Você Pertence a Mim

Tempo estimado de leitura: 2 horas

    10
    Capítulos:

    Capítulo 10

    Baile

    Linguagem Imprópria

    Boa Leitura.

    S A S U K E

    Não sei ao certo como estava minha expressão quando vi Sakura descendo os degraus do salão. Minhas mãos estavam frias e meu estômago estava se revirando. Senti meu corpo se mover automaticamente a seu encontro, sem tirar meus olhos nem por um segundo dos dela, ignorando o que Naruto dizia.

    Sentia minha boca seca, quando parei em sua frente e vi seu perfil. Ela usava um vestido tomara-que-caia apertado em cima, onde detalhava suas curvas - coisa que eu nunca tive o prazer de ver -, a saia do vestido era longa e rodada. Seu rosto estava perfeito, uma verdadeira boneca de porcelana. Os olhos verdes destacados pela maquiagem e sem aqueles óculos. Seus cabelos estavam cacheados e jogados para o lado. A garota a minha frente estava muito diferente da Sakura que eu via todos os dias. Ela estava simplesmente maravilhosa.

    Tentei controlar o meu impulso de agarrá-la e beijá-la ali mesmo, na frente de todo mundo, mas consegui me segurar. Eu tinha quase certeza de que ela não viria, mas alguma coisa dentro de mim não havia perdido a esperança.

    Não sei quanto tempo ficamos parados no meio do salão cheio de alunos dançando com seus pares. Eu fitava seus olhos esverdeados e brilhantes, sentindo meu peito acelerado. Uma onda de felicidade crescia dentro de mim, me fazendo esquecer todos os meus problemas. Ela estava aqui! Sakura estava aqui na minha frente vestida como uma princesa, e eu pressentia que aquilo tudo era para mim.

    Seu rosto estava levemente corado enquanto ela desviava os olhos para chão depois que eu a elogiei. Ela não tinha ideia do quanto ela ficava linda corada.

    - O-obrigada. - sua voz saiu baixinha, mas como estava perto o bastante dela pude escutar.

    Levei minha mão esquerda até seu queixo e o levantei. Meu coração falhou uma batida quando nossos olhos se chocaram novamente. Eu amava aqueles olhos verdes e vivos, e naquele momento, eles estavam com um brilho especial. Não dissemos mais nada, parecia que não existia mais ninguém além de mim e Sakura.

    - Estou feliz que você tenha vindo. - falei com a minha boca próxima de seu ouvido, podendo sentir o seu perfume doce e floral. Fechei meus olhos por um instante, me permitindo embriagar com aquele cheiro.

    Afastei-me um pouco desconcertado, percebendo que ela estava envergonhada. Desviei meus olhos dos dela e dei uma olhada rápida ao meu redor. As pessoas nos olhavam com curiosidade, percebi que estávamos chamando muita atenção parados ali no meio do salão.

    O som do Avicii tinha sido substituído pelas batidas de Papa Roach, que animava a galera. Afastei-me um pouco de Sakura e peguei sua mão pequena e macia e levemente suada. Olhei mais uma vez para ela e a puxei delicadamente.

    - Vamos sair daqui. - ela deixou ser levada por mim até a mesa onde Naruto estava devorando os salgadinhos com um copo de ponche nas mãos.

    Como ele conseguia ficar tomando aquele troço? Aquele ponche estava doce demais, e eu odeio doce.

    Naruto e eu não tínhamos pares, e viemos nós dois sozinhos para nos divertir. Sabia que ele iria ficar bolado por agora eu ter uma companhia e ele iria ficar o resto da noite sozinho, pois eu não iria largar Sakura por nada. Eu tinha que me resolver com ela. Não podia ficar mais nesta situação, mesmo que ela me despreze, eu tinha que ser honesto com ela e dizer o que eu sentia. E a vendo aqui no baile, vestida tão linda e toda arrumada, eu sentia uma pontinha de esperança. Sentia que ela só veio por minha causa, e isso me deixava animado.

    Paramos em frente ao Naruto e ele nos fitou, arqueando a sobrancelha quando viu minha mão segurando o da Sakura.

    - Estou vendo que vou passar a festa toda sozinho. - ele resmungou, mas seu tom de voz não havia saído zangado e sim humorado, pois um sorriso incrédulo estava em sua boca enquanto ele olhava Sakura de cima a baixo. Aquilo me deixou incomodado, e apertei mais minha mão na dela.

