Você Pertence a Mim

Tempo estimado de leitura: 2 horas

    10
    Capítulos:

    Capítulo 3

    Pequenos Gestos

    Linguagem Imprópria

    Boa Leitura.

    S A K U R A

    Depois de uma semana cheia de estudos, finalmente o final de semana havia chegado. Posso dizer que dormir a manhã toda de sábado, mas em compensação, recarreguei as minhas energias que havia sido esgotadas na semana escolar. A tarde resolvi tirar um tempo para mim, e dar um passeio pela praça pública de meu bairro, sem deixar de mencionar que eu levava o meu fiel escudeiro, o meu livro de romance.

    Sentei-me em um dos bancos de ferro pintados de branco que havia na praça, e que dava de frente para a rua pouco movimentada de carros. Observei por alguns segundos a movimentação ao meu redor de crianças brincando de pega-pega, e nos balanços. Deixandos esses pequenos detalhes de lado, abri meu livro na página marcada, e me degustei da leitura.

    Fiquei por fora do tempo que havia passado, a leitura do meu livro favorito estava interessante demais para que eu ficasse áerea do mundo a minha volta. Ergui minha coluna para trás, dando uma espreguiçada, passei os olhos ao meu redor, ajeitando meus óculos no rosto, e foi aí que eu o vi.

    Sasuke vinha andando na calçada em minha direção, e não era preciso citar que o meu coração reagiu nas batidas desenfreadas devido a sua presença aproximando-se. E ele estava lindo como sempre naquele jeans desgasto, a camiseta preta do The Beatles e os Converse nos pés. Sasuke era simplesmente... perfeito.

    Desviei meus olhos para algumas crianças correndo, para dar uma pequena disfarçada quando seu olhar focou em mim, mas logo voltei atrás e parei de fingir que eu não havia o visto, pois sabia que isso soaria rídiculo, e muito menos evitaria àquelas borboletas que sentia no estômago.

    - Oi. - sua voz saiu um pouco alta devido ele ainda está se aproximando, mas nem por isso fiquei menos derretida.

    - Oi. - sorri, fazia o possível para que agisse natural, e eu estava conseguindo. - Passeando?

    Ele parou ao lado do banco, o canto de sua boca erguido levemente para cima. Lindo!

    - Estou vindo da casa do Naruto. - ele sentou-se ao meu lado. - E você, o que faz aqui sozinha?

    Fechei o livro e o ergui um pouco para cima, agora sorrindo comprimido, tantando reprimir aquele sentimento caloroso quando senti o cheiro de seu perfume.

    - Estou com o meu fiel amigo. Cansei de ficar em casa estudando, e resolvi ler ao ar livre.

    - Hm. - ele desviou os olhos para a movimentação da praça. - Também andei estudando muito. O vestibular se aproximando, a final do jogo, às provas... - suspirou - está meio que complicado.

    Suspirei também, focando em algum ponto no chão gramado.

    - Nem me fale, estou estudando como nunca para o vestibular.

    - Você é inteligente, com certeza irá passar.

    Ergui meu olhar para ele, e o peguei me fitando com seus olhos negros e atentos. Não era nem preciso dizer que meu coração acelerou novamente. Eu amei ouvir suas palavras positivas a respeito de minha inteligência, eu havia sentido falta de sua presença. Essas últimas semanas havia sido tão cheia que mal nos falamos, a não ser algumas pequenas troca de mensagens via bilhetes de janela.

    Sorri, sentindo minhas bochechas ficarem um pouco quentes.

    - Valeu. - desviei meu rosto para o lado. - E... e você e a Ino... ahn, vocês se entenderam?

    Permiti-me dar-lhe uma espiada por cima dos cílios. Sasuke encostou a cabeça atrás do banco e fitou o céu. Sabia que o relacionamento deles não andavam essas coisas, mas eu tinha intimidade o suficiente, e cara de pau para perguntar, e, aliás, eu era a sua melhor amiga, certo? Mesmo torcendo do fundo do meu coração o fim daquele namoro.

    - Sim, a gente se entendeu, até a nossa próxima briga. Ela acha que eu sou fantoche para fazer o que bem entende comigo. Já estou cansado disso tudo.

    - Então por que não termina com ela de uma vez? - dei meu conselho de melhor amiga cheque mate. - Vai ser melhor para você e para ela também.

    Ele me fitou.

    - Falar é fácil. As coisas não são bem assim, e você sabe disso melhor que ninguém.

    - Eu sei. - murmurei, desviando meus olhos para as minhas mãos apoiadas no livro que estava no meu colo.

    Sabia perfeitamente o que havia acontecido quando Sasuke tentou terminar com Ino. Ela havia armado o maior escândalo e ameaçou de se matar com paracetamol. E sem deixar de citar o pequeno e miserável detalhe, de que o pai de Sasuke é cem por cento a favor do relacionamento do seu filho com a louca da Ino, pois ambas as famílias desejam o poder ambicioso de uma união entre as duas empresas no mundo dos negócios.

