Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 21

    Lágrima de Sangue

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Qual escritor esquece que ele tinha que postar um capitulo hoje?

    Isso mesmo,eu.

    Boa leitura ^^

    Após desaparecerem da cidade de Caluna sem deixar nenhum rastro, eles prosseguiram para a próxima cidade, ao norte, em busca do segundo selo, Fome.

    – Mika, qual é a próxima cidade? – perguntou Ed.

    – Se é ao norte de Caluna, então eu acho que é a cidade de Gindeon.

    –Vai demorar muito para chegarmos lá? – perguntou Dante.

    – Provavelmente vai ser o mesmo do que as outras cidades, aproximadamente dois capítulos contando com esse.

    O sol estava começando a nascer. No caminho que seguiam, já dava para escutar o canto dos pássaros, ver os animais acordando sonolentos e preparando-se para mais um belo dia. Com os nossos viajantes também não era nada diferente: todos sonolentos, quase que se jogando no chão e ficando por lá mesmo, estavam tranquilos após um longo dia de luta. Mas Mikaela começou a perceber que Pietra estava a olhando com um olhar mal-encarado, deixando ela extremamente incomodada, e, é claro, com medo.

    – Ei, Ed – dizia ela em um sussurro – Parece que a Peste não gosta de mim.

    – Mas ela não gosta – respondeu ele, também sussurrando. – O nome dela aqui é Pietra.

    – Mas eu fiz nada! – Mika fez uma pausa – Pietra? Pensei que eu dava os nomes aqui.

    – Por isso mesmo, você não fez nada para ganhar a confiança dela. E sobre o nome, era uma situação complicada.

    – Mas até que eu gostei do nome.

    Depois de um tempo de caminhada, com Mikaela tentando ignorar a Pietra, o caminho começou a ficar cheio de árvores pequenas com algumas frutinhas vermelhas e seu formato parecia com uma lágrima. Então Mikaela parou e disse:

    –Essas frutas são chamadas de lágrima de sangue. Nem pensam em comer ela.

    – Por quê? – perguntou Liz.

    – Porque são capazes de matar um humano se comer cinco delas, por causa da quantidade de veneno.

    –Tem cura? – perguntou Ed.

    –Tem cura sim, mas tem que ser tratado muito rápido. – Ela parou subitamente. – Edward, não me diga que você comeu...

    – Talvez.

    Quando ela virou para trás para brigar com Edward, os quatro estavam com a mão cheia daquelas frutas e com a boca avermelhada.

    – VOCÊS COMERAM ELAS?! QUANTAS?!

    – Dez – disse Pietra.

    – Quinze – disse Dante.

    – Vinte – disse Liz.

    – Talvez vinte e oito – disse Ed.

    – IDIOTAS!

    – Ei, não me chame de idiot-

    Antes do Edward completar a sua frase, desmaiou. Logo em seguida Lizzie e Dante também desmaiaram, e Pietra quase desmaiou, mas conseguiu se manter em pé usando o seu machado como uma bengala. Mikaela rapidamente foi ajudar os três, colocou eles de barriga para cima e colocou sua mão na testa de cada um. Estava extremamente quente e eles estavam com dificuldade de respirar, depois ela foi dar auxílio a Pietra, mas ela deu um tapa em sua mão.

    – Não preciso de sua ajuda – disse Pietra mal conseguindo falar.

    – Eles estão muito mal, precisam do antídoto logo. Vou buscar o necessário, fique aqui.

    – Não! Não precisamos de sua ajuda. Eu cuido deles.

    – O que você sabe sobre a cura?

    – Não confio em você!

    – Mas eles confiam. E não vou deixar eles morrerem por sua insegurança – disse Mika com um olhar sério.

    -Tsc, vá então. Eu protejo eles.

    Sem mais delongas, Mikaela foi atrás de uma planta, quem nem ela sabia o nome, mas sabia como era e onde achar. Por sorte, ela sabia que a planta nascia em montanhas baixas, e naquela área havia uma pequena montanha. Depois, ela só precisava de um pouco de agua e misturar tudo até ficar uma substância pastosa.