    - Para de falar bobagens, dobe. - ralhei, franzindo o cenho.

    - Olá, Sakura, o Sasuke ficou deprimido pensando que você não viria. - o imbecil olhou para mim de rabo de olho e sorriu de lado, dando um gole de seu ponche.

    Apertei meus olhos para ele, sentindo meu rosto esquentar. Olhei para o lado, disfarçando o meu pequeno constrangimento. Nunca havia ficado nervoso e nem vermelho por nenhuma garota, nem mesmo Ino, que por um momento pensei que a amava. Mas com a Sakura era diferente, eu sentia coisas.

    - Oi, Naruto. - a voz tímida dela soou arrastada enquanto cumprimentava meu amigo idiota.

    - Está gata, mal a reconheci. - Naruto olhou para mim. - Se deu bem, Romeu.

    - Naruto, cala a boca. - ralhei, olhando aquele babaca que agora ria. Percebi que Sakura estava um pouco desconfortável.

    Naruto me olhou.

    - Porra, teme, tu está com uma garota e eu estou aqui sem ninguém. Vacilo o seu.

    - Está sozinho por que quer. - disse, soltando a minha mão da Sakura e peguei um copo descartável e o enchi de ponche e entreguei em seguida para ela.

    - Obrigada. - ela sorriu minimamente, tentando parecer menos nervosa.

    Sabia que Sakura era recatada e bem tímida, não sabia por que ela estava assim comigo, geralmente ela é bem falante quando estamos sozinhos conversando. Talvez seja por que ela está no baile e que algumas pessoas percebia a garota linda que ela era por detrás daquelas roupas largas. Eu não me importava com seu modo de se vestir, eu gostava dela do jeito que ela era.

    - Tudo bem - começou Naruto, me tirando de meu pequeno devaneios -, tenho mestrado e doutorado em como ser um castiçal.

    Revirei os olhos e Sakura riu baixinho enquanto tomava seu ponche.

    - Gostando da festa, Sakura? - Naruto como sempre não sabia ficar com aquela boca fechada.

    - Está muito bonito aqui. - ela disse, pegando um salgadinho da mesa e o levando a boca. Acompanhei todo o seu movimento com o olhar.

    Naruto abriu um sorriso com sua resposta. Pelo que eu me lembre, esta e a primeira vez que meus dois melhores amigos trocavam uma palavra, e Naruto estava animadinho demais para o meu gosto. Eu tinha que tirá-la dali, eu queria ficar sozinho com ela.

    Aproximei meu rosto do seu e disse:

    - Dança comigo? - perguntei pegando a sua mão pequena e quentinha.

    Ela simplesmente assentiu com a cabeça, depositando o copo vazio na mesa. A puxei até o meio do salão onde uma música lenta e melosa começava a tocar.

    Olhei bem no fundo dos olhos de Sakura, enquanto minhas mãos seguravam sua cintura. As mãos dela se entrelaçaram em meu pescoço. Ficamos dançando lentamente aquela música, perdidos naquele mundo criado por nós.

    Não sabia o quanto estava caído por aquela garota até aquele momento. Eu tinha sido um idiota por não perceber que a garota certa sempre esteve ao meu lado todo aquele tempo. Não era por ela estar toda produzida, eu gostava dela do jeito que ela era, seu jeito atrapalhado, seus pijamas engraçados, o jeito tímido quando ela ficava me olhando, e por aí se vai...

    - Nem estou acreditando que eu estou aqui nesse baile, e dançando com você. - sua voz saiu baixa enquanto seu rosto estava encostado em meu peito.

    Afastei um pouco meu corpo para trás e a fitei.

    - E o que fez você mudar de ideia? - perguntei, nossos corpos se movimentavam para lá e para cá.

    Sakura mordeu o lábio levemente, desviando seus olhos para o meu ombro. Ela não sabia o quanto ela me afetava quando fazia aquele gesto de morder o lábio. Eu sabia que aquilo não era proporcional e sim uma de suas manias, uma mania tentadoramente sexy.

    - Eu... - ela olhou para mim e por um momento engoliu em seco. - Eu tenho que...

    - Eu não estou acreditando no que estou vendo?

    Tanto eu quanto Sakura, olhamos para o lado, onde Ino estava em pé, nos olhando incrédula. Aquela vadia havia interrompido o que Sakura estava para dizer, e eu estava curioso. Queria saber do porque dela ter mudado de ideia.

