Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 113

    Ossos

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yoo, Oa ficou por um tempo fora, então hoje postarei 3 capítulos!

    Boa leitura ^^

    Raios azuis estalavam no braço direito de Ganância, a energia vermelha, que detinha o poder da desintegração, ficava envolto de seu braço esquerdo e toda sua energia laranja emana pelo seu corpo. Edward, em seu Despertar, mantinha-se alguns metros de distância do serafim. Empunhava sua foice cinzenta em guarda com suas chamas azuis dançando por ela e pelo seu corpo. Ganância mantinha sua expressão séria, e ambos se encaravam.

    Semicerrando o punho direito, Ganância formou uma lança de raios azuis, lançou seu braço direito para trás e atirou a lança em direção ao Morte. Tão rápido quanto a lança de raios quando foi atirada, Edward se jogou rolando para o lado, fazendo a lança passar zunido por ele e quebrando a parede que atingira. Ganância avançou em direção ao capitão dos selos com seu braço esquerdo esticado envolto da energia vermelha. Sem querer deixar o anjo se aproximar, Edward voou utilizando suas asas de ossos.

    – Não fuja de mim, Morte! – vociferou Ganância voando em direção ao Morte com suas asas laranjas.

    Enquanto ainda subia, Edward girou sua foice em direção ao serafim. Por toda a circunferência do giro da foice, um círculo magico azul fora criado, fazendo com que, de maneira continua, várias almas azuis invocadas pela necromancia do Edward voassem em direção ao anjo. Ganância parou no ar e utilizou os raios para atacar as almas, porém, desta vez, as almas explodiram. Com o bater de suas asas, Ganância dissipou a cortina de fumaça formada, sem nenhum ferimento grave. Ele percebeu que Morte havia desaparecido.

    Pelo mesmo buraco no teto que ele criou para entrar, Edward saiu para o lado de fora do castelo e pousou no telhado.

    – O que você vai fazer, Ed? Não vai demorar para o Ganância perceber que você está aqui – questionou Lizzie soando a voz na cabeça do Edward.

    – Não posso chegar perto dele. Talvez ele seja mais rápido que eu, não será difícil ele desintegrar você. Se estou vivo ainda, quer dizer que ele não é rápido o suficiente para desintegrar todo meu corpo de uma só vez, mas meu braço, talvez. – Edward olhou para baixo. – Merda.

    Um espesso pilar de raios saiu de dentro do castelo explodindo o teto e acertando Edward diretamente. O zunir da poderosa concentração de raios era ensurdecedor, o pilar subiu tão alto e o brilho era tão forte que com certeza qualquer um no céu poderia vê-lo e de qualquer lugar que fosse.

    Edward, com o corpo eletrizado, caiu no ar até dar de cara no chão, e por lá ficou caído. Ganância o observou.

    – Eu disse para não fugir – disse Ganância ainda com os raios estalando em seu braço.

    Edward utilizou sua foice com bengala para tentar se colocar de pé.

    – Edward, você não precisa de força agora. Precisa de velocidade. Faça-o – sussurrou Lizzie.

    – Como quiser, doce Lizzie. – Edward ergueu sua cabeça e fitou Ganância. – Despertar segundo estágio: Personificação da Morte.

    As chamas azuis do Edward envolveram seu corpo em espiral. Por precaução, Ganância preferiu recuar ao atacar.  Subitamente, as chamas azuis se dissiparam por completo.

    Edward estava agachado no chão, com um par de asas penadas negras o envolvendo. Ele se ergueu, fazendo com suas asas se abrissem. Ele havia voltado a ter o corpo feito de carne e com o seu tamanho original, porém, da cintura para baixo, uma armadura de ossos cobria suas pernas e coxas, e, da cintura para cima, a armadura de ossos cobria apenas o lado esquerdo do seu torso e completamente seu braço esquerdo, deixando todo seu lado direito nu. Praticamente toda sua cabeça era envolvida por ossos, exatamente com o formato do crânio humano, apenas deixando abertura em cima para seus cabelos brancos ficassem para fora e seus olhos azuis cintilantes. Sua única foice se transformou em duas com curtas hastes, e estavam novamente com a lâmina azul. Ele mantinha a lâmina da foice esquerda para baixo, enquanto usava a da direita para cima, normalmente. As chamas azuis se entrelaçaram entre a armadura de ossos em suas pernas e coxas. Um nimbo azul se formou do meio de suas costas até acima de sua cabeça, diferentes dos outros selos, não tinha nenhuma figura dentro do nimbo, apenas o vazio.

    Edward estalou seu pescoço.

    Em instantes, Edward já estava de frente com o serafim. Girando seu corpo, a lâmina direita passou tão rente do rosto do anjo que abriu um talho no nariz dele. Ganância havia desviado por pouco. Com a foice esquerda, tentou decapitar o serafim, mas ele se agachou. Ainda no giro, Edward acertou o rosto do Ganância com seu calcanhar direito, arremessando-o contra uma parede.

    Ganância cuspiu sangue.

    – Essa sua forma tem uma velocidade incrível, mas sua força diminui – comentou Ganância.

