Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: ontem

    14
    Capítulos:

    Capítulo 55

    O Livro

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yo, foi mal pela pela demora para postar o cap hj e.e

    Esse cap vai estar um pouquinho maior...

    Boa leitura!

    Os sete idiotas prosseguiram pelo seu caminho na neve. Os selos se mantiveram aquecidos usando suas chamas, e Mikaela sempre ficava ao lado do Edward para se aquecer. Já havia se passado alguns minutos desde que eles começaram a caminhada na neve. Eles não conseguiam enxergar o final. A cada minuto, parecia que a nevasca ficava cada vez pior, dificultando cada vez mais para andar.

    Eles observaram vários pequenos animais coberto por uma pelagem branca, que deveria ter alguns centímetros apenas, passando por eles. Mal deva para enxergar eles, por causa de seu tamanho e sua pelagem.

    – Que fofos! – observou Pietra com seus olhos arregalados.

    – Ah, droga... – praguejou Mika.

    – O que? – perguntou Pietra.

    – Dizem que quando vê vários Pucks passando por você, não é bom sinal...

    – Por quê?

    – Porque uma tempestade caótica de neve se aproxima...

    – Isso é mentira – disse Ed dando de ombros.

    Quando eles voltaram a olhar para o caminho, uma nuvem escura cobriu-os, e então foram tomados pela tempestade caótica de neve. Eles foram levados junto a tempestade, sendo obrigados a acompanhar ela, até que, por fim, a tempestade parou.

    Mikaela estava caída neve, com muito frio. Por sorte, ela não largou o cajado dela, se não teria grande problemas para achar um cajado branco no meio de tanta neve. Ela se levantou tremendo de frio, tirou a neve da sua cabeça e se deparou com um pé calçado com all star. Com certeza seria Edward. Abraçando a si mesma, ela foi caminhando até ele. Ao se aproximar, agachou-se e começou a tirar a neve de cima dele. Edward estava com os olhos fechados, então ela começou a dar tapas na cara dele.

    – Ei.. Ed... acorde... – tentava dizer ela com a boca tremendo.

    Edward abriu os olhos lentamente.

    – Es...tou....com... fri..o – Mikaela tremia ao dizer.

    – Beleza – Edward esticou seu braço e lançou um turbilhão de chamas azuis na Mikaela, que logo começou a ficar aquecida novamente.

    – Suas chamas queimar apenas o que você quer é tudo de bom – suspirou ela sorrindo.

    – Pois é. Você viu os outros?

    – Não. Pensei que a Liz estaria com você.

    – Eu também. – Ed fez uma careta. – Estou sentindo algumas pontadas em minhas costas.

    – Pontadas em suas costas...?

    Os dois arregalaram os olhos.

    – Lizzie! – vociferaram.

    Edward levantou da neve rapidamente. A Lizzie estava em suas costas, quase roxa, e estava batendo os dentes rapidamente.

    – Achei...que...fosse...morrer – disse Liz com muita dificuldade

    – Foi mal, Liz.  – Ed a aqueceu com suas chamas. – Você disse para mim que gostava de neve.

    – Agora eu odeio! – vociferou Liz puxando o cabelo do Ed.

    – Parem você dois! Liz, onde estão os outros?

    – Estou sentindo o mais próximo naquela caverna – apontou Liz. – É o Kleist.

    A caverna não era longe deles, deram alguns passos e logo já estavam na entrada, então adentraram. A caverna era relativamente pequena, o breu se estendia por toda sua extensão, impossibilitando de enxergar o final. Graças as chamas azuis do Edward, eles podiam ter luz e enxergar o caminho.

    Após algum tempo caminhando, eles se depararam com duas pessoas sentadas na caverna: um homem e uma mulher. Os dois tinhas cabelos negros, assim como os olhos, e estavam um pouco feridos. Ao ver os três, o homem levantou e sacou sua espada.

    A esclera do Edward ficou negra e o azul dos seus olhos mais intenso. Ele viu os rastros de almas que estavam na mão e na espada do homem, mas, diferente do esperado, as almas não eram inocentes. Este homem apenas lutava para proteger quem amada, suas mãos tremendo enquanto erguia a espada e os olhos com o medo provava isso.

    O homem avançou em direção a Mikaela, mas Edward entrou na frente e parou a espada dele com uma mão. Então o homem soltou a espada e recuou.

    – Não encoste nela – disse Ed friamente, e cravando a espada do homem no chão em seguida. – Este lugar está seguro, ninguém trará algum mal para vocês.

    Em silêncio, assim como aquele casal, eles continuaram seguindo cada vez mais adentro da caverna.