    - Ino? - minha voz saiu mais rouca que o normal, sentindo que Sakura se desvencilhava de meus braços.

    Ino nos olhava com nojo, e aquilo estava me aborrecendo.

    - Nunca pensei que você fosse descer tão baixo. - ela ralhou, me olhando e depois para Sakura, que estava ao meu lado.

    O que ela queria afinal? Nós não tínhamos nada. O meu tempo de ficar a aturando havia acabado, e eu agradecia a Deus por ter me livrado dela.

    - Sai daqui, Ino. Nós não temos mais nada. - minha voz soou fria, senti meu cenho franzir mais.

    Ela soltou uma risada sarcástica.

    - Sim, nós não temos mais nada. Mas eu não me conformo que você me trocou por isso. - ela apontou para Sakura com cara de nojo.

    - Eu não admito que fale assim da Sakura! - dei um passo para frente, ficando bem a sua frente, mostrando o quanto eu estava insatisfeito com o que ela havia dito. - Vai embora!

    - Eu sabia que você sempre me traía com essa sonsa. Sabia que você está bancando o ridículo por ficar com esse projeto de mulher? - ela olhou para Sakura que estava atrás de mim.

    Eu abri a boca para rebater, mas a voz de Sakura soou, sobrepondo a minha:

    - O que eu te fiz para você me odiar tanto, Ino?

    Olhei de ombro e Sakura estava ao meu lado, fitando Ino com uma determinação que eu nunca tinha visto.

    - Você nasceu. - Ino respondeu entredentes, totalmente venenosa.

    O pessoal já formava uma rodinha no meio de nós três. Eu tinha que fazer alguma coisa, antes que isso ficasse ainda pior.

    - Você está ridícula nessa roupa. - Ino sorriu em escárnio, totalmente debochada, enquanto abria os braços e fazia seu show. - A nerd que virou princesa! - ela abaixou os braços. - Me poupe...

    - Já chega! - minha voz saiu alta e cortante. Iria dar uma basta naquilo.

    Segurei o braço de Sakura que estava ao meu lado e olhei para Ino. Ela que não havia percebido que era ela que estava bancando a ridícula por ficar fazendo aquele barraco.

    - Não vou mais permitir que você fale desse jeito com a Sakura. - observei sua expressão pouco surpresa. O pessoal que estava em nossa volta também estava com as caras espantadas, mas não importei. - Nem você e nem mais ninguém.

    - Ino? O que está acontecendo aqui?

    O imbecil do Gaara apareceu, envolvendo os ombros de sua namorada com o braço. Só agora aquele babaca dava as caras. Ele olhou para mim e franziu o cenho.

    - Esse cara está te amolando? - ele perguntou para Ino, sem tirar os olhos de mim.

    - Você deveria cuidar da sua namorada, pois ela anda descontrolada. - olhei para Ino que bufava. - E você, Ino, a melhor coisa que me aconteceu foi ter me livrar de você.

    - Ora seu...

    - Vamos, Sakura. - puxei Sakura para fora daquela roda de pessoas fofoqueiras.

    Eu estava puto, mas eu tinha que me acalmar, não queria perder a cabeça. A noite já havia começado mal para mim, e não queria que ela acabasse ruim também. E foi naquela hora que resolvi sair de cima do muro e abri logo o jogo com a Sakura.

    Parei num cantinho afastado e a fitei. Ela estava um pouco atordoada.

    - Você está bem? - perguntei preocupado, tentando ignorar meus sentimentos conturbados.

    - Estou. - ela respondeu, me olhando. - E você?

    Sorri minimamente, pegando sua mão e percebi que ela havia ficado surpresa com isso.

    - Não se preocupe comigo. - ela assentiu, timidamente. - Desculpe pela Ino. Você não deveria ter escutado aquelas bobagens.

    - Tudo bem.

    Ficamos nos encarando por alguns minutos, sem dizer nada um para o outro. Puxei sua mão e comecei a andar.

    - Vem!

    - Aonde nós vamos? - ela perguntou.

    - Vamos para um lugar menos movimentado.

    Olhei para ela enquanto permitia que o canto de minha boca se erguesse para cima. Sakura apenas assentiu e a puxei para fora do salão. Eu queria ficar a sós com ela, e espero que não fique zangada ou me rejeite depois do que eu disser tudo que eu tenho para falar.

    Por que seria hoje que eu iria resolver esse dilema de uma vez por todas.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!