Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: ontem

    14
    Capítulos:

    Capítulo 59

    Criação

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yo, o cap de hj é um pouco maior.

    Quis colocar tudo agr para n ter interrupções na batalha.

    Boa leitura ^^

    Incontáveis anos antes…

    Deus, o criador, finalmente conseguiu estabilizar o mundo. Suas criações estavam evoluindo da forma que ele queria. Seu anjos estavam em perfeita harmonia, progredindo com seus respectivos planos. Mas, Ele, teve um pensamento aborrecedor em sua mente: e se morresse? Quem tomaria conta disso tudo?

    Ele, de fato, não queria ser algo parecido com um rei, não queria mandar. Mas era preciso, se não o mundo estaria um caos. Então, Ele teve a ideia de criar um sucessor.

    Deus se levantou do seu simples trono e foi para o centro da sala que estava. Ele fechou os olhos, inspirou e expirou. Começou a emanar uma energia com diversa cores, com a predominância a roxa, e seu corpo pareceu estar vibrando. Eles esticou os braços, parecia que estava se duplicando, então a energia começou a tomar forma de um corpo de uma criança. Quando a energia parou de emanar, Deus caiu de joelhos e ficou ofegante.

    O menino, de cabelo castanho um pouco volumoso, abriu os olhos e olhou diretamente para Deus. Então, logo perguntou:

    – Quem sou eu?

    – Você é meu filho – respondeu Deus, com uma voz tranquilizadora. – Você é aquele que, talvez um dia, será quem vai proteger isso tudo... quem um dia ira se tornar o alfa e o ômega.

    Dois arcanjos entraram correndo na sala, um era Miguel, o outro era um anjo com uma pele morena e era careca, Tyrael. Ao ver Deus de joelhos e ofegante, eles foram correndo em direção a Ele. Tyrael deu suporte a Deus e Miguel sacou sua espada e apontou para o garoto.

    – Quem é você? – perguntou Miguel.

    –  Ele se chama Jesus, meu filho e sucessor ao trono – respondeu Deus.

    Tyrael e Miguel ficaram surpresos. Logo, Miguel abaixou a espada e cravou no chão, e ficou de joelhos.

    –  Por isso você está debilitado?

    – Sim, Tyrael. –Deus olhou para Miguel. – Por favor, avise a todos sobre este fato.

    –  Sim, Senhor – respondeu Miguel.

    –  Tyrael, ajude-me a chegar até a beirada do céu. E você, Jesus, acompanhe-nos.

    Com Tyrael dando suporte, eles foram em direção a beirada do céu. Da beirada, dava para perceber a grande extensão do “império” e também dava para ver que ele havia sido construído em cima de diversas nuvens. Jesus ficou impressionado com toda aquela visão magnifica. Então, Deus apontou para baixo da nuvens. Tyrael saiu, deixando os dois a sós.

    – Você está vendo o mundo lá embaixo?

    –  Não, pai – disse Jesus, semicerrando os olhos.

    – Feche os olhos. – Ao ver Jesus fechando os olhos, ele repousou a mão na cabeça dele. – Abra-os de novo, filho.

    Quando Jesus abriu os olhos, ele pode finamente ver a grandeza do mundo abaixo deles. Ele viu cada árvore, mares e animais fazendo suas respectivas atividades.

    – Incrível! – exclamou ele impressionado. – O que é aquilo?!

    –  São os animais.

    –  E aquilo?!

    – É a água, um dos recursos mais importante para a vida.

    –  Sério?! Que divertido... E o que é aquilo? São parecidos com a gente.

    – Aqueles são os humanos... ele são a minha criação mais perfeita.

    – Que legal!

    – Assim como os animais, nós temos que amá-los, entendeu?

    – Sim, pai.

     Os anos se passaram, e aquela criança cresceu, tomando o corpo equivalente ao de um adolescente. Jesus estava à beira do céu observando novamente, como seu pai havia lhe pedido para fazer. Ele estava observando cada parte do mundo minuciosamente. Passando-se algum tempo, Deus foi para a beira do céu também.

    –  Como está indo sua observação, filho?

    – Está magnifica, pai. Todos as espécies me fascinam. Mas... eu tenho uma dúvida.

    – Pode falar, tentarei esclarece-la.

    – Por que os humanos matam tantos outros animais? Não há necessidade, eles são capazes de sobreviver apenas com vegetais e frutas. E se não há necessidade, tirar a vida de algo dessa forma é ruim... não é, pai?

    – Sim, meu filho. Mas, felizmente ou não, foi dessa forma que eles encontraram uma maneira de sobreviver e evoluir. Assim como todos os outros animais, até mesmo os vegetais, acharam um meio.

    – Entendo.

    – Lembre-se: devemos sempre...

    –  Amá-los... sim, eu sei – disse Jesus, sorrindo.

    Mais alguns anos se passaram, e aquele adolescente finalmente se tornou equivalente a um adulto. Seu cabelo se estendia até suas costas e agora estava com barba. Ele continuava a observar o mundo, é claro que fazia outras atividades, mas Deus sempre dizia para ele observar. Deus chegou na beirada do céu, e ficou perto de seu filho e refez a mesma pergunta como toda vez que via Jesus observando:

    – Como está indo sua observação, filho?

