALAS, IMEDIATAMENTE!

    Os alunos, disciplinados como são, obedecem e se dirigem a suas respectivas salas. Logo o pátio fica deserto, em total silêncio. Na sala de Ethan entra a professora de biologia Miyuki e diz:

    - Alunos, vamos receber agora mais um aluno em nossa sala. Veio de longe...

    - Ethan, era verdade mesmo o que a Kaede falou

    - É.

    - E quem deve ser o otário que troca de escola nesta época do ano?

    E a professora o chama. Mas logo que a pessoa entra, já causa um espanto. Ers, na verdade, uma garota, que tinha cabelos branco-acinzentados lisos, mas havia feito um corte estiloso, com pontas lisas, que cobria-lhe um dos olhos, estes que eram cor de mel. Seu rosto era de curvas suaves e usava um brinco que tinha como forma um focinho de lobo. E Miyuki diz:

    Bem, alunos, esta é Lupa. Ela veio para esta cidade a pouco tempo e para não perder um ano, resolveu termina-lo aqui.

    - SEJA BEM VINDA! - Disse toda a turma.

    Ela timidamente balaça sua cabeça à turma, agradecendo e é convidada pela professora a se sentar.

    Senta-se ao lado de Ethan, que fica logo nervoso. O jovem tenta não olhar para ela, disfarçando e tentando fixar seu olhar para outra coisa. Mas logo repara que ela o está olhando. Ethan, então, fica, de certa forma, todo "sem graça", suando frio e seu rosto já demonstrava uma vermelidão de vergonha. Já não se aguentava mais. Passava a mão no rosto a cada 5 segundos. Engulia seco sempre quando reparava que ela ainda o estava olhando. E para espanto total de Ethan, ela diz, cm uma voz suave e tranquila:

    - Qual é seu nome?

    - E-Ethan... ai...

    - Ethan Ai? É esse seu nome?

    - Nã-Não!

    - E então, qual é seu nome?

    - Ethan...

    - Bonito nome...

    - O- Obrigado!

    - Sabe, há um brilho diferente em você, sabia?

    - O q-que? - Ethan mal conseguia manter diálogo.

    - E eu quero saber o porque disso! - Disse Lupa, sem desviar o olhar.

    - Mas... Mas... você... porque...

    E toca o sinal da escola. Hora de irem para o intervalo. Ethan sai aos trancos pelos corredores, empurrando vários alunos, inclusive Ryoga, que o segue.

    - Ethan, o que ouve?

    -Cara, se eu te contar você não acredita...

    - O que, então?

    - Sabe, na aula de biologia?

    - Ah, o que que tem?

    - Aquela aluna nova, sabe?

    - Sei... Ela, diga-se de passagem, é muito gata...

    - Ela... ficou... OLHANDO PRA MIM, CARA!

    - Como assim, cara? Sério mesmo?!

    - E não é só: ela perguntou o meu nome!

    - Pô, cara... queria estar na sua pele agora!

    - Sei não, cara! Ela me pareceu estranha, por incrível que pareça...

    - Tu tá com medo dela?

    - Não sei, mas é que ela disse outras coisas...

    - O que?

    - Disse que tem um brilho diferente em mim...

    - Te deu muito mole ela, hein...

    - Cara, é sério! E ela me disse querer descobrir o porque!

    - Tu é muito sortudo...

    - Tá estranho esta história...

    - Estranho porque? A garota te dá um mole desse e você não aproveita! Você que tá estranho...

    - Ryoga, reconheço que ela é bonita, mas eu tenho olhos em outra pessoa...

    - Ethan... cá entre nós... quem é?

    - Não posso falar...

    - Tu é chato mesmo! Chato e estranho...

    - Cara, se eu te contasse o que aconteceu nesta semana comigo, você concordaria comigo.

    - E o que aconteceu?

    - É que meu pai encontrou uma felina quando estava voltando do trabalho e aí...

    E no instante da conversa, toca o alarme novamente. Logo o pátio mais uma vez fica deserto, ouvindo-se somente os cantos dos pássaros.

    Ethan, ao entrar na sala, repara que Lupa a está observando novamente. Ryoga percebe isso e fica de olho na situação de Ethan. Ele continua, mesmo que timidamente, seu caminho até sua mesa. Ethan estava tão desconfortável que continuou paralizado, olhando somente para o quadro, fazendo de conta de que está tudo bem. E ela, do nada, mais uma vez diz:

    - Segredos, Ethan?

    - O-O que??

    - Você esconde algo?

    -Nã-Não...

    - Parece, pois seu olhar demonstra uma preocupação com alguém...

    - Nada não! Tá t-tudo bem...

    - Felizes são as pessoas que podem confiar umas nas outras.. E você é feliz... Este é seu brilho!

    - Obrigado!

    Depois dessa, os dois voltam suas atenções a aula, que transcorre sem problemas.

    A noite cai e as aulas acabam. Ethan, Ryoga e Kaede voltam para casa conversando.

    - Soube, Kaede? Ethan pegou afinidade com a aluna nova

    - Verdade?

    - Sim... E parece que...

    - Vamos parar com isso, Ryoga! Já te disse que ela é estranha! - Ethan ainda estava desconfortável com o ocorrido.

    - E eu que queria uma coisa estranha dessa pra mim, ah "papai"...

    - Vocês rapazes são tão ridículos... - Disse Kaede, tripudiando dos dois.

    - Ridículo é o Ethan, que acha agora tudo estranho! - Ryoga não cansava de judiar de Ethan

    - E não é para achar? A garota nem me conhece e começa a jogar indiretas pra cima de mim...

    - Cismou com você, Ethan! Parabéns - Disse Kaede, provocando Ethan.

    -Até você, Kaede?

    Jardel e Ryoga logo começam a rir do jovem, que ficou ainda mais envergonhado.

    Logo se despedem e Ethan segue para sua casa. Para cortar caminho, pega um atalho por um bosque. Andava tranquilamente quando ouviu barulhos estranhos, como se fosse uma briga. Correu rapidamente para o o local de onde vinham os ruídos em seguida e, logo a frente, observa várias faíscas pulsando pelo solo, fazendo até com que folhas que estavam caídas virassem cinzas. Se posiciona de modo que não se ferisse e caminhou vagarosamente para mais perto do local.

    E não demorou para conseguir ver o que estava acontecendo. Alguém está lutando entre uma névoa densa a sua frente. Era impossível ver os indivíduos. Mas logo um deles é jogado para fora dela! Era Fhor, caído a sua frente e parecia estar ferido. Ethan corre para socorrê-lo:

    - Fhor? O que ouve?

    E enquanto o acudia, da névoa saía um ser, andando calmamente em direção aos dois. Seu olhar expressava tranquilidade, seus movimentos eram suaves e o ar parecia movimentar-se a sua presença! Ethan, pasmo, observa sua aproximação, não acreditando no que estava acontecendo. Ele quase surtou.

    - Você? Mas como?!

    Continua


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!