Amor Inesquecível

  • Aelita
  • Capitulos 15
  • Gêneros Romance e Novela

Tempo estimado de leitura: 3 horas

    12
    Capítulos:

    Capítulo 4

    Capítulo 4 - Cuidado com que deseja !

    Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo

    Boa leitura beijos

    As palavras são uma tremenda responsabilidade, por isso tenha cuidado com que você deseja

    Tá legal...... Respira fundo! Aelita – dizia para mi mesma.

    Desejar é poder, cuidado com que você deseja. Eles podem si, ser tonarem realidade. Esse momento recordei das palavras ditas pela minha falecida avó.

    O professor Felipe continuou se apresentado aos alunos, eu apenas observar em silencio. Não acreditando no que eu estava vendo “ele” Na minha frente abaixei minha cabeça fechei os olhos massagear minha têmpora. Escutei Stevan me chamar cutucar meu braço. Ele sussurrou meu lado.

    —_ Está sentido bem ? – Me virei para ele acenei com a cabeça.

    —_ Turma me chamo Felipe serei o novo professor de vocês. Qualquer dúvida levante a mão eu responderei suas perguntas. – Disse ele sentado canto sua mesa, o observava cada aluno.

    —_ Acredito alguns alunos devem se recordar de mim. Eu já dei aula uns anos trais para colegial para ensino médio. – disse confiante. Uma aluna levantou a mão .

    —_ Pode pergunta. Srta ?

    —_ Me chamo Jenny. O Sr. Pode nós dizer fica a matéria? O senhor vai seguir patrão nossa antiga professora estava ensinando?

    —_ Jenny, Eu não costumo seguir o patrão ensinamento outros professores. Já as provas estão se aproximando vou revisar a matéria ela estava passando. Próximo bimestre ensinarei Números complexos. Fique calmo não bicho de sete cabeça. Aqueles alunos têm dificuldade na matéria eu ajudarei também passarei trabalho para que possam compensar a nota baixa na prova.

    Escutamos vozes de garotas conversarem alto passando em frente aporta nossa sala, logo eu reconheci a vozes era grupo de patrícias nossa sala seis garotas para enfrente a porta da sala se assustam. __ Desculpe professor nós pensávamos teríamos aula vaga . – Uma delas disse se pronunciando pedido desculpa pelo seu atraso.

    —_ Vamos garotas entrem sente-se no seus lugares. – Disse professor tranquilo.

    Elas entraram sentaram nos fundos o professor voltou a dizer. __ Bom , eu estava dizendo passarei trabalho recompensa-los só darei a chance o aluno tentou se esforçar consegui fazer a prova. Qualquer dúvida eu voltarei explica matéria se for necessário. Não sentam vergonha de virem na minha mesa pedir explicações.

    —_ Vou começa a chamada.

    Ele começou a fazer chamada alguns alunos se manteve em silenciou outros estavam conversando bem baixinho, Stevan estava meu lado comentou. __ Nossa já mas imaginaria o Professor Felipe voltaria nós dar aula, Você se lembra dele Aelita ?.

    —_ Sim. Estamos na sétima série era ótimo professor adorava aula dele. – Escutei meu nome ser chamado, levantei a mão disse –“presente” pode ver o professor Felipe sorrindo para mim. Na mesma hora eu corei senti meu coração acelera.

    Ele acabou de fazer a chamada começou a escrever no quadro negro. As garotas dos fundos comeram sala tão alto começo incomodar todos estavam copiando matéria.

    —_Eu espero que as senhoritas estejam prestando a atenção na aula.

    —_ Aí professor. – Disse uma delas toda tengosa.

    —_ As senhoritas iram prestar atenção na aula ou eu terei que pedir para que se retirem? – Ele disse levantando uma sobrancelha.

    —_ Nós prometemos para de conversa o Senhor nós dizer se casado ou solteiro?

    —_ Não é hora para isso, Vocês estão sem aula. Sobra tempo responderei suas perguntas, deixem papo furado para, mais tarde.

