Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 15

    Usurpador

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yo, como foi o feriado? O meu foi legal pra crlh, fiz vários nadas.

    Boa leitura ^^

    Os quatro idiotas ficaram surpresos ao descobrir que o Joffrey era o rei de Caluna. Alice percebeu que eles ficaram surpresos quando comentou sobre o rei.

    – Vejo que vocês já sabem quem ele é.

    – É, ouvimos falar sobre ele por aí – respondeu Ed. – Mas, prossiga.

    – Certo. Há três anos, a nossa cidade estava economicamente bem, as pessoas conseguiam tudo com um ótimo preço, as famílias conseguiam comprar alimentos sem nenhum problema, os comerciantes conseguiam seus produtos com preços bem em conta, a cidade estava sendo bem protegida pelos soldados, logo, era difícil ouvir questões sobre roubo ou assassinatos, por isso as pessoas conseguiam andar livremente nas ruas, deixavam crianças brincar sem problema algum. O rei da época, Leach, tinha conseguido trazer riqueza e paz para todos da cidade, ele tinha o respeito de todos. Mas, com o passar de um ano, as coisas começaram a desandar, começaram a aumentar as ocorrências de assassinatos e roubos. O povo, com medo, foi falar com o rei, logo depois, eles descobriram que os salários dos guardas não estavam sendo pagos, por isso muitos largaram seus empregos ou viraram corruptos, então o rei prometeu que iria conseguir melhorar a situação. Ao passar alguns meses, a situação piorou, além de aumentar ainda mais os bandidos e assassinos, agora pessoas falavam que haviam animais perigosos na cidade que mataram muitas pessoas. O comércio estava recebendo bem menos coisas do que antes, os comerciantes, sem escolha, aumentaram o preço dos produtos, muitas famílias não tinham condições para comprar comida suficiente e nem roupas, obviamente, preferiram focar mais do seu dinheiro em comida. Por causa disso, muitos comerciantes fecharam as suas lojas por não receberem lucro suficiente, e, de novo, o povo foi reclamar com o rei. Novamente prometeu que iria melhorar a situação da cidade, mas dessa vez o povo não deu ouvidos, começaram a pedir que o rei fosse deposto, mas com certeza ele não queria ser desposto, até porque, como ele iria roubar o nosso dinheiro? – Ela fez uma pequena pausa. – Então, ele ordenou para que os soldados matassem qualquer um que se opuser a ele. Alguns dos soldados hesitaram, porém havia mais soldados corruptos, e esses corruptos atacaram sem piedade, iniciando um grande massacre, até que ele chegou... Joffrey. – Falou com um tom de ódio, que todos perceberam. – Ele chegou e rapidamente matou o rei Leach.  Quando o povo se acalmou, ele lançou a proposta de ele ser tornar próximo rei, na verdade, não foi bem uma proposta, foi uma afirmação. Nós nem o contrariamos, já que ele havia salvado a gente, que mal teria? – uma lágrima escorreu pelo rosto da Alice.

    – Se for doloroso demais, não precisa contar – disse Mika com uma voz calma.

    – Não, eu preciso contar sim, você estão envolvidos agora também. – Alice secou a lágrima. – Depois que ele assumiu o poder, a cidade de Caluna voltou ao seu normal, tudo estava indo bem de novo, todos felizes, finalmente conseguimos ter a paz de volta como todos gostaríamos. Mas, os relatos do animal que atacava os humanos estavam aumentando cada vez mais. Até que, recentemente, nós falamos com o Joffrey sobre os ocorridos até agora, mas ele começou a rir, uma gargalhada alta e perversa, e falou: "claro que eu sei...até porquê, quem vocês acham que comanda aqueles demônios?".  Logo depois, vários demônios apareceram e começaram outro massacre na cidade, por sorte, ele não sabia dessa passagem secreta, nós entramos aqui, e aqui estamos desde então... – ela fez uma pausa enquanto lágrimas escorriam. – Aqui estamos, esperando os cinco selos – disse ela por fim, secando as lágrimas.

