Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 50

    Mentor

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yo, nesse mês tivemos um aumento de mais de 100% de views!

    N pensei que chegariamos a tanto! Pensei que iria passa de 1k

    Mt obg novamente glr!

    Boa leitura ^^

    Incontáveis anos antes...

    Os selos estavam seguindo um arcanjo, cujo seu cabelo era loiro e seus olho eram verdes. Era Miguel. Junto com ele, os selos estavam passando por algumas áreas que eram tomadas por um breu, e, às vezes, com alguns outros anjos conversando.

    Passaram-se mais algum tempo, até que eles chegarem uma área completamente aberta, com um chão de pedra impecável e também com várias armas espalhadas pelo local. Nesta área, havia um anjo com cabelos negros e olhos vermelhos, sentado com uma espada de um brilho magnifico, e, quem visse esse brilho ao menos uma vez, era impossível não o reconhecer.

    Então, Miguel, junto com os selos, desceram a escada e chegaram perto deste anjo.

    – O que você quer, Miguel? – perguntou o anjo.

    – Bom te ver também, Samael. Deus quer um favor.

    – Novidade. E quem são eles? – perguntou ele olhando para os selos.

    – O favor é sobre eles. São eles que irão enfrentar Bahamut. – Miguel fez uma pausa. – E você terá que treiná-los.

    Samael fez um cara de descontente.

    – Porque eu, Samael, o arcanjo mais forte, terei que treinar eles?!

    – Porque você, Samael, o arcanjo mais forte, está sendo obrigado por mim.

    – Você é um saco. Não quero treinar esses idiotas.

    Edward chegou um pouco mais perto de Miguel e perguntou:

    – O que significa idiota?

    – Significa alguém sem inteligência, tolo e estúpido, ou seja, você – respondeu Samael.

    Edward ficou irritado.

    – Não gostei. Retire o que disse.

    – Não me importo se você gostou não. – Samael abriu um sorriso. – Se eu não retirar o que disse, o que você vai fazer?

    – Vou obrigar você a retirar.

    – Tente.

    Edward liberou suas chamas azuis, deixando seu corpo todo envolto em chamas. Ele flexionou seus joelhos e partiu para o ataque com um soco de direita.

    – Até que você tem um pouco de força... – observou Samael.

    Quando Edward chegou perto suficiente, Samael desviou o soco dele com seu braço esquerdo, colocou sua mão direita no peito do selo da Morte e segurou o braço com a mão esquerda, em seguida, Samael girou seu corpo obrigando Morte a girar também e o arremessou longe.

    – Do que adianta uma espada forte se ela não tem fio e quem a empunha não sabe manejá-la? – questionou Samael olhando para os selos.

    Edward se levantou do chão praguejando, e estava se preparando para mais um ataque, mas Samael levantou sua mão esquerda e disse:

    – Tudo bem, eu irei treinar vocês. –Ele fez uma pausa. – Mas, já vou avisando: vocês irão sofrer até o último segundo. Entenderam?

    – Sim – responderam eles.

    – Certo. Eu me chamo Samael, e serei o Mentor de vocês, discípulos idiotas.

    -----------                              ***                               -----------

    Atualmente...

    Edward e Lúcifer estavam prestes a começar a luta, até que a chuva começou a cair de uma forma pacifica e harmônica. Como de ritual padrão antes da luta, Edward tirou seu sobretudo e a gravata, deixando em uma casa perto deles.

    – Pensei que ia lutar pelado – caçoou Lúcifer.

    – Digamos que isso tenha algum valor para mim.

    Lúcifer riu.

    – Nunca pensei que você, Morte, sentiria o que chamam de amor.

    – Não enche o saco. Você acha que eu teria sentimentos mundanos?

    – Esse é o problema! Você tem forma de pensar que nem a de um humano, logo você sente sentimentos parecidos. Então, sim, eu acho. – Ele riu novamente. – Será que é pela...Mikaela?!

    Edward ficou mais sério.

    – Do que você sabe?

