Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 109

    Imprevisto

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yoo, sim, sou eu novamente!

    Depois de muito, temos capítulos semanais seguidos!

    Magnifico.

    Ou não...

    Boa leitura ^^

    – O que lhe incomoda, Ed? – perguntou carinhosamente Lizzie enquanto o apertava.

    – Nada... – Ed respondeu com receio.

    – Nada? Sério? Você subiu vários degraus correndo desde que deixamos Kleist.

    – E o que isso tem a ver?

    Lizzie suspirou.

    – Você voa, Ed. – Deu um risinho – Você esqueceu de voar!

    Edward ficou em silêncio levemente corado.

    – Voe, Ed... voe – disse Lizzie olhando para cima.

    Edward olhou para cima e sorriu. Em um piscar de olhos, sua esclera ficou negra e sua íris com um azul cintilante, suas asas de energia negra se formaram em suas costas e as chamas azuis começaram a dançar pelo seu corpo.

    Levemente agachado, Edward saltou e começou a voar. Enquanto sobrevoava por cima do castelo, deixou-se cair ao mesmo tempo que puxou Lizzie pelo braço e a transformou foice. Ao mesmo tempo em que caia, Edward começou a girar no ar. Ao quebrar o teto do castelo, ele adentrou diretamente na ampla sala do trono.

    Sentado em seu trono, o serafim da Ganância observou a entrada de Edward. Levantou-se desembainhando sua espada com sua lâmina que parecia ser forjada de puro ouro, brandiu-a envolto a sua energia laranja contra a lâmina da foice do Edward. Enquanto suas lâminas eram pressionadas uma contra a outra, os dois se encaravam com olhares furiosos.

    – Hora de pagar pelos seus pecados, Ganância – decretou Edward enquanto aumentou a intensidade de suas chamas azuis. Ele forçou as lâminas com mais força, fazendo o serafim ser empurrando para longe, porém sem nenhum ferimento.

    – Não vejo ninguém a altura para me fazer pagar – retrucou Ganância enquanto sua espada era incorporada pela energia laranja. Ele cortou ar, fazendo a energia acumulada ser atirada em direção ao capitão dos selos.

    Edward girou sua foice envolto em chamas azuis e jogou-a em direção a energia laranja, fazendo com que se anulasse. Ganância deu um passo para o lado para desviar da foice. Entretanto, Ganância fora tingido na têmpora por um chute do Edward, fazendo-o ser arremessado até a gigantesca porta com finas fissuras que energia laranja percorriam entre elas.

    A foice voltou para mão do Edward. Ganância apenas sacudiu a cabeça fazendo seu cabelo ruivo chacoalhar, era como se o chute do capitão dos selos não tivesse dado nenhum dano.

    – Comentaram sobre está porta com você, Morte? – perguntou Ganância apontando para a porta.

    – Sim – respondeu. – Deus disse que coisas imensuráveis estão atrás dela.

    – Exato – confirmou o serafim com um tom de animo em sua voz. – Mas não consigo achar um jeito de abri-la. – Ele concentrou uma grande quantidade de energia laranja em seu braço esquerdo, então bateu na porta. O impacto foi tão forte que vento tomou conta da sala, mas a porta não sofrera nem mesmo um arranhão.

    – Talvez não abra para traidores idiotas – caçoou Edward com seu cabelo remexendo ao vento. – O que imagina ser essas coisas imensuráveis?

    – Admito que não faço ideia. Mas eu quero. E o que você imagina?

    – Algo que nenhum de nós espere – disse por fim Edward após um tempo pensando. Ele retirou o sobretudo, sua gravata e o colar, embolou tudo e jogou em canto que julgou ser mais protegido. Na palma de sua mão esquerda, se formou um círculo mágico. – Muitos morreram nesta sala. – Edward tocou o chão com a mão esquerda, vários círculos mágicos surgiram no mesmo e várias mãos começaram a emergir do chão.

     Antes que as mãos pudessem o tocar, Ganância aplumou suas asas laranjas cristalinas e voou. Mas Edward voou em sua direção com suas chamas azuis envolto em seu corpo e foice.

    – Acha que uma simples distração é capaz de me enganar? – gabou-se Ganância.

