A Garota do Uchiha

Tempo estimado de leitura: 5 horas

    18
    Capítulos:

    Capítulo 13

    Lealdade

    Hentai, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência

    A GAROTA DO UCHIHA

    O número que você discou se encontra desligado ou fora da área de cobertura.

    Estava dentro de uma das cabines do banheiro, sentada na tampa da privada, com o celular na mão. Era a terceira vez que eu ligava para Sasuke, e era a terceira vez que escutava a voz da mulher da operadora alertando-me a mesma coisa. Era um sinal para eu desistir.

    Havia decidido seguir o conselho de Ino e ligar para Sasuke e saber detalhes sobre a sua ausência. E mesmo achando que poderia estar sendo pouco grudenta com aquela atitude, eu estava realmente preocupada com a sua falta de sinal de vida. Para falar a verdade, eu estava com saudades dele.

    Tinha passado os primeiros tempos de aula perdida em devaneios, lembrando e relembrando tudo o que Ino havia dito. Ela realmente tinha razão, não dava para passar a minha vida toda tendo pena de mim mesma, isso só iria abrir brechas para as pessoas pisotearem em mim. Mas o que Ino não havia percebido era que falar é fácil. Eu não tenho a mesma força que ela. Eu não tenho aquela confiança que ela tem de si mesma. Por que na verdade, eu tenho medo de mudanças. Tenho medo de sair da minha bolha que eu mesma criei para me proteger do mundo. Tenho medo de ser machucada.

    Fechei os olhos e suspirei. Talvez eu pudesse dar uma chance para a mudança... talvez mudar um pouquinho não poderia ser tão ruim assim. Um pouquinho, e deixar que o tempo se encarregasse do resto. Esquecer as coisas ruins do passado e viver as coisas boas do presente, isso pode ser um bom plano, não? Dar o primeiro passo, relaxar um pouco, gostar mais de mim. Acho que isso seria um pouco difícil, mas acho que estava disposta a tentar... bem, eu acho.

    Suspirei novamente e abri os olhos. Aqueles pensamentos estavam começando a me dar dor de cabeça, iria deixar aquele assunto arquivado por um tempo, depois pensaria o que fazer depois.

    Fiz um movimento para sair daquela cabine, mas congelei no mesmo lugar por puro instinto de proteção diante da voz sarcástica e maldosa que havia soado do lado de fora da cabine:

    - Olha só que eu vejo aqui? A Miss Vaca Peituda.

    - Há, Há. Muito engraçado, Shion.

    Meus olhos se abriram mais. Espera... eu conhecia aquela segunda voz, era a voz da Hinata que havia soado sem um pingo de humor. Em seguida escutei a primeira voz, a tal da Shion rir debochadamente.

    - Nossa, vejo que a nerd esquisita anda bem confiante ultimamente. Está se garantindo por estar andando com a Ino agora?

    - A Ino e eu somos amigas, diferente de você que não sabe o significado da palavra de amizade.

    - Own, é mesmo? – o tom de Shion ficou mais debochado. - O que foi que a Ino disse para você ganhar toda essa confiança? Que você não é tão estranha quanto parece? Que você não parece gorda com esses peitões EXG? – em seguida soltou uma risada abafada. - Se enxerga Hinata, não adianta o que a Ino diga, você sempre será uma fracassada.

    Fracassada? Qual era o problema daquela garota? Por que ela insiste em menosprezar a Hinata daquele jeito? Aquilo era um absurdo. Eu podia sentir uma raiva crescendo dentro de mim diante daquelas palavras. Hinata não merecia escutar aquilo. Ela não era nenhuma fracassada, ela era uma pessoa forte.

    - Fracassada? – disse Hinata. - Era assim que eu me sentia quando eu andava com você.

    Desta vez Shion gargalhou alto.

    - Confessa, Hinata, você morria de inveja de mim. Você queria ser eu. Você queria que o Naruto olhasse para você, assim como olha para mim.

    - Você está achando que tudo isso se resume no Naruto? – o tom de voz de Hinata soou incrédulo.

    - Sim. Eu sei que você gosta dele. Mas o Naruto é meu.

    - Engula ele, querida.

