Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 106

    Feras

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yooo, gostaria de avisa-los que chegamos a marca de 20k de views semana passada!

    Nunca pensei que chegaria a tanto, sério. Quando chegar a um milhão eu faço especial :3

    Titio ama vocês (ou não)

    Frustrado por ter caído em uma distração inimiga, Aiken continuou parado contra a parede cercado por cem marionetes, todos elas indo atacá-lo ao mesmo tempo. Aiken se preparou para se movimentar contra as marionetes, porém, múltiplas espadas vieram de direções diferentes. O selo conseguiu desviar da maioria utilizando suas katanas, mas fora atingido por uma espada em seu ombro direito e outra em sua coxa esquerda.

    – Desculpe-me, Fome, até que você é bem legal – disse Preguiça. – Mas isso não é um lance pessoal.

    – NÃO FALE MERDA! – vociferou Aiken tão alto que ecoou por toda repartição. Ele esticou os braços enquanto as marionetes avançavam em sua direção, deixando sua defesa completamente aberta. – Seu líder matou Deus e colocou todo o equilíbrio em risco... ISSO É PESSOAL PRA CARALHO!

    – Apenas morra com suas palavras.

    – Não é hora de pensar, não é hora de premeditar. Abrace o inevitável e se torne imprevisível – Aiken se manteve parado com um olhar sério com as marionetes a oito metros de distância. – Despertar segundo estágio: Personificação da Fome.

    As chamas prateadas do Aiken se espalharam pelo recinto, e as marionetes começaram a cair no chão. Vários lobos, tigres, gorilas e leões prateados saíram em meio as chamas prateadas do Aiken e começaram a estraçalhar as centenas de marionetes. Com a extinção das chamas, Aiken estava parado com duas lâminas de errantes transpassadas em seu torso, porém, os detentores destas espadas, já tiveram suas cabeças arrancadas pelos seus tigres prateados. Estendendo-se do meio de suas costas até acima de sua cabeça, um nimbo prateado formando um rosto de um lobo selvagem em seu centro emanava um brilho prateado.

    – Da onde saem estes animais?! – vociferou Preguiça, enviado mais marionetes ao combate e redirecionando os arcanjos para atacar diretamente o selo.

    – Eu que os crio – Aiken abriu um sorriso sádico.

    Dois dragões de chamas prateadas circularam o corpo do Aiken, e, quando começaram a circular seus braços, os dois saíram de chamas para uma composição viva: criaram carne, dentes, escamas prateadas e etc. Estes dragões atacaram diferentes arcanjos, incapacitando dois deles. Mais um arcanjo fora incapacitado com um gorila que o agarrou, prendendo-o. Lobos morderam todas os membros do último arcanjo livre, deixando-o imobilizado. Ainda com as quatro lâminas transpassadas em seu corpo, Aiken avançou. Primeiro, ele cortou a cabeça do arcanjo Rafael, em seguida, cortou Anahel no meio de cima para baixo verticalmente. Ele lançou uma de suas katanas negras em Amtiel, o perfurando certeiramente no meio da testa, e, para finalizar seu combo, cortou Jael horizontalmente ao meio e perfurou sua cabeça.

    – Seus queridos arcanjos foram obliterados, Preguiça! – vociferou Aiken.

    Os animais prateados do Aiken confrontavam as marionetes violentamente, sempre as finalizando arrancando suas cabeças ou devorando, para impedir o controle das mesmas.

    Sem tem o que fazer, Preguiça decidiu se movimentar para se posicionar melhor, porém, dois tigres morderam suas pernas e os lobos seus braços, impossibilitando seus movimentos. Em seguida, um gorila agarrou as asas laranjas cristalinas e as puxou com toda sua força, arrancando-a e fazendo o serafim gritar de dor.

    Aiken se virou para o lado onde o grito veio, e finalmente pode ver a face do serafim: tinha tamanho mediado, um corpo magro, seu cabelo era curto e castanho; e sua armadura dourada apenas cobria seu torso. Os lobos puxaram os braços do Preguiça até arrancá-los, obrigando-o a cerrar os dentes de dor. Sem poder controlar mais as marionetes, Aiken caminhava tranquilamente em meios suas criaturas prateadas e as marionetes no chão, mantendo um olhar frio e seu sorriso sádico.

    – Enquanto você controla suas marionetes, eu crio vida com pensamentos próprios com os meus poderes.

    – Nunca me falaram que você era tão perigoso quando segue apenas seus extintos – disse Preguiça ao Aiken, sentindo forte dores e os dentes dos tigres em suas pernas. – Deve ser porque ninguém sobrevive a esse seu estado.

    – Não lembro de ter perguntado.

    Ao mesmo tempo em que Aiken perfurou a cabeça do serafim de cima para baixo com sua katana esquerda, ele também perfurou de baixo para cima com sua katana direita. Com as duas katanas varadas em seu cérebro, o corpo do serafim Preguiça brilhou e desapareceu em seguida.

    Aiken cravou suas katanas negras no chão e acariciou a pelagem prateada de um dos seus tigres que sentou ao seu lado, e ele se esfregou em Aiken.

    – Cês fizeram um bom trabalho, me ajudaram muito – agradeceu Aiken olhando para a dezenas de animais. – Agora tá de boa, podem relaxar.

    Ao sair de sua Personificação, suas criaturas se transformaram em chamas prateadas e se extinguiram. Seguidamente, o selo retirou a espada alojada em seu ombro, a que estava em sua coxa e as duas em seu torso.

    – Vai doer muito amanhã – resmungou Aiken. Quando ele fez força para descravar suas katanas do chão, todo seu corpo estremeceu. – Ou agora... Ai. – Ele embainhou suas katanas negras.

    – Nossa, aqueles animais fofinhos foi você que criou, Aiken? – perguntou Pietra ao lado dele.

    Aiken deu um grito assustado e caiu no chão.

    – DA ONDE VOCÊ SAIU, MULHER?! – vociferou ele.

    – Dali – Pietra apontou para entrada da repartição, onde Dante e Uriel entraram logo em seguida. – Não me percebeu?

    – Não, não... adoro gritar e me jogar no chão.

    – Fala direito comigo – ameaçou Pietra em um tom gentil e sorrindo.

    – Sim. Desculpe-me – Aiken estremeceu de medo. – Não percebi você... – ele fez uma pausa – Sua mana está baixa.

    – Por causa da minha Personificação.

    Dante deu a mão para Aiken se levantar.

    – Cê tá quente.

    – Personificação – esclareceu Dante.

    – Cê tá fria – disse Aiken olhando para Uriel.

    – Personi... digo, por causa do meu poder. – Uriel fez uma pausa. – Pelo jeito ele fez dos arcanjos suas marionetes.

    – Sim. Provavelmente Natanael ceifou as almas deles... isso explicaria porque os corpos deles não desapareceram ao morrer.

    Os quatro se entreolharam em silêncio. Pietra tossiu, em seguida disse:

    – Pronto, já enrolamos o suficiente para terminar esse capítulo.

    Continua <3 :p

    Curiosidades:

    Personificação da Fome: em sua Personificação, Aiken tem nenhuma mudança visual, exceto pela aparição de seu nimbo prateado que forma o rosto de um lobo no centro.  Graças a magia que ele aprendeu, mais a junção de suas chamas que servem para controlar o peso, ele foi capaz de criar animais, porém, é capaz de cria-los e mantê-los apenas em sua Personificação, pois requer muito de seu poder. A liberação de todo seu poder no Despertar e está magia seriam a ignição para o segundo estágio.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!