    – Não preciso de força – esclareceu Edward rigidamente.

    – Veremos.

    A energia laranja emanou por todo corpo de Ganância, iria avançar. Correntes magicas azuis se enrolaram nos braços de Edward e se acoplaram nas pontas das hastes das foices. No mesmo tempo que Ganância avançou, Edward jogou sua foice direita em sua direção. Ganância defendeu da foice brandindo contra seu braço esquerdo. Edward jogou a esquerda, porém fora desviada novamente. Utilizando suas foices como chicotes, Edward atacava o serafim com rápidos golpes o impedindo de avançar. Ganância apenas ricocheteava os golpes com os braços, não conseguiu concentrar os raios e nem a desintegração. A foice esquerda se enrolou no braço direito de Ganância e a foice direita em seu braço esquerdo. Com ele preso, Edward o puxou com toda sua força em sua direção. As chamas azuis envolveram seu braço direito e acertou o anjo com um soco forte de direita, afundando-o no chão. Antes que o serafim pudesse contra-atacar, Edward voou para longe.

    Ganância ergueu do chão. Estava com seu rosto queimado e ferido.

    – Você me irritou, Morte. – Os raios estalaram por todo o corpo de Ganância. – Vai ser cômico a “morte” morrer.

    Ganância descarregou mais um pilar de raios em direção ao selo. Dessa vez, Edward conseguiu ser rápido o suficiente para desviar do pilar e voar rente a ele em direção ao serafim. Edward o rodeava e o atacava com sua foice. Ele era rápido demais para o Ganância, que era apenas capaz de acertar o ar. Graças sua armadura dourada, Edward não conseguia o cortar. Entre as sequências de golpes que Edward trocava, inesperadamente, uma parede de areia se formou na frente do Ganância e bloqueou do ataque da foice. Edward tentou atacá-lo pelas suas costas, mas a parede de areia o protegeu novamente. Um pilar de pedra emergiu do chão e acertou o estômago do Edward certeiramente, fazendo-o rolar no chão.

    Ganância havia tomado o poder do arcanjo Araqiel para si, o mesmo arcanjo que Pietra havia o enfrentado.

    Névoa havia começado a preencher a sala do trono, mas Edward não notou.

    Determinado a acabar com tudo, Edward avançou. Ele cortou os pilares de pedras que emergiam do chão e desviava das areias. Ganância o atacou com seu braço esquerdo envolto da energia vermelha, mas Edward desviou e cortou horizontalmente ao meio. Ganância se transformou em névoa.

    – Uma ilusão?! – pensou Edward.

    Ganância também havia tomado o poder da ilusão do Gabriel, arcanjo que o Aiken enfrentou.

    Antes que Edward pudesse fazer algo, Ganância apareceu em meio a névoa e o agarrou com sua mão direita pelo pescoço. Ganância descarregou raios diretamente no Morte. Ele tremia enquanto os raios o eletrocutavam. Ganância parou apenas no momento que Edward largou suas foices, deixando-as pendendo no ar graças as correntes que a prendiam em seu braço. Com as forças que lhe restavam, Edward agarrou o braço do Ganância e tentou se soltar, mas não conseguia.

    – Nem tente. Tomei o poder da força física do Rafael e o de aumentar a força bruta enquanto luta do Natanael – esclareceu Ganância. Ele começou a apertar a garganta do Edward com o braço esquerdo também. – Eu sou o rei. Você não vai me atrapalhar mais. – A energia vermelha emanou no braço esquerdo do Ganância e passou para o pescoço do Edward. – Morra.

    A porta da sala do trono explodiu, os selos, Uriel e Mikaela entraram, e viram Edward se desintegrar até virar pó nas mãos do Ganância. O serafim não sorriu, apenas fintou os olhares incrédulos dos seis.

    – Chegaram em boa hora. Vejo que meus subordinados falharam em matar vocês. Inúteis no fim. – Ele sorriu. – O destino de vocês irá ser que nem o do seu capitão aqui.

    As chamas vermelhas do Dante inundaram a sala do trono. Havia se perdido em sua fúria.

    Continua <3 :p

    Curiosidades:

    Personificação da Morte: em sua personificação, Edward volta a ter o corpo de carne e seu tamanho original. Ele é protegido por uma armadura de ossos e suas asas ficam negras e penadas, e um nimbo azul é criado. Diferente da Personificação dos outros selos, que complementam o Despertar, o Edward muda por completo. Enquanto em seu Despertar é focado em força, sua Personificação é voltado para a velocidade. Seu corpo pequeno e asas penadas ajudam na velocidade e mobilidade. As chamas em suas pernas o deixam ainda mais rápido, é o ponto chave da transformação. A armadura de ossos compensa sua falta de defesa, mas não protege todo seu corpo, pois debilitaria sua movimentação, mas, por ser feita de ossos, é menos pior para articular. Sua foice ser dividida em duas, o ajuda em deixar seus ataques mais dinâmicos e possibilitando novos combos. A ignição para entrar na Personificação é liberar todo seu poder no Despertar e a Lizzie e o Edward conseguir maior sincronização entre si.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!