Contos eróticos Inu Yasha

Tempo estimado de leitura: 46 minutos

    18
    Capítulos:

    Capítulo 4

    Kagome - Sango

    Hentai, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo

    Era uma manhã ensolarada e, em uma fonte termal oculta entre arvores e arbustos, duas adolescentes se banhavam com naturalidade. Kagome e Sango eram melhores amigas, mas a amizade das duas tinha um colorido quente e picante. Estavam em uma fonte termal de água cristalina, ocultas pelas águas da cintura para baixo. Elas se abraçavam ternamente enquanto trocavam beijos molhados.

    - Fico imaginando o que Mirok e Inu Yasha iriam pensar se soubessem que temos um caso Sango ? disse Kagome ainda sentindo o gosto dos lábios da amiga.

    - Acho que isso ia ferir diretamente na masculinidade do Inu Yasha ? respondeu Sango com um risinho malicioso ? quanto ao monge aposto que aquele pervertido ficaria pensando coisas indecentes de nós duas.

    - Verdade, isso é bem a cara dele!

    Elas riram juntas e então se uniram em mais um beijo. Seus corpos molhados pela água se encaixaram com perfeição enquanto suas bocas se uniam. Kagome adorava aquela sensação, aquela delicadeza e sensualidade que sentia em cada toque, em cada gesto de Sango. Ela já havia feito amor com Inu Yasha, mais de uma vez, mas o meio-youkai não conseguia satisfaze-la da mesma forma que Sango.

    Kagome se deliciou com o beijo e aproveitou para acariciar as costas da amiga e descer suas mãos lascivamente até a bunda empinada e cheinha de Sango. Apertou aquela bunda de leve enquanto dava leves mordiscadas no lábio inferior da amiga. Sango soltou um longo gemido de prazer.

    - Assim está muito bom Kagome... ? disse em uma voz baixa e melodiosa, quase suplicando por mais ? você é sempre muito jeitosa.

    - Você nem imagina o quanto ? respondeu Kagome corando de leve e beijando o seio esquerdo da amiga. Sango gemeu mais uma vez e quase se derreteu de desejo quando começou a ser mamada delicadamente.

    Aquilo era ótimo, Sango adorava quando Kagome a tocava e a chupava. Era até difícil acreditar que uma garota meiga e ingênua como a amiga pudesse ser tão habilidosa nos atos de amor. A verdade, que Sango desconhecia, era que Kagome, embora tivesse tido suas primeiras experiências sexuais lésbicas com Sango, já conhecia bastante sobre o assunto devido a vídeos que vira na internet. Como uma garota do século XXI Kagome conseguia muito mais facilmente informações sobre esse tipo de coisa do que Sango ou qualquer garota que vivia na era feudal do Japão.

    Kagome distribuía beijos e chupões no seio de Sango, enquanto isso suas mãos acariciavam as coxas e bunda da exterminadora que arfava e tentava controlar seus gemidos para não ecoarem por toda a floresta.

    - Ah... ? Sango suspirou, sentia seu corpo ferver. Suas mãos afundavam nos cabelos de Kagome tocando em sua nuca e pressionando-a com um pouco de força. Kagome chupou com um pouco mais de força e finalizou com uma longa e excitante lambida no mamilo da exterminadora.

    - Gostou? ? perguntou com um olhar provocativo ? foi demais para você?

    - Gostei ? respondeu ainda arfando, ela havia amado e estava muito excitada, mas não queria se limitar a ser apenas a passiva. Também queria tomar a iniciativa ali ? agora é minha vez de lhe fazer suspirar de desejo.

    Ela conduziu Kagome até fora da fonte termal, elas então saíram da água e toda a nudez das duas foi revelada. Ambas tinham corpos joviais e muito atraentes. Sango possuía um corpo mais atlético, com músculos sutis se delineando em seu corpo. Kagome tinha curvas mais delicadas, com seios medianos e mamilos rosados. Elas saíram da fonte termal e Sango pediu que a amiga ficasse de quatro, o que Kagome obedeceu prontamente.

    A visão da garota naquela posição fez Sango ficar ainda mais excitada, ela se sentou de joelhos e acariciou com carinho a bunda e as coxas de Kagome, o contato com a pele macia da garota era estimulante e Sango se deliciou explorando as belas curvas de Kagome. Demorou-se nisso alguns minutos até que avançou em suas caricias, distribuindo beijos delicados na bunda de Kagome, lambendo-a de vez em quando.

    - Ahh... ? gemeu Kagome, seus seios balançando sutilmente, no ritmo de sua respiração, seus cabelos, ainda úmidos, pingavam um pouco e ela fechara os olhos e desfrutava dos estímulos recebidos.

    Sango se demorava em caricias cada vez mais ousadas. Estava com a cara enfiada nas nádegas de Kagome, lambendo-a e chupando-a. Levou uma das mãos a vagina da amiga e nem precisou estimula-la muito para que a mesma ficasse úmida. Sango masturbou a amiga com movimentos precisos enquanto, com a boca, enchia a bunda da amiga de saliva, beijando-a e lambendo-a nas partes intimas.

    Em todo esse tempo Kagome gemia em um ritmo agradável, se remexia um pouco e sentia seu corpo tremer de prazer a cada toque mais ousado de Sango. Sua respiração estava acelerada e ela já não conseguia mais se controlar de tanto desejo, queria voltar a ser ativa e tocar em Sango, chupa-la, lambe-la, aproveitar cada centímetro do corpo da amiga.

    - Sango, vamos mudar de posição ? pediu, tentando conter os gemidos.

    Sango concordou, deitou Kagome no chão de barriga para cima e se deitou sobre ela de forma que o rosto de cada uma ficasse na altura da vagina da outra. Nessa posição elas poderiam se dar prazer mutuamente, e assim o fizeram. Kagome beijava a vagina de Sango enquanto a mesma lambia com desejo a intimidade de Kagome. Os gemidos das duas se espalhavam pela floresta longe dos ouvidos de qualquer um. E elas se entregaram aquele libertador ato de amor.

    Não muito longe dali, escondido atrás de uma arvore, Mirok observava as duas. O monge se masturbava enquanto admirava atento e bastante excitado suas duas amigas se amando. Ele sabia do caso que as duas tinham já fazia algum tempo. Sempre que elas sumiam para ter um momento a sós ele as seguia e se deliciava em observar de camarote elas fazendo amor.

    Sim, ele era um pervertido, mas isso não o incomodava nem um pouco. Mirok as viu mudar de posição, agora Kagora se sentara de joelhos, em cima de Sango, as pernas das duas se cruzando e duas vaginas se encostando. Kagome dava estocadas firmes com seu corpo, chocando sua intimidade a da amiga. A cena era maravilhosa e Mirok sentiu seu pênis ficar ainda mais duro. Ele adorava aquilo, já havia visto muitas vezes as duas juntas, mas jamais se cansaria disso.

    O monge continuou a se masturbar enquanto desfrutava do pequeno show que as duas faziam para ele.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!