    - Não é isso que eu vejo em seu rosto. Você o quer, mas eu não deixarei você tê-lo.

    - Me larga, senão eu vou... – ralhou Hinata.

    - Vai o quê?

    Silêncio.

    Eu estava começando a ficar aflita dentro daquela cabine. Uma parte de mim - uma parte que até agora era desconhecida - queria sair dali de dentro e acabar com a aquela discursão, mas a outra parte de mim - a parte covarde - me segurava ali dentro. Eu sentia raiva e medo ao mesmo tempo. Eu sentia raiva de mim por ser covarde o bastante de não ter coragem e defender uma amiga. E medo por sair de minha bolha de proteção e salvar uma amiga.

    O que eu faço?

    - Piranha. – a voz de Hinata quebrou o silêncio, ofendendo a inimiga.

    - Esquisitona.

    - Loira anorexia.

     A outra riu debochada.

    - Se enxerga, Hinata, você está se fazendo de forte, mas eu sei que você é fraca. Está se iludindo. Não adianta você ter mudado de visual, ainda continua aquela mesma nerd esquisitona do fundamental, que vive na sombra dos outros. Nunca o Naruto vai olhar para você.

    - Eu já falei que isso não tem nada a ver com o Naruto! – dessa vez Hinata gritou, irritada.

    - Tem sim. – a outra gritou também. - Eu sei disso. Esqueceu que li o seu diário? Patética.  Você não é páreo para mim. Com esses peitos exagerado, com esse apetite de dragão, esses gostos estranhos, esses olhos estranhos, e essa timidez encubada...

    - Eu já falei para me largar!

    - Por quê? Vai me bater?

    Abri a porta da cabine com tanta força, que ela havia batido na parede, atraindo a atenção das duas para mim. Eu havia agido por impulso, saído de minha bolha e agora estava comprando uma briga que não era minha. E tudo isso por que eu havia percebido que, assim como Ino, Hinata era a minha melhor amiga. E melhores amigas defende umas às outras, e eu estava ali disposta a fazer a minha parte, por que Hinata valia a pena.

    - Larga ela. – eu disse, agradecendo internamente por não ter gaguejado, agarrando o meu celular com mais força com a mão direita e fechando a outra mão em punho, num ato de não demonstrar o quanto elas tremiam.

    - Sakura? – Hinata estava surpresa por me ver ali, eu mesma estava surpresa com aquela atitude impensada. Eu nunca agia antes de pensar quatro vezes.

    Desviei meus olhos de Hinata para Shion que segurava o braço esquerdo dela. Ela era bonita, tinha cabelos loiros ondulados e olhos violetas.

    - Espera, você não é aquela que está saindo com o Uchiha? – em seguida sorriu, soltando o braço de Hinata e virando todo o seu corpo para minha frente. – Agora estou vendo a piada de amizade que você tem Hinata.

    - O que você ganha com isso, maltratando as pessoas desses jeitos?

    - Eu só gosto de mostrar o lugar de cada um. Você também deveria saber seu lugar antes de bancar a valentona.

    - Não estou bancando a valentona. – respondi, podia sentir todo o meu corpo trêmulo. – Só estou defendendo a minha amiga que já fez muito por mim.

    - Deixa ela em paz, Shion, Sakura não tem nada a ver com os nossos assuntos. – alertou Hinata, trazendo a atenção da outra para si.

    - Está com medo por sua amiguinha idiota, EXG?

    - Eu acho que é você que tem inveja da Hinata. – soltei, as palavras simplesmente escaparam de minha boca.

    - Como é?

    Shion se virou, os olhos queimando de ódio direcionados para mim. De alguma forma, sem querer, eu havia cutucado a sua ferida.

    - Você quer ser a Hinata, não é? Foi isso que a levou a ler o diário dela? Por que lá no fundo você sabe que as pessoas gostam dela e se sente bem com o seu alto astral, diferente de você que tem uma aura negativa.

    - Ora, sua idiota, quem você pensa que é para falar desse jeito comigo?

    Sim, eu havia cutucado a onça com a vara curta. E agora eu estava sendo o alvo de sua ira. Não tinha como voltar atrás. O que diabos eu estava fazendo?

    - Vamos embora, Sakura. Não vale a pena.