    Enfim os três chegaram a uma parte mais aberta da caverna. As chamas do Edward amedrontaram alguns morcegos que ali estavam, fazendo eles voarem para outra parte da caverna.

    – Liz, você não havia dito que aquele retardado estava aqui? – perguntou Ed.

    – Mas ele está.

    Ao termino da frase, uma explosão aconteceu, causando tremor na caverna. Era Kleist, que havia aberto um buraco do outro lado da caverna. Ele retirou a poeira que estava grudada em sua roupa, e olhou para os outros.

    – O que você faz aqui, retardado? – questiounou Ed.

    – Bom, já que fui o que menos apareceu na história, o autor decidiu deixar eu aparecer aqui. Não acharam os outros?

    – Decidimos vir aqui primeiro, já que você era o que estava mais perto – respondeu Mika.

    Eles escutaram gritos agudos e tenebrosos.

    – O que é isso? – perguntou Ed.

    – Aquilo – apontou Kleist.

    Três seres completamente negros, que apareciam fantasmas, estavam voando indo atacar eles. Kleist sacou a espada das suas costas, fez suas chamas amarelas ficarem envolto dela e, com um simples balançar, obliterou todos os fantasmas.

    – Por que eles vieram atrás de você? – indagou Mika.

    – Por isso – Kleist retirou um livro do seu casaco.

    O livro era vermelho, com alguns detalhes negros. Havia algo parecido com um olho no centro da capa. Ao ver o livro, Edward arregalou os olhos e pegou da mão de Kleist.

    – Não fode – balbuciou Ed surpreso tocando o livro. – Não me diga que isso é...

    – Os livros dos Mephistos? Sim – completou Kleist.

    – Mephistos? – perguntou Mika.

    – Mephistos eram os humanos escolhidos de formas bem especifica para serem olheiros do arcanjo Tyrael. E este livro... contém magias divinas muito poderosas.

    Edward abriu o livro, as páginas estavam um pouco amareladas, e não tinham nada escrito nele, em nenhuma página. Edward pensou um pouco, então se lembrou que tinha que recitar algo.

    – Kleist, você lembra do que ensinaram para a gente conseguir ler isto?

    – Não –respondeu ele. – Talvez Aiken lembre.

    Edward pensou mais um pouco, então finalmente as palavras voltaram em sua cabeça. Logo começou a recitar:

    – Oudrik...prost...excalium. – Ele fez uma pausa. – Nós observamos das trevas para servir a luz.

    O livro começou a flutuar e, emanado um brilho laranja, as palavras foram sendo escritas novamente, folheando todo o livro em segundos. Ao terminar de reescrever, o livro pousou na mão do Edward. Ele começou a folhear o livro, e Mikaela, assim como os outros, estavam impressionados.

    – Quais os significados das palavras que você recitou? – quis saber Mika.

    – Não tem significado. São apenas palavras para garantir que ninguém desnecessário leia.

    – Vocês conseguem usar essas magias?!

    – Mais ou menos. Nós não fomos treinados com foco em magia, as que temos é para deixar nossas habilidades mais dinâmicas. – Ed foliou mais páginas. – Essas magias, nem mesmo arcanjos ou serafins tem permissão de usá-las. É bem capaz que nem sabem utilizá-las.

    – Sem nem mesmo eles podem usar, por que deram isso a humanos?

    – Para que, talvez algum dia, algum humano soubesse usá-las contra Bahamut – respondeu Liz.

    – Provavelmente não existem mais Mephistos. Ainda mais depois que selamos Bahamut – sugeriu Kleist.

    – Como você achou esse livro, Kleist? – perguntou Mika. – Deveria estar guardado dentro de alguma câmara secreta, ou algo do tipo – os olhos dela estavam brilhando.

    – Não. Estava em cima de uma mesa.

    – Ah... isso foi nada emocionante.

     Edward fechou o livro e olhou para Mikaela. Ele esticou o braço para entregar o livro.

    – Pegue. Eu sei que você está curiosa.

    Mikaela pegou o livro com seus olhos cintilando.

    – Vamos embora daqui – determinou Ed.

    Continua <3 :p

    Curiosidades:

    Puck: São bichinhos fofos bem pequenos cobertos por uma pelagem branca, e eles são completamente inofensivos. Adoram neve, e sempre sabem quando uma tempestade se aproxima. Vivem em bandos bem pequenos, não passando de seis.

    Mephistos: Uma ordem de humanos, escolhidos de forma bem especifica, onde viraram olheiros do arcanjo Tyrael. Sempre reportavam para Tyrael sobre algum movimento feito por Bahamut, fora outros feitos. Atualmente, não se sabe sobre a existência de humanos que seguem essa ordem.

    (Capítulo Remake)


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!