    Quando ela estava chegando perto da montanha, encontrou com três raposas de fogo. As raposas rapidamente atacaram Mikaela com bolas de fogo, que por sua vez usou o seu escudo mágico para se defender, mas ela ainda estava exausta, fazendo com que o escudo não aguentasse tanto e uma bola de fogo atingisse o seu ombro e a outra a sua bochecha. Aproveitando a brecha, a raposa foi ao ataque, mas Mikaela congelou o seu cajado e acertou na cabeça dela, fazendo com que ficasse debilitado. Os dois que restaram foram ao ataque, mas ela girou o seu cajado e recitou:

    – O frio pode congelar até os ossos, até mesmo, matar... FREEZE!

    As raposas e uma pequena parte da floresta ficaram completamente congelada. Mikaela suspirou, e o sangue escorreu pela sua boca e pingou de seu queixo.

    – Meu corpo ainda está muito mal – disse ela olhando para o sangue em sua mão.

    Então, Mikaela caminhou mais um pouco e ficou próximo a montanha. Pensou um pouco e começou a sua escalada.

    -----------                              ***                               -----------

    Pietra já estava agoniada por ter que depender de uma pessoa que ela nem confia para salvar a vida deles, mas, mesmo assim, ela entendia que aquela era a única opção no momento.

    – Espero que ela consiga mesmo – sussurrou Pietra olhando para eles.

    Mesmo estando adoecida, ela conseguiu sentir três presenças com sede de sangue ao redor deles. Mal conseguindo levantar, ficou em pé, e os animais saíram dos arbustos. Eram lobos encrenqueiros, e pareciam estar com muita fome.

    – Podem vir, seus animaizinhos de merda. Neles vocês não tocam.

    O lobo da esquerda veio ao ataque, mas ela bateu o machado no chão fazendo ele recuar. Seguidamente, o da direita veio para cima, mas, com um grande esforço, ela conseguiu mover o machado rápido o bastante para cortar ele ao meio, e os outros dois passaram a pensar duas vezes antes de atacar. Entretanto, Pietra não conseguiu sentir a presença de dois lobos que veio por trás dela, mordendo sua perna esquerda e seu braço direito, e outros dois vieram ao ataque. Pietra soltou suas chamas verdes, incinerado os dois lobos que tinham a mordido e, com um giro do machado, as chamas saíram com uma forma de corte, fazendo com que os outros dois também fossem incinerados.

    Depois de alguns minutos, Mikaela apareceu com os ingredientes do antídoto. Após virem o estado uma da outra, ficaram caladas. Logo em seguida, Mikaela amassou e misturou a folha com a água até ficar meio pastosa, e deu para todos eles beberem. Pietra a encarou despois de ter dado o remédio e disse:

    – Desculpa.

    – Pelo o quê? Você não fez nada – disse Mika em um tom amigável e exausto.

    – Fiz sim. Te menosprezei e quase deixei eles morrerem por causa disso.

    – Não se preocupe, está tudo bem... eu faria o mesmo se fosse você.

    – Soube que você vem cuidado deles desde que foram rompidos – comentou Pietra sorrindo.

    – Sim, dão muito trabalho –Mika suspirou.

    – Pois é, sem uma mulher na vida deles... estariam ferrados.

    – Verdade.

    Continua <3 :p

    Curiosidades:

    Gindeon: É uma cidade bastante conhecida, pois ela é a única cidade subterrânea existente, consequentemente, é uma cidade que tem um grande fluxo de visitantes de qualquer lugar.

    Lágrima de Sangue: Essas frutas vermelhas são semelhantes, mas não é só por causa disso a origem do nome, mas também por ser extremamente venenosa. Uma é o suficiente para deixar em coma e cinco para causar morte instantânea. É a predileta usada por assassinos, por agir rapidamente e por não apresentar nenhum sintoma do envenenamento, além de alta febre, porém é um sintoma que não aponta diretamente a ela.

    Lobos Encrenqueiros: Sua boca, quando aberta, se divide em quatro partes, dando uma grande força em suas mordidas, sendo uma considerada fatal. São chamados de encrenqueiros por sempre quererem brigar, mas não se engane, são muito espertos.

    (Capítulo Remake)


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!