    – A paz é apenas ilusão, até chegar o dia da destruição – comentou Dante

    Mikaela e Lizzie se levantaram e foram consolar a Alice. Edward chamou Dante para um canto isolado das pessoas que ali estavam.

     

    – O que vamos fazer, capitão?

    – Esse povo já sofreu demais... isso tem que ter um fim.

    – Mas você acha que iremos conseguir sem a Peste?

    – Por que não conseguiríamos?

    – Bom, além de estarmos com um a menos no grupo, nós não estamos com tanto poder assim. Fora que nem sabemos o tamanho da força desses demônios...

    – Mas isso não é motivo para deixarmos aqueles demônios livres.

    – Claro que não.

    – Então para que a pergunta? – disse Ed levemente irritado.

    – Porque você é um retardado que não pensa em nada além de sair por aí lutando contra tudo e todos. Faz sentido, não é mesmo?

    – Você também é assim! Não sabia que tinha duas Mikaela no grupo. – Ed fez uma pausa. – Então, vamos procurar a Peste primeiro. Ei, Liz, venha aqui. – Lizzie se aproximou do Edward. – Você conseguiu ver onde estava a Peste enquanto estávamos lá fora?

    – Sim, ela está no castelo.

    – Merda, então os demônios acharam ela.

    – Deve ser por isso que Joffrey se tornou rei dessa cidade, achar o selo mais rápido o possível – sugeriu Dante.

    – Mas ele estava no comando desde o ano passado, não faz tanto tempo que a Peste foi rompida.

    – Mas eles sabiam que uma hora ela ia ser rompida, um rei tem muita influência fora da cidade também, Ed – reforçou Liz.

    – Verdade. Então, não temos outra escolha a não ser sair por ai e lutando contra tudo e todos – disse Ed sorrindo.

    – Fazer o que... Se bem que ir em silêncio não faz muito bem o meu estilo também – concordou Dante também sorrindo.

    – Vai ser divertido! – Lizzie também sorriu.

    – Então vamos!

    Em silêncio, os três idiotas seguiram para a saída. Decidiram sair despercebidos para não causar nenhum tipo de exaltação nas pessoas que ali estavam. Eles também deixaram Mikaela para trás, Edward achou que seria melhor assim, para não envolver ela neste assunto. Entretanto, os três começaram a escutar passos e, quando viraram, perceberam que era Mikaela indo a passos largos até eles.

    – Vocês não iam me deixar aqui né?!

    – Claro que não – respondeu os três desviando o olhar.

    – Mentirosos! – vociferou ela irritada. – Eu disse que iria acompanhar vocês, e com isso, quis dizer que irei lutar também!

    – Está bem, não precisa ficar irritadinha – provocou Ed.

    – Ei, esperem! – gritou Alice. – O que irão fazer?

    – Chutar a bunda daqueles demônios, é claro – disse os quatro.

    – Vocês deveriam esperar os cinco selos!

    Os quatro idiotas sorriram e prosseguiram para a saída.

     

    – Não pode ser, eles são... – pensava Alice –, Um bando de idiotas! Com certeza eles irão morrer se enfrentar aqueles demônios! Eu é que não vou impedir!

    Quando os quatro idiotas chegaram na porta, eles pararam e começaram a discutir: 

    – Ei, gente, vocês sabem como abrir essa porta? – perguntou Ed.

    – Pensei que você sabia – respondeu Dante.

    – Como vocês conseguem ser tão idiotas assim?! – vociferou Mika.

    Eles perderam cerca de dez minutos tentando girar, apertar e deslocar as pedras do túnel para abrir a porta, até que, por fim, a porta abriu, e quando eles saíram, havia vários demônios lá fora.

    – É hora de caçar alguns demônios – disse Ed sorrindo.

    Continua <3 :p

    (Capítulo Remake)


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!