Os Cinco Selos

Tempo estimado de leitura: 24 horas

    14
    Capítulos:

    Capítulo 8

    Fúria

    Linguagem Imprópria, Mutilação, Violência

    Yo, Mas um cap aaaeeehho

    Boa leitura ^^

    – Fazer-me sangrar? – dizia o demônio rindo – Pode tentar se quiser.

    – Com prazer, demônio imundo – disse Fúria se preparando.

    Os olhos do Fúria ficaram com um vermelho mais forte e a esclera de seu olho ficou negra. As suas chamas vermelhas ficaram envolto do seu corpo, não como o do Edward, parecia que aquela chama o protegia, como uma armadura.

    O demônio agora entreolhava Dante com um olhar de quem iria se divertir muito nessa luta.

    – Vamos começar? – perguntou Fúria sorrindo.

    – Não veio para cima por que ainda?

    Fúria concentrou suas chamas em seu braço direito e avançou em direção ao demônio. Rapidamente, o demônio desviou do soco do Fúria, fazendo com que atingisse o chão, e despedaçasse o solo e as árvores perto do impacto. No ar, o demônio juntou as duas mãos e mirou nas costas do Fúria, mas o Fúria se protegeu do seu golpe com o braço direito, causando uma onda de choque com o impacto, e rapidamente, Fúria puxou um gancho com o seu braço esquerdo em direção ao rosto do demônio, porém, ele girou o corpo ainda no ar, desviando do golpe e aproveitou do giro e deu chute nas costas do Fúria fazendo ele afundar no chão. Em resposta, Fúria pegou a perna do demônio e o arremessou com força fazendo ele sair voando, levando árvore e terra, até bater em um pedra e parar. Então, Fúria se aproximou dele e disse:

    – Até que você luta bem, demônio... qual é o seu nome?

    – Não tenho um nome – respondeu o demônio se levantando. – Sou apenas um demônio que serve ao meu senhor.

    – Que bosta, hein! Puxa vida... vou continuar a te chamar de imundo então.

    – Pode me chamar do que quiser.

    Dito isso, o Demônio deu um soco de direita, porém, Fúria segurou o punho com a mão direita e deu um soco forte de esquerda fazendo o demônio ir para as nuvens, em seguida, Fúria pulou indo de encontro com o demônio. Os dois chocaram seus punhos, causando um estrondo alto, fazendo com que Fúria caísse com um grande impacto no chão e o demônio subisse ainda mais.

    Quando Fúria se levantou, o demônio já estava em terra firme.

    – Mas que merda é essa? Tinha quase certeza de ter arrancado o braço dele fora, ou pelo menos quebrado os ossos dele em pedacinhos. Então por que está inteiro como se nada tivesse acontecido? E ele deveria ter pelo menos ferimentos de quando arremessei ele na pedra... o que está acontecendo? – pensava Fúria.

    O demônio avançou para cima do Fúria com um chute, Fúria desviou para esquerda e puxou um soco de direita, mas o demônio defendeu. Eles continuaram essa troca de soco e chutes durante um tempo, cada impacto era uma onda de choque, fazendo com que as árvores ficassem balançando. Por fim, Fúria deu um soco na barriga do demônio, fazendo o mesmo recuar.

    – Mas que merda, eu dei um monte de socos e chutes nele e parece que nada o atingiu – pensou Fúria.

    – Vocês selos não são brincadeira! Te dei alguns golpes e só causou pequenos arranhões – observou o demônio surpreso.

    – Já eu te dei vários golpes e você não tem nenhum arranhão, que magia você usa?

    – Então você percebeu? Mas não é magia que eu uso, veja.

    O demônio arrancou o seu próprio braço e jogou-o no chão, praticamente no mesmo instante, o sangue saiu parecendo uma linha e desenhou o braço dele, então os ossos, nervos e pele foram formados novamente em instantes. O braço arrancado a força não estava mais no chão, parecia que foi evaporado.

    – Viu? Todos machucados, órgãos ou membros decepados, meu sangue o reconstrói sem nenhuma dificuldade.