    —_ Desculpa professor.

    Ela pediu desculpa olhei para trais pode ver sorriso cheio de malicia seus lábios, ela voltou a copiar matéria. A quarta aula acabou continuávamos tento aula de matemática, ele explicou matéria novamente, como sempre eu não havia entendido nada. Tomei coragem me levantei da minha mesa foi até mesa dele pedir explicações, na verdade eu estava nervosa depois quadro anos havia percebido eu amava, eu finamente estava me tanto conta não seria possível revelo ele apareceu um passo de mágica. Respirei fundo disse mi mesa.-“ Não a nada temer aja normalmente nada dissesse acontecido no ônibus “.

    Fui até mesa dele levando minha folha eu havia destacado meu fichário eu chamei __ Professor desculpe não entendi matéria. – Ele olhou para mi sorriu.

    —_ Aelita diga-me você não entendeu?.

    —_ Eu não entendi como faz o cálculo x°² com raiz quadrada.

    Ele deu uma risada de leve. __ Você continua mal na matéria?

    Eu apenas confirmei com cabeça, ele começou me explicar conta passo a passo, eu não entendi me explicava outra maneira. Uns alunos se aproximaram da mesa ele me explicava mesmo tempo fazia a conta.

    —_ Digam ? Precisam de ajuda? – O professou perguntou.

    —_ Não professor eu só mesmo mostra a ver está certo. Assim disse outros dois alunos, o professor olhou os cadernos disse quem não acertou depois ele iria corregi no quadro negro, Stevan se aproximou de mi disse.

    —_ Está com dúvida Aelita ? Não me disse eu poderia ter explicado como sempre.

    —_ Desculpe não queria de atrapalhar.

    O professor termino de corregi o caderno de Stevan . __ Tudo certo Stevan . O professor disse ao entrega o caderno para ele.

    —_ Valeu professor. O senhor não lembra de mim? Eu a Aelita estudamos juntos dez da quinta serei o senhor nós deu aula na sétima serei.

    —_ Sim se lembro de alguns alunos vocês cresceram mudaram muito, desculpe não ter reconhecido . – disse o professor Felipe .

    —_ E bom ter de volta professor. Espero que o senhor ainda jogue futebol, conosco. Na hora do intervalo se reunimos alguns alunos jogar bola na quadra.

    —_ Eu jogo Stevan me avise estiver tudo certo no intervalo basta me avisarem eu jogarei com vocês.

    —_ Beleza professor. – Os dois trocaram aperto de mão, chocando os punhos de leve. O professor se virou para me dar atenção e disse.

    —_ Temos trinta minutos de aula, tente fazer sozinha. Daqui a quinze minutos vou corrigir. . Entendendo pouco melhor se faz conta acenei com cabeça foi sentar meu lugar.

    Chegando o fim da aula ele corregi como as contas passando o resultado no quadro negro, no final da aula alguns alunos se aproximam da mesa professor Felipe conversa com ele bate papo. Eu me mantive sentada meu lugar olhando as vezes pelo lado de fora da janela e quando desenhava folho passar o tempo, na verdade realmente eu queria conversa com o professor Felipe pergunta porque ele voltou da aula nossa escola se ele estava casado ou ainda solteiro. Arhg! Queria estar sois com ele poder agradecer semana passada ter me ajudado.

    O Sinal bate os alunos volta sentarem, o professor vai embora se despedindo de todos, esperamos professor de História entra se passa cinco minutos e nada do professor vim, até supervisora entra nossa sala avisado não teremos última aula o professor teve embora de urgência, por isso estamos liberados irmos embora, eu guardava minhas coisas e desço as escadas tomo coragem bato na porta dos professores.

    —_” Antes de ir embora gostaria de agradece-lo “. Uma professor abre a porta pergunta eu gostaria pergunto o professor Felipe se encontra eu gostaria de conversa com ele, ela abre um pequeno sorriso e diz iria chama-lo .