    Hinata deu as costas, começando a caminhar em direção a porta. Mandei comando para as minhas pernas trêmulas avançarem, e assim quando passei por Shion, senti meu cabelo ser agarrado com força. A situação foi tão rápida que no segundo seguinte eu fui empurrada para o lado. Meus pés se embolaram um no outro, me fazendo perder o equilíbrio, e bati com a cabeça na quina do lavabo, caí no chão.

    - Ai.

    - Sakura! – Hinata se pôs ao meu lado. - Olha o que você fez, sua idiota?

    Eu estava meio tonta, a visão pouco embaçada por causa da pancada, mas percebi o movimento de Hinata e agora ela rolava no chão com Shion, uma arrancando o cabelo da outra.

    - Eu vou matar você, sua imbecil.

    - Não antes de eu arrancar todos os fios oxigenados da sua cabeça, sua piranha.

    Tentei me levantar, levei a mão aonde doía e foi quando percebi que estava molhado. A minha mão estava sangrando.

    Que... droga!

    Voltei minha atenção para a briga que rolava a minha frente, agora Shion estava por cima de Hinata e segurava seus cabelos.

    - Parem vocês duas. - consegui ficar de pé, e gritei para chamar a atenção delas, mas nenhumas das duas me escutava.

    Fui tomada por uma onda de adrenalina e avancei tentando tirar Shion de cima da Hinata, mas as duas estavam atracadas de um jeito que era impossível separar.

    - Alguém... – gritei – alguém ajuda aqui!

    E novamente eu tentava sem sucesso apartar aquela briga. Sentia o sangue escorrendo por meu olho, o que dificultava a minha visão direita, e o latejar do machucado só piorava a minha coordenação motora.

    - Socorro! Alguém ajude aqui!

    E dez segundos depois a porta do banheiro foi arregaçada e o veredito daquela briga apareceu.

    - Mas que porra... – Naruto conseguiu tirar Shion de cima de Hinata e continuou a segurando por trás enquanto ela se esperneava em seus braços. – Por que vocês estão brigando desse jeito?

    Eu ajudei Hinata a se levantar, e vez ou outra minha visão desfocava um pouco.

    - O que está acontecendo aqui? Ai meu Deus, Sakura, você está sangrando!

    Ergui meu olhar e pude ver Ino a minha frente com uma expressão preocupada enquanto me fitava. E naquele momento eu havia percebido que me apoiava em Hinata.

    - Naruto, foi elas.  – Shion se virou para Naruto de repente, apontando o dedo para mim e Hinata. - As duas estavam de complô para me atingir.

    - Sua vaca - Hinata avançou, mas eu e Ino a impedimos. -, como pode ser tão mentirosa?

    - Elas me encurralaram. – Shion agora chorava, fazia-se de vítima, ganhando toda a atenção de Naruto. – Me bateram. Você viu, Naruto. Hinata me ameaçou, me chamou de piranha.

    Naruto desviou sua atenção de Shion para nós, excepcionalmente para Hinata.

    - É verdade Hinata?

    - Claro que não... – ela se interrompeu. – Você vai acreditar nessa garota?

    Naruto ficou em silêncio.

    - Naruto – Shion chamou sua atenção. -  não estou me sentindo bem. A minha cabeça está doendo. Me tira daqui.

    Ela puxou Naruto para fora do banheiro, deixando tanto eu quando as meninas incrédulas com o nível de cinismo que pode ter um ser humano.

    - Eu não acredito que ele foi com ela. – Ino resmungou, incrédula.

    Hinata soltou uma risada amarga, estava completamente descabelada.

    - Você... cuida da Sakura, Ino? Acho que preciso de um pouco de ar.

    - Hinata...

    Hinata não esperou uma resposta, saiu do banheiro com passos rápidos, deixando eu e Ino sozinhas. Podia sentir que Hinata estava arrasada.

    - O que aconteceu?

    -  A Shion estava ofendendo a Hinata...

    - Essa garota. – Ino me interrompeu. - Como eu odeio essa garota.

    - Mas a Hinata foi forte. Diferente de mim. – fitei o chão, me sentindo o fracasso de amiga que eu era. – Eu tentei defendê-la, mas... eu acabei desse jeito, e a Hinata que me defendeu no final.