    Esse era um detalhe que acaba miserávelmente com todos os meus sonhos platônicos de um final feliz com o meu príncipe. Pois nunca serei rica como Ino para ter Sasuke para mim.

    - Esquece isso. - ele murmurou, virando seu corpo para a minha frente, com sua atenção em mim.

    Ergui meus olhos quando senti sua mão quente colocar uma mecha do meu cabelo que estava solto do coque mal feito para detrás de minha orelha. Aquele simples gesto havia desencadeado mais sentimentos em meu coração, eu havia me contentado com qualquer miséria de afeto e carinho íntimo que Sasuke tinha por mim, e aproveitava o máximo desses pequenos gestos, imaginando por alguns segundos que éramos um casal.

    O canto esquerdo de sua boca ergueu-se um pouco para cima, e aquilo foi o suficiente para que eu sentisse meu rosto ficar quente. Eu estava novamente corando.

    - Bem melhor assim. - sua voz rouca havia soado gentil.

    Mordi o lábio e desviei meus olhos para o lado, impossibilitada de ficar sustentando seu olhar. Sasuke era simplemente maravilindo, e eu o amava muito.

    - Vai me ver jogando quarta? - ele perguntou, depois de alguns segundos de silêncio.

    Ergui meus olhos e o fitei, mas ele já havia voltado para o seu lugar de antes e agora fitava o céu, com as mãos por detrás da cabeça encostada no banco.

    - Caso tenha esquecido, senhor amnésia, vai ser impossível não assistir ao jogo, já que eu faço parte da banda.

    Sasuke era o capitão do time de futebol do colégio, e quarta-feira era a final da intercolegial da cidade. E eu fazia parte da banda ofícial do colégio que fazia o som para que assim as líderes de torcida pudessem animar a platéia. E sem deixar de mencionar que sexta-feira, naquela mesma semana, seria o baile de final de ano, que com certeza eu não iria, como nunca fui nos anteriores.

    Sasuke me fitou de lado, as sobrancelhas erguidas e um olhar com um brilho de puro deboche que era dos poucos detalhes que me tirava do sério.

    - Minha nossa. - seus olhos se abriram mais, e sua expressão era de surpresa totalmente fingida. - Como eu fui me esquecer desse detalhe tão importante de sua carreira como música?

    Empurrei seu ombro, fingindo irritação.

    - Bobo.

    E o que recebi em seguida foi um de seus raros sorrisos abertos, um sorriso tão lindo que poderia iluminar uma cidade inteira. Mas para fingir que ainda estava brava - mesmo estando derretida com seu momento fofis - revirei os olhos.

    Sasuke agarrou minhas duas mãos, e na mesma hora meu coração disparou ainda mais - assim iria ter um treco -, trazendo toda a minha atenção para seu rosto perfeito.

    - Me desculpe, senhorita Sakura. Me desculpe por ter esquecido desse seu momento mágico de sua vida, ser a garota que toca pratos. Perdoe-me.

    E novamente revirei os olhos.

    - Eu já disse que você está muito bobo?

    - Duas vezes. - e novamente me presenteou com aquele sorriso lindo, que acabou me contagiando.

    Mas o nosso momento mágico acabou sendo quebrado quando um som de buzina soou, fazendo nossa atenção focar num Sport Vermelho e com uma Ino linda e mais loira do que nunca no volante.

    Sasuke me fitou por uns segundos e se levantou.

    - Eu vou indo, nos vemos depois. - e saiu caminhando em direção a ela.

    - Tudo bem. - murmurei, sem àquela animação, e o meu mundo voltando a ser cinza.

    Ino sorriu, agarrando o pescoço de Sasuke assim quando ele entrou no carro.

    - Meu amor, estava com saudades. - seu olhar veio até mim por um segundo, um olhar venenoso, antes de beijá-lo.

    Desviei meus olhos para o lado, sentindo meu coração se desfragmentando cada pedacinho, lentamente e dolorosamente. Sasuke era dela, isso era fato, ele nunca poderia ser meu. Eu tinha que me contentar com as migalhas de sua atenção e carinho, e me conformar em tê-lo só nos meus sonhos.

    A minha realidade era triste. É muito doloroso ver a pessoa que a gente ama com alguém que não sabe dar o valor que àquela pessoa realmente merece. Por que sei que Ino não o ama de verdade, como eu o amo. Ela só está com ele por status, por ele ser o cara mais lindo e popular, e ela ser a garota mais linda e popular. Os dois juntos formam o "Casal Perfeito". E eu sei que meu nível social e popular nunca chegaria aos pés no de Ino. Por que eu era uma simples nerd apagada que todos ignoram. Um patinho feio.

    O barulho do motor do carro ganhando movimento me tirou de meus devaneios, me fazendo fitar a trazeira do carro vermelho ganhando velocidade e levando embora o meu príncipe de cabelos e olhos ônix, que apenas me via como uma simples melhor amiga.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!