    – Por isso eu vou... – Edward interrompeu seu pensamento ao ver o braço esquerdo do serafim se carregar de raios.

    Ganância atirou o acumulo de raios em Edward, que recebeu o ataque diretamente. Edward recebeu todos os raios e foi arremessando contra o chão. Forçando seu corpo, ele se pôs de pé novamente.

    – Este poder de raios era do arcanjo Amtiel – comentou Ed com os raios ainda percorrendo pelo seu corpo.

    – E agora me pertence.

    Ganância formou uma lança de raios na palma de sua mão e atirou no capitão dos selos, seguindo de outra lança, uma após a outra. Edward desviava de todas as lanças de raios se movendo rapidamente para um lado e para o outro, percorrendo a ampla sala. A cada impacto das lanças de raios com o chão, o estrondo era alto.

    O serafim deixou sua energia laranja envolto em sua espada e começou a dispara-la ao invés dos raios. Edward parou sua movimentação, concentrou suas chamas azuis em sua foice e a utilizou para se defender da energia laranja.

    Enquanto cortava o ar sem parar atirando a energia laranja no capitão dos selos, Ganância deixava os raios em seu braço esquerdo se acumulando cada vez mais. Parado sua espada, Ganância disparou imediatamente todos os raios acumulados, fazendo zunidos ensurdecedores. Praguejando mentalmente, Edward espalhou suas chamas azuis ocupando boa parte da sala ampla, e um brilho que cegou os dois tomou conta da sala.

    Com a extinção do brilho, Edward estava com seu corpo levemente eletrizado, do mesmo jeito que Ganância estava levemente queimado.

    – Tenho que admitir, Morte... – Ganância pousou no chão. – Você e sua foice, Lizzie, foram algo que me chamou atenção. Uma arma que tem consciência própria é incrível. Quando estava em posse da espada do Lúcifer, também fiz o mesmo.

    Ganância não estava com sua espada em punho.

    Lizzie sentiu uma nova aura atrás deles, e logo avisou ao Edward. Ao se virar, Edward viu uma menina um pouco maior que Lizzie, com cabelos ruivos que poderiam ser facilmente confundidos com laranja e olhos pretos. O braço esquerdo dela se transformou em espada e avançou em direção ao Edward emanando uma energia laranja.

    – Porém, diferente da Lizzie – continuou o serafim –, foi parte do meu poder, não da alma. Assim, ela pode evoluir e combater mesmo nessa forma.

    Edward começou a se movimentar para se defender do avanço da menina, porém Ganância começou a se mover em direção a ele também.

    – Não esperava confrontar dois ao mesmo tempo. Abaixei minha guarda – praguejou mentalmente Ed. – Terei que ser atingido pela espada e bloquear o ataque do Ganância, se não vai ser um golpe fatal. Ambos devem visar meu coração ou cabeça. E não há tempo para o despertar.

    – Edward, sinto outra aura – sussurrou Liz na cabeça de Edward. – Parece-me familiar.

    – Outra aura? Tsc. Vai ser difícil não sair quase morto.

    Preparado para se defendo do golpe de Ganância e pronto para receber golpe de sua espada, Edward se manteve em posição.

    – Não encostem em meu homem – pronunciou friamente uma nova voz.

    Uma parede gelo se formou atrás de Edward, bloqueando a menina, e na frente dele, bloqueando o avanço do Ganância, e ambos se afastaram da parede de gelo.

    Ganância olhou para o teto onde Edward havia quebrado para entrar, e notou uma mulher cabelo longo e negro, com olhos vermelhos e a pele branca. Trajava um vestido negro que descia até um pouco acima de seus joelhos, botas e meias de coxas igualmente negras.  A parede de gelo havia começado da onde ela estava.

    – Quem é está mu...

    – MIKAELA?! – gritou Edward interrompendo Ganância.

    Ela abriu um sorriso.

    Continua <3 :p

    Curiosidades:

    Serafim da Ganância: líder dos serafins e o novo rei do céu. Seu poder é simples: ele consegue roubar os poderes de outros seres para si. Entretanto, há uma condição para ele conseguir tomar o poder, uma condição cujo ninguém conhece, nem mesmo seus serafins.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!