Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 20

    Liberdade

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yo, tudo bem com vocês?

    Comigo não, até porque amnh é a prova de mat

    mas ngm liga, vamos ao que importa :v

    Boa leitura ^^

    Dante já tinha acabado de cair da escada, e estava indo em direção onde Mikaela estava.

    -Acho que não foi uma boa ideia se jogar –dizia ele mancando –, está mais dolorido do que antes.

    Ele agora estava chegando no local onde aconteceu a luta da Mikaela. O lugar estava ainda mais destruído do que quando ele passou por lá, deixando ele bastante surpreso. Depois de algum tempo, ele avistou Mikaela caída no chão, deixando ele preocupado e aumentando o ritmo do seu passo.

    -Ei, Mika!

    Sem ouvir uma resposta, ele colocou a mão dele na barriga dela e aproximou o seu rosto ao dela, sentindo o respirar dela e a sua mão subindo e abaixando, ele ficou tranquilizado na hora. Dante pegou Mikaela e colocou em seus ombros.

    -Primeiro me jogar da escada e depois carregar ela até onde eles estão, assim meu corpo não aguenta –resmungou Dante

    Edward já havia saído da igreja e estava indo se encontrar com Peste, os fiéis que estavam lá dentro saíram correndo assim que viram que Edward estava em distância considerável.

    -Como que eu queria que esse inferno que eles tanto falam fosse real –disse ele olhando para os fiéis

    -Você acha que se o inferno fosse real, ele aprovaria? –Perguntou Peste dando suporte ao Ed

    -Com certeza não. Ele é bonzinho demais.

    -Verdade. Você encontrou com outros selos ou eu fui a primeira?

    -Já me encontrei com o Dante.

    -Dante?

    -Fúria. Nós mudamos de nome para que não chamássemos muita atenção.

    -Não que isso ajude muito –disse ela olhando toda a destruição.

    -Em nossa defesa, boa parte já estava destruída quando chegamos.

    -Sei. Qual é o seu nome aqui?

    -Edward.

    -Achei meio bosta.

    -Pois é.

    Eles olharam para frente e viram o Dante chegando, ofegante, mancando e sagrando, ou seja, quase morrendo.

    -Nossa cara, você está desprezível! –Disse Ed

    -Cala a boca e toma –falou Dante jogando a Mika, fazendo com que o Ed fizesse força para pegar ela e sangrasse mais. –Otário, quem está desprezível agora? –Ele riu.

    -Fúria! –Disse Peste abraçando ele, fazendo com que sangrasse ainda mais.

    -Você, seu otário. –Ed riu.

    -Ei Peste, a quanto tempo.

    -Quem é essa aí? –Perguntou Peste apontando para Mika

    -Mikaela. Ela está ajudando a gente a encontrar vocês.

    -Não confio nela.

    -A gente sabe que não.

    -Vou matá-la então.

    -Não –disse Ed seriamente

    -Tsc, para aonde nós vamos agora?

    -Liz...

    -O próximo selo está ao norte daqui, o Fome. Vamos esperar ela acordar? –Disse Liz olhando para Mika

    -Não, estamos sem tempo.

    Eles levantaram e começaram a seguir para o norte. Porém, começaram a escutar um grito vindo atrás deles. Era a Alice, a garota que ajudou eles a se esconderem. Eles pararam e esperaram ela chegar perto.

    -Olha só o que vocês fizeram! Quem são vocês? –Dizia ela espantada

    -Apenas...andarilhos –disse Ed. –Não que seja mentira –pensou ele.

    -Ah, sei. Quem é essa mulher nua? Ela não estava com vocês antes.

    -Oi, me chamo Pe-

    -Pietra –disse Liz interrompendo Peste.

    -Sim, Pietra. Mas poderia ter deixado eu falar Liz –disse ela disfarçando

    -E está pelada por...?

    -Porque... –disse ela olhando para eles esperando alguma resposta.

    -Porque estava muito calor –respondeu Dante. Logo ele percebeu que eles estavam olhando com indignação para ele.

    -Por que não né? –Disse Ed rindo. –Você quase esqueceu que sua roupa está no último andar do castelo, vai lá pegar.

    -Certo, já estou indo.

    -Vocês irão ficar aqui para a festa de comemoração? Vocês salvaram a gente! É o mínimo que podemos fazer –propôs Alice

    -Não, estamos com pressa –disse Dante.

    As barrigas dos três roncaram (sim, ao mesmo tempo). Logo depois, eles viraram e começaram a conversar baixinho.

    -Estou morrendo de fome. –Dizia Liz– Vamos aceitar, que mal tem?

    -Verdade, capitão.

    -Ok, é bom que nós descansamos também. –Ele virou para Alice –Certo! Nós vamos!

    -Eba!

    Alice estava levando eles até o esconderijo, pois era o único lugar que ainda estava em perfeitas condições. Eles encontraram a Peste no caminho, como improviso, ela vestiu o sobretudo do Edward. A sorte era que o sobretudo era grande o suficiente para cobrir sua parte intimas, mas mesmo assim era bem curto.

    -Vejo que achou sua roupa Pes... Pietra.

    -Sim, demorei um pouquinho para achar!

    -Esse sobretudo não era seu? –perguntou Alice

    -Não! O meu queimou!

    -Entendi.

    Então, eles adentraram para o esconderijo. Depois de muito agradecimento, enfim começaram a festa de comemoração. Por ter acabado a opressão, eles não precisaram economizar na comida. Eles comeram durante horas e conheceram uma bebida chamada saquê, que eles adoraram. Depois de muita festa, comilança e bebidas, enfim, todos eles foram dormir, com exceção Edward, que ainda estava atento caso algo acontecesse, não deixando que fizessem um ataque surpresa enquanto estavam descansando. Logo em seguida, Mikaela acordou e cutucou o Edward.

    -Já acabou as lutas? –Perguntou ela

    -Há muito tempo.

    -Vou matar você por me ter feito lutar contra aquele demônio.

    -Não duvido, já que você derrotou ele.

    -Não pense falando assim vai deixar feliz, seu merda –disse ela tentando não sorrir.

    -Nossa, assim você me magoa.

    -Acharam a Peste?

    -Sim, ela está dormindo –disse ele apontando para Pietra. –Já consegue andar?

    -Provavelmente, só preciso comer.

    Depois da Mikaela comer, Edward foi acordar os outros para que eles saíssem dali em silêncio, para não causar tumulto. Quando eles estavam saindo, Alice falou baixinho:

    -Até mais, selos.

    -Então, você sabia? –Perguntou Ed.

    -Claro que sim, desde que vi vocês lutarem contra os demônios na entrada da cidade -disse ela mentindo, obviamente. –Obrigada.

    -Que nada, esse é o nosso trabalho, nós ferrarmos lutando em troca de merda nenhuma.

    Dito isso, os cinco idiotas sumiram em meio escuridão sem deixar nenhum rastro.

    Continua <3

    Curiosidades:

    Inferno: Não sei se deixei isso bem explicito, ou se vocês que não perceberam mesmo, mas o inferno nesse mundo não existe. Até porque, os demônios estão todos no mundo dos humanos, se existisse estariam no inferno. Isso é uma coisa que vocês irão entender melhor no desenrolar da história.

    Pietra: Ela é a Peste, primeiro selo, cujo a cor das chamas é verde, e a propriedade das chamas dela ainda é desconhecida. Ela tem grandes cabelos longos e ruivos, olhos verdes, tem 1,73m de altura e utiliza um machado grande com um cabo longo como arma.


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!