Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 93

    Estratégia

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yoo, depois de uma longa semana sem fazer quase nada, amanhã começa tudo de novo!

    Então, tenha um desfecho ruim do seu domingo lendo o novo capítulo

    Os selos, junto com Tyrael, seguiam em direção aonde Uriel e as tropas estavam. Todos estavam exaustos, com suas diversas feridas espalhadas pelo corpo emitindo dores, principalmente em Dante, que ainda era carregado pelo Edward. Mas, apesar disso, seus propósitos são maiores e mais fortes que toda a dor e cansaço.

    Uriel se mantinha atrás da linha que ela criou cortando o chão, prevenindo que nenhum anjo possa desrespeitar a ordem do Edward. Ao perceberem a aproximação dos selos junto com Tyrael, os anjos começaram a ficar agitados. Uriel olhou para trás e pode vê-los, e, com um pequeno sorriso, ela se levantou.

    -Vejo que você está bem, Tyrael –disse ela.

    -E você está melhor ainda. –Tyrael repousou a mão no ombro dela. –Você conseguiu chamar os selos, fez muito bem. Salvou o céu.

    Uriel assentiu com a cabeça. Em seguida ela olhou para os selos, para Dante, sendo mais exato.

    -O que aconteceu com ele? –perguntou Uriel.

    -Ah, véi, é mesmo. Capitão, o tempo das minhas chamas tá acabando –advertiu Aiken.

    Lizzie se jogou das costas do Edward, e, imediatamente, Dante voltou ao seu peso normal. Não aguentando tal peso, o braço do Edward fraquejou e Dante caiu em cima dele, esmagando-o.

    -Obrigado... por... avisar... antecipadamente –disse Ed sendo esmagado.

    -De nada.

    Dante rolou para o lado para sair de cima do Edward, deixando-o respirar. Em seguida, os dois sentaram.

    -Enfrentei Zazriel –respondeu Dante à pergunta da Uriel.

    Uriel fez uma expressão de dor imaginado pelo o que Dante passou.

    -Nisso que dá pensar com os músculos –disse ela enquanto agachava-se para perto dele.

    Uriel encostou nos braços do Dante, assim, sentindo o quão quente ele estava.

    -Enquanto você continuar quente desse jeito, seus músculos não irão relaxar. E se não relaxarem, sua regeneração vai ser mais lenta. –Uriel olhou para Lizzie. –Você não pode curar ele da mesma forma que fez comigo?

    -Não –respondeu Lizzie esticando os braços para Ed pegar ela. –Requer muito de minha mana, e preciso economizar forças. –Ed a pegou e colocou em suas costas.

    Uriel suspirou. Em seguida, ela começou a deslizar as mãos nos braços do Dante, criando um fina camada de gelo. Depois, ela deslizou sobre as pernas dele e, por fim, no torso. O corpo do Dante fora revestido por um fina camada de gelo.

    -Isso vai ajudá-lo a resfriar –disse ela.

    Erguendo o olhar, Uriel percebeu que Dante estava vermelho de vergonha. Ao perceber os lugares onde ela passou a mão, também ficou corada.

    -O...o...obrigado –agradeceu Dante.

    -De... nada.

    -Vocês já imaginaram Dante em uma cena clichê como essa? –perguntou Ed aos selos.

    -Nunca –responderam eles.

    -O que eu perdi? –perguntou Tyrael.

    -Os dois estão namorando –responderam os selos.

    -Não estamos! –retrucaram Dante e Uriel.

    -Eu nem mesmo sei o que é namorando –disse Tyrael.

    -É quando duas pessoas tem um relacionamento mais profundo, saca? –explicou Aiken.

    Tyrael pareceu refletir um pouco.

    -Então Lúcifer e Miguel eram namorados? –perguntou Tyrael.

    Os selos e Uriel se entreolharam. Edward, com pequenas risadas, abriu um sorriso e disse:

    -É... quase isso.

    Os sete riram, enquanto Tyrael e os anjos ficavam sem entender nada.

    -Como sabe o que é namoro, Uriel? –perguntou Ed.

    -Lizzie me contou sobre você e Mikaela enquanto íamos te salvar.