    Me sentia tão ansiosa pode conversa com ele a sois dessa vez . Senti minha unha estava quase querendo quebra me irritar eu queria puxa-la com a boca para arranca-la . Parecia havia se passado horas até mesmo semanas, eu esperava lado de fora super. Ansiosa falar com ele.

    Parecia meu coração iria saltar pela minha boca. Por fim ele a pareceu me dando um sorriso.

    —_ Srta.Aelita gostaria de falar comigo? . – Abri boca dizer algo a ele congelei de vergonha, foi então percebeu minha timidez.

    —_ Esta sentido bem Aelita ? Esta toda vermelha. – Por fim teria de dizer algo.

    —_ Eu.... eu... na verdade queria agradece-lo por semana passada, muito obrigado professor ter me ajudado no ônibus.

    —_ Não fui nada, Aelita. Você não deveria estar em aula? – Ele me perguntou olhando pouco desconfiado.

    —_ Não , professor nós fomos dispensados . Nosso professor teve embora urgência. – fiquei curiosa ele achar eu estava matando aula decidi pergunta-lo .

    —_ O senhor estava desfiando de mim ? Achando estava matando aula ?

    Ele passou mão sobre pescoço. __ Desculpe, eu não queria desfiar de você. Pensei você teria se tornado uma aluna rebelde , já a maioria das jovem então assim hoje em dia.

    Eu me vez rir . __ Se eu me tornasse uma jovem rebelde acredito minha mãe teria me matado. O Senhor lembra dela ? Ela sempre vinha me buscar na escola sempre perguntava ao senhor outros professores eu andava na escola.

    Foi vez dele rir . __ Sim eu me lembro.

    —_ Fico o senhor tenha voltado da aula. Fiquei muito triste soube o senhor havia pedido demissão da escola, já o senhorio novamente nosso professor na oitava seriei.

    —_ Infelizmente tive pedir demissão acabei tento problema alguns alunos, não arruma confusão pedi transferência outra escola. Esse ano parece uma professora aposentada estava tento dando problemas, escola me ofereceu novamente oportunidade dar aula como professor integral.

    —_ Fico feliz o Senhor estas conosco até final do ano . – Disse abrindo sorriso tímido.

    Ele olhou seu relógio de pulso me disse .__ Acho melhor ir Aelita se não ficaras muito tarde você voltar sozinha . Não gostaria de ver minhas alunas andado sozinha tão tarde na rua. E também não gostaria novamente de ver sento assediada.

    Eu respondi __ Sim acho melhor eu indo. – Me senti triste estava conseguindo conversa com ele.

    —_ Tome cuidado. Não fale com estranhos.

    —_ Pode deixar. Eu sei me cuidar. – Disse dando um sorriso.

    —_ Nos vemos amanhã professor , o senhor continua sento meu preferido . – Disse entre risos não perde costume de brincar com o professor, não deixava de ser verdade.

    —_ Espero eu continuei sento seu professor favorito. Não pense me troca por outro professor dão facilmente. – Ele dizendo rindo da minha brincadeira.

    —_ Pode deixar . Eu não trocaria o senhor por nada nesse mundo.

    —_ Tchau professor foi bom tê-lo de volta. – Disse acenando para ele me retirando do local. Escutei ele dizendo –“ Espero a posposta esteja de pé”.

    Me aproximei do portão , olhei para trás o professor já havia entrado na sala dos professores. Me perguntava ele estava se referindo brincadeira eu disse eu me casaria eu fosse mas venha. Corei ideia, não era possível ele já diria aquilo de verdade ele tem costume de brincar comigo. Eu não poderia levar a serie ele disse além do, mas eu comecei isso.

    Sair da escola levei susto cheguei a pular vi dois ratos saindo de um bueiro correndo e brigando. Estava feliz .... O melhor estava me sentido, mas alegre. Parecia eu havia ganhado na loteria ,começo andar de presa para casa para cada lugar eu olhava surria igual uma boba apaixonada .

    _ Hum... deixe-me ver ..... Vou fazer amanha de almoço....

     


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!