Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 27

    Frio

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yo, poderia fazer uma notas iniciais bem legal e produtiva, mas como s? falo merda...

    BOA LEITURA ^^

    Lissandra, a demônio encapuzada, caminhou em direção ao centro da arena, que já estavam com algumas crateras graças a última luta. Dante, também sem perder tempo, caminhou em direção à arena.

    – De novo uma mulher? – pensava Dante – Não tenho nada contra, mas queria alguém forte para lutarmos com punhos...

    – Tomara que cê perca – vociferou Aiken.

    – Cala a boca, Aiken!

    – Estou louco para cê vir calar, irmão!

    – Hã?! – Dante olhou para Aiken com raiva.

    – Foi mal! – gritou Aiken com medo.

    – Da para focar na luta aqui, por favor? – pediu Lissandra.

    – Um demônio disse por favor? – pensou Dante. – Está bem, vamos começar então.

    Sua esclera ficou negra e seus olhos ficaram com o vermelho mais cintilante, então as suas chamas vermelhas formou a “armadura” que protege o seu corpo. A Lissandra, por outro lado, continuou parada da mesma forma.

    – Vou começar atacando então – pensou Dante.

    Dante concentrou suas chamas vermelhas em suas pernas e correu em direção a ela. Quando ele estava chegando perto, Lissandra, com um sútil movimento com sua mão esquerda, criou uma parede de gelo com pontas pontiagudas extremamente afiadas estando na altura do pescoço do Dante. Rapidamente, ele freou com seus pés, mas não ia ser o suficiente, Dante teve que soltar suas chamas pelas mãos para o empurrar para trás, o que deu certo, mas se não tivesse, teria a cabeça arrancada.

    Quando Dante levantou a cabeça, ela tirou o manto que estava vestindo. A pele dela era pálida, havia pequenos flocos de gelo que brilhavam como cristais em todo seu corpo e tinha duas coisas parecidas com o Edward: o seu cabelo branco como neve e seus olhos azuis. Quando Dante percebeu essa semelhança, virou para trás e disse:

    – Olho capitão, uma versão feminina sua!

    – Ela não se parece comigo!

    – Parece sim – concordaram os cinco.

    – Parece não! – vociferou Lissandra.

    – Viu? Até ela concorda!

    – Como não são parecid...

    Dante foi interrompido por Lissandra que fez um lança de gelo e atirou nele, que por pouco conseguiu desviar, porém, quando olhou para seu peito, estava sangrando, deixando Dante surpreso por conseguir perfurar sua defesa tão fácil. Dante ficou mais sério, ao perceber isso, os outros ficaram calados e continuaram a observar a luta.

    Dante partiu para o ataque novamente, só que dessa vez Lissandra lançou vários pedaços de gelo pontiagudos. Dante concentrou suas chamas vermelhas em seu braço direito e o utilizou para derreter o gelo, mas inutilmente, o fogo dele não foi capaz derreter gelo, fazendo com que ele recebesse todo o ataque. Sem que Dante pudesse perceber, Lissandra acertou pontos que fez com que os músculos de seu corpo ficassem travados, impossibilitando seus movimentos. Ao ver que seu plano deu certo, Lissandra criou uma lança e jogou na direção dele. Observando a lançar indo em sua direção, Dante forçou tanto seus músculos que começou a sangrar nas partes que onde tinha sido atingido pelos gelos, fazendo com que conseguir se mover, mas não o suficiente, pois o gelo perfurou o seu ombro esquerdo. A partir da onde a lança o atingiu, começou a ser congelado gradativamente.

    – Só pode ser brincadeira – observou Dante olhando para seu ombro.

    – Está friozinho aí? –provocou Lissandra enquanto ria.

    – Você está me irritando.

    As chamas do Dante ficaram mais intensas, a lança e o gelo que estavam em seu ombro derreteram facilmente.

    – Só pode ser brincadeira – disse Lissandra.

    – Está bem quente na verdade – caçoou Dante.

    – Maldito.

    – Certo, ela só usou ataque a distância, não tentou nenhum ataque corpo-a-corpo e continua parada, então é bem provável que luta corpo-a-corpo seja seu ponto fraco – pensou Dante.

    Dante socou o chão, encheu suas mãos com pequenas pedras, cerrou seus punhos e um círculo mágico foi criado. A abrir as mãos, as pedras começaram a flutuar, estavam revestidas com as suas chamas vermelhas. Com um simples movimento com seu dedo, as pedras foram em direção a Lissandra. Ela, por sua vez, usou uma barreira de gelo, mas as pedras passaram facilmente. Como outra tentativa, Lissandra criou mais três barreiras com camadas espessas, o que deu certo, mas ao olhar para frente, Dante não estava mais lá.

    Dante usou as pedras como distração para que ele pudesse chegar perto dela, ao perceber que plano poderia dar certo, ele correu em disparada pelo lado direito e concentrou boa parte de suas chamas vermelhas em seu braço direito. Quando desferiu o soco, Lissandra percebeu, mas já era tarde demais para revidar. Rapidamente, a demônio criou uma nova parede de gelo. Quando Dante acertou o seu soco, com um grande barulho causado ao socar a parede gelo, um turbilhão de chamas vermelhas saiu em seguida, queimando a floresta. E, no meio desse turbilhão, estava Lissandra, graças a barreira ela não recebeu o ataque diretamente, mas ainda tomou danos significativos, tendo metade do seu corpo estava queimado.

    Dante ainda não tinha parado seu ataque, saiu correndo em direção a demônio. Ao perceber a aproximação, Lissandra tocou o chão, fazendo com que uma grande área da arena ficasse congelado em instantes, e também fez com que o Dante escorregasse e caísse de cara no chão. Lissandra aproveitou e se reposicionou.

    – Admito que essa passou perto – comentou Lissandra.

    – mila lingla estla gludlada – tentou dizer Dante.

    – Hã?

    – mila lingla estla gludlada.

    – Hã?! –Perguntou todos que ali estavam.

    Dante concentrou suas chamas na sua cara, fazendo ele descolar e disse:

    – MINHA LINGUA ESTÁ GRUDADA!

    – Aaah, tá – falou todos que ali estavam.

    – Já que você admite que passou perto –dizia Dante –, que tal me mostrar logo?

    – Mostrar o que? Seu pervertido!

    – Não é disso que estou falando! – vociferou ele. – Estou falando da sua transformação.

    – Para o seu azar, essa já é minha verdadeira forma.

    – Tão bonita assim? – pensou. – Poxa, se for assim, é fácil acabar com você. Você não sabe lutar a curta distância.

    – Fique tranquilo, vou lhe mostrar algo melhor que uma transformação.

    Lissandra começou a lançar gelo para o céu, fazendo com que o tempo mudasse e começasse a nevar, em seguida, ela tocou o chão, fazendo com que tudo começasse a ficar congelado e, em alguns lugares dispersos, foram formandos espelhos de gelo. A temperatura do local, com certeza, ficou negativa

    – O inverno chegou... bem-vindo ao meu mundo, Fúria – ela sorriu.

    Continua <3 :p

    (Capítulo Remake)


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!