    – Sei de tudo, Edward! Desde da sua chegada na cidade de Akarat até aqui, em Taric.

    Edward liberou suas chamas azuis, suas asas negras se formaram, sua esclera estava negra e sua íris com azul cintilante, então partiu para o ataque. Ele saltou acima do prédio e, com a foice envolto em chamas, tentou cortá-lo. Lúcifer ia desviar o ataque do selo com seu braço esquerdo, mas Edward previu isso, e logo se movimentou para baixo e tentou cortá-lo ao meio. Porém, o anjo caído se jogou para trás, fazendo a lâmina azul da foice passar muito perto, assim, apenas cortando a frente da casa.

    – Você acha que sou o mesmo, Samael?

    – Claro que não, até porque, eu treinei você.

    Edward avançou novamente, mas, desta vez, o anjo sacou uma espada, que colidiu com a foice. Faíscas dançaram com um alto barulho de aço se chocando. Edward não esperava por aquela espada, deixando ele surpreso pela defesa inesperada. Lúcifer, aproveitando-se disso, deu um pesada na barriga do selo, fazendo-o perder equilíbrio, e o acertando com um soco de esquerda seguidamente. Edward se recuperou, girou sua foice e a bateu no chão, fazendo que com quatro círculos mágicos fossem formados, e, desses círculos mágicos, saiu um macaco de cada com um azul quase transparente. Os macacos correram em direção ao Lúcifer, mas, com o balançar de sua espada, ele cortou os quatro. Praticamente no mesmo instante, Edward apareceu acima dele, visou cortar a cabeça do anjo. Lúcifer, com uma resposta rápida, brandiu sua espada com a lâmina da foice e acertou-o com um soco fortíssimo de esquerda, fazendo o selo ser arremessado e levando casas junto a ele.

    – Usando táticas horríveis como sempre, idiota.

    – Já disse para não me chamar de idiota. –Edward saiu dos escombros. – Cadê sua espada? Você tinha tanto orgulho dela.

    – Você acha que eles iriam deixar a espada mais forte dos arcanjos comigo? Ela deve ter ido para algum serafim. Odeio serafins.

    – Pelo menos nisso eu concordo com você, também odeio.

    Lúcifer emanou uma grande quantidade energia negra, fazendo a cidade tremer, e um par de asas penosas negras apareceram.

    – Suas asas mudaram de cor? – perguntou Ed. – Sentiu inveja das minhas?

    – Quando fui banido do céu, algumas penas firam negras, mas depois que tomei sangue de demônio ficou totalmente negra.

    – Você bebeu sangue de demônio? Eca.

    – Graças a isso meu poder aumentou excepcionalmente. Mas é claro que não se equipara com o limitador que Deus coloca em nós, anjos. Se não tivesse esse limitador, te mataria facilmente.

    – Você sempre diz isso, e blá...blá...blá. Aposto que vai falar que se tivesse sua espada de arcanjo você acabaria comigo em um golpe.

    Lúcifer ficou levemente irritado e ergueu a sua espada acima da sua cabeça. A energia negra começou a tomar o corpo dele e passou a ser direcionando para sua espada. Quando a espada foi completamente tomada pela energia, ele a abaixou. A energia negra saiu de forma espalhafatosa, tomando uma parte grande da cidade pela sua cor negra, destruído tudo que estivesse contra ela. Depois de alguns segundos, Edward saiu acima da energia, ofegante e com o lado esquerdo do seu corpo com muitas feridas.

    – Girou sua foice, aparando uma parte do meu ataque e escolheu o lado esquerdo do seu corpo para ter maior dano para conseguir escapar do ataque – observou Lúcifer. – Esperto, porém previsível demais, discípulo idiota.

    Continua <3 :p

    Curiosidades:

    Serafins: são anjos que tem apenas a função de defender Deus. Diferentes dos arcanjos que tem a asa penada branca-cristalina, as do serafim são laranja-cristalina.

    (Capítulo Remake)


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!