Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: ontem

    14
    Capítulos:

    Capítulo 67

    Orgulho

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yo, desculpe-me pela demora por postar o capitulo, tive que sair....

    Boa leitura ^^

    Sasael atirou outra saraivada de flechas de energia. Agora, sem Edward atrapalhando-o, Lúcifer começou a voar, assim, desviando das flechas atiradas. Ele chegou em uma altura elevada, então começou a descer em direção a Sasael. Lúcifer ricocheteava as flechas com sua espada, e, quando chegou perto suficiente, ele desferiu um corte em diagonal. Sasael utilizou suas asas para impulsionar-se para trás, fazendo com que Lúcifer cortasse o solo.

    Com a besta da mão esquerda, Sasael, emanado uma energia azul, concentrou toda esta energia nela, disparando uma flecha de energia maior e mais forte do que as outras. Com pensamento rápido, Lúcifer já redirecionou sua espada em direção a flecha, fazendo a espada brandir contra ela, ricocheteando para cima, em seguida, utilizou suas asas negras para tomar maior distância.

    Erguendo as bestas, Sasael atirou múltiplas flechas para cima, e as flechas começaram a cair em cima do anjo caído como chuva. Lúcifer começou a emanar sua energia negra pelo corpo, e, em sua espada, raios laranjas começaram a ficar envolto dela. Erguendo sua espada, um turbilhão com sua energia negra revestido com os raios laranjas subiu em direção as flechas, obliterando-as por completo. Agora, a energia negra do Lúcifer caia pelo local como se fosse chuva.

    – Essa espada nunca liberou esses raios laranjas – observou Sasael.

    –  Nunca com vocês. Esta espada foi feita apenas para mim, ninguém mas pode usar cem por cento dela a não ser eu. – Lúcifer fez um pequena pausa. – Com quem ficou minha espada?

    Sasael pareceu receoso para responder.

    – Com o Ganância – respondeu.

    – Minha espada estava com o capitão dos serafins?! – Lúcifer fez uma cara indignada. – Tsc, vou ter que limpar minha espada depois da luta.

    Com a balançar de sua espada, um corte com a energia negra foi em direção ao arcanjo. Sem dificuldades nenhuma, Sasael dissipou o energia com algumas flechas, porém, Lúcifer apareceu acima dele.

    – Você já sangrou, Sasael? – perguntou Lúcifer com um sorriso sádico.

    Ele desferiu um golpe com sua espada no Sasael, mas a espada se chocou contra a armadura, criando uma vibração intensa.

    – Nunca –respondeu Sasael, apontando a besta no rosto do Lúcifer.

    A flecha de energia se formou, mas, no momento que Sasael iria puxar o gatilho, ele sentiu uma dor forte em seu ombro. Um pouco mais da ponta da espada do Lúcifer havia penetrado na armadura, e, graças ao aumento de sensibilidade da dor que é causado pela espada, aquilo havia sido o suficiente para ferir o anjo. Sasael observou o sangue escorrer pela ferida.

    –  Agora sabe como é – provocou Lúcifer.

    – Maldito...

    Sasael emanou uma energia azul por todo seu corpo de forma exuberante, obrigando o anjo caído a afastar-se. Logo Sasael voou, e Lúcifer foi atrás dele igualmente voando.

    Lúcifer continuava a ricochetear as flechas enquanto avançava. Ele desferiu mais um golpe com sua espada, porém, Sasael bloqueou o golpe usando suas bestas. Com o sorriso no rosto, Lúcifer continuava a pressionar sua espada contra as bestas, e, com um olhar sério, Sasael continuava a se manter firme.

    A energia negra e os raios laranjas tomaram conta da espada, criando uma pressão grande contra Sasael. Lúcifer manejou sua espada de forma que o arcanjo ficasse de braços abertos, deixando o peito completamente desprotegido. Rapidamente, Lúcifer redirecionou sua espada em direção ao peito, mas, em menos de um piscas de olhos, Sasael desapareceu deixando apenas rastro da sua mana azul.

    Lúcifer suspirou.

    – Odeio seu teletransporte – comentou Lúcifer.

    Sasael já havia concentrado uma grande quantidade de energia em suas bestas, então atirou. As duas flechas, maiores e mais densas, atingiram as costas do Lúcifer, fazendo-o cair sendo arrastado pelo chão, causando uma grande destruição.

    – Eu sei – concordou Sasael com suas bestas ainda apontadas.

    Com suas costas sangrando, Lúcifer se levantou do chão.

    – Já está sangrando assim, Lúcifer?

    –  Eu não tenho mais minha armadura para manter-me protegido e aquecidinho.

    – Uma lastima.

    – De fato.

    –  Mas de que merda os dois estão conversando em uma luta? – pensou Ed enquanto observava-os.

    A energia negra do Lúcifer se espalhou pelo local, ele ergueu a espada e redirecionou toda a energia negra nela. Agora, totalmente coberta pela energia e os raios laranjas, Lúcifer começou a lançar cortes revestidos com essa energia em direção ao arcanjo. Sasael começou a teletransportar várias vezes para desviar de todos os ataques seguidos.

    Sasael teletransportou para o lado do anjo caído. Entretanto, para o azar do arcanjo, Lúcifer já havia premeditado o teletransporte, então desferiu um golpe com sua espada, fazendo a armadura dele se despedaçar. Lúcifer redirecionou toda sua energia negra em seu braço esquerdo, então acertou um soco no estômago do Sasael que chegou a afundar todo o antebraço. O arcanjo cuspiu sangue e foi arremessado para longe, deixando apenas rastros da energia negra.

    Com muita dificuldade, Sasael se levantou do chão. Ele estava sentindo muita dor em seu estômago e ainda sentia dor no corte que Lúcifer havia feito no início da batalha.

    – Despedaçou minha armadura apenas com isso? – balbuciou incrédulo.

    Lúcifer olhou para sua espada e suspirou.

    – Pois é. Eu adoro minha espada.

    – No que você se transformou, Lúcifer?

    Lúcifer riu e logo fez uma expressão séria.

    – No que eu me transformei?! Vocês traíram Deus!

    Sasael levantou voo, pegou uma altitude um pouco elevada, começou a concentrar uma grande quantidade energia em suas bestas, em seguida, voltou a encarar Lúcifer.

    – Você também! – vociferou o arcanjo

    – Sim, mas eu sou o único que tem o direito a isso! Eu sou o único que pode trai-lo, o único que pode destroná-lo e tomar tudo para si... Eu sou o único que pode matá-lo!

    – Por quê?!

    – Simples: eu sou o Samael, o arcanjo mais forte! Eu posso ter tudo o que eu quero. E o que eu quero é trono daquele ser! Quem estiver no meu caminho, vai ser obliterado junto com ele!

    A energia azul do Sasael começou a tomar proporções gigantescas, fazendo com que o brilho se espalhasse por todo local, ofuscando um pouco da visão deles.

    – Você sabe que rompemos nossos selos, Samael? – perguntou Sasael com um tom de superioridade.

    – Claro que sei, até porque... vocês romperam o meu também.

    Ao termino da sua fala, a energia negra do Lúcifer se espalhou, engolindo boa parte da energia azul do Sasael.

    – Além do mais, devolveram minha espada.

    Os raios laranjas se estenderam por toda a energia negra. Sasael mudou para uma expressão preocupada.

    – Que a escuridão lhe consuma – sorriu Lúcifer.

    Continua <3 :p

    (Capítulo Remake)


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!