    -Mas nós não namoramos!

    Os selos riram.

    -Eu realmente odeio vocês. –Edward se virou para Kleist. –Da para parar de rir enquanto está inexpressivo? É realmente agoniante!

    Kleist parou de rir.

    Uriel se levantou do chão, e, com um olhar sério, perguntou para Edward:

    -Qual é o nosso próximo movimento?

    Edward coçou a cabeça como se estivesse pensando, então disse:

    -Miguel me disse que a fenda se encontra no pátio onde acontecia a reunião dos doze esquadrões.

    -E você acredita nele? –perguntou Tyrael.

    -Sim. –Edward voltou a olhar para Uriel. –Também me disse que você é a única que pode fechar a fenda forçadamente, pois tem que congelar.

    -Então eu sou uma das chaves mais importante para frustrar os planos dos serafins?

    -Não. Você é a chave mais importante. Além de impedir a destruição desta linha temporal, você vai impedir os errantes e caso algum serafim tente fugir.

    -Certo, se eu morrer, muito provável que isso tudo exploda. –Ela fez uma pausa. –Mas sem pressão.

    -Relaxa, é só uma linha temporal –disse Ed.

    -E todos iremos para o pátio? –perguntou Tyrael.

    Edward olhou para Aiken, que ficou sem entender.

    -O que foi? –perguntou Aiken.

    Edward levou a mão a cabeça e suspirou.

    -Explique a divisão, seu retardado!

    -Ah... ata –Aiken sorriu. –A divisão é tão simples que até mesmo Dante entenderia.

    -Se eu não estivesse cansado, levantaria e te daria uma surra –resmungou Dante.

    -É mesmo é? Pois eu estou...

    -Volte a falar sobre a divisão! –interrompeu Pietra dando um tapa na cabeça do Aiken.

    Aiken tossiu, e continuou dizendo:

    -Enfim... Uriel, Tyrael e as tropas irão para pátio onde a fenda se localiza. E nós cinco, os selos, iremos direto onde os serafins estão. Perguntas?

    -Isso não é óbvio demais? –perguntou Tyrael.

    -Sim, é MUITO óbvio. Por isso iremos fazer.

    -Tyrael, nossos geralmente cometem dois erros –começou Ed –O primeiro, seria nos subestimar. O segundo, seria nos superestimar, e esse seria o caso dos serafins. Ganância sabe do que somos capazes, por causa disso, deve aguardar planos inteligentes e imprevisíveis. De fato, Aiken poderia facilmente criá-los. Mas nós não queremos acabar com mal usando estratégias brilhantes, mas sim, a força e da maneira mais dolorosa o possível. Perguntas?

    -Por que vocês estão se chamando assim? Digo, de Aiken, Dante...

    -No plano existencial nos chamávamos assim.

    -E por que no céu ainda se chamam?

    Os selos se entreolharam.

    -Sei lá –disseram eles.

    -Vocês tem certeza que irão vencer os serafins? Tiveram problemas com os arcanjos. Ou irão ter que selar o Ganância? –indagou Uriel.

    -Como vocês sabem, nossos corpos é o próprio selo, por isso é um selo tão forte. Foi criado especialmente para selar Bahamut, ou alguém com tamanho poder. Mas Ganância não chega nem ao pés. –Edward fez uma pausa. –E sobre a dificuldade de derrotar os arcanjos, nós cinco temos uma mania de não irmos com toda nossa força quando não é preciso. –Edward olhou para Uriel e depois para Tyrael. –E vocês? Irão conseguir?

    Edward teve o silêncio como resposta.

    Dante se levantou do chão, abriu e fechou suas mãos, em seguida, começou a dar socos no ar. Seu braços e pernas já não estavam roxos.

    -Eu estou pronto para estilhaçar meu corpo novamente –confirmou Dante.

    -Então só falta Tyrael –disse Ed.

    O vento começou a rodear o corpo do Tyrael, como se fosse um redemoinho, e sua armadura prateada começou a ser forjada pelo vento.

    -Não falta ninguém –confirmou Tyrael.

    -Ótimo. Está na hora de pormos um fim nisto.

    Continua <3 :p


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!