    – Está tudo bem... mas eu ainda não entendo os humanos, pai.

    – Por quê?

    – Por quê?! Olhe só para eles, evoluíram ao ponto de serem espertos e construírem impérios. Conseguem sobreviver em meio desses animais facilmente, adaptaram-se facilmente em todo tipo de clima e lugar. Estão sempre ficando mais forte e melhorando sua magias. – Ele fez uma pausa. – Então por quê? Por que matam uns aos outros? Por que eles acabam com o bioma deste mundo tão desnecessariamente? Ele são espertos, mas só conseguem destruir o mundo que o Senhor criou!

    – Essa foi a forma que...

    – Não me venha com essa de evolução! – vociferou Jesus. –Eles são imperfeitos, e você sabe disso. Ele não devem ser amados, e sim, odiados.

    Jesus levantou e começou a ir embora da beirada. Deus, sem tem o que falar, apenas observou.

    Jesus foi até o seu aposento, deitou em um parte acolchoada, e começou a olhar para o teto, refletindo. Mas ele sentiu uma presença em seu quarto. Logo ele virou a cabeça para um canto escuro de seu quarto.

    – Quem está ai?

    – Sou eu.

    – Ah, Samael. O que traz você aqui?

    – Você brigou com seu pai novamente, não é?

    Jesus deu de ombros.

    – Dessa vez, por quê? – perguntou Samael.

    – Porque ele ainda acha aqueles humanos perfeitos.

    – E não são?

    Jesus riu.

    – Claro que não! São mais do que imperfeitos.

    – E o que deveria acontecer com eles?

    – Deveriam morrer! Eles só poluem este mundo.

    – Se você pudesse sair do plano espiritual, e ir para lá... o que faria?

    – Mataria todos. Começaria a criar o meu mundo perfeito. Mostrar para meu pai o que ele fez de errado com este mundo – disse friamente.

    Ao perceber que ele havia falado demais, Jesus ficou desesperado e olhou para Samael.

    –  Não conte isso para meu pai.

    – Contar? – Sorriu. – Por que eu faria isso?

    Samael sacou sua espada, cortou o ar, então um fenda foi aberta.

    – Vá – disse Samael apontando para a fenda.

    – Não entendendo...

    – Você não quer criar um mundo perfeito? Parado aqui você não vai conseguir. E você sabe que nunca vai conseguir com a autorização de Deus.

    Jesus abriu um sorriso.

    – De fato, magnifico.

    Ele foi indo em direção a fenda, mas Samael o deteve com a espada.

    – Só mais uma coisinha. Acerte-me com um soco bem forte. E, quando nos encontrarmos novamente, irei ser chamado de Lúcifer.

    – Estrela da manhã? Gostei. Então, pode me chamar de Bahamut.

    – O rei dos dragões? – arqueou uma sobrancelha.

    – Sim, o rei daqueles que trazem o caos.

    O braço direito do Bahamut começou a emanar uma energia roxa, então acertou um soco bem no estômago do Lúcifer, fazendo ele ser arremessado longe. Com um sorriso no rosto, Bahamut entrou na fenda e desapareceu.

    – Aquele desgraçado não se segurou – pensou Lúcifer enquanto cuspia sangue.

    Lúcifer entrou na sala do trono, com sua boca sangrando e com mão na barriga. Ele olhou para Deus e logo disse:

    – Jesus foi embora do plano espiritual!

    – O que? Como?

    – Ele abriu uma fenda, quando fui impedir ele, acertou-me com um soco. Desculpe-me, senhor – agachou e pôs a cabeça no chão.

    – Não precisa de desculpas. – Fez uma pausa. –  O que ele disse?

    – Ele apenas me disse algo relacionado a criar o seu próprio mundo perfeito. E que de agora em diante, iria se chamar Bahamut.

    Deus ficou desesperado.

    – Mais alguém sabe do ocorrido? – perguntou Ele.

    – Apenas eu e Miguel, Senhor.

    – Então irei apagar ele da mente de todos, exceto a de vocês dois e do Tyrael.

    – Mas por quê?! – deu um sobressalto.

    – É preciso, Samael.

    Deus levantou o braço, fechou a mão e, em seguida, abriu ela, então um brilho azul emanou pela sala.

    A partir daquele momento, todos esqueceram-se do filho direto de Deus, Jesus. Todos os anjos não sabiam como Bahamut nasceu, e nem como tinha tamanho poder. Exceto os três arcanjos que Deus mais confiava: Tyrael, Miguel e Samael.

    Continua <3 :p

    Obs: Essa história não é o que acho sobre Deus ou algo relacionado a ele. Não é nenhuma crítica sobre sua religião, sobre o que você pensa ou o que deve pensar. É apenas algo fictício para entreter e passar o tempo. Se estiver incomodado, retire-se, pois eu realmente não ligo.

    (Capítulo Remake)


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!