Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 97

    Flor do Inverno

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yoo,

    Estou postando o capítulo mais cedo pois num sei se vai dar para postar mais tarde

    Então, desfrutem...

    Boa leitura ^^

    Com Orgulho em seu caminho, não havia como Tyrael avançar para ajudar Uriel. Sem outra opção, Tyrael manteve a espada em guarda a segurando com as duas mãos. Por um ínfimo instante, ele observou Uriel por cima dos ombros do serafim. Prestando maior atenção, ele observou que ela estava movendo os lábios enquanto olhava-o. Tyrael apenas entendeu “proteja” e “vento”. Quase de imediato, ele entendeu que era para ele se proteger com o seu vento, e foi o que ele fez. O vento começou a rodear por todo o corpo do Tyrael.

    Uriel sentia sua consciência indo embora gradativamente enquanto o serafim a estrangulava. Gula começou a sentir suas mãos sendo congeladas e, aos poucos, seus braços. Imediatamente, Gula soltou Uriel, que, já no chão, rolou para trás para se afastar dele.

    -Não deveria fazer isso, mas não é tempo para hesitação –sussurrava Uriel para si enquanto erguia sua espada verticalmente até altura de seus olhos. –Desabroche, flor do inverno.

    O guarda-mão em forma de flor fechada na espada da Uriel desabrochou, e a pele dela ficou ainda mais pálida. Subitamente, o chão abaixo da Uriel se congelou, e a área congelada começou aumentar alarmantemente. Gula, o que estava mais próximo de Uriel, começou a sentir todo seu corpo congelar, e logo se afastou utilizando suas asas. Orgulho, que estava mais distante, também foi obrigado a se afastar. Já Tyrael, por causa do vento que o circula, sentiu o mínimo de frio, o suficiente para não ser congelado. A área congelada foi tão grande que até os anjos no campo de batalha foram congelados, ou tiveram que se afastarem. Um pedaço de gelo começou a ser formar na bochecha da Uriel, mas ele parou de crescer.

    -Até eu serei congelada se perder o controle –sussurrou ela para si enquanto tocava no pedaço de gelo em sua bochecha.

    Tyrael olhava para Uriel a admirando. Admirando por ela ter ficado forte ao ponto de ter conseguido atingir o zero absoluto. Já os o serafins a olhavam com ódio. Ódio por ela ter dado o gosto de incerteza sobre a vitória na boca deles.

    -Você não vai arruinar os planos do meu rei! –vociferou Gula fervorosamente.

    Utilizando suas asas laranjas, Gula, avançou rapidamente. Uriel não conseguia se mover tão rapidamente como antes, a concentração e o gelo a impossibilitavam, tudo o que ela tinha eram passos lentos. Gula chegou em uma parte que frio era impossível de se aguentar, seu corpo e suas asas começaram a congelar. Porém ele sentiu energia vindo do gelo. E se tinha energia, ele conseguiria absorver. Gula ficou com a aura roxa envolto do corpo dele e continuou avançando, absorvendo todo o gelo. Contudo, quando estava bem próximo da Uriel, todo o corpo do serafim congelou instantaneamente.

    -Isso que dá tentar absorver um poder que nem mesmo eu consigo controlar direito –disse Uriel movendo sua espada em direção ao Gula, cortando ele ao meio, antes de seu corpo cair no chão e quebrar em minúsculos pedaços.

    Orgulho não se deu ao luxo de ficar apenas observando. O serafim avançou em direção a Uriel utilizando suas asas para pegar maior velocidade. Quanto mais próximo da arcanjo, mais congelado ele ficava.

    -Eu sou mais forte que este gelo. Quero mais força –disse ele.

    A aura branca emanou por todo o corpo do Orgulho, e o gelo envolta dele começou a ser anulado. Aquilo surpreendeu Uriel. Orgulho avançou sem o frio causar algum efeito nele, e desferiu um golpe com sua kukri direita. Por muito pouco, Uriel conseguiu se defender da kukri bloqueando com espada, mas ela caiu no chão com sua espada alguns centímetros de distância. Orgulho, imediatamente, redirecionou a kukri esquerda em direção a Uriel.

    Tyrael avançou. Graças ao vento que ficava o rodeado em um velocidade absurda, o corpo do Tyrael não era congelado, porém sentia muito frio. Enquanto se aproximava do Orgulho e Uriel, ele percebeu que teria de fazer uma escolha. Havia noventa por cento de chances do Orgulho matar Uriel caso ele optasse matar o serafim. E esse caminho era inviável, pois Uriel era a única que pode fechar a fenda. Então, Tyrael diminuiu o vento que o cercava da cintura para cima e concentrou em suas pernas. Com isso, ele ficou ainda mais rápido. Rápido o suficiente para entrar na frente da Uriel e fazer com que o serafim o perfurasse. A kukri do Orgulho, junto ao seu braço, varou o corpo do Tyrael, fazendo a lâmina ficar alguns centímetros da cabeça da Uriel. Tyrael agarrou o braço e o pescoço do Orgulho, e ele olhou para Uriel.

    Um olhar foi o suficiente para Uriel entender o que tinha de ser feito.

    Apressadamente, Uriel agarrou sua espada e, de baixo para cima, perfurou as costas do Tyrael. A lâmina atravessou das costas até o centro do peito do Tyrael, e continuou até atingir o queixo do Orgulho e cravar em seu cérebro. Imediatamente, o corpo do Orgulho brilhou e desapareceu deixando apenas sua armadura dourada para trás. Uriel retirou sua espada do Tyrael, mas o gelo já havia tomando conta do corpo do arcanjo da cabeça para baixo.

    -Tyrael...

    -A... fenda –disse Tyrael em suas últimas palavras antes do gelo o tomar por completo.

    Uriel cambaleou. Ela estava fraca. Não conseguiria chegar a fenda, então teria que atirar sua espada de alguma forma. A frase que Dante havia dito para ela cantou em sua mente “Às vezes, devemos nos entregar a fúria.” E ela sentiu a fúria. A fúria por não conseguir proteger Deus. Por não proteger o céu. Por ter matado Tyrael para conseguir matar um serafim. Ela sentiu a força se concentrar em seu braço. Sem hesitação, ela arremessou a espada. Em forma retilínea, a espada viajou sobre todos os outros anjos, viajou mais quinhentos metros até atingir a fenda. Com o contato da ponta da lâmina com a fenda, ela começou a congelar. Em instantes, a fenda se congelou por completo. Uriel havia conseguido a força, mas se desconcentrou para isso, por isso teve metade de seu corpo, o lado esquerdo, tomado pelo seu gelo. Mas estava viva.

    Os anjos inimigos, admitindo a derrota, jogaram suas armas no chão, rendendo-se. Os anjos aliados só tiverem o trabalho de matar todos os outros errantes sobreviventes. No fim, o exército de dez mil guerreiros sob o comando de dois serafins perdeu para o exército de cinco mil guerreiros sob o comando de dois arcanjos.

    Uriel começou a caminhar arrastando o lado esquerdo congelado de seu corpo.

    -Comandante, você... –dizia um anjo, preocupado.

    -Isso ainda não acabou –interrompeu Uriel olhando na direção aonde os selos foram. –Desejo ver a queda do Ganância com meus próprios olhos.

    Continua <3 :p


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!