    – Por isso que você está vivo até agora lutando contra mim, entendi...

    – E nem irei morrer, porque eu sou imorta-

    O demônio foi interrompido por Fúria que havia concentrado suas chamas vermelhas em seu braço direito, acertou um soco e arrancou a cabeça do demônio, fazendo ela viajar para longe. Logo em seguida, a cabeça começou a ser reconstruída.

    – Como eu tentava dizer, eu sou imorta-

    Ele foi interrompido de novo por Fúria que, desta vez, além de arrancar a cabeça dele com um soco, também arrancou o coração dele com a mão e queimou-o, mas logo em seguida tudo começou a ser reconstruído.

    – DEIXA EU TERMINAR DE FALAR, PORRA!

    – Você ia falar que é imortal e blá blá blá... você não morreu até agora, e isso está começando a me deixar furioso.

    Um pouco antes da luta do Fúria começar, na cidade, estava o outro demônio com Edward. Ele não tinha grandes músculos como o do inimigo de Fúria, ele tinha um físico normal e era um pouco maior que o Edward. O cabelo do demônio era volumoso e tinha a cor negra. Edward e o demônio se encararam por um tempo e, logo depois, veio uma explosão da floresta.

    – Parece que nossos meninos começaram... – observou o demônio.

    – É o que parece. Mas antes de nós começarmos, qual é o seu nome?

    – Belzebu, prazer em conhecê-lo.

    – O prazer é meu. – Edward olhou para trás. – Está esperando o que? Tire os moradores daqui, Mika.

    – Está bem... Boa sorte Ed! – disse ela com uma cara preocupada.

    – Eu faço a minha sorte.

    Logo depois, Edward pegou a Lizzie, que estava nas suas costas, pelo seu braço e jogou ela rodando em direção ao Belzebu. A Lizzie continuou indo em sua forma humana.

    – Hã? Ele jogou essa menininha em mim? Ele é idiota por acaso? – pensou o Belzebu.

    Quando estava bem perto do Belzebu, Lizzie se transformou em foice, mas ele conseguiu ainda desviar, porém conseguiu abrir um corte na bochecha de Belzebu. A foice deu uma volta e voltou para a mão do Edward.

    – Até que você tem bons reflexos – comentou Ed.

    – Foi uma boa tentativa, mas não acha que você me subestimou demais?

    – É... Pensei que como você é um demônio, você seria muito burro e teria a cabeça cortada.

    – Meça suas palavras, escória – ameaçou Belzebu levemente irritado.

    – Vai vir pra cima ou vai ficar enrolado?

    Belzebu, muito furioso, foi para cima de Edward. Em questão de milésimos. O demônio já havia aparecido ao lado do Edward dando um soco, fazendo-o ser arremessado e sair carregando casas junto a destruição. Rapidamente, Belzebu já estava no lugar em que Edward ia cair e deu outro soco nele fazendo-o ir para o céu e, de novo, ele estava lá já dando um chute no Edward, fazendo com que batesse fortemente contra o chão.

    – Mas que porra é essa? – pensava Ed cuspindo sangue – Ele é tão rápido assim? Não... se fosse rápido eu conseguiria enxergar ele se aproximando um pouco, mas isso, não consegui nem sentir ele se aproximando. Que merda está acontecendo aqui?!

    – O que foi, Morte? Não me diz que já está cansadinho, mas nem começamos a brincar direito...

    Continua <3 :p

    Curiosidades:

    Fúria: Ele é o terceiro selo. Grande e musculoso, ele tem 1,98 de altura. Tem o cabelo curto, como se tivesse acabado de ter sido cortado, e preto. Os olhos dele são vermelhos. A cor das chamas dele é vermelha; as chamas fica em seu corpo como uma armadura e, ao mesmo tempo, serve como uma luva, então as chamas dele além de aumentar o ataque e a defesa também.

    (Capítulo Remake)


    Somente usuários cadastrados podem comentar! Clique aqui para cadastrar-se agora mesmo!