    - Sakura...

    - Ela rolou no chão com a Shion por minha culpa.

    - Ei – Ino pôs as duas mãos em meus ombros, me fazendo fitá-la. Seu semblante era sério. – Você não precisa se sentir culpada, por que você não teve culpa de nada. A Hinata e a idiota da Shion têm essa rixa faz anos, e uma hora ou outra as duas iam acabar rolando nos tapas.

    - Mas...

    - Shiii. Sem, mas... por que agora a senhorita deveria se preocupar com esse machucado. Meu Deus, temos que ir à enfermaria. O sangue vai acabar sujando a sua roupa.

    Quando entramos a enfermaria a enfermeira de plantão nos olhou surpresa.

    - O que aconteceu? – ela preguntou, enquanto me guiava para a marca logo em frente e me fazendo sentar. – Seu rosto está cheio de sangue.

    - Eu escorreguei e bati a cabeça na pia do lavado do banheiro. – respondi antes que Ino tomasse a voz, e denunciasse o ocorrido.

    - Com a ajuda de alguém. – ela murmurou revirando os olhos enquanto cruzava os braços.

    A enfermeira limpou o sangue do meu rosto, desinfetou meu machucado com água de oxigenada e em seguida fez um pequeno curativo. Não demorou muito para estarmos andando pelos corredores, e pelas as minhas contas, o intervalo estava perto do fim.

    - Agora nós vamos para a diretoria.

    - Por quê? – perguntei enquanto franzia o cenho, já imaginando o que ela queria dizer com aquilo.

    Ela me fitou.

    - Oras, por quê? Relatar a diretora o que a vaca da Shion fez com você.

    Balancei minha cabeça para os lados, parando de andar.

    - Isso não é necessário, vamos deixar isso para lá.

    - Como deixar isso para lá, Sakura? -  Ino também parou, virando seu corpo de frente para mim. O cenho franzido. - Aquela idiota te machuca e você quer que ela saia impune? Ela te machucou. Esse corte poderia ter sido sério, e agora você poderia estar a caminho de um hospital.

    - Ino. – suspirei. - Está tudo bem. Como você disse, não foi nada sério. Só foi um pequeno corte superficial. Eu estou bem, juro.

    - Mas...

    - E, aliás, se comunicarmos isso a diretora a Hinata iria está em maus lenções. Foi ela que avançou para cima da Shion para me defender. E você viu como ela se fez de vítima para cima do Naruto e ele acreditou. Não seria diferente com a diretora. Não me faça me sentir mais péssima como eu já estou comigo mesma. Hinata não merece ter mais outra decepção.

     Realmente eu me sentia um fracasso de amiga. Eu havia ido defender Hinata, mas acabei piorando tudo, irritado a Shion e feito Hinata sair no tapa com ela. E de quebra a decepção de Hinata com Naruto acreditando nas mentiras de Shion havia sido o Cheque Mate do dia. E tudo isso por eu ser uma péssima amiga.

    Ino ficou me encarando por alguns segundos.

    - Uau. É a primeira vez que vejo você falar tanto. – e sorriu. – Tá legal, você venceu. – e apontou para mim. – Mas só dessa vez, e por que estou um pouco preocupada com a Hinata.

    - Você sabe para onde ela deve ter ido?

    - Não. Mas estou com muita raiva do Naruto e da idiota da Shion. Como ele pode ser tão retardado por acreditar naquela cretina?

    - Ela estava com lágrimas nos olhos.

    - Lágrimas de crocodilo. Aquela idiota é mais falsa do que uma moeda de três centavos.

    E como previsto o sinal do intervalo tocou, fazendo Ino praguejar baixinho e resmungar que mataria a próxima aula para ir atrás de Hinata. Eu apenas voltei para a sala de aula, um pouco anestesiada pelo intervalo agitado onde tive a minha primeira briga e que saí nocauteada, ganhando um presentinho na testa por ter metido meu nariz onde não era chamado.

    E mesmo me sentindo péssima por ter piorado aquela situação, uma coisa era certa, e não estava arrependida de ter deixado o meu sentido de lealdade falar mais alto para defender uma amiga.

    Eu faria tudo de novo